RecuperaçãO Final 2 Em

18.954 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Negócios
2 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
18.954
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
16
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
90
Comentários
2
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

RecuperaçãO Final 2 Em

  1. 1. Atividades – Recuperação Final - 2EM Romantismo (Vunesp) As questões de números 1 e 2 tomam por base o seguinte texto: "Seja qual for o lugar em que se ache o poeta, ou apunhalado pelas dores, ou ao lado de sua bela, embalado pêlos prazeres; no cárcere, como no palácio; na paz, como sobre o campo de batalha; se ele é verdadeiro poeta, jamais deve esquecer-se de sua missão, e acha sempre o segredo de encantar os sentidos, vibrar as cordas do coração, e elevar o pensamento nas asas da harmonia até as idéias arquétipas." 1. O trecho acima foi extraído da "Advertência" ao leitor feita por Domingos José Gonçalves de Magalhães nas páginas iniciais de seu livro Suspiros Poéticos e Saudades. Que representa esta obra na história da literatura brasileira? 2. A leitura do trecho acima citado nos permite identificar o período literário a que pertence a obra. Comente duas passagens desse trecho que revelem características da literatura do período em questão. 3. (FEI-SP) Assinale o item que contém somente características românticas: a. Subjetivismo. bucolismo, sentimentalismo. b. Subjetivismo, nacionalismo, pastoralismo. c. Culto à natureza, nacionalismo, culto ao contraste. d. Conceitismo, liberdade de formas, cultismo. e. Nacionalismo, culto à natureza, liberdade de formas. 4. (UFRS) Considere as seguintes afirmações: I. Pode-se afirmar que o Romantismo brasileiro foi a manifestação artística que mais bem expressou o sentimento nacionalista desenvolvido com a independência do país. II. Os romancistas românticos, preocupados com a formação de uma literatura que expressasse a cor local, criaram romances considerados regionais, mais pela temática do que pela linguagem. IIl. A tendência indianista do Romantismo brasileiro tinha por objetivo a desmistificação do papel do índio na história do Brasil desde a colonização. Quais estão corretas? a. Apenas I. b. Apenas II. c. Apenas I e II. d. Apenas I e III. e. I. II e III. 5. (UEL-PR) O Romantismo graças à ideologia dominante e a um complexo conteúdo artístico, social e político, caracteriza-se como uma época propicia ao aparecimento de naturezas humanas marcadas por: a. teocentrismo. Hipersensibilidade, alegria, otimismo e crença. b. etnocentrismo, insensibilidade. descontração, otimismo e crença na sociedade. c. egocentrismo, hipersensibilidade, melancolia, pessimismo, angústia e desespero. d. teocentrismo. insensibilidade, descontração, angústia e desesperança. e. egocentrismo, hipersensibilidade, alegria, descontração e crença no futuro. 6. (Tatec-SP) "O indianismo dos românticos |...| denota tendência para particularizar os grandes temas, as grandes atitudes de que se nutria a literatura ocidental, inserindo-as na realidade local, tratando-as como próprias de uma tradição brasileira." Considerando-se o texto acima, pode-se dizer que o indianismo na literatura romântica brasileira: a. procurou ser uma cópia dos modelos europeus.
