Termos da oração

9.233 visualizações

Publicada em

0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.233
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
25
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
300
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Termos da oração

  1. 1. Termos da oração Análise sintática
  2. 2. O que é análise sintática?Todos nós já estudamos a gramática da língua portuguesa nas escolas, logo sabemos queuma gramática é dividida em várias partes: fonética, morfologia, sintaxe, etc.A divisão foi feita para nos ajudar a compreender como funcionam as palavras na oração:sozinhas ou em relação às outras.A Sintaxe é a parte que estuda a função que as palavras desempenham dentro da oração.Agora, referimo-nos a sujeito, adjunto adverbial, objeto direto e indireto, complementonominal, aposto, vocativo, predicado, entre outros.http://www.infoescola.com/portugues/analise-sintatica-e-analise-morfologica/http://www.brasilescola.com/gramatica/analise-sintatica-analise-morfologica.htm
  3. 3. Análise sintática1- Termos essenciais da oração Sujeito Predicado Predicativo Verbo Simples nominal do sujeito de ligação explícito Simples verbal do objeto transitivo desinencial direto composto verbonominal transitivo indireto indeterminado intransitivo oração sem sujeito
  4. 4. Análise sintática 2- Termos integrantes da oraçãoComplemento nominal Complemento verbal Agente da passiva objeto direto objeto indireto
  5. 5. Análise sintática3 – Termos acessórios da oração Adjunto adnominal Adjunto adverbial Aposto4 – Vocativo
  6. 6. Termos essenciais da oraçãoA função sintática que denominamos sujeito, é um termo essencial da frase epode se comportar de várias maneiras, dependendo da intenção da mesma:agente, experienciador, paciente, etc.O sujeito tem a característica de concordar com o verbo, salvo raríssimasexceções.Vejamos agora quais os tipos de sujeito existentes e como eles sãocaracterizados para que possamos identificá-los.Sujeito Simples: possui apenas um núcleo e este vem exposto.Exemplos:- Deus é perfeito!- A cegueira lhe torturava os últimos dias de vida.- Pastavam vacas brancas e malhadas.Sujeito Composto: possui dois ou mais núcleos que também vêm expressos naoração.Exemplos:- As vacas brancas e os touros pretos pastavam.- A cegueira e a pobreza lhe torturavam os últimos dias de vida.- Fome e desidratação são agravantes das doenças daquele povo.
  7. 7. Termos essenciais da oração - continuaçãoSujeito Oculto: também chamado de sujeito elíptico ou desinencial, édeterminado pela desinência verbal e não aparece explícito na frase. Dá-se porisso o nome de sujeito implícito.Exemplos:- Estamos sempre alertas para com os aumentos abusivos de preços. (sujeito: nós)- Quero que meus pais cheguem de viagem o mais rápido possível. (sujeito: eu)- Os pais terminaram a reunião. Foram embora logo em seguida. (sujeito: os pais - oculto apenas na segunda frase)Sujeito Indeterminado: Este tipo de sujeito não aparece explícito na oração porser impossível determiná-lo, apesar disso, sabe-se que existe um agente ouexperienciador da ação verbal.Exemplos:1- verbo na 3ª pessoa do plural- Dizem que a família está falindo. (alguém diz, mas não se sabe quem)- Disseram que morreu do coração.2- verbo na 3ª pessoa do singular + se, índice de indeterminação do sujeito- Precisa-se de mão de obra especializada. (não se pode determinar quem precisa)
  8. 8. Termos essenciais da oração - continuaçãoSujeito inexistente: também chamado de oração sem sujeito, é designadopor verbos que não correspondem a uma ação, como fenômenos danatureza, entre outros.Exemplos:1- Verbos indicando Fenômeno da Natureza- Choveu na Argentina e fez sol no Brasil.2- verbo haver no sentido de existir ou ocorrer- Houve um grave acidente na avenida principal.- Há pessoas que não valorizam a vida.3- verbo fazer indicando tempo ou clima-Faz meses que não a vejo.- Faz sempre frio nessa região do estado.http://www.infoescola.com/portugues/tipos-de-sujeito/
  9. 9. Termos integrantes da oraçãoCertos verbos ou nomes presentes numa oração não possuem sentidocompleto em si mesmos. Sua significação só se completa com apresença de outros termos, chamados integrantes. São eles:complementos verbais (objeto direto e objeto indireto);complemento nominal;agente da passiva.Complementos VerbaisCompletam o sentido de verbos transitivos diretos e transitivos indiretos.São eles:1) Objeto DiretoÉ o termo que completa o sentido do verbo transitivo direto, ligando-se aele sem o auxílio necessário da preposição.
