Primeiras comunidades humanas da península ibérica resumo

6.996 visualizações

Publicada em

Como viviam as primeiras comunidades humanas da Península Ibérica

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.996
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.444
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
233
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Primeiras comunidades humanas da península ibérica resumo

  1. 1. Página 1 de 3 DIREÇÃO-GERAL DOS ESTABELECIMENTOS ESCOLARES DIREÇÃO DE SERVIÇOS DA REGIÃO NORTE Agrupamento de Escolas Fernando Pessoa – Santa Maria da Feira Alameda Fernando Pessoa 278 4520-827 Santa Maria da Feira RESUMO AS PRIMEIRAS COMUNIDADES HUMANAS DA PENÍNSULA IBÉRICA As comunidades recoletoras  Os primeiros seres humanos apareceram em África há quase 2 milhões de anos.  Há cerca de 800 mil anos chegaram as primeiras comunidades humanas à Península Ibérica.  As primeiras comunidades que habitaram a Península Ibérica eram recoletoras. Viviam da caça, pesca, recolha de frutos silvestres e algumas raízes.  Eram nómadas, isto é, não viviam muito tempo fixos num mesmo local.  Fabricavam utensílios em pedra, osso e madeira. Esses utensílios, o biface, o arpão e as pontas de seta, eram fundamentais nas actividades do dia a dia, como a pesca e a caça.  O fogo foi a mais importante descoberta destas comunidades. Permitiu-lhes cozinhar os alimentos, preparar utensílios, aquecer e iluminar as grutas e cavernas onde se abrigavam, defender-se dos animais mais ferozes.  Deixaram pinturas, nas grutas, e gravuras, ao ar livre, com representações de animais e cenas de caça. A esta arte damos o nome de rupestre. As primeiras comunidades agropastoris da Península Ibérica  Há cerca de 10 mil anos o clima da Europa alterou-se. As temperaturas aumentaram e as características naturais modificaram-se.  Estas alterações climáticas e naturais provocaram profundas mudanças no modo de vida das comunidades humanas. Passaram a cultivar as sementes de algumas plantas (cereais) e a domesticar alguns animais. Surgiu a agricultura e a pastorícia.
  2. 2. Resumo – História e Geografia de Portugal -5º ano Página 2 de 3  A agricultura e a criação de gado fizeram com que estas comunidades passassem a produzir os seus alimentos (cereais, carne, leite). Por esta razão se diz que as comunidades agropastoris eram produtoras.  Estas comunidades tornaram-se sedentárias, uma vez que passaram a viver permanentemente no mesmo lugar.  Com as novas actividades surgiu a necessidade de novos utensílios e, assim, criaram-se novas técnicas: cestaria, cerâmica e tecelagem.  As comunidades agropastoris adoravam alguns elementos da natureza (o Sol, a chuva, alguns animais…) e acreditavam na vida para além da morte. Por esta razão, construíram monumentos megalíticos (dólmenes ou antas), onde enterravam os seus mortos. Outros exemplos destes tipos de monumentos eram os menires e os cromeleques. Iberos, Celtas e os contactos com povos do Mediterrâneo  No século VI a. C., na Península Ibérica viviam os seguintes povos agropastoris: Celtas, Iberos e Celtiberos.  Os Celtas dominavam a técnica da metalurgia do ferro e da ourivesaria.  Os Iberos estavam mais evoluídos devido aos frequentes contactos comerciais com os povos mediterrânicos.  Estes povos construíram os seus povoados no cimo dos montes para melhor se defenderem dos ataques de povos e tribos inimigos. Estes povoados eram os castros ou citânias.  Os Fenícios, os Gregos e os Cartagineses viviam nas margens do mar Mediterrâneo e, atraídos pelas suas riquezas, vieram até à Península Ibérica
  3. 3. Resumo – História e Geografia de Portugal -5º ano Página 3 de 3 para realizar trocas comerciais.  Deixaram alguns dos seus conhecimentos que perduram até aos dias de hoje: o alfabeto pelos Fenícios; o uso da moeda pelos Gregos, e a conservação dos alimentos através do sal pelos Cartagineses.

×