  2. 2. Atividades – Recuperação Final - 2EM b. adaptou a realidade brasileira aos modelos europeus. c. ignorou a literatura ocidental para valorizar a tradição brasileira. d. deformou a tradição brasileira para adaptar-se à literatura ocidental. e. procurou adaptar os modelos europeus à realidade local. 7.(UFRN) A obra poética de Casimiro de Abreu: a. tem como tema central a torça do espírito nacionalista do brasileiro. b. revela extremado empenho em apontar soluções para problemas de natureza social. c. pode ser considerada o ponto mais alto da expressão romântica no Brasil. d. ostenta, ao lado da singeleza de expressão marcas de profunda nostalgia do passado. e. aproxima-se, pelo culto à perfeição forma, da estética parnasiana. 8. (Fuvest-SP) Tomadas em conjunto, as obras de Gonçalves Dias, Álvares de Azevedo e Castro Alves demonstram que, no Brasil, a poesia romântica: a. pouco deveu às literaturas estrangeiras, consolidando de forma homogênea a inclinação sentimental e o anseio nacionalista dos escritores da época. b. repercutiu, com efeitos locais, diferentes valores e tonalidades da literatura européia: a dignidade do homem natural, a exacerbação das paixões e a crença em lutas libertárias. c .constituiu um painel de estilos diversificados cada um dos poetas criando livremente sua linguagem, mas preocupados todos com a afirmação dos ideais abolicionistas e republicanos. d. refletiu as tendências ao intimismo e à morbidez de alguns poetas europeus, evitando ocupar-se com temas sociais históricos, tidos como prosaicos. e. cultuou sobretudo o satanismo, inspirado no poeta inglês Byron, e a memória nostálgica da Antiguidade clássica, representadas por suas ruínas. 9. (Fuvest-SP) “Já de morte o palor me cobre o rosto, Nos lábios meus o alento desfalece, Surda agonia o coração fenece, E devora meu ser imortal desgosto!” No fragmento anterior, pertencente a Álvares de Azevedo, notam-se características de qual tendência romântica? a. Mal-do-século. b. Bucolismo. c. Poesia condoreira. d. Nacionalismo. e. Indianismo. 10. (Mack-SP) Assinale a alternativa incorreta a respeito de Fagundes Varela: a. É um poeta de transição entre a segunda e a terceira geração romântica. b. Cantos meridionais são poesias de cunho lírico, associado aos panoramas tropicais. c. "Cântico do calvário” é uma elegia escrita em memória do filho. d. A religiosidade é um tema presente em parte de sua obra. e. E na poesia indianista que atinge o ponto mais elevado de sua produção poética. 11. (PUC-RS) "Sou como a pomba e como as vozes dela É triste o meu cantar; — Flor dos trópicos — cá na Europa fria
  3. 3. Atividades – Recuperação Final - 2EM Eu definho chorando noite e dia Saudades do meu lar." A estrofe acima salienta uma das linhas da reduzida temática da poesia de Casimira de Abreu, que é a: a. vida familiar. b. paisagem nativa. c. saudade da pátria. d. ternura sonhadora. e. timidez amorosa. 12. (ITA-SP) "Descansem o meu leito solitário Na floresta dos homens esquecida A ombra de uma cruz, e escrevam nela: Foi poeta _ sonhou _ e amou na vida." O excerto é de autoria de ......................, importante poeta ultra-romantismo brasileiro, autor de ................... . a. Casimiro de Abreu — Primaveras. b. Álvares de Azevedo — Lira dos Vinte Anos c. Fagundes Varela — Contos e Fantasias. d. Gonçalves Dias — Últimos Cantos. e. Castro Alves — Espumas Flutuantes. 13. (Unitau-SP) “É o mais subjetivo, o mais individualista, e, nesse sentido, o mais romântico dos nossos poetas românticos. E, ao mesmo tempo, o mais anti-romântico.” (M. J. da Trindade Negrão) Trata-se de: a. Gonçalves Dias. b. Gonçalves de Magalhães. c. Álvares de Azevedo. d. Castro Alves. e. Fagundes Varela. Realismo/ Naturalismo 1- (UFSC) Pode-se entender o Naturalismo como uma particularização do Realismo que: a)se volta para a Natureza a fim de analisar-lhe os processos cíclicos de renovação. b)pretende expressar com naturalismo a vida simples dos homens rústicos nas comunidades primitivas c)defende a arte pela arte, isto é, desvinculada de compromissos com a realidade social d)analisa as perversões sexuais, condenando-as em nome da moral religiosa e)estabelece um nexo de causa e efeito entre alguns fatores sociológicos e biológicos e a conduta dos personagens. 2- (PUC-RS) .... uma preta velha, vergada por imenso tabuleiro de madeira, sujo, seboso, cheio de sangue e coberto por uma nuvem de moscas, apregoava em tom arrastado e melancólico: “Fígado, rins e coração” . Era uma vendedeira de fatos de boi. (...)os cães, estendidos pelas calçadas, tinham uivos que pareciam gemidos humanos, movimentos irascíveis, mordiam o ar, querendo morder os mosquitos. Nesse texto naturalista, Aluísio Azevedo enfatiza a : a)patologia social b)brutalidade do quotidiano