  10. 10. Termos integrantes da oração – continuaçãoO objeto direto pode ser constituído:a) Por um substantivo ou expressão substantivada.Exemplos:O agricultor cultiva a terra./ Unimos o útil ao agradável.b) Pelos pronomes oblíquos o, a, os, as, me, te, se, nos, vos.Exemplos:Espero-o na minha festa. / Ela me ama.c) Por qualquer pronome substantivo.Exemplos:Não veio ninguém à aula hoje. / O menino que conheci está la fora. / Onde você leu isso?Atenção:Em alguns casos, o objeto direto pode vir acompanhado de preposição facultativa. Isso podeocorrer:- quando o objeto é um substantivo próprio: Adoremos a Deus.- quando o objeto é representado por um pronome pessoal oblíquo tônico: Ofenderam a mim,não a ele.- quando o objeto é representado por um pronome substantivo indefinido: O diretor elogiou atodos.- para evitar ambiguidade: Venceu ao inimigo o nosso colega.Obs.: caso o objeto direto não viesse preposicionado, o sentido da oração ficaria ambíguo,pois não poderíamos apontar com precisão o sujeito (o nosso colega).
  11. 11. Termos integrantes da oração – continuação2) Objeto IndiretoÉ o termo que completa o sentido de um verbo transitivo indireto. Vemsempre regido de preposição clara ou subentendida. Atuam como objetoindireto os pronomes: lhe, lhes, me te, se, nos, vos.Exemplos:Não desobedeço a meus pais.Objeto IndiretoPreciso de ajuda. (Preposição clara "de")Objeto IndiretoEnviei-lhe um recado.(Enviei a ele - a preposição a estásubentendida)Objeto IndiretoObs.: muitas vezes o objeto indireto inicia-se com crase (à, àquele, àquela,àquilo). Isso ocorre quando o verbo exige a preposição "a", que acaba secontraindo com a palavra seguinte.Por Exemplo:Entregaram à mãe o presente. (à = "a" preposição + "a" artigo definido)
  12. 12. Termos integrantes da oração – continuaçãoObservações Gerais:a) Pode ocorrer ainda o (objeto direto ou indireto) pleonástico, que consistena retomada do objeto por um pronome pessoal, geralmente com aintenção de colocá-lo em destaque.Por Exemplo: As mulheres, eu as vi na cozinha. (Objeto Direto)A todas vocês, eu já lhes forneci o pagamento mensal. (Objeto Indireto)b) Os pronomes oblíquos o, a, os, as (e as variantes lo, la, los, las, no, na,nos, nas) são sempre objeto direto. Os pronomes lhe, lhes são sempreobjeto indireto. Exemplos:Eu a encontrei no quarto. (OD)Vou avisá-lo.(OD)Eu lhe pagarei um sorvete.(OI)
  13. 13. Termos integrantes da oração – continuaçãoc) Os pronomes oblíquos me, te, se, nos, vos podem ser objeto direto ouindireto. Para determinar sua função sintática, podemos substituir essespronomes por um substantivo: se o uso da preposição for obrigatório, entãose trata de um objeto indireto; caso contrário, de objeto direto.Por Exemplo:Roberto me viu na escola.(OD)Substituindo-se "me" por um substantivo qualquer (amigo, por exemplo),tem-se: "Roberto viu o amigo na escola." Veja que a preposição não foiusada. Portanto, "me" é objeto direto.Observe o próximo exemplo:João me telefonou.(OI)Substituindo-se "me" por um substantivo qualquer (amigo, por exemplo),tem-se: "João telefonou ao amigo". A preposição foi usada. Portanto,"me" é objeto indireto.
  14. 14. Termos integrantes da oração – continuação3) Complemento Nominal É o termo que completa o sentido de uma palavra que não seja verbo. Assim, podereferir-se a substantivos, adjetivos ou advérbios, sempre por meio de preposição.Exemplos:Cecília tem orgulho da filha. substantivo complemento nominalRicardo estava consciente de tudo. adjetivo complemento nominalA professora agiu favoravelmente aos alunos. advérbio complemento nominalSaiba que: O complemento nominal representa o recebedor, o paciente, o alvo da declaraçãoexpressa por um nome. É regido pelas mesmas preposições do objeto indireto.Difere deste apenas porque, em vez de complementar verbos, complementanomes (substantivos, adjetivos) e alguns advérbios em -mente.
