• 1ª Fonte de pesquisa: Revista “Discutindo Geografia” – ano 2 –
edição nº 9 – Editora: Escala (http://www.escala.com.br/)...
- O primeiro fenômeno nuclear ocorreu em 1896. O pesquisador H.
Becquerel descobriu a emissão de radioatividade pelo urâni...
Fissão
Energia Nuclear e FissãoA energia que o núcleo do
átomo possui, mantendo prótons e nêutrons
juntos, denomina-se ene...
Controle da Reação
Nos reatores nucleares, a reação acontece dentro de varetas que compõem
uma estrutura chamada elemento ...
Reator PWR
As usinas Angra I e Angra II são do tipo PWR (a água pressurizada). Veja abaixo
uma representação da Usina Angr...
TRATADO DE NÃO-PROLIFERAÇÃO NUCLEAR: CLUBE DA
PESADA
O Tratado de Não-Proliferação Nuclear (TNP) foi firmado em 1970 e
rat...
Mais um para o grupo
• Estados Unidos: o líder do ranking nuclear já fez 1 032 testes do gênero. O primeiro foi
realizado ...
O PROGRAMA NUCLEAR IRANIANO -
Início O início do programa nuclear iraniano ocorreu em 1970, ainda durante o regime do xá.
...
A Tokyo Electric Power Co, operadora da usina nuclear de Fukushima, disse que vai
convidar especialistas estrangeiros para...
Em visita à usina danificada por um terremoto seguido de tsunami em março de 2011, o
ministro do Comércio e Indústria, Tos...
Geopolítica da energia nuclear
Geopolítica da energia nuclear
Geopolítica da energia nuclear
Geopolítica da energia nuclear
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Geopolítica da energia nuclear

925 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
925
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Geopolítica da energia nuclear

  1. 1. • 1ª Fonte de pesquisa: Revista “Discutindo Geografia” – ano 2 – edição nº 9 – Editora: Escala (http://www.escala.com.br/); • Texto: “Energia Nuclear: Recurso Bélico ou Fonte Alternativa?” (p. 32-37) • 2ª fonte de pesquisa: Revista “Guia do Estudante: Atualidades Vestibular + ENEM – dossiê” – edição 12 – 2011. Editora Abril (http://www.guiadoestudante.com.br) • Texto: “Irã no centro da polêmica nuclear” (p. 28-49) Geopolítica da Energia Nuclear
  2. 2. - O primeiro fenômeno nuclear ocorreu em 1896. O pesquisador H. Becquerel descobriu a emissão de radioatividade pelo urânio. - Foi a partir da década de 1950, já conhecendo os efeitos devastadores das bombas nucleares jogadas em Hiroshima e Nagasaki, que o mundo começou a criar programas para o uso pacífico da energia nuclear. Foi a ONU quem coordenou este processo, criando a AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica) em 1957. http://www.suapesquisa.com/cienciastecnologia/energia_nuclear.htm Os átomos são formados por núcleo e elétrons, que são orbitais, ou seja, gravitam em torno do núcleo. As partículas que formam o núcleo são unidas por uma força de atração. Quando uma energia externa é aplicada, o núcleo do átomo é desintegrado, liberando calor e radiação. O urânio, em função de suas características químicas, é o elemento utilizado para a geração de energia nuclear nas usinas atômicas. http://www.suapesquisa.com/cienciastecnologia/energia_nuclear.htm
  3. 3. Fissão Energia Nuclear e FissãoA energia que o núcleo do átomo possui, mantendo prótons e nêutrons juntos, denomina-se energia nuclear.Quando um nêutron atinge o núcleo de um átomo de urânio- 235, divide-o e ocorre a emissão de 2 a 3 nêutrons. Parte da energia que ligava os prótons e os nêutrons é liberada em forma de calor. Este processo é denominado fissão nuclear. Fissão em Cadeia Os nêutrons liberados na fissão atingem, sucessivamente, outros núcleos, como pode ser visto a seguir:Na fissão nuclear em cadeia, há grande liberação de energia. Para suspender ou minimizar a reação, teríamos que "apreender" os nêutrons liberados, impedindo os choques sucessivos.Na fissão nuclear em cadeia, há grande liberação de energia. Para suspender ou minimizar a reação, teríamos que "apreender" os nêutrons liberados, impedindo os
  4. 4. Controle da Reação Nos reatores nucleares, a reação acontece dentro de varetas que compõem uma estrutura chamada elemento combustível. Dentro do elemento combustível há também barras de controle, geralmente feitas de cádmio, material que absorve nêutrons. Estas barras controlam o processo.Quando as barras "entram totalmente" no elemento combustível, o reator pára; quando saem, ele é ativado.