  4. 4. Atividades – Recuperação Final - 2EM c)despreocupação ética d)força da hereditariedade e)ação do meio social. 3- (UNICAMP-SP) A conhecida ironia de Machado de Assis fica evidente na seguinte passagem do romance Memórias póstumas de Brás Cubas: “ .... Marcela amou-me durante quinze dias e oito contos de reis(...)”. Nesse, com em muitos outros trechos de seus romances, o escritor usa com maestria as palavras, obtendo, através de sua combinação, o efeito irônico desejado. Diga qual é a ironia presente na passagem citada e explique de que maneira Machado consegue obter o efeito irônico através das relações de significação que se estabelecem entre as palavras que ele escolheu. 4- (FEI-SP) Observe as afirmações abaixo e assinale as alternativas corretas: I- O Realismo teve sua origem na França e foi apenas uma renovação no campo literário. II- O escritor realista deve estudar o exterior dos indivíduos, interrogá-los, analisar o meio e depois transcrever suas observações procurando ser, rigorosamente, impessoal. III-Para o escritor realista o que importa é o que está fora de nós, o objeto captado pelos sentidos. IV- O Realismo é uma obra de ataque à mentalidade burguesa, à ordem social, clerical e monárquica. A seqüência que contém somente afirmativas corretas é: a)I e IV estão corretas. d) todas estão corretas b)somente IV está correta e)n.d.a c)II, III e IV estão corretas 6- Texto A “É uma sala em quadro, toda ela de uma alvura deslumbrante, que realçam o azul celeste do tapete de rico recamado de estrelas e a bela cor de ouro das cortinas e do estofado dos móveis. A um lado, duas estatuetas de bronze dourado representando o amor e a castidade sustentam uma cúpula oval de forma ligeira, donde se desdobram até o pavimento bambolins de casa finíssima. Doutro lado, há uma lareira, não de fogo, que o dispensa nosso ameno clima fluminense, ainda na maior força do inverno. Essa chaminé de mármore cor-de-rosa é meramente pretexto para o cantinho de conversação” (José de Alencar, Senhora) Texto B “O quarto respirava todo um ar triste de desmazelo e boemia. Fazia má impressão estar ali: o vômito de Amâncio secava-se no chão, azedando o ambiente; a louça, que servira ao último jantar, ainda coberta de gordura coalhada, aparecia dentro de uma lata abominável, cheia de contusões e roia de ferrugem. Uma banquinha, encostada à parede, dizia com seu frio aspecto desarranjado que alguém estivera aí a trabalhar durante a noite, até que se extinguira a vela, cujas últimas gotas de estearina se derramavam melancolicamente pelas bordas de um frasco vazio de xarope Larose, que lhe fizera as vezes de castiçal”. (Aluísio Azevedo, Casa de pensão)
  5. 5. Atividades – Recuperação Final - 2EM a)Os textos A e B, extraídos de romances de estilos de época (ou escolas literárias) diferentes, teriam algum ponto em comum? Justifique sua resposta. b)A que estilo de época pertence o texto A? Cite uma característica desse estilo que se comprove pelo texto c)O texto B pertence a um romance realista ou naturalista? Justifique a resposta, citando uma característica presente no texto. 7- (FAAP-SP) Os trechos transcritos abaixo filiam-se, quer pelo tratamento estilístico, quer pela temática, a determinadas estéticas literárias. Dê o nome de cada uma e justifique a identificação, copiando do trecho correspondente uma palavra, expressão ou frase que o tenha orientado nessa resposta. a)“ O atavismo fez explodir neste, com rápida energia, todos os vícios constitucionais que bacilavam no sangue de sua raça, exagerados numa confluência de seis gerações, de envolta com instintos doidos, inoculados e progressivamente agravados na sociedade pelo modismo etnológico de sua formação”. b) “ Se passa um bote com as velas soltas, minh’alma o segue n’amplidão dos mares; e longas horas acompanha as voltas das andorinhas recortando os ares. Ás vezes, louca, num cismar perdida, minh’alma triste vai vagando à toa bem como a folha que do sol batida bóia nas águas da gentil lagoa!” Parnasianismo 1-(FEI-SP) São características do Parnasianismo, do qual Olavo Bilac é legítimo representante: a)Predomínio da razão, individualismo. b)Determinismo biológico, retorno à Idade Média. c)Culto da forma, arte pela arte. d)Objetividade, sentimentalismo exagerado. e)n.d.a 2-(Centec-BA) Todos os itens apresentam características do Parnasianismo, exceto: a)Prevalência de formas fixas de composição poética. b)Anseio de liberdade criadora. c)Preocupação com a perfeição formal. d)Gosto pela precisão descritiva. e)Ideal de objetividade no tratamento dos temas.
