ANAIS - 7º SIMP - Semniário Internacional em Memória e Patrimônio - http://simp.ufpel.edu.br 
Programa de Pós-graduação em...
ANAIS - 7º SIMP - Semniário Internacional em Memória e Patrimônio - http://simp.ufpel.edu.br 
Programa de Pós-graduação em...
ANAIS - 7º SIMP - Semniário Internacional em Memória e Patrimônio - http://simp.ufpel.edu.br 
Programa de Pós-graduação em...
ANAIS - 7º SIMP - Semniário Internacional em Memória e Patrimônio - http://simp.ufpel.edu.br 
Programa de Pós-graduação em...
ANAIS - 7º SIMP - Semniário Internacional em Memória e Patrimônio - http://simp.ufpel.edu.br 
Programa de Pós-graduação em...
ANAIS - 7º SIMP - Semniário Internacional em Memória e Patrimônio - http://simp.ufpel.edu.br 
Programa de Pós-graduação em...
ANAIS - 7º SIMP - Semniário Internacional em Memória e Patrimônio - http://simp.ufpel.edu.br 
Programa de Pós-graduação em...
ANAIS - 7º SIMP - Semniário Internacional em Memória e Patrimônio - http://simp.ufpel.edu.br 
Programa de Pós-graduação em...
ANAIS - 7º SIMP - Semniário Internacional em Memória e Patrimônio - http://simp.ufpel.edu.br 
Programa de Pós-graduação em...
ANAIS - 7º SIMP - Semniário Internacional em Memória e Patrimônio - http://simp.ufpel.edu.br 
Programa de Pós-graduação em...
ANAIS - 7º SIMP - Semniário Internacional em Memória e Patrimônio - http://simp.ufpel.edu.br 
Programa de Pós-graduação em...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Residências Neocoloniais do Bairro de Nazaré (Belém-PA): um percurso guiado pela Etnografia de Rua

1.023 visualizações

Publicada em

Em Abril de 2013, demos início a pesquisa de campo para o curso de Mestrado do Programa de pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo, que tem como objeto de estudo as residências neocoloniais situadas em Belém, no Estado do Pará. O presente artigo consiste na apresentação dos dados obtidos da etapa de Etnografia de rua para a disciplina de Método Etnográfico para Pesquisa em Arquitetura, sendo selecionado como recorte geográfico o Bairro de Nazaré, onde procuramos analisar e diagnosticar elementos, formas, detalhes e intervenções arquitetônicas, assim como outros exemplares, porém já apresentando descaracterizações e os que possuem traços da arquitetura Neocolonial, atentando, também, para o contexto onde estão atualmente inseridas, na forma de circulação de transeuntes, dos moradores, de veículos, as intempéries de nosso clima, assim como na presença de mobiliário e equipamentos urbanos e na análise do contexto histórico no qual foram, provavelmente, construídas.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.023
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
385
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Residências Neocoloniais do Bairro de Nazaré (Belém-PA): um percurso guiado pela Etnografia de Rua

