Revolução francesa

251 visualizações

Publicada em

- França às vésperas da revolução
- Antecedentes imediatos da Revolução
- Deflagração da Revolução
- Fase popular
- Contrarrevolução burguesa
- Governo de Napoleão

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
251
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revolução francesa

  1. 1. Revolução Francesa • França às vésperas da revolução • Antecedentes imediatos da Revolução •Deflagração da Revolução • Fase popular
  2. 2. Revoluções Burguesas • Inserida no processo de Revoluções Burguesas. • Consequências dessas revoluções: – abolição dos privilégios medievais; – fim do absolutismo monárquico; – afirmação dos princípios de igualdade jurídica e liberdade econômica; – ascensão da burguesia ao poder político. • Processo iniciado com a Revolução Inglesa que instituiu a Monarquia Parlamentar.
  3. 3. França às vésperas da revolução • Modelo clássico do Antigo Regime. • Sociedade dividida em 3 grupos: Clero, nobreza e o povo (Terceiro Estado). – Clero e Nobreza: isentos de impostos, principais proprietários de terras. – Terceiro Estado: alta taxa de impostos, excluídos do processo político. • Sociedade agrária: – Pop. total: 25 milhões; – 20 milhões estavam no campo (4 milhões de servos e 10 milhões de trabalhadores semilivres) – impostos medievais (talha e corveia).
  4. 4. França às vésperas da revolução • Poder absoluto do rei. • Crise econômica: – Ineficiência administrativa. – altos gastos da nobreza – baixa produtividade das manufaturas e do setor rural. Luis XVI, rei da França
  5. 5. Antecedentes da Revolução • Problemas econômicos causada pelas sucessivas guerras. • A França é forçada a aceitar o Tratado de Eden-Rayneval. • Demonstração de total despreparo e incapacidade administrativa por parte da nobreza. – Maria Antonieta, quando informada que o povo não tinha pão para comer, disse: "então que comam brioches".
  6. 6. Antecedentes da Revolução • 1787: o Ministro das Finanças convocou a Assembleia dos Notáveis, composta pelos nobres e clérigos, em uma tentativa de conseguir arrecadar mais impostos. • Recusando abrir mão dos seus privilégios fiscais, a nobreza incita diversas revoltas, conhecidas como revoltas aristocráticas.
  7. 7. Antecedentes da Revolução • 1788: Perda total da produção agrícola causado por uma seca que se arrastou por 3 anos. – Aumento do preço dos produtos e fome generalizada. • Saída encontrada: elevar os impostos do Terceiro Estado... • ...para isso convoca a Assembleia dos Estados Gerais
  8. 8. Deflagração da Revolução • Reunião da Assembleia dos Estados Gerais em 1789. – Primeiro Estado: 291 membros – Segundo Estado: 270 membros – Terceiro Estado: 578 membros *o voto era por Estamento e não por cabeça. • Luis XVI dissolveu a Assembleia e o Terceiro Estado exigiu a formação de uma Assembleia Nacional Constituinte.
  9. 9. Deflagração da Revolução • Camadas populares (Sans-Culottes) começam a se armar. • Os burgueses fundam a Guarda Nacional. • Em 14 de julho, os populares invadem o depósito de armas do exército e a fortaleza da Bastilha. Tomada da Bastilha, por Jean-Pierre Houël.
  10. 10. Deflagração da Revolução • Revoltas no campo se seguiram ao que foi visto nas cidades. • Na noite de 4 para 5 de agosto de 1789, todas as propostas encaminhadas pelo Terceiro Estado na Assembleia Constitucional foram aprovadas (noite do grande medo): – Abolição dos privilégios medievais – Fim das obrigações devidas à Igreja e à Realiza – Fim do privilégio a partir do nascimento.
  11. 11. Deflagração da Revolução • 26 de agosto de 1789: proclamação da Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. – Direito à liberdade, à igualdade jurídica de todos, à inviolabilidade da propriedade e o direito de resistir à opressão. • Assembleia constituída a partir de critérios censitários (condição econômica). • Objetivo da burguesia: eliminar o absolutismo e os privilégios medievais.