  6. 6. Atividades – Recuperação Final - 2EM TEXTO 1 TEXTO II OS SAPOS PROFISSÃO DE FÉ O sapo tanoeiro, Invejo o ourives quando escrevo Parnasiano aguado, Imito o amor Diz: _ “Meu cancioneiro Com que ele, em ouro, o alto relevo É bem martelado” Faz de uma flor. (...) (...) Brada em um assomo Torce, aprimora, alteia, lima O sapo tanoeiro: a frase; e enfim, _ “A grande arte é como No verso de ouro engasta a rima, Lavor de joalheiro” Como um rubim. (Manuel Bandeira) (Olavo Bilac) a)Compare os dois trechos acima e, a partir daí, caracterize a estética literária a que pertence o texto II, de acordo com as duas afirmações do texto I. b)O texto I, reforça ou nega os procedimentos estéticos apontados no texto II? Justifique sua resposta. 4- (PUC-RS) Alberto de Oliveira é caracterizado o mais característico poeta parnasiano, pois suas obras evidenciam: a)erudição lingüística, descrição subjetiva e alusão à mitologia greco-latina. b)culto à forma, descritivismo e retorno aos motivos clássicos. c)preciosismo lingüístico, recuperação dos moldes clássicos e devaneio sentimentalista. d)lirismo comedido, sentimentalismo nacionalista e apuro vocabular. e)descrição pormenorizada, ruptura com os motivos clássicos e busca da palavra exata. 5-(UFRS) É na confluência de idéias anti-românticas, como a objetividade no trato dos temas e o Culto da forma, que se situa a poética do Parnasianismo. O nome da escola vinha de Paris e remontava a antologias publicadas (...). Seus traços de relevo: o gosto da descrição nítida, concepções tradicionalistas sobre o metro, ritmo e rima e, no fundo, o ideal de impessoalidade que partilhavam com os realistas do tempo. (Alfredo Bosi) Com base no texto acima, referente ao Parnasianismo brasileiro, são feitas as seguintes inferências. I-O Parnasianismo opôs-se a princípios românticos como a subjetividade e a relativa liberdade do verso II-Tendo seu nome calcado num tempo criado na França, o Parnasianismo brasileiro, seguiu um caminho estético próprio, independente do original III-Parnasianismo e Realismo são correntes literárias com ideais e princípios estéticos totalmente diferenciados. Quais estão corretas? a)I c)I e II e)I e III b)II d)II e III
  7. 7. Atividades – Recuperação Final - 2EM Parnasianismo 1- (Faetec-S.P) E sons soturnos, suspiradas mágoas Mágoas amargas e melancolias No sussurro monótono das águas, Noturnamente, entre ramagens frias Vozes veladas, veludosas vozes, Volúpias dos vilões, vozes veladas, Vagam nos velhos vórtices velozes Dos ventos, vivas, vãs, vulcanizadas. a) Indique o recurso literário evidente no trecho de Violões que choram, poema de Crus e Sousa, e b) explique o efeito obtido pelo Autor através deste recurso. 2- (PUC-RS) Ninguém anda com Deus mais do que eu ando, Ninguém segue os seus passos como eu sigo, Não bendigo a ninguém e nem maldigo: Tudo é morte num peito miserando. Vejo o sol, vejo a luz e todo o bando Das estrelas no olímpico jazigo. A misteriosa mão de Deus o trigo Que ela plantou aos poucos vai ceifando. Um dos temas marcantes da poesia de Alphonsus de Guimarães é a ............................................ profunda e pessoal, como ilustram as estrofes citadas. a)delicadeza b)melancolia c)religiosidade d)ternura e)evasão 3- (MACK-SP) Assinale a alternativa onde há um texto que não pode ser encaixado no Simbolismo brasileiro. a)Indefiníveis músicas supremas, d)Vê como a Dor te transcendentaliza! Harmonias da Cor e do perfume... Ma no fundo da Dor crê nobremente, Horas do Ocaso, trêmulas, extremas, Transfigura o teu ser na força crente Réquiem do Sol que a Dor da luz resume... Que tudo forma belo e diviniza. b)Mas essa dor da vida devora e)Sinto-as agora, ao luar, descendo juntas, A ânsia de glória, o dolorido afã... Grandes, magoadas, pálidas, tateantes, A dor no peito emudecera ao menos Cerrando os olhos das visões defuntas....
