Parte02

215 visualizações

Publicada em

Parte 2 da web Makeyourdie . com, originalmente postada na comunidade só webs.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
215
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Parte02

  1. 1. @ Tom ainda sentia sua barriga com um enorme haltere em cima! Ele se levantou correndo e vestiu outra roupa qualquer, desligou a televisão que ainda estava no canal de série de comédia e saiu correndo de casa. Ele não sabia o que Brad estava fazendo, mas ele iria impedir. Saiu correndo como um louco pelas ruas, esbarrando nas pessoas. Ele se sentia assim, não pela garota, mas sim por seu amigo. Ele iria se sentir culpado, e poderia morrer de remorso! Ele entrou no prédio e correu para o elevador, digitou o sétimo andar e esperou impacientemente o elevador parar onde deveria. Logo ele disparou para a última porta e ficou a deriva, esperando pela campanhia. Brad atendeu e ele o seguiu. No quarto de Brad, estavam Charlie e Daniel sentados em dois bancos ao lado da cadeira de computador de Brad, havia outro banco vazio. — Nós vamos matar a Mellany Harper. Haha' — Ele se sentou na cadeira, todos ali estavam excitados para conhecer o site. Tom se sentou. — WWW. — Falou brad enquando digitava — M a k e y o u r d i e . c o m E deu enter. A página estava demorando para carregar, até que o fundo branco foi tomado pelo preto, e um vídeo apareceu balançando no canto da tela, mostrava as piores mortes de todas, abaixo do vídeo, havia uma mensagem. "Você tem certeza que quer visitar este site?" "Não a volta depois do pedido". Brad clicou em: desejo entrar. @ — Brad você não vai fazer isso. — Ele se levantou do banco e olhou a página. Havia um banner, e para matar a pessoa era necessário clicar no banner para preencher a "ficha" — Ount, tá com pena agora? Ela humilhou todos nós Tom, ela te odeia. Senta ai logo. Tom sentou-se, não havia como discutir. Brad iria fazer aquilo. Se ele visse, ele poderia impedir. Brad fez o primeiro passo, colocou o nome e o sobrenome, a escola onde estuda, a rua onde mora, o segundo passo era colocar uma foto da pessoa, e ele colocou a que tirou no recreio. Então ele já sabia como funcionava o site... E o terceiro passo era o mais cruel, foi então que Brad começou a digitar, deixando todos assustadíssimos com a morte que ele planejara para Mellany. 03. Descreva a morte desta pessoa (quanto mais detalhes melhor!)ㅤㅤ ㅤㅤ Mellany, estará andando na rua distraidamente, alguem a levara para longe daquele lugar, mas seu pulmão estará derretendo como se estivesse próximo ao sol, seu corpo estara acabando por dentro, cada orgão sufocando, a levando a morte da forma mais dolorosa possível.ㅤㅤ ㅤㅤ 04. Que dia isto deverá acontecer? ㅤㅤ Tom somente observou ele marcar esta morte para o dia seguinte. Ele teria que impedir e dar mais tempo a garota, ele não sabia o que fazer! @ Tom estava desesperado, e antes que Brad pudesse dar ok, ele se levantou de seu banco e deu com o mesmo na cabeça do amigo, que caiu no chão, tonto. Ele sentou-se no computador e procurou aflitamente pela seta do mouse, e quando a achou, foi fechar a página, clicou no X e a popup abriu: tem certeza, o seu progresso sera perdido. Antes que ele pudesse dar ok, Brad o acertou com um soco na têmpora esquerda. Ele caiu no chão, ia bater feio de cabeça, mas Daniel o segurou. — Adie esta data! — Gritou ele. — Nunca. — Gritou Brad, correndo para o mouse novamente. Tom pegou um copo e tacou no chão perto da cadeira, sem querer acertar Brad, o copo de
  2. 2. espatifou no chão. — Não faça isso Brad! — Já era, eu ja fiz. Mas Tom pode ver que ainda não fora feito, se levantara, e empurrara o amigo, a seta do mouse deslizou para uma data daqui a três meses. Ele clicou no X novamente e a popup voltou, ele ia novamente dar ok, até que foi atingido e caíra por cima de Charlie que tombara no chão. Brad deu ok. Era oficial, Mellany iria morrer da pior forma possível, daqui a três meses. @ Tom viu a confirmação da morte, não havia nada que pudesse fazer. Saiu de cima de Charlie e correu pelo apartamento de Brad, deixando o mesmo, ele estava completamente triste, sentia remorso já. Quando voltou para sua casa, ele somente tomou um banho e deitou para dormir, sua cabeça estava explodindo, e naquela noite, ele sonhou