  12. 12. Deflagração da Revolução • 1790: elaboração da Constituição Civil do Clero. – Confisco dos bens do clero, que passaram para o Estados; – Padres agora seriam subordinados ao Estado, sendo funcionários públicos.
  13. 13. Primeira Constituição francesa • 1791: Primeira Constituição da França, estabelecendo uma Monarquia Constitucional: – Executivo: Rei - hereditária. – Legislativo: deputados eleitos por dois anos – Judiciário: juízes eleitos pelo povo – Caráter censitário: cidadão ativos (que se pagassem impostos poderiam votar) e os passivos (mulheres, trabalhadores desempregados, entre outros).
  14. 14. Fim do período revolucionário burguês • Esta primeira fase deve ser entendida como uma revolução estritamente burguesa. • Conspiração arquitetada pelo rei e pelos nobres (emigrés) que buscavam o retorno do absolutismo. • Influenciando outros países, a França sofre ameaças de intervenção da Prússia e Áustria a fim de restaurar a dignidade da monarquia. • Tentativa de fuga por Luis XVI, que é preso e acusado de traição. • Radicalização da revolução.
  15. 15. Revolução Popular • Divisão da Assembleia: – Girondinos: alta burguesia que controlava o governo – Jacobinos: média e baixa burguesia, buscavam apoio dos sans-cullotes. – grupo do pântano (ou planície): os moderados, bancada mais numerosa. • Abril de 1792: invasão austro-prussiana apoiada pelos émigres.
  16. 16. Revolução Popular • Formação do Exército Nacional (Comuna Insurrecional, liderada por Marat, Danton e Robespierre). • Vencem os invasores em setembro, na batalha de Valmy. • O povo invadiu as prisões eliminando os aristocratas considerados traidores (Massacre de Setembro). • a República é fundada em 20 de setembro de 1792. • ... e o rei, guilhotinado em janeiro de 1793...
  17. 17. Ano I da República (1793) • Fundada uma nova assembleia (Convenção Nacional), formada majoritariamente por jacobinos e outros grupos radicais. • Uma nova constituição é votada, instituindo o sufrágio universal masculino. • Foram criados o Comitê de Salvação Pública, responsável pela administração e pelo exército, o Comitê de Segurança Nacional, encarregado da segurança interna, e o Tribunal Revolucionário, para julgar os contrarrevolucionários.
  18. 18. Ano I da República (1793) • Problemas enfrentados tanto internamente quanto externamente: – Crise econômica, divisão política e revoltas antirrepublicanas. – Prússia, Holanda, Espanha e Sacro Império, formaram a Primeira Coligação, financiados pela Inglaterra, temerosa de uma França modernizada.
  19. 19. Período do Terro • Com a morte de Marat, em julho de 1793, a Revolução atinge o período conhecido como Terror, liderado por Robespierre. • Período da guilhotina. • 300 mil pessoas presas e 17 mil executadas.
  20. 20. Terror: consolidação da Revolução • Preços foram estabelecidos (Leio do Máximo). • Aumento dos impostos sobre fortunas. • Pobres e idosos protegidos pela lei • Abolição do catolicismo como religião oficial • Ensino público gratuito estabelecido. • Propriedades dos émigres foram tomadas. • Distribuição de terras (Reforma Agrária) • Abolição da escravidão nas colônias.
  21. 21. Terror e o fim da fase popular • Consolidação do poder interno e afastado o perigo externo, o Terror começa a ser contestado. • Em 27 de julho de 1794 (9 de Termidor no calendário rev.), os girondinos tomam o controle da assembleia (Reação Termidoriana) – Robespierre, Saint Just e outros líderes jacobinos são guilhotinados.
  22. 22. Contrarrevolução Burguesa • Nova constituição (Ano III - 1795): – Fim dos Comitês; – Nova forma de governo - o Diretório: 5 membros eleitos (diretores) – Reinstituição do voto censitário. • Problemas políticos e econônicos. • Surgimento de um jovem general: Napoleão Bonaparte. • Aliança entre burguesia e exército. • 9 de novembro de 1799 (18 do Brumário) ascensão de Bonaparte e do exército.