  8. 8. Atividades – Recuperação Final - 2EM Se eu morresse amanhã. Mãos de esperança para as almas loucas, c)Harmonias que pungem, que laceram, Brumosas mãos que vêm brancas, distantes, Dedos nervosos e ágeis que percorrem Fechar ao mesmo tempo tantas bocas.... Cordas e um mundo de dolências geram, Gemidos, prantos que no espaço morrem.... 4- (Pucamp-S.P) São características da poesia de Cruz e Sousa: a)crença de que o espírito pode apreender a realidade das coisas, traçando firmemente seus contornos; versos livres; musicalidade a serviço da espiritualidade b)abandono das visões ideais sobre o amor, por uma descrição mais direta do corpo e dos desejos; anti-- romantismo; busca das “correspondências” entre os seres. c)cuidado formal, através do verso bem ritmado, do vocabulário raro e preciso, dos efeitos plásticos e sonoros capazes de impressionar os sentidos; objetividade na descrição do mundo d)repúdio ao sentimentalismo; adoção dos temas divulgados pela ciência e pela filosofia naturalista; apego ao soneto. e)crença de que o poema representa uma tentativa da aproximação da realidade oculta das coisas, que a sugerem sem esgotá-la; busca de ritmos musicais e insinuantes; vocabulário litúrgico, para acentuar o mistério. 5-(UEL- PR) Assinale a alternativa que contém apenas características da estética Simbolista. a)Temática social; hermetismo; valorização dos tons fortes; materialismo; antítese. b)Temática intimista; ocultismo; valorização dos tons fortes; espiritualismo; sinestesia. c)Temática intimista; hermetismo; valorização do branco e da transparência; espiritualidade e sinestesia. d)Temática bucólica; hermetismo; valorização do branco e das tonalidades verdes; materialismo; sinestesia. 6-(FCMSC-SP) Disse o grande professor da literatura: “O trecho que acabo de ler é objetivo, comedido, as descrições são minuciosas e são freqüentes as evocações de figuras mitológicas. É elaborado; tem formas eruditas. É freqüente o hipérbato”. Com mais probabilidade, o trecho que o professor acaba de ler: a)era de um romance do Romantismo brasileiro (primeira fase) b)era um poema do indianismo brasileiro c)era uma obra realista ou naturalista (conto ou romance) d)era um poema parnasiano e)era de algum autor simbolista, mas, sem dúvida, em prosa. 7- (PUC-RS) “Hão de chorar por ela os cinamomos, Murchando as flores ao tombar do dia.
  9. 9. Atividades – Recuperação Final - 2EM Dos laranjais hão de cair os pomos, Lembrando-se daquela que os colhia”. Uma das linhas temáticas de Alphonsus de Guimaraens, como se observa no exemplo, é a: a)amada morta c)transfiguração do amor e)n.d.a b)religiosidade profunda d)atmosfera litúrgica 8- (UCP-PR) Assinale a alternativa correta: a)o Romantismo é conseqüência do surto de cientificismo e da fadiga da repetição das fórmulas subjetivas b)o poeta parnasiano deixa-se arrebatar pelo conflito entre o mundo real e o imaginário, expresso num sentimentalismo acentuado. c)o Realismo é conseqüência do surto de cientificismo e da fadiga da repetição das fórmulas subjetivas d)no Romantismo, o escritor mergulha no interior das personagens, mostrando ao leitor seus dramas e suas agonias. e)no Simbolismo, predominou a prosa. Redação – Em cada redação abaixo, você deverá utilizar as estratégias aprendidas no capítulo do livro estudado. REDAÇÃO I : Com base na leitura do texto-estímulo reproduzido mais abaixo, redija um texto dissertativo- argumentativo que discuta o tema: O acesso à escola pública e gratuita e a atual política educacional no Brasil Defenda uma opinião, amparada na organização e relação de fatos e argumentos que a sustentem logicamente. Você pode, se quiser, citar algum fato mencionado no texto-estímulo, entretanto, NÃO pode copiar suas orações, frases e períodos. Se desejar, dê um título a seu texto. Texto-Estímulo: O esforço é de um atleta africano num torneio de tênis patrocinado por suecos. Entrar numa faculdade pública no Brasil é coisa de rico. É conhecida a explicação: pobre estuda em escolas públicas precárias, pobre não tem dinheiro para cursinho e, quando trabalha, não tem tempo para estudar tudo o que não aprendeu até chegar a hora do vestibular. São pelo menos 120 mil estudantes que estão fora do que chamam "latifúndio educacional" instalado no ensino superior, que concentra a educação nas mãos de poucos, segundo integrantes do recém-criado MSU (Movimento dos Sem Universidade). Oficializado em abril, o movimento quer o que a maioria dos pais brasileiros almeja para seus filhos: a chance de estudar numa universidade pública, mesmo tendo saído de uma escola de segundo grau despreparada para despachar seus alunos à olimpíada dos vestibulares. Espalhados em grupos pelo país, eles também querem isenção das taxas de inscrição para o vestibular, argumentando que são poucos os estudantes com condições de em São Paulo, por exemplo, se inscrever na USP, Unesp e Unicamp, o que aumentaria suas chances em 50%, mas custaria quase R$200. Querem, igualmente a criação de uma universidade popular, projeto que já passou pelas mãos de João Sayad, o secretário das Finanças da prefeita Marta Suplicy, e que tem como sugestão de localização parte do terreno hoje ocupado pelo presídio do Carandiru, na cidade de São Paulo.
