Aula 1 - Introdução ao Estudo sobre o Mundo Espiritual - Força do Pensameto

2.210 visualizações

Publicada em

Primeira aula do curso "Estudo das Obras do Espírito André Luiz". Nela fazemos uma introdução e estudamos a força do pensamento.
Curso em texto no site: www.avidanomundoespiritual.com.br

Publicada em: Espiritual
2 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.210
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
406
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
120
Comentários
2
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 1 - Introdução ao Estudo sobre o Mundo Espiritual - Força do Pensameto

  1. 1. Introdução A Importância do Pensamento A Vida no Mundo Espiritual – Coleção André Luiz Expositor: Breno Ortiz Tavares Costa Revisão de Conteúdo: Emanoel Tavares Costa
  2. 2. www.avidanomundoespiritual.com.br
  3. 3. Amai-vos, o primeiro ensinamento; instruí-vos, eis o segundo Espírito Verdade
  4. 4. A Importância das Obras  Ampliar o grau de consciência espiritual. - Primeira fase da infância (Antigo e novo Testamento). - Segunda fase da infância (Allan Kardec). - Terceira fase (Obras de Chico Xavier – André Luiz).
  5. 5. Fases dos Planetas Precisamos conhecer o “Mundo Espiritual” na plenitude do que foi revelado. Mas, com prudência, com segurança: esta é a importância dos livros do Espírito André Luiz.
  6. 6. A Importância das Obras  Idoneidade da Fonte: - Obras psicografadas por Chico Xavier. - Apresentadas por Emmanuel (prefácio de todos os livros). - Confirmação de tudo que foi narrado em 1950 por diversos autores ao longo destes 60 anos.
  7. 7. A Importância das Obras  Desmistificar o Mundo Espiritual (Universo paralelo composto de infinitas dimensões/mundos).  Adquirir hábitos que efetivamente ajudem na nossa reforma íntima e no melhor intercâmbio com os demais planos de existência.  Em regra nós não sabemos conviver com o fato de que existem dimensões sobrepostas. Ex.: Falecimento
  8. 8. Exemplos  Onde se localizam o umbral e as colonias?  Existem Trevas e Abismos?  O que fazem os espíritos?  Eles dormem? Casam? Trabalharam? Comem?  Qual o procedimento da reencarnação, do nascimento?  Qual o procedimento do descarne, do falecimento?  Vampirismo, o que é e como evitar.  Espíritos podem sofrer uma segunda morte?  Espíritos podem sonhar? Fazer desdobramento?  Existem reuniões mediúnicas no Mundo Espiritual?  Existe gravidez e renascimento no Mundo Espiritual?  Etc, etc, etc.
  9. 9. A Importância das Obras  Espiritismo é uma “ciência filosófica de implicações morais”: a) Ciência: estuda a teoria e a prática a respeito do intercâmbio entre dimensões vibratórias. b) Filosofia: procura responder as questões existências (Quem somos? De onde viemos? Para onde iremos?). c) Implicações morais: o conhecimento adquirido pela ciência e filosofia resulta na necessidade da reforma íntima.
  10. 10. A Importância das Obras  Objetivos do curso: a) Conhecer o “Mundo Espiritual”, desmitificando-o (ciência e filosofia). b) Estabelecer exercícios mentais e práticas edificantes para uma efetiva reforma íntima (implicações morais).
  11. 11. Obras de André Luiz Coleção: A Vida no Mundo Espiritual 1. Nosso Lar 2. Os Mensageiros 3. Missionários da Luz 4. Obreiros da Vida Eterna 5. No Mundo maior 6. Libertação 7. Entre a Terra e o Céu 8. Nos Domínios da Mediunidade 9. Ação e Reação 10. Evolução em Dois Mundos 11. Mecanismos da Mediunidade 12. Sexo e Destino 13. E a Vida Continua...
  12. 12. Fases dos Planetas E Qual o “Mundo Espiritual” do nosso Planeta?
  13. 13. Fases dos Planetas  Mundos Primitivos: destinados às primeiras encarnações e experiências da alma humana.  Mundos de Expiação e de Provas: Mal predomina.  Mundos de Regeneração: Mal = Bem.  Mundos Felizes: Bem predomina.  Mundos Celestes e Divinos: habitados por seres perfeitos.
  14. 14. Fases dos Planetas  Vamos aprender que em verdade o Mal predomina dentro de nós mesmo, caracterizando-se através dos vícios e hábitos infelizes, que acabam por moldar nosso caráter.
