Monumentos de arte barroca na região mariana e vitória (2)

1.409 visualizações

Publicada em

Monumentos de arte barroca no Porto

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.409
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
675
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Monumentos de arte barroca na região mariana e vitória (2)

  1. 1. Agrupamento de Escolas Fernando Pessoa MonuMentos de arte barroca na região Trabalho realizado por: Mariana Oliveira Fernandes (6ºA) Vitória Tavares de Almeida (6ºA) Disciplina: História e Geografia de Portugal Professor: Carlos Batista Ano letivo 2014/2015
  2. 2. iinnttrroodduuççããoo Ao longo deste trabalho pretende-se:  Fazer uma breve contextualização do Barroco na Europa e em Portugal;  Realçar algumas características da arte Barroca;  Identificar a zona do nosso país com mais monumentos com características do barroco (Norte- Porto);  Destacar alguns dos belos monumentos (edifícios religiosos e civis) na cidade do Porto: Torre dos Clérigos, Palácio do Freixo…  Salientar a marca deixada pelo arquiteto Nicolau Nasoni nesta arquitetura.
  3. 3. oo bbaarrrrooccoo  Barroco é o nome dado ao estilo artístico que surgiu no final do século XVI, na Itália.  A igreja católica adotou o formato artístico nas suas construções e divulgou o novo estilo por vários países do continente europeu e este chegou a muitas colónias, como exemplo: Brasil.  Este estilo está ligado ao regime absolutista e à Contra-Reforma (um movimento de reforma da igreja católica). Considera-se que o Barroco foi uma continuidade do Renascimento, pois em ambos os movimentos vê-se um grande interesse pela Antiguidade Clássica (pela cultura dos Gregos e dos Romanos). No entanto, ao contrário da simplicidade do estilo Renascentista, o Barroco caracterizava-se pelo movimento, pelo exagero, com muita decoração. Este era uma arte espetacular e rica e, nas igrejas, atraía os católicos, impressionando-os. Neste período, a igreja atravessava uma crise, com muitos católicos a deixarem de a frequentar.
  4. 4. ccaarraacctteerrííssttiiccaass ddaa aarrttee bbaarrrrooccaa……  Grandiosidade e riqueza na decoração através de esculturas, pinturas, uso de talha dourada e com a utilização de azulejos;  Busca de efeitos decorativos e visuais, através de curvas, contracurvas e colunas retorcidas;  Contrastes de luz e sombra…
  5. 5. AA AArrqquuiitteettuurrAA BBAArrrrooccAA eemm PPoorrttuuggAAll……  Durou cerca de dois séculos (finais do século XVII e século XVIII).  Tem características particulares diferentes do resto da Europa. Foi condicionada por fatores políticos, artísticos e económicos que originaram várias fases e diferentes tipos de influências exteriores, não tendo um aspeto igual à arte dos Italianos.  Surgiu num período difícil ao nível político, económico e social, situação que se refletiu na cultura e na arte. Foi a época do domínio filipino e das guerras da Restauração. Momento em que Portugal também perdeu algumas colónias. Contudo, este período conturbado alterou-se nos reinados de D. João V e D. José, pois aumentaram as importações de ouro e diamantes. O ouro do Brasil permitiu a construção e renovação de muitos edifícios religiosos e civis, neste período, em Portugal.
  6. 6. AA AArrqquuiitteettuurrAA BBAArrrrooccAA nnoo nnoorrttee…… No norte de Portugal, zona do país mais populosa e com maiores recursos económicos, as construções barrocas são numerosas. Nas zonas do Porto e de Braga é visível uma numerosa lista de igrejas, conventos e palácios. A cidade do Porto é a cidade do barroco, nela destacam-se:  Como edifícios religiosos: a igreja e Torre dos Clérigos, a igreja da Misericórdia, igreja da Nossa Senhora da Esperança e a Galilé da Sé do Porto.  Na arquitetura civil: o Palácio do Freixo, a Casa da Prelada, Quinta do Chantre, Casa de Ramalde e Quinta do Viso. No Porto, este estilo, surgiu com os arquitetos Nicolau Nasoni e António Pereira.
  7. 7. AA ttoorrrree ddooss cclléérriiggooss……  É uma torre sineira (sinos) que faz parte da Igreja dos Clérigos e está situada na Baixa do Porto. É um monumento considerado por muitos o ex- libris da cidade do Porto.  Foi um projeto do arquiteto italiano Nicolau Nasoni. A sua construção teve início em 1732, por iniciativa da Irmandade dos Clérigos. A igreja anexa ficou concluída em 1749 e a torre em 1763. Tem 6 andares, 75 metros de altura e uma escada em espiral com 240 degraus. Na época da construção era o edifício mais alto de Portugal.