  10. 10. Atividades – Recuperação Final - 2EM É um movimento que já nasce grande porque envolve um número enorme de jovens sem acesso à universidade pública. Inclusive da classe média, que nos últimos anos passou a protagonizar uma história que se repete nas melhores famílias: sem dinheiro para obter a formação básica numa boa escola, o estudante acaba entrando numa universidade particular, que custa caro e prolifera como uma rede de fast food. No meio do caminho, a família joga a toalha porque não consegue pagar a escola, e o filho tem de abandonar o curso. As estatísticas estão a favor do MSU: apenas 10% da população brasileira jovem, na faixa etária entre 18 e 24 anos, chega até a universidade; os que sobram são uma espécie de reféns de sua situação sócio-econômica. O desdobramento dessa exclusão é igualmente dramático: pesquisa realizada pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), vinculado ao Ministério do Planejamento, revelou em 1998 que trabalhadores com oito anos de escolaridade ganham 36% a mais do que os não-qualificados; os que têm o ensino médio completo ganham 170% a mais e os que têm curso superior o ganho é de 516% a mais. Conclusão: exceção feita à vida artística, onde um rebolado ousado pode criar novos milionários da noite para o dia, na vida real o diploma universitário contribui objetivamente para uma melhora na situação sócio-econômica. [...] O movimento conquista simpatizantes ao criticar o governo federal - com a popularidade em baixa - pelo descaso ao problema da exclusão social na universidade pública. "É preciso fazer alguma coisa por nós mesmos porque outros não o farão, é preciso nos organizar para desorganizar e acabar com essas injustiças do sistema de vestibular, é preciso respeitar as gerações futuras e o futuro de nosso povo", dizem eles em sua carta aberta à população. Conquistar o diploma, passaporte para um mercado de trabalho restrito e exigente, é muito difícil para quem não pode pagar uma universidade particular. Das 766 mil vagas oferecidas pelas instituições de ensino superior em 1998, apenas 26,41% (205 mil) eram em universidades públicas. Os estudantes do MSU não querem apenas um diploma universitário. Querem a transformação cultural através da busca do conhecimento científico e tecnológico, no seu avanço civilizatório, o que certamente não é possível quando muitas universidades privadas escorregam para o mundo os negócios. (Célia Chaim. Organização luta por acesso à escola pública. Folha de S. Paulo, 23 de julho de 2001) REDAÇÃO II: Com base na leitura do texto a seguir, elabore uma redação que discuta posições e exponha argumentos sobre o tema: A melhor formação profissional Defenda uma opinião, com base na exposição de fatos e argumentos que a sustentem logicamente. Se desejar, dê um título a seu texto. Alguém disse que um especialista é uma pessoa que sabe cada vez mais sobre cada vez menos. A frase é engraçadinha, porém errada. Cadê o especialista que só sabe de um assunto? Certamente, não está nos empregos mais cobiçados. [...] Dentre as ocupações valorizadas e mais bem remuneradas, há duas categorias. A primeira é a dos cientistas, engenheiros e muitos outros profissionais, cuja preparação requer o domínio de técnicas complexas e especializadas - além das competências "genéricas". Ninguém vira engenheiro eletrônico sem longos anos de estudo. Mas pelo menos a metade das ocupações que requerem diploma superior exige conhecimentos específicos limitados. Essas ocupa-ções envolvem administrar, negociar, coordenar, comunicar-se e por aí afora. Pode-se aprendê-las por experiência ou em cursos curtos. Mas somente quem
  11. 11. Atividades – Recuperação Final - 2EM dominou as competências genéricas trazidas por uma boa educação tem a cabeça arrumada de forma a aprendê-las rapidamente. Por isso, nessas ocupações há gente com todos os tipos de diploma. Nelas estão os graduados em economia, direito e dezenas de outras áreas. É tolo pensar que estão fora de lugar ou mal aproveitados, ou que se frustrou sua profissionalização, pois não a exercem. É interessante notar que as grandes multinacionais contratam "especialistas" para posições subalternas e, para boa parte das posições mais elevadas, pessoas com a melhor educação disponível, qualquer que seja o