  15. 15. Termos integrantes da oração – continuação4) Agente da Passiva É o termo da frase que pratica a ação expressa pelo verbo quando este se apresenta na vozpassiva. Vem regido comumente da preposição "por" e eventualmente da preposição "de".Por Exemplo: A vencedora foi escolhida pelos jurados. Sujeito Verbo Agente da Paciente Voz Passiva PassivaAo passar a frase da voz passiva para a voz ativa, o agente da passiva recebe o nome desujeito. Veja:Os jurados escolheram a vencedora. Sujeito Verbo Objeto Direto Voz AtivaOutros exemplos: Joana é amada de muitos.Sujeito Paciente Agente da Passiva Essa situação já era conhecida de todos.Sujeito Paciente Agente da Passiva
  16. 16. Termos integrantes da oração – continuaçãoObservações:a) O agente da passiva pode ser expressopor substantivos ou pronomes.Por Exemplo:O solo foi umedecido pela chuva. (substantivo)Este livro foi escrito por mim. (pronome)b) Embora o agente da passiva seja considerado um termointegrante, pode muitas vezes ser omitido.Por Exemplo:O público não foi bem recebido. (pelos anfitriões)
  17. 17. Termos acessórios da oraçãoSobre os Termos AcessóriosExistem termos que, apesar de dispensáveis na estrutura básicada oração, são importantes para a compreensão do enunciado.Ao acrescentar informações novas, esses termos:- caracterizam o ser;- determinam os substantivos;-exprimem circunstância.São termos acessórios da oração: o adjuntoadverbial, o adjunto adnominal e o aposto.
  18. 18. Termos acessórios da oração - continuaçãoVamos observar o exemplo: Anoiteceu.No exemplo acima, temos uma oração de predicado verbal formado por umverbo impessoal. Trata-se de uma oração sem sujeito. O verbo anoiteceu ésuficiente para transmitir a mensagem enunciada. Poderíamos, no entanto,ampliar a gama de informações contidas nessa frase: Suavemente anoiteceu na cidade.A ideia central continua contida no verbo da oração. Temos, agora, duasnoções acessórias, circunstanciais, ligadas ao processo verbal: o modo comoanoiteceu (suavemente) e o lugar onde anoiteceu (na cidade). A essestermos acessórios que indicam circunstâncias relativas ao processo verbaldamos o nome de adjuntos adverbiais.
  19. 19. Termos acessórios da oração - continuaçãoAgora, observe o que ocorre ao expandirmos um pouco mais a oração acima: Suavemente anoiteceu na deserta cidade do planalto.Surgiram termos que ser referem ao substantivo cidade, caracterizando-o, delimitando-lhe osentido. Trata-se de termos acessórios que se ligam a um nome, determinando-lhe o sentido.São chamados adjuntos adnominais. Fernando Pessoa era português.Nessa oração, o sujeito é determinado e simples: Fernando Pessoa. Há ainda um predicativo dosujeito (português) relacionado ao sujeito pelo verbo de ligação (era). Trata-se, pois, de umaoração com predicado nominal. Note que a frase é capaz de comunicar eficientemente umainformação. Nada nos impede, no entanto, de enriquecer mais um pouco o conteúdoinformativo. Veja: Fernando Pessoa, o criador de poetas, era português.Agora, além do núcleo do sujeito (Fernando Pessoa) há um termo que explica, que enfatizaesse núcleo: o criador de poetas. Esse termo é chamado de aposto.
  20. 20. Termos acessórios da oração - continuaçãoAdjunto AdverbialÉ o termo da oração que indica uma circunstância (dando ideia de tempo, lugar, modo, causa,finalidade, etc.). O adjunto adverbial é o termo que modifica o sentido de um verbo, deum adjetivo ou de um advérbio. Observe as frases abaixo: Eles se respeitam muito. Seu projeto é muito interessante. O time jogou muito mal.Nessas três orações, muito é adjunto adverbial de intensidade. No primeiro caso, intensifica aforma verbal respeitam, que é núcleo do predicado verbal. No segundo, intensificao adjetivo interessante, que é o núcleo do predicativo do sujeito. Na terceiraoração, muito intensifica o advérbio mal, que é o núcleo do adjunto adverbial de modo.Veja o exemplo abaixo: Amanhã voltarei de bicicleta àquela velha praça.