  15. 15. Os pensamentos repetidos geram os atos, os atos reiterados geram os hábitos, os hábitos moldam o caráter e, por fim, o caráter firma o destino da pessoa.
  16. 16. Porque despertar? Porque estamos tão presos no materialismo que não conseguimos enxergar felicidade numa vida sem vícios e manutenção de nossos hábitos.
  17. 17. Muitos destes hábitos são impostos pela sociedade, formando o chamado “reflexo condicionado coletivo”. Para sermos aceitos pelos grupos de amizades e familiares precisamos: beber, fumar, comer carne e achar normal alguns desvios morais.
  18. 18. Precisamos estabelecer uma estratégia que ligue nossa atenção para a necessidade de mudar nossos pensamentos e hábitos.
  19. 19. Os pensamentos repetidos geram os atos, os atos reiterados geram os hábitos, os hábitos moldam o caráter e, por fim, o caráter firma o destino da pessoa (esta vida e outras).
  20. 20. Estágios da Reforma Íntima 1º - Fazer o errado, achando que está certo. (sem conhecimento/ciência não saímos daqui) 2º - Fazer o errado, sabendo que está errado. 3º - Fazer o certo, mas com vontade de fazer o errado. 4º - Fazer o certo com vontade de fazer o certo!
  21. 21. Precisamos:  Conhecer o Mundo Espiritual e sua influência sobre nós;  Adquirir novos hábitos;  Efetiva reforma íntima.
  22. 22.  932 – Por que, no mundo, os maus dominam, tão frequentemente, em influência sobre os bons? Resposta: Pela fraqueza dos bons; os maus são intrigantes e audaciosos, os bons são tímidos. Quando estes o quiserem, levantarão a cabeça.
  23. 23.  Ora, somos bons ou ruins?  Somos imperfeitos, mas queremos trilhar no caminho do bem, não é mesmo?  Então, estudemos para fortalecer nossas mentes.  E utilizando o conhecimento: trabalhemos efetivamente nas fileiras do Bem.  Não tenhamos vergonha de assumir posições contrárias ao que a sociedade define como correto/normal.
  24. 24. “O mundo não está ameaçado pelas más pessoas, mas sim por aqueles que permitem as maldades” (Albert Eisntein).
  25. 25. A Força do Pensamento  Todo e qualquer pensamento emite vibrações.  Cada pensamento do ser humano encarnado ou desencarnado forma telas mentais que resultam em vibrações lançadas na atmosfera.
  26. 26. A Força do Pensamento  Todos nós somos banhamos por estas vibrações o tempo todo. Vibrações boas e ruins.  Cada ser está intimamente ligado a todos os seres que possuem a mesma sintonia de pensamento.
  27. 27. A Força do Pensamento  Quando estamos emitindo vibrações entramos em sintonia com a espécie desta vibração emitida. Ou seja, somos banhados por vibrações boas e ruins diariamente e o todo tempo, quando passamos a meditar, orar, ter bons pensamentos, entramos em sintonia com as vibrações boas emitidas pelos Espíritos superiores e outras pessoas com tais pensamentos.
  28. 28. A Força do Pensamento  Por outro lado, da mesma forma, quando estamos com pensamentos não edificantes, estamos em sintonia com as zonas inferiores do mundo espiritual e com os espíritos desencarnados e encarnados que vibram na mesma frequência.
  29. 29. Mecanismos da Mediunidade, p. 85: Mecanismos da Mediunidade: “Usando uma comparação imperfeita, podemos afirmar que as vibrações mentais são semelhantes a ondas hertzianas (ondas de rádios), tomando o cérebro como sendo um aparelho emissor e receptor ao mesmo tempo”.
  30. 30. Mecanismos da Mediunidade, p. 86: Sempre que pensamos, expressando o campo íntimo na ideação e na palavra, na atitude e no exemplo, criamos formas-pensamentos ou imagens-moldes que arrojamos para fora de nós, pela atmosfera psíquica que nos caracteriza a presença. Sobre todos os que nos aceitam o modo de sentir e de ser (sintonia), consciente ou inconscientemente, atuamos à maneira do hipnotizador sobre o hipnotizado, verificando- se o inverso, toda vez que aderimos ao modo de ser e de sentir dos outros.
  31. 31. A Força do Pensamento Definição de André Luiz: “O pensamento é, sem dúvida, força criadora de nossa própria alma e, por isto mesmo, é a continuação de nós mesmos. Através dele, atuamos no meio em que vivemos e agimos, estabelecendo o padrão de nossa influência, no bem e no mal”.