diploma. A profissionalização mais duradoura e valiosa tende a vir mais do lado genérico que do especializado. Entender bem o que leu, escrever claro e comunicar-se, inclusive em outras línguas, são os conhecimentos profissionais mais valiosos. Trabalhar em grupo e usar números para resolver problemas, pela mesma forma, é profissionalização. E quem suou a camisa escrevendo ensaios sobre existencialismo, decifrando Camões ou Shakespeare pode estar mais bem preparado para uma empresa moderna do que quem aprendeu meia dúzia de técnicas, mas não sabe escrever. A lição é muito clara: o profissional de primeira linha pode ou não ser um especialista, dependendo da área. Pode ou não ter a necessidade de conhecer as últimas teorias da moda. Mas não pode prescindir dessa "profissionalização genérica", sem a qual será um idiota, cuspindo regras, princípios e números que não refletem um julgamento maduro do problema. Portanto, lembremo-nos: especialista não é quem sabe só de um assunto, e ser profissional não é apenas conhecer técnicas específicas. O profissionalismo mais universal é saber pensar, interpretar a regra e conviver com a exceção. (Cláudio Moura e Castro. O sofisma da especialização". Veja: Ponto de Vista, 04 de abril de 2001) REDAÇÃO III : Com base na leitura dos textos abaixo, elabore uma redação, dissertativo-argumentativa, sobre o tema: As cidades dentro da cidade Selecione, organize e relacione argumentos, fatos e opiniões para defender o seu ponto de vista. Se desejar, dê um título a seu texto. Texto I - "- Tenham a bondade de sentar e esperar um momento. Logo que ela saiu, levantei-me e fui à janela. Era uma janela imensa, rasgada sobre o mar, o grande mar azul que arfava debaixo do sol. Nós tínhamos vivido aqueles tempos em quartos apertados e quentes, de uma só e miserável janela, dando para uma parede suja; nós vínhamos de casinhas de subúrbios, cheias de gente, feias e tristes; ou de cubículos imundos e frios; ou de uma enfermaria geral, com cheiro de iodofórmio. Entretanto, aquele apartamento de luxo não me espantara (...). Mas essa vista do mar foi minha surpresa. Nos últimos tempos eu passava raramente junto do mar, e creio que nem o olhava; vivíamos como se fosse em outra cidade, afundados no interior, marchando por ruas de paralelepípedos desnivelados e carros barulhentos. E ali estava o mar, muito mais amplo do que o mar que poderia ser visto lá embaixo, da rua, pelos pobres; o mar dos ricos era imenso, e mais puro e mais azul, pompeando sua beleza na curva rasgada de longínquos horizontes, enfeitado de ilhas, eriçado de espumas. E o vento tinha um gosto livre e virgem, um vento bom para se encher o pulmão. Inspirei profundamente esse ar salgado e limpo; e tive a impressão de que estava respirando um ar que não era meu e eu nem sequer merecia. O ar de nós outros, os pobres, era mais quente e parado; tinha poeira e fumaça, o ar dos pobres." (Rubem Braga, "Os perseguidos") Texto II "Mesmo nas cidades consideradas mais ricas, como São Paulo e Rio de Janeiro, os indicadores da
  12. 12. Atividades – Recuperação Final - 2EM situação de boa parte de seus habitantes não deixam de ser chocantes. No Rio de Janeiro, por exemplo, cerca de 35% dos habitantes moram em favelas; em São Paulo, a população favelada aproxima-se dos 20%. Isso sem falar na crescente população de moradores de rua, que povoam as principais metrópoles brasileiras. Em suma, grande parte das cidades brasileiras, se fossem tomadas como exemplo, apresentaria situações semelhantes (...): as diferenças nas paisagens das cidades são a concretização dos contrastes e das desigualdades sociais geradas pelos esquemas de sobrevivência em que as pessoas estão envolvidas." (Douglas, Diamantino e Marcos. Geografia. Ciência do espaço). Interpretação de textos (IBGE) Texto para as questões 1 a 6: 1º - Uma diferença de 3.000 quilômetros e 32 anos de vida separa as margens do abismo entre o Brasil que vive muito, e bem, e o Brasil que vive pouco, e mal. Esses números, levantados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE, e pela Fundação Joaquim Nabuco, de Pernambuco, referem- se a duas cidades situadas em pólos opostos do quadro social brasileiro. Num dos extremos está a cidade de Veranópolis, encravada na Serra Gaúcha. As pessoas que