  5. 5. Reator PWR As usinas Angra I e Angra II são do tipo PWR (a água pressurizada). Veja abaixo uma representação da Usina Angra I.O vaso de pressão contém a água de refrigeração do núcleo do reator. Essa água circula quente por um gerador de vapor, em circuito fechado, chamado de circuito primário. A outra corrente de água que passa por esse gerador (circuito secundário) se transforma em vapor, acionando a turbina para a geração de eletricidade. Os dois circuitos não têm comunicação entre si. Por quê Energia Nuclear? A utilização da energia nuclear vem crescendo a cada dia. A geração nucleoelétrica é uma das alternativas menos poluentes; permite a obtenção de muita energia em um espaço físico relativamente pequeno e a instalação de usinas perto dos centros consumidores, reduzindo o custo de distribuição de energia.Outras fontes de energia, como solar ou eólica, são de exploração cara e capacidade limitada, ainda sem utilização em escala industrial. Os recursos hidráulicos também apresentam limitações, além de provocar grandes impactos ambientais.Por isso, a energia nuclear torna-se mais uma opção para atender com eficácia à demanda energética no mundo moderno. http://www.cnen.gov.br/ensino/energ-nuc.asp (Comissão Nacional de Energia Nuclear)
  6. 6. TRATADO DE NÃO-PROLIFERAÇÃO NUCLEAR: CLUBE DA PESADA O Tratado de Não-Proliferação Nuclear (TNP) foi firmado em 1970 e ratificado em 2002 por 188 países. Entrou em vigor para evitar um conflito nuclear em plena Guerra Fria, mas também estabeleceu a cooperação internacional para o uso de energia atômica com fins pacíficos. O TNP propõe que as cinco potências nucleares (EUA, Rússia, Grã-Bretanha, França e China) não transfiram esse tipo de arma para nenhum país. A Índia e o Paquistão já realizaram testes nucleares, mas não são signatários do tratado. Até a recente experiência da Coréia do Norte, as potências nucleares (incluindo Índia e Paquistão) já realizaram 2 047 testes. http://guiadoestudante.abril.com.br/aventuras-historia/tratado-nao- proliferacao-nuclear-clube-pesada-435001.shtml
  7. 7. Mais um para o grupo • Estados Unidos: o líder do ranking nuclear já fez 1 032 testes do gênero. O primeiro foi realizado em 16 de julho de 1945, menos de um mês antes de despejar a bomba de Hiroshima. • Rússia: já detonou 715 explosões. A primeira foi em agosto de 1949, no Cazaquistão. Em 1991, anunciou uma moratória unilateral para testes do gênero, e foi seguida no ano seguinte pela França, Estados Unidos e Grã-Bretanha. • França: a primeira explosão atômica foi no deserto do Saara, em 1960. Depois, vieram mais 209, a maioria no Pacífico. Em 95, rompeu a moratória e fez um teste em Mururoa, na Polinésia. No ano seguinte, fez seu último teste. • Grã-Bretanha: já realizou 45 testes. A primeira explosão foi em 1952, nas ilhas de Monte Bello. • China: também já promoveu 45 explosões nucleares. A primeira foi feita em 1964; a última, em 1996. • Índia e Paquistão: a primeira explosão indiana aconteceu em 1974. Outras cinco foram feitas em maio de 1998, quando estava em pé de guerra com o Paquistão. Este respondeu com seis testes, duas semanas depois. • Coréia do Norte: entrou para o clube atômico em 9 de outubro de 2006, quando anunciou ter realizado com sucesso seu teste nuclear. http://guiadoestudante.abril.com.br/aventuras-historia/tratado-nao-proliferacao-nuclear- clube-pesada-435001.shtml
