Maria vai com as outras

5.843 visualizações

Publicada em

Fotonovela realizada pelos meus alunos e alunas de Tecnologia Educacional, do Curso de Pedagogia da Faculdade Sumaré, unidade Tatuapé, outubro de 2007.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.843
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
47
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
72
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Maria vai com as outras

  1. 1. MARIA VAI COM AS OUTRAS... Uma versão contemporânea
  2. 2. Estrelando: Adriana Maria Martin Regina como : Paloma Maria de Lourdes O. Cavalcanti como : Elizabete Patrícia de Souza Luiz como : Beatriz Sandra Regina A. F. da Silva como : Sônia Tatiana Ferreira dos Santos como : Bárbara Valeria Fernandes Lima como : Maria
  3. 3. Todas as noites, ao se preparar para ir trabalhar, Elizabete se despede de suas filhas e sai.
  4. 4. Como sempre, liga para saber como estão. O que não sabe é que suas filhas também saem todas as noites.
  5. 5. Oi mãe... Sim, está tudo bem! As meninas... Já estão dormindo!
  6. 6. Enquanto isto, no quarto, Bárbara e Beatriz estão se arrumando para sair.
  7. 7. E Maria também.
  8. 8. As três estão no Drink`s Bar. Passam a noite bebendo e fumando.
  9. 9. Voltam para casa quase ao amanhecer ¨chapadas¨.
  10. 10. Psiuuu...
  11. 11. Trimmm... Na noite seguinte...
  12. 12. Alôoo...Sim mãe, já estavámos dormindo. Tchau!
  13. 13. Nessa noite, Paloma se prepara para sair.
  14. 14. Maria também .
  15. 15. Saem de casa, vão conversando, e no caminho....
  16. 16. <ul><li>Paloma, </li></ul><ul><li>encontra-se </li></ul><ul><li>com um rapaz </li></ul><ul><li>e resolve fazer </li></ul><ul><li>um programa. </li></ul>
  17. 17. Maria também.
  18. 18. Foi uma bela noite.
  19. 19. Na noite seguinte, Elizabete vai trabalhar.
  20. 20. Ao ligar o carro, não funciona
  21. 21. Volta para casa, e vai direto para seu quarto para descansar.
  22. 22. No quarto, Sônia atende o Celular. Está bem... No mesmo lugar.
  23. 23. Sônia sai...
  24. 24. Maria também .
  25. 25. Chegando no ponto de encontro...
  26. 28. Sônia esta numa ¨boa¨...
  27. 29. E Maria...
  28. 30. Não está nada bem... O que estou fazendo da minha vida...
  29. 31. Após pensar muito, Maria resolve voltar para casa...
  30. 32. Quando entra em casa...
  31. 33. Encontra sua mãe que sabe de toda história...
  32. 34. Suas irmãs estão pensativas.
  33. 35. Elizabete reúne as filhas para uma longa conversa...
  34. 36. De repente, Maria se lembra de Sônia...
  35. 37. Ao chegar no local, a encontram drogada...
  36. 38. Quase em overdose...
  37. 39. No dia seguinte, vão para a Clínica onde Elizabete trabalha. PALESTRA: Desvio de Comportamento
  38. 40. Na Clínica de Recuperação assistem à palestra, e chegam a conclusão de que realmente precisam de ajuda.
  39. 41. Sua mãe, a Dra. Elizabete é a palestrante.
  40. 42. Algum tempo depois, as filhas recuperadas ajudam a mãe.
  41. 43. Cada dia é uma batalha que enfrentam juntas, mas felizes com essa nova etapa.
  42. 44. E eu também.
  43. 45. FIM
  44. 46. Ficha técnica : Produção coletiva: Adriana Maria Martin Regina Maria de Lourdes O. Cavalcanti Patrícia de Souza Luiz Sandra Regina A. F. da Silva Tatiana Ferreira dos Santos Valeria Fernandes Lima Figurantes: Alexandre Maria Auxiliadora Carlos Mirtes Cidália Iara Elisangela Elza Fabiane
  45. 47. AGRADECIMENTOS: Ao professor Donizete, pelas orientações. Aos colegas de sala, pela disponibilidade em participar desta produção. À Faculdade Sumaré, por permitir o acesso nos diferentes ambientes.
  46. 48. “ O saber “entra” pelos sentidos e não somente pelo intelecto” Frei Betto
  47. 49. ADENDO Inicialmente, várias idéias ocorreram ao grupo. Nenhuma agradou mais do que a história da “Maria vai com as outras”. O enredo foi ganhando corpo, e assim nasceu a “Maria vai com as outra: uma visão contemporânea”. Durante a produção fotográfica, as pessoas ao redor demonstraram reações diversificadas. Risos, indignação e curiosidade, fizeram parte deste momento. Algumas destas pessoas abordaram-nos sobre o feito.
  48. 50. Seguem dois exemplos: * (moça) – O que vocês vão fazer? Parece que vão fumar... (Sandra) – “Baseado”? (moça) – É... (Sandra -- Vamos. (moça) -- O quê??? (Sandra) -- Calma! É de “mentirinha”. É só um trabalho para a faculdade. (moça) -- Ah, bom! Que susto!
  49. 51. * Fotos na cantina, depois de fechada. (segurança) – Hei, vocês aí! Estão pensando que podem fazer o que querem? (Lourdes) -- O quê? (segurança) – Vocês não podem pegar o material da cantina. (Sandra) -- Nós pegamos as latinhas e os copos do cesto de lixo. (segurança) – Tô falando das mesas e das cadeiras. (Valéria) -- Nós temos autorização para vir aqui. (segurança) – Quem deu autorização? Vocês não podem mexer nas coisas da cantina. (Tatiana) -- Nós estamos fazendo um trabalho para o nosso curso. (segurança) – Não me interessa. Isso é com vocês e o seu professor. (Sandra) -- Tudo bem, nós colocaremos tudo no lugar. (Lourdes) -- Voltaremos outro dia.
  50. 52. No final ficou tudo bem. Todos se desculparam pelo equívoco . Mesmo com algumas adversidades, foi uma aventura enriquecedora desde a concepção de idéias até a sua concretização. Tirar fotos apagá-las, registrá-las novamente; enquadramentos; imaginar cenas; figurinos; maquiagem, enfim tentar passar a mensagem como idealizamos, foi trabalhoso, mas muito divertido e apreciado por toda a equipe. Desta experiência ímpar, podemos enfatizar que temos um horizonte amplo a explorar. Através dos sentidos, aprender, perceber e refletir o mundo diferentemente do modo tradicional. E é esta proposta diferenciada que devemos amadurecer e levar futuramente, aos nossos educando.

×