nascem ali têm grandes possibilidades de viver até os 70 anos de idade. Na outra ponta fica Juripiranga, uma pequena cidade do sertão da Paraíba. Lá, chegar à velhice é privilégio de poucos. Segundo o IBGE, quem nasce em Juripiranga tem a menor esperança de vida do país: apenas 38 anos. §2ºA estatística revela o tamanho do abismo entre a cidade serrana e a sertaneja. Na cidade gaúcha, 95% das pessoas são alfabetizadas, todas usam água tratada e comem, em média, 2.800 calorias por dia. Os moradores de Juripiranga não têm a mesma sorte. Só a metade deles recebe água tratada, os analfabetos são 40% da população e, no item alimentação, o consumo médio de calorias por dia não passa de 650. §3ºO Brasil está no meio do trajeto que liga a dramática situação de Juripiranga à vida tranqüila dos veranenses. A média que aparece nas estatísticas internacionais dá conta de que o brasileiro tem uma expectativa de vida de 66 anos. §4ºVeranópolis, como é comum na Serra Gaúcha, é formada por pequenas propriedades rurais em que se planta uva para a fabricação de vinhos. Tem um cenário verdejante. Seus moradores - na maioria descendentes de imigrantes europeus - plantam e criam animais para o consumo da família. Na cidade paraibana, é óbvio, a realidade é bem diferente. Os sertanejos vivem em cenário árido. Juripiranga não tem calçamento e o esgoto corre entre as casas, a céu aberto. Não há hospitais. A economia gira em torno da cana-de-açúcar. Em época de entressafra, a maioria das pessoas fica sem trabalho. §5ºNo censo de 1980, os entrevistadores do IBGE perguntaram às mulheres de Juripiranga quantos de seus filhos nascidos vivos ainda sobreviviam. O índice geral de sobreviventes foi de 55%. Na cidade gaúcha, o resultado foi bem diferente: a sobrevivência é de 93%. §6ºContrastes como esses são comuns no país. A estrada entre o país rico e o miserável está sedimentada por séculos de tradições e culturas econômicas diferentes. Cobrir esse fosso custará muito tempo e trabalho. (Revista Veja - 11/05/94 - pp. 86-7 - com adaptações) 1. Os 32 anos referidos no texto como um dos indicadores do abismo existente entre as cidades de Veranópolis e Juripiranga corresponde à diferença entre: a) suas respectivas idades, considerando a época da fundação b) as idades do morador mais velho e do mais jovem de cada cidade c) as médias de idade de seus habitantes d) a expectativa de vida das duas populações e) os índices de sobrevivência dos bebês nascidos vivos. 2. Segundo o texto, Veranópolis e Juripiranga encontram-se em pólos opostos. Assinale a única opção cujos elementos não caracterizam uma oposição entre essas duas cidades: a) Norte x Sul d) Verdejante x Árido b) Serra x Sertão e) Plantação x Consumo
  13. 13. Atividades – Recuperação Final - 2EM c) Dramática x Tranqüila 3. Analise as afirmações abaixo e assinale V para as que, de acordo com o texto, considerar verdadeiras e F para as falsas: ( ) A cidade paraibana não tem sequer a metade dos privilégios de que goza a cidade gaúcha. ( ) O Brasil, como um todo, encontra-se numa posição intermediária entre as duas cidades. ( ) Apesar de afastadas pelas estatísticas, Veranópolis e Juripiranga se unem pelas tradições culturais. ( ) Embora com resultados diferentes, a base da economia das duas cidades é a agricultura. ( ) De seus ancestrais europeus os sertanejos adquiriram as técnicas rurais. A seqüência correta é: a) V - V - V - F - F d) F - F - V - F - V b) V - V - F - F - F e) F - F - V - V - V c) V - V - F - V - F 4. "Cobrir esse fosso custará muito tempo e trabalho." O fosso mencionado no texto diz respeito ao (à): a) abismo entre as duas realidades b) esgoto que corre a céu aberto c) calçamento deficiente das estradas brasileiras d) falta de trabalho durante a entressafra e) distância geográfica entre os dois pólos 5. Numa análise geral do texto, podemos classificá-lo como predominantemente: a) descritivo d) narrativo b) persuasivo e) sensacionalista c) informativo 6. Em "a cidade de Veranópolis, encravada na Serra Gaúcha"... e "A estrada ... está sedimentada por séculos...", os termos sublinhados alterariam o sentido do texto se fossem substituídos, respectivamente, por: a) cravada e assentada d) enfiada e fixada b) fincada e estabilizada e) escavada e realçada c) encaixada e firmada

×