  8. 8. O PROGRAMA NUCLEAR IRANIANO - Início O início do programa nuclear iraniano ocorreu em 1970, ainda durante o regime do xá. Naquela época, a iniciativa tinha apoio dos EUA e da Europa. Depois veio a Revolução Islâmica e em 1982 , o governo iniciou a criação, em Isfahan, de um centro de tecnologia nuclear.Três anos depois, foram descobertas minas de urânio em seu território. Motivos para o programa O irã justifica as pesquisas na área pela necessidade de diversificar as fontes de energia. O país tem grandes reservas de gás e petróleo, do que é um dos maiores exportadores mundiais, mas sua capacidade de refino é pequena. Por isso, importa 40% do combustível que consome. Os EUA e os países europeus, porém, contestam essa explicação, com o argumento de que o Irã possui muito petróleo e que não precisariam de energia nuclear. Sanções ao país Nos últimos anos, a questão nuclear tornou-se um elemento de afirmação nacional do Irã. A negativa do país em paralisar o programa nuclear já havia levado a Organização das Nações Unidas (ONU) a aprovar três pacotes de sanções com o país - em dezembro de 2006, em março de 2007 e em março de 2008. Após as primeiras sanções, o Irã não permitiu mais visitas de técnicos da Agência Internacional de EnergiaAtômica (AIEA) a locais não vinculados a atividades atômicas. http://guiadoestudante.abril.com.br/estudar/atualidades/programa-nuclear-iraniano-resumo- 678211.shtml
  9. 9. A Tokyo Electric Power Co, operadora da usina nuclear de Fukushima, disse que vai convidar especialistas estrangeiros para assessorá-la sobre a forma de lidar com a água altamente radiativa que está vazando do local, e o Japão sinalizou que pode utilizar um fundo de reserva para emergências de US$ 3,6 bilhões para ajudar a pagar pela limpeza. Operadora de Fukushima vai buscar ajuda externa sobre água tóxica Ministro da Economia, Comércio e Indústria do Japão, Toshimitsu Motegi, usando traje de proteção e máscara, inspeciona tanques de água contaminada na usina nuclear avariada de Fukushima, no Japão. A Tokyo Electric Power Co, operadora da usina nuclear de Fukushima, disse que vai convidar especialistas estrangeiros para assessorá-la sobre a forma de lidar com a água altamente radiativa que está vazando do local, e o Japão sinalizou que pode utilizar um fundo de reserva para emergências de 3,6 bilhões de dólares para ajudar a pagar pela limpeza.Foto: Kyodo / Reuters
  10. 10. Em visita à usina danificada por um terremoto seguido de tsunami em março de 2011, o ministro do Comércio e Indústria, Toshimitsu Motegi, informou nesta segunda-feira que vai criar uma força-tarefa para cuidar da limpeza e enviar funcionários a Fukushima para supervisionar as operações. "Sinto fortemente que o governo deve se envolver totalmente", disse ele a jornalistas depois de visitar as instalações de Fukushima Daiichi, que fica a 220 km ao norte de Tóquio. Motegi ordenou a Tokyo Electric Power Co, ou Tepco, a substituir os tanques de armazenamento que estão em risco de vazar água radiativa. A Tepco reconheceu na semana passada que centenas de toneladas de água altamente radiativa vazaram de um dos cerca de 350 tanques que foram montados logo após o acidente nuclear no local. Os tanques são usadas para armazenar a água bombeada através dos reatores para prevenir o superaquecimento do combustível nos núcleos derretidos. Motegi disse que a Tepco deve realizar vistorias mais frequentes em torno dos tanques e melhor documentar as inspeções. Ele disse que a operadora deve substituir os tanques aparafusadas, mais fracos, por unidades de armazenamento soldadas, que são mais resistentes. "Para as medidas que exigem tecnologia sofisticada, vamos implementá-las de forma adequada como governo, enquanto colaboramos com as autoridades sobre as medidas fiscais, incluindo o uso de um fundo de reserva", disse Motegi. http://noticias.terra.com.br/mundo/operadora-de-fukushima-vai-buscar-ajuda- externa-sobre-agua-toxica,476334dddd1b0410VgnCLD2000000dc6eb0aRCRD.html

×