  32. 32. A Força do Pensamento “Somos o que pensamos. Tudo o que somos surge com nossos pensamentos. Com nossos pensamentos, fazemos o nosso mundo”. (Buda)
  33. 33. Revista Espiritismos e Ciência Edição número 89, p. 15: “Como as plantas e os animais são formados por uma grande quantidade de água, podemos concluir que todas as formas vivas estão sob a influência do pensamento, do sentimento e das palavras.”
  34. 34. A Força do Pensamento
  35. 35.  Vídeo sobre a força do pensamento.  É difícil acreditar nos efeitos concretos do pensamento...  Cientista japonês comprova a emissão de vibrações mentais.
  36. 36.  Com isso já nesta primeira aula do curso podemos entender que tudo girará sempre em volta do pensamento e da mente.  “Pensamento e Mente”  Chave de tudo que existe.
  37. 37.  Com o estudo das obras do Espírito André Luiz teremos a confirmação, a cada de lição, de que a chave da evolução do Espírito está na mente e os pensamentos que alimentamos.  Atmosfera psíquica – formas pensamentos.
  38. 38.  Disso resulta a necessidade de estarmos atentos e por isso teremos as “tarefas” de casa, que são exercícios mentais e práticas edificantes que vão chamar a atenção para tentarmos levar o conhecimento superior para a rotina diária (efetiva reforma íntima).
  39. 39. Tarefa de Casa  Possuímos enormes obstáculos para fazer a reforma íntima: 1º - Nossa mente é como uma máquina que está acostumada a emitir e receber vibrações em determinado padrão, logo, naturalmente ela busca voltar para o que é a sua “normalidade”, mesmo que seja um vício ou hábito infeliz. 2º - Veremos que nosso inconsciente foi programado ao longo das milhares de reencarnações, sendo que ele influencia diretamente o consciente. Em regra, o consciente tenta justificar as decisões anteriores do inconsciente.
  40. 40. Tarefa de Casa 3º - Recebemos influências das vibrações mentais dos encarnados e desencarnados, em verdadeiro processo de hipnotização. 4º - Somos assediados por Espíritos desencarnados diariamente. 5º - Estamos imersos numa sociedade materialista e consumista. Estágio da humanidade ainda não é dos melhores.
  41. 41. Tarefa de Casa Diante deste cenário nada animador, não adianta vir no Centro Espírita ou qualquer ou casa de oração e achar que a reforma íntima vai começar sem levarmos o conhecimento da Espiritualidade Superior para nossas vidas diárias.
  42. 42. Tarefa de Casa De outro lado, não adianta alimentar ilusões que amanhã já seremos Espíritos evoluídos, sem defeitos e vícios.
  43. 43. Tarefa de Casa O que é necessário é: Estarmos atentos para a necessidade de mudanças, de evolução, de melhora, de sublimação.
  44. 44. Tarefa de Casa Procurando levar o conhecimento para nossas vidas, adotando exercícios mentais e práticas edificantes, naturalmente iremos começar a mudar hábitos e abandonar vícios. Este é o objetivo da “tarefa de casa”.
  45. 45. Estágios da Reforma Íntima 1º - Fazer o errado, achando que está certo. (sem conhecimento/ciência não saímos daqui) 2º - Fazer o errado, sabendo que está errado. 3º - Fazer o certo, mas com vontade de fazer o errado. (Quanto mais conhecimento, mais a gente vai, naturalmente, querer atingir no mínimo este estágio) 4º - Fazer o certo com vontade de fazer o certo!
  46. 46. Tarefa de Casa: Primeiro exercício mental: 1º - Afastar todo e qualquer pensamento não edificante (brigas, raiva, depressão, tristeza, ódio, impaciência, traição, sensualismo/pornografia, Palmeiras, etc). No lugar, colocar pensamentos edificantes (trabalho, obras de caridade, preces, agradecimentos, gratidão pelas pequenas alegrias do dia, planejamentos familiares e profissionais, Corinthians, etc).
  47. 47. Tarefa de Casa: O que vem antes do pensamento?
  48. 48. Tarefa de Casa: A Vontade! Na próxima aula vamos analisar um texto feito por “Emmanuel” sobre a Vontade (livro: Pensamento e Vida).

×