eu dediquei o pesadelo para a flun. aqui está. :b. No seu sonho, ele estava sentado em uma cadeira, negra, e então, começa um julgamento, como se fosse uma espécia de juízo final. Ele encarava o microfone para ver todos os seus pecados enqunto falava. Até que ele disse sobre Mellany, a garota que morrera. E então, dolorosamente, assistira a morte dela. Ela caminhava pela rua e então, ele via por dentro do corpo dela, os pulmões se derretendo, tudo acabando. E a cena ficou cada vez mais próxima, até que ele sentiu os efeitos acontecendo em seu corpo. A dor o acordou de verdade. Ele abriu os olhos, estava suando frio. Estava culpado. Cheio de remorso, consciência pesada. Era sua missão, questão de honra, e ele apostava a sua vida naquilo, ele iria salvar Mellany. @ Tom foi caminhando para escola indeciso, não corria em ritmo frenético como sempre fazia, seus passos eram baixos. Ele não sabia o que deveria fazer, se aproximar da garota certamente, conversar com ela, conhecê-la. Era a opção mais certa. Era o que ele deveria fazer. Mas... e se falasse a verdade para ela por acaso? Ele teria que ser cauteloso com ela perto. Ele entrou na escola e viu seus antigos amigos, não queria falar com eles, mas Brad o chamou. — Tom, venha aqui. Tom somente virou e o encarou. Ele parecia estar com dor. — Venha aqui. O garoto caminhou até Brad e o fitou insistentemente. — Me desculpe. Eu agi por raiva, fui um idiota durante todo este tempo, eu não queria fazer isso com você. Eu sei que você estava com a razão. — É eu estava. — Ela vai morrer não é? — Ele abaixou a cabeça. — Como todos na TV ela vai morrer não é? — Sim. — Se houver algo que eu possa fazer... — Não há nada. Você fez agora lide com as consequências. — Tom, me ajude. — Não. Por mim, você vai morrer no remorso. Eu não vou mexer um dedo para te deixar melhor, aquela garota esquisita vai sentir muita dor, e ela vai morrer da pior forma possível, e a culpa é sua assassino. E cruelmente, Tom deu as costas para o ex-amigo e foi embora para a sala de aula. @ A primeira aula de Tom naquele dia, era de Educação física. Ele seguiu para a quadra e praticou os exercícios sem reclamar, ele sabia que agora estava sem os seus melhores amigos, então teria que falar com o resto da turma. Enquanto assistíam uma parte teórica, dada pelo professor, ele resolveu se aproximar de um carinha que parecia legal. — Olá. — Disse Tom. — Oi — Respondeu o garoto.
  3. 3. — Sou Tom O garoto se virou para ele. — Sou Ryan. Porém, entre eles não houve mais papo. Quando a aula acabou, ele rumou para o refeitório e procurou uma mesa vazia, levou seu lanche até lá e se sentou. Do outro lado, ele viu Brad, parecia abatido. Ele não ligou. Continuou a comer, a próxima aula seria a esperança, trigonometria, teria que começar a falar com Mellany, e isto era para ele assustador! Tomou o suco perdido em pensamentos e a sineta tocou, ele recolheu a sua mochila do banco no qual ele estava sentado e saiu do refeitório andando com passos devagares, tentando atrasar o tempo, mas, atraso lhe causaria falta na aula de Jhon — o professor mais rabugento e terrível de toda a escola New York City School —, então, ele começou a se apressar, e entrou na sala e sentou-se na sua cadeira antes que Mellany e o professor estivessem chegado. @ Eu observei o professor entrar na sala com Mellany a seu lado tirando dúvidas, ela veio em minha direção e sentou-se ruidosamente. Ele inspirou fundo. — Oi... Mellany. — Olá. Tom queria saber o porque dela ignorá-lo desta maneira, porque ela sempre estava tão distante dele? — Mellany, olha para mim? A garota ergueu a cabeça para olhar para ele. — Podemos conversar? Ela não respondeu. Tom deixou seu punho cerrado cair na mesa. — Porque você não fala comigo? Hein? Porque você me ignora desta maneira, eu fiz algo de ruim para você? — Eu não suporto pessoas hipócritas! — Ela cuspiu as palavras. — E porque eu sou hipocrita hein? O que eu fingi. No que eu menti? — Silêncio — Responda, diga na minha cara! Vamos! — Porque você é assim Tom, você finge. Olha só, você fazia a pose com os seus amigos grandalhões, e lá você é o maioral, mas você não é isso Tom, você esconde os seus sentimentos verdadeiros, você usa uma máscara Tom, e você nunca vai conseguir falar com uma garota se continuar assim.

×