  8. 8. AA ttoorrrree ddooss cclléérriiggooss…… A torre foi a última construção do conjunto dos Clérigos (conjunto constituído por : torre, igreja e uma enfermaria). O projeto inicial de Nasoni previa a construção de duas torres. Este arquiteto deixou uma importante marca não só neste monumento como em toda a cidade, local onde viveu e onde desenvolveu grande parte da sua obra. Nicolau Nasoni foi sepultado na Igreja dos Clérigos, mas em local que ninguém sabe precisar.
  9. 9. CCuurriioossiiddaaddeess…… Segundo o historiador Germano Silva: • A Torre foi durante muitos anos uma referência para a navegação, uma espécie de guia para orientar os navegadores na entrada da barra do Douro; • Graças a ela, os comerciantes sabiam quando chegava ao Douro o “vapor da mala real”, uma embarcação que trazia de Londres dinheiro e letras de câmbio para pagar produtos que tinham sido exportados para Inglaterra. “Quando o vapor da mala real estava prestes a entrar no Douro, a Associação Comercial fazia subir balões ao alto da torre. Os comerciantes sabiam assim que podiam mandar os empregados para junto dos correios, a fim de receberem o mais depressa possível o dinheiro que vinha de Londres”; • A Torre ficou também conhecida pela sua meridiana, uma engenhoca munida com uma pistola, cujo gatilho disparava sempre ao meio-dia, com uma pontualidade superior à dos poucos relógios que havia na época. “Ao meio-dia, o sol dava na lente, queimava o fio, disparava o gatilho e dava um tiro. O comércio sabia que era o sinal do meio-dia e fechava”.
  10. 10. PPaallááCCiioo ddoo FFrreeiixxoo…… A obra original é da autoria do arquiteto Nicolau Nasoni. Está situado na freguesia de Campanhã, no Porto. É um dos mais belos exemplares do barroco civil no nosso país. O edifício apresenta:  Planta retangular, enquadrada por quatro torreões salientes em cada ângulo e recobertos por telhados em pirâmide; Muros ondulantes e escadarias interiores e exteriores; Belos jardins recheados de esculturas e fontanários;  O interior do palácio é extremamente rico. Grande parte dos compartimentos têm frescos (pinturas) e belos tetos de estuque.
  11. 11. PPaallááCCiioo ddoo FFrreeiixxoo…… Construído em 1742, este palácio foi mandado erguer pelo Deão da Sé do Porto, D. Jerónimo de Távora e Noronha. Mais tarde, o edifício e os jardins foram vendidos à Companhia Harmonia que aí instalou uma fábrica de moagem. Recentemente, este palácio com uma vista privilegiada sobre o Rio Douro, foi transformado em Pousada, denominada Pousada do Porto- Freixo Palace Hotel, tendo sido inaugurada em Outubro de 2009. Trata-se da primeira Pousada de Portugal na cidade Invicta.
  12. 12. uummaa mmiissttuurraa ddee eessttiillooss…… Igreja de São Francisco Provavelmente, é a igreja mais emblemática da cidade do Porto, construída no início do século XIV. O seu aspeto singelo do exterior contrasta com a riqueza e o luxo do interior. A fachada é de estilo gótico; o interior é totalmente revestido a talha dourada Barroca e Rocócó.
  13. 13. CCoonnCClluussããoo…… Apesar da maior obra do período Barroco, o Convento de Mafra, se encontrar perto da capital do país, é no Norte que se localiza o maior número de monumentos com marcas deste período artístico tão rico- o Barroco. Associado a um grande número destes monumentos, surge o nome do arquiteto Nicolau Nasoni. Ao observar as igrejas, palácios e casas senhoriais deste período, observa-se que o barroco em Portugal tem características particulares, mas destaca-se a riqueza na decoração com uso de talha dourada, azulejos, belos tetos de estuque, entre outros aspetos.
  14. 14. WWeebbggrraaffiiaa CCoonnssuullttaaddaa::  http://pt.wikipedia.org/wiki/Barroco  http://pt.wikipedia.org/wiki/Barroco_em_Portugal  http://historia8d.blogs.sapo.pt/4126.html  http://www.torredosclerigos.pt/pt/noticias/24-curiosidades-sobre-a-torre  http://www.portugalvirtual.pt/_tourism/costaverde/porto/ptcity.html  http://www.pousadas.pt/historic-hotels-portugal/pt/pousadas/north-hotels/ pousada-do-porto/palacio-do-freixo/pages/home.aspx

×