Mídias digitais e Redes Sociais na/da Internet:  contribuições para a autoria dos professores da escola básica
Na primeira fase da internet , ela era  um repositório, um local em que retirávamos as informações que encarávamos como pe...
 
A web 2.0 A chegada da segunda fase da internet :  a Web 2.0 , muito mais que na primeira fase, nos oferece sites de compa...
Muito mais que um meio de comunicação ou mídia, o  ciberespaço  reúne, integra e redimensiona uma infinidade de mídias. Pa...
 
Sobre a  Rede , Castells (1999; p.439) nos fala que boa parte das comunicações que acontecem nelas são, em geral, espontân...
Redes sociais  são, antes de tudo, relações entre pessoas, estejam elas interagindo em causa própria, em defesa de outrem ...
Na rede social o sujeito é o seu principal elemento, sendo representado pelos nós, que são as pessoas envolvidas que inter...
Uma pergunta..... Mas.......  E a  escola???
A escola.....
* A educação  pode se apropriar das redes sociais para construir conhecimento de forma colaborativa???
 
Agora temos em potência mídias interativas e aprendizagem colaborativa. Aprender com o outro mediado por tecnologias permi...
Santos e Okada (2008) encaram os softwares sociais que emergem da web 2.0, como conjunto de interfaces que medeiam a comun...
E os professores ??? Quais os seus etnométodos?
 
 
 
 
CASTELLS, Manuel.  A sociedade em rede.  São Paulo: Paz e Terra, 1999. FREITAS, Maria Teresa de Assunção.  A Abordagem sóc...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aula edai2010

611 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
611
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula edai2010

  1. 1. Mídias digitais e Redes Sociais na/da Internet: contribuições para a autoria dos professores da escola básica
  2. 2. Na primeira fase da internet , ela era um repositório, um local em que retirávamos as informações que encarávamos como pertinentes ou um lugar de publicar aquilo que produzíamos em offline.
  3. 4. A web 2.0 A chegada da segunda fase da internet : a Web 2.0 , muito mais que na primeira fase, nos oferece sites de compartilhamento de fotos, vídeos, áudios, slides e espaço para a escrita colaborativa. Uma abundância de comunidades virtuais e Redes Sociais disponibilizando os mais variados ambientes para a produção de conteúdos, independente de sua qualidade ou finalidade. http://blogs.estadao.com.br/link/brasil-lidera-a-adocao-de-redes-sociais/
  4. 5. Muito mais que um meio de comunicação ou mídia, o ciberespaço reúne, integra e redimensiona uma infinidade de mídias. Para Lemos (2002) no ciberespaço cada sujeito pode adicionar, retirar e modificar conteúdos dessa estrutura; pode disparar informações e não somente receber, pode alimentar laços comunitários de troca de competências, de coletivização dos saberes, de construção colaborativas de conhecimento e de sociabilidade.
  5. 7. Sobre a Rede , Castells (1999; p.439) nos fala que boa parte das comunicações que acontecem nelas são, em geral, espontâneas não-organizadas e diversificadas em finalidade de adesão, uma coexistência pacifica de vários interesses e culturas, ou seja, a Rede constitui-se um ambiente democrático, aberta às divergências de idéias.
  6. 8. Redes sociais são, antes de tudo, relações entre pessoas, estejam elas interagindo em causa própria, em defesa de outrem ou em nome de uma organização, mediadas ou não por sistemas informatizados. Uma rede social é geralmente definida como um conjunto de dois elementos: pessoas, instituições ou grupos, que são os nós das redes e suas conexões, que são as interações ou laços sociais Redes não têm centros
  7. 9. Na rede social o sujeito é o seu principal elemento, sendo representado pelos nós, que são as pessoas envolvidas que interagem na rede. Recuero(2009) identifica o capital social gerado pelas relações nas redes sociais como um indicativo da qualidade dessas interações.
  8. 10. Uma pergunta..... Mas....... E a escola???
  9. 11. A escola.....
  10. 12. * A educação pode se apropriar das redes sociais para construir conhecimento de forma colaborativa???
  11. 14. Agora temos em potência mídias interativas e aprendizagem colaborativa. Aprender com o outro mediado por tecnologias permitindo de fato que estes "outros" se encontrem.
  12. 15. Santos e Okada (2008) encaram os softwares sociais que emergem da web 2.0, como conjunto de interfaces que medeiam a comunicação síncrona e assíncrona entre sujeitos geograficamente dispersos para criar vinculo pelas mais diferentes razões, sejam elas objetivas ou subjetivas. Para as autoras essas características podem ser aproveitadas pelos educadores para gerar atos curriculares interdisciplinares, contextualizados com os cenários histórico-culturais e multirreferenciais dos sujeitos envolvidos (SANTOS & OKADA, 2008, pág. 3).
  13. 16. E os professores ??? Quais os seus etnométodos?
  14. 21. CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999. FREITAS, Maria Teresa de Assunção. A Abordagem sócio-histórica como orientadora da pesquisa qualitativa . Cadernos de Pesquisa. São Paulo: n. 116, p. 21-39, jul.2002. LEMOS, A. Cultura das redes: Ciberensaios para o século XXI . Salvador: EDUFBA, 2002. LEVY, Pierre. As Tecnologias da Inteligência: O Futuro do Pensamento na Era da Informática . Rio de Janeiro: Editora 34, 1993. LEVY, Pierre. A Inteligência Coletiva: Por uma antropologia do ciberespaço . São Paulo: Ed Loyola, 1998 NING. Página principal do software em Português . Disponível em < http://www.ning.com/&gt;. Acesso em 30 de março de 2010 NING. Vídeos com tutorias. Disponível em < http://www.slideshare.net/LuizCamposJr&gt;. Acesso em 25 de Março de 2010 OKADA, Alexandra & SANTOS, Edméa. COLEARN: Ciberconferência e cibermapeamentos para Aprendizagem Colaborativa Aberta em Comunidades . Abciber, 2008. Disponível em: http://people.kmi.open.ac.uk/ale/papers/a14abciber2008.pdf . A cessado em 11 de março de 2010. PRETTO, Nelson. (org.). Tecnologia e Novas Educações. Salvador: EDUFBA, 2005 RECUERO, Raquel. Redes Sociais na Internet . Porto Alegre: Sulina, 2009. (Coleção Cibercultura) 191p. SANTOS. Edméa & ALVES, Lynn (orgs) Práticas Pedagógicas e Tecnologias Digitais . Rio de Janeiro: E-papers, 2006. SANTOS, Edméa . Educação online: cibercultura e pesquisa formação na prática docente. Tese de Doutorado. Salvador: FACED- UFBA, 2005. Orientador Prof. Dr. Roberto S. Macedo. SANTOS, Edméa. FORMAÇÃO DE PROFESSORES E CIBERCULTURA: novas práticas curriculares na educação presencial e a distância . Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 11, n. 17, p. 113-122, jan./jun., 2002 SILVA, Marco. Interatividade: uma mudança do esquema clássico da comunicação . Boletim Técnico do SENAC, Rio de Janeiro, v. 26, nº 3, set/dez 2000. PRIMO, Alex; SMANIOTTO, Ana Maria Reczek. Blogs como espaços de conversação: interações conversacionais na comunidade de blogs insanus . Revista da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação. Abril de 2006. Rosemary dos Santos [email_address] EDAI 2010

×