  23. 23. Período Napoleônico • 15 anos de governo. • Consolidação do domínio burguês • Garantiu a propriedade privada e o lucro da burguesia • Freou toda tentativa de revolução da população. • Conquistou o apoio do clero e eliminou a oposição da nobreza.
  24. 24. Período do Consulado • Nova constituição (Ano VII – 1799). – Poder executivo exercido por 3 governantes (cônsules). – Bonaparte (cônsul principal) tinha amplos poderes. • Período de recuperação econômica e restauração da paz social. – Reconhecimento da reforma agrário do período do Terror. – Reestabelecimento das relações entre o Estado e a Igreja. – Fundação do Banco da França.
  25. 25. Período do Consulado • Em 1801, primeiros passos rumo à ditadura de Napoleão: – A partir de um plebiscito, o consulado seria composto por apenas um cônsul vitalício. • Em 1804, promulgou-se a Código Civil Napoleônico: – Igualdade de todos perante a lei. – direito a propriedade privada. – proibição de greves e organização associativa de trabalhadores – Restauração da escravidão nas colônias. • 1804 Constituição do ano XII, Fundação da Monarquia hereditária e Bonaparte se tornou imperador.
  26. 26. O Império • Perda de direitos políticos (censura a imprensa, suspensão das assembleias). • Fim da crise econômica e modernização da França. • Temor inglês: bloqueio comercial à França (1803) e a formação da Terceira Coligação (Rússia, Áustria e Suécia - 1805). • Derrota francesa na batalha de Trafalgar, mas saem vitoriosos na Batalha de Austerlitz (1805).
  27. 27. O Império • Hegemonia francesa sobre a Europa continental. – Acaba com monarquias tradicionais (Sacro Império, Áustria) – Empossa parentes (Holanda, Itália e Espanha) • 1806: Bloqueio Continental. • Problema: inviabilidade do projeto de bloqueio continental: – Países muito dependentes da economia inglesa – Dificuldades em vigiar toda costa europeia. • Um grande, frio e duro problema: Rússia.
  28. 28. Campanha da Rússia (1812) • Problemas na invasão à Rússia: – Extensão territorial, tamanho do exército russo e o frio. – Tática da Terra Arrasada. – "primeiro exército russo": a fome, doença e a inanição. – De um exército de 700 mil homens, menos de 100 mil retornaram da Rússia.
  29. 29. Fim do Império e prisão de Napoleão • Formação da Sexta Coligação: Rússia, Áustria, Prússia, Suécia e Inglaterra – Derrota francesa na Batalha das Nações (1813). • Tratado de Paris (1814): Renúncia de Napoleão e seu exílio na ilha de Elba • Período da Restauração: Luis XVIII, meio irmão de Luis XVI, é coroado rei da França
  30. 30. Governo dos Cem Dias • Fuga de Napoleão da ilha de Elba. • Fuga do rei para Viena. • Tentativa de recompor o exército. • Derrota na Batalha de Waterloo (1815). • Prisão de Bonaparte na ilha de Santa Helena.
  31. 31. Congresso de Viena • Objetivo de reorganizar o mapa político da Europa. • Afastar qualquer nova tentativa de Revolução. • Princípios da restauração: legitimidade e equilíbrio europeu. • Recomposição das estruturas do Antigo Regime: – as dinastias pré-revolucionárias foram reconduzidas a seus países – Fronteiras retornariam à situação de 1789.
  32. 32. Congresso de Viena • Reorganização territorial: – Lombardia, Veneza e Áustria adquiriram a supremacia da Itália – Prússia recebeu parte da Polônia e a região do Reno. – Os 39 Estados alemães (principados) foram organizados na Confederação Germânica, compostos pela Áustria e pela Prússia.
  33. 33. Tribunal da Santa Aliança • Composta pela Rússia, Prússia e Áustria. • Manter a França sob vigilância • Reprimir movimentos revolucionários e liberais • Impedir movimentos separatistas de independência colonial ou nacionalista.

×