Olm 100825-manif.visuais-bicorpor.e transf

227 visualizações

Publicada em

Estudo do livro da codificação espirita em ppt " O LIVRO DOS MÉDIUNS

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
227
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Olm 100825-manif.visuais-bicorpor.e transf

  1. 1. 1/23 O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS PARIS 1861
  2. 2. 2/23 Segunda Parte DAS MANIFESTAÇÕES ESPÍRITAS Capítulo l: Ação dos Espíritos sobre a Matéria Capítulo II: Manifestações Físicas e Mesas Girantes Capítulo III: Manifestações Inteligentes Capítulo IV: Teoria da Manifestações Físicas Capítulo V: Manifestações Físicas Espontâneas Capítulo VI: Manifestações Visuais Capítulo VII: Bicorporeidade e transfiguração Capítulo VIII:Laboratório do mundo invisível Capítulo IX: Locais assombrados Capítulo X: Natureza das comunicações Capítulo XI: Sematologia e tiptologia Sumário de “O livro dos médiuns”Sumário de “O livro dos médiuns” O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  3. 3. 3/23 Cap. VI – Manifestações visuaisCap. VI – Manifestações visuais  As manifestações visuais acontecem durante o sono, bem como no estado de virgília, o que é mais raro (aparições).  Os Espíritos que se manifestam pela visão pertencem a uma determinada categoria? — Não; podem pertencer a todas as categorias, das mais elevadas às mais inferiores. O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  4. 4. 4/23 Cap. VI – Manifestações visuaisCap. VI – Manifestações visuais O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  5. 5. 5/23 Cap. VI – Manifestações visuaisCap. VI – Manifestações visuais  Os sonhs podem ser: uma visão atual de coisas presentes ou distantes; uma visão retrospectiva do passado; e, em alguns casos excepcionais, um pressentimento do futuro. Frequentemente são também quadros alegóricos que os Espíritos nos apresentam como úteis advertências ou salutares conselhos, quando são Espíritos bons; ou para nos enganarem e entreterem as nossas paixões, se são Espíritos imperfeitos. O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  6. 6. 6/23 Cap. VI – Manifestações visuaisCap. VI – Manifestações visuais  É racional assustar-se com a aparição de um Espírito? —Aquele que refletir a respeito há de compreender que um Espírito, seja qual for, é menos perigoso que um vivo.  Aquele que vê um Espírito poderia conversar com ele? — Perfeitamente. E é justamente o que se deve fazer nesse caso, perguntando quem é o Espírito, o que deseja e o que se pode fazer por ele. O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  7. 7. 7/23 Cap. VI – Manifestações visuaisCap. VI – Manifestações visuais  As aparições propriamente ditas ocorrem no estado de vigília, no pleno gozo e completa liberdade das faculdades da pessoa. Apresentam-se geralmente com uma forma vaporosa e diáfana, algumas vezes vaga e indecisa. Quase sempre, a princípio, é um clarão esbranquiçado, cujos contornos vão se desenhando aos poucos. De outras vezes as formas são claramente acentuadas, distinguindo- se os menores traços do rosto, a ponto de se poder descrevê-las com precisão. O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  8. 8. 8/23 Cap. VI – Manifestações visuaisCap. VI – Manifestações visuais O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  9. 9. 9/23 Cap. VI – Manifestações visuaisCap. VI – Manifestações visuais  Por que, quase sempre, as pessoas em que mais pensamos, que ardentemente desejamos rever, jamais aparecem nos sonhos, enquanto vemos outras que não nos interessam e nas quais nunca pensamos? — Os Espíritos nem sempre tem a possibilidade de manifestar-se visivelmente, mesmo em sonhos e apesar do desejo que tenhamos de vê-los. Causas independentes da sua vontade podem impedi-los. O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  10. 10. 10/23 Cap. VI – Manifestações visuaisCap. VI – Manifestações visuais  Por que certas visões são mais freqüentes nas doenças? — Elas ocorrem igualmente no estado de perfeita saúde, mas na doença os laços materiais se afrouxam e a fraqueza do corpo deixa mais livre o Espírito, que entra mais facilmente em comunicação com outros Espíritos. O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  11. 11. 11/23 Cap. VI – Manifestações visuaisCap. VI – Manifestações visuais  Por que as aparições se verificam mais à noite? — Pela mesma razão que vês as estrelas à noite e não em pleno dia. A claridade intensa pode ofuscar uma aparição delicada. Mas é errôneo supor que a noite tenha algo de especial para isso. Interpela todos os que as viram, e constatarás que a maioria ocorre de dia. O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  12. 12. 12/23 Cap. VI – Manifestações visuaisCap. VI – Manifestações visuais  “Os fenômenos de aparição são muito mais freqüentes e gerais do que se pensa, mas muitas pessoas não os revelam por medo do ridículo e outras os atribuem à ilusão.”  Os que vêem os Espíritos o fazem com os olhos? — Eles pensam que sim, mas na realidade é a alma que vê. A prova é que podem vê-los de olhos fechados. O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  13. 