  21. 21. Termos acessórios da oração - continuaçãoOs termos em destaque estão indicando as seguintes circunstâncias:amanhã indica tempo;de bicicleta indica meio;àquela velha praça indica lugar. Sabendo que a classificação do adjunto adverbial se relaciona com a circunstância por ele expressa, ostermos acima podem ser classificados, respectivamente em: adjunto adverbial de tempo, adjunto adverbialde meio e adjunto adverbial de lugar.O adjunto adverbial pode ser expresso por:1) Advérbio: O balão caiu longe.2) Locução Adverbial: O balão caiu no mar.3) Oração: Se o balão pegar fogo, avisem-me.Observação: nem sempre é possível apontar com precisão a circunstância expressa por um adjuntoadverbial. Em alguns casos, as diferentes possibilidades de interpretação dão origem a orações sugestivas.Por Exemplo: Entreguei-me calorosamente àquela causa. É difícil precisar se calorosamente é um adjunto adverbial de modo ou de intensidade. Na verdade,parece ser uma fórmula de expressar ao mesmo tempo as duas circunstâncias. Por isso, é fundamentallevar em conta o contexto em que surgem os adjuntos adverbiais.
  22. 22. Termos acessórios da oração - continuaçãoAdjunto AdnominalÉ o termo que determina, especifica ou explica um substantivo. O adjunto adnominal possui função adjetiva naoração, a qual pode ser desempenhada por adjetivos, locuções adjetivas, artigos, pronomes adjetivos enumerais adjetivos. Veja o exemplo a seguir:O poeta inovador enviou dois longos trabalhos ao seu amigo de infância.Sujeito – O poeta inovadorNúcleo do Predicado Verbal - enviouObjeto Direto – dois longos trabalhosObjeto Indireto – ao seu amigo de infânciaNa oração acima, os substantivos poeta, trabalhos e amigo são núcleos, respectivamente, do sujeitodeterminado simples, do objeto direto e do objeto indireto. Ao redor de cada um desses substantivos agrupam-se os adjuntos adnominais:o artigo" o" e o adjetivo inovador referem-se a poeta;o numeral dois e o adjetivo longos referem-se ao substantivo trabalhos;o artigo" o" (em ao), o pronome adjetivo seu e a locução adjetiva de infância são adjuntos adnominais deamigo.
  23. 23. ApostoAposto é um termo que se junta a outro de valor substantivo ou pronominal para explicá-lo ouespecificá-lo melhor. Vem separado dos demais termos da oração por vírgula, dois-pontos outravessão.Por Exemplo:Ontem, Segunda-feira, passei o dia com dor de cabeça.Segunda-feira é aposto do adjunto adverbial de tempo ontem. Dizemos que o aposto ésintaticamente equivalente ao termo a que se relaciona porque poderia substituí-lo. Veja:Segunda-feira passei o dia com dor de cabeça.Obs.: após a eliminação de ontem, o substantivo Segunda-feira assume a função de adjuntoadverbial de tempo.Veja outro exemplo:Aprecio todos os tipos de música: MPB, rock, blues, chorinho, samba, etc.Objeto Direto: todos os tipos de músicaAposto do Objeto Direto: MPB, rock, blues, chorinho, samba, etc.Se retirarmos o objeto da oração, seu aposto passa a exercer essa função:Aprecio MPB, rock, blues, chorinho, samba, etc. (Objeto Direto)
  24. 24. ApostoObs.: o termo a que o aposto se refere pode desempenhar qualquer função sintática (inclusive a de aposto).Por Exemplo:Dona Aida servia o patrão, pai de Marina, menina levada.Analisando a oração, temos:pai de Marina = aposto do objeto direto patrão.menina levada = aposto de Marina.Classificação do ApostoDe acordo com a relação que estabelece com o termo a que se refere, o aposto pode ser classificado em:a) Explicativo:A Ecologia, ciência que investiga as relações dos seres vivos entre si e com o meio em que vivem,adquiriugrande destaque no mundo atual.b) Enumerativo:A vida humana se compõe de muitas coisas: amor, trabalho, ação.c) Resumidor ou Recapitulativo:Vida digna, cidadania plena, igualdade de oportunidades, tudo isso está na base de um país melhor.d) Comparativo:Seus olhos, indagadores holofotes, fixaram-se por muito tempo na baía anoitecida.e) Distributivo:Drummond e Guimarães Rosa são dois grandes escritores, aquele na poesia e este na prosa.http://www.soportugues.com.br/secoes/sint/sint22.php

×