13. 13/23 Cap. VI – Manifestações visuaisCap. VI – Manifestações visuais O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  14. 14. 14/23 Cap. VI – Manifestações visuaisCap. VI – Manifestações visuais  Essa faculdade pode desenvolver-se pelo exercício? — Pode, como todas as outras faculdades. Mas é daquelas cujo desenvolvimento natural é melhor do que o provocado, quando corremos o risco de super-excitar a imaginação. A visão geral e permanente dos Espíritos é excepcional e não pertence às condições normais do homem. O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  15. 15. 15/23 Cap. VI – Manifestações visuaisCap. VI – Manifestações visuais  Os Espíritos poderiam se apresentar com a forma de animais? — Isto pode acontecer, mas são sempre Espíritos inferiores os que tomam essas aparências. Mas seriam sempre, em todos os casos, aparências passageiras, pois seria absurdo acreditar que um animal pudesse ser a encarnação de um Espírito. Os animais são sempre animais e nada mais do que isso. O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  16. 16. 16/23 Cap. VI – Manifestações visuaisCap. VI – Manifestações visuais  Teoria da alucinação - Os que não admitem a existência do mundo incorpóreo e invisível pensam tudo explicar pela palavra alucinação. A definição dessa palavra é conhecida: quer dizer um engano, uma ilusão de quem pensa ter percepções que na realidade não tem.  Mais uma teoria que não explica todos os fatos. O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  17. 17. 17/23 Cap. VII –Cap. VII – BicorporeidadeBicorporeidade e transfiguraçãoe transfiguração  Bicorporeidade – Fenômenos em que a pessoa é vista em 2 lugares ao mesmo tempo, dando a falsa impressão de “homem duplo”  Transfiguração - Modificação da aparência, uma mudança, uma alteração nos traços que pode ser produzida pela ação do próprio Espírito sobre seu envoltório, ou por uma influência exterior. O corpo nunca muda, mas, em conseqüência de uma contração nervosa, ele submete-se a aparências diversas O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  18. 18. 18/23 Cap. VII –Cap. VII – BicorporeidadeBicorporeidade e transfiguraçãoe transfiguração  Bicorporeidade – Semelhante ao sono, neste fenômeno, o espírito se liberta temporariamente do corpo e assim, pode ser visto em outro lugar e até se tornar tangível;  Permanece ainda uma ligação com o corpo. Rompimento difinitivo somente com a morte.  Os médiuns videntes, reconhecem o Espírito de uma pessoa viva por um traço luminoso que termina no seu corpo. (Cordão prateado) O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  19. 19. 19/23 Cap. VII –Cap. VII – BicorporeidadeBicorporeidade e transfiguraçãoe transfiguração  Bicorporeidade – Santo António de Pádua estava na Espanha e no tempo em que ali pregava, seu pai, que se encontrava em Pádua, ia sendo levado ao suplício, acusado de assassinato. Nesse momento Santo António aparece, demonstra a inocência do pai e dá a conhecer o verdadeiro criminoso que, mais tarde, sofreu o castigo. Constatou- se que naquele momento Santo António não havia deixado a Espanha. O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  20. 20. 20/23 Cap. VII –Cap. VII – BicorporeidadeBicorporeidade e transfiguraçãoe transfiguração  Transfiguração – Pode ocorrer, em certos casos, por uma simples contração muscular que dá à fisionomia expressão muito diferente, a ponto de tornar a pessoa irreconhecível. Observamo-la frequentemente com alguns sonâmbulos. Mas, nesses casos, a transformação não é radical. Uma mulher poderá parecer jovem ou velha, bela ou feia, mas será sempre mulher e seu peso não aumentará diminuirá. O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  21. 21. 21/23 Cap. VII –Cap. VII – BicorporeidadeBicorporeidade e transfiguraçãoe transfiguração  Transfiguração – Admite-se em princípio que o Espírito pode dar ao seu perispírito todas as aparências. Que por uma modificação das disposições moleculares, pode lhe dar a visibilidade, a tangibilidade e em conseqüência a opacidade. Que o perispírito de uma pessoa viva, fora do corpo pode passar pelas mesmas transformações e que essa mudança de estado se realiza por meio da combinação dos fluidos. O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  22. 22. 22/23 Segunda Parte DAS MANIFESTAÇÕES ESPÍRITAS Capítulo l: Ação dos Espíritos sobre a Matéria Capítulo II: Manifestações Físicas e Mesas Girantes Capítulo III: Manifestações Inteligentes Capítulo IV: Teoria da Manifestações Físicas Capítulo V: Manifestações Físicas Espontâneas Capítulo VI: Manifestações Visuais Capítulo VII: Bicorporeidade e transfiguração Capítulo VIII:Laboratório do mundo invisível Capítulo IX: Locais assombrados Capítulo X: Natureza das comunicações Capítulo XI: Sematologia e tiptologia Sumário de “O livro dos médiuns”Sumário de “O livro dos médiuns” O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  23. 23. 23/23 O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS - Maria! - Rabboni!" isto é, Meu senhor. - O Mestre lhe respondeu: "Não me toques, porquanto ainda não subi para meu Pai João, Cap. XIX - 15- 17

×