  1. 1. ANAIS - 7º SIMP - Semniário Internacional em Memória e Patrimônio - http://simp.ufpel.edu.br Programa de Pós-graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural- PPGMP – UFPel - http://www.ufpel.edu.br/ich/ppgmp Residências Neocoloniais do Bairro de Nazaré (Belém-PA): um 376 percurso guiado pela Etnografia de Rua. Felipe Moreira Azevedo216 Cybelle Salvador Miranda 217 Resumo Em Abril de 2013, demos início a pesquisa de campo para o curso de Mestrado do Programa de pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo, que tem como objeto de estudo as residências neocoloniais situadas em Belém, no Estado do Pará. O presente artigo consiste na apresentação dos dados obtidos da etapa de Etnografia de rua para a disciplina de Método Etnográfico para Pesquisa em Arquitetura, sendo selecionado como recorte geográfico o Bairro de Nazaré, onde procuramos analisar e diagnosticar elementos, formas, detalhes e intervenções arquitetônicas, assim como outros exemplares, porém já apresentando descaracterizações e os que possuem traços da arquitetura Neocolonial, atentando, também, para o contexto onde estão atualmente inseridas, na forma de circulação de transeuntes, dos moradores, de veículos, as intempéries de nosso clima, assim como na presença de mobiliário e equipamentos urbanos e na análise do contexto histórico no qual foram, provavelmente, construídas. Palavras-chave: Neocolonial; Etnografia de Rua; Bairro de Nazaré; Belém-PA. Prólogo - O Início de uma Jornada Através da Etnografia de Rua: Propor o contrário do que fazemos, é justamente o objetivo da etnografia de rua. Quando estamos nela e a percorremos sem ter um caminho especificado, ou melhor, sem ter definido onde queremos chegar, começamos a colocar, em prática, nossos sentidos para perceber como se comporta nossa cidade, as pessoas, o trânsito, além das construções. A cidade acolhe seus passos, e ela passa a existir na existência deste que vive, na instancia de seu itinerário, um traçado que encobre um sentido, (...), uma caminhada cosmológica com os jogos de memória que os tempos reencontrados proustianos encenam. (ROCHA & ECKERT, 2001, p. 03). Para ROCHA & ECKERT (2001) experiênciar a cidade através da etnografia de rua possui uma relação de interação entre o pesquisador/observador e o indivíduo que encontramos. Logo, partindo desse método, analisar as edificações neocoloniais no Bairro de Nazaré pode seguir outro rumo do estudo (análise) puro, acadêmico, ou seja, através da etnografia podemos compreender as relações entre as residências e seus moradores, assim como os transeuntes de passagem, além da interação delas com seu entorno. Entretanto em NOVAES (1998) vemos a imagem como uma cópia da realidade a qual tiramos o sentimental a fim de termos uma visão racional. (...) o uso da imagem acrescenta novas dimensões à interpretação da história cultural, permitindo aprofundar a compreensão do universo simbólico, que se exprime em sistemas de atitudes por dos quais grupos sociais se definem, constroem identidades e apreendem mentalidades. (NOVAES, 1998, p. 116). 216Discente Mestrado em Arquitetura e Urbanismo do ITEC, UFPA, Belém, PA. E-mail: felipe_moreira_azevedo@hotmail.com; arqlipe.moreira@gmail.com 217Professora Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo do ITEC, UFPA, Belém, PA. E-mail: cybelle@ufpa.br; cybelle.salvador@pq.cnpq.br
  2. 2. ANAIS - 7º SIMP - Semniário Internacional em Memória e Patrimônio - http://simp.ufpel.edu.br Programa de Pós-graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural- PPGMP – UFPel - http://www.ufpel.edu.br/ich/ppgmp Assim o olhar do etnógrafo muda com as imagens, principalmente por que seu uso é dado comprovativo da realidade estudada e que servirão para análise. Mas devemos ser cautelosos, por isso Darbon faz a seguinte pergunta “o que é uma imagem?” (DARBON, 1998, p. 102), e a partir disso nós, como arquitetos usando o método, podemos captar da imagem aquilo que desejamos passar e assim, aliar, esta ferramenta aprimorando o entendimento do leigo. Logo, a etnografia de rua torna-se um método onde o Texto e a Imagem unem-se, garantindo as várias formas de interpretamos nosso espaço amostral. ATO 1 - O Início do Risvéglio: A Loucura de Carmem. (...) ornado pela vontade prima de realizar a incursão, peguei como Primeiro Fólio218 a cena da Gov. José Malcher, (...). A esta busco a reconstrução discursiva da realidade analisando elementos de prováveis residências neocoloniais, a tempo descompromissadas de um olhar (acadêmico) mais atento, (...), assim como os demais componentes da paisagem urbana. (Trecho do diário de Campo – Belém, 22 de Abril de 2013, das 9:00 ás 10:00. Segunda-feira). Nas primeiras quadras há casas – antigas – intervidas para adequar-se a novas funções. Todavia outras mantêm seus detalhes e formas originais. Entretanto além do levantamento, objetiva-se, analisar os indivíduos que usam a avenida. Portanto, para Gilbert Ryle – segundo Geertz, (1957, p.15-16) – “sobre descrição densa, (...) ele diz, o ‘Le Penseur’ está fazendo: ‘Pensando e Refletindo’ e ‘O Pensar dos Pensamentos’”, ou seja, entender a prática etnográfica é selecionar dados, transcrever textos, mapear campos através da analise do global e do particular onde o pesquisador esta inserido. FIGURA 1 - 2013, Belém, Pará, casa na Av. José Malcher esquina com a Tv. Benjamin 377 Constant. Fonte: AZEVEDO, Felipe Moreira. Assim ao caminhar nas primeiras quadras vemos a falta de arborização e os indivíduos à rua. E ao mesmo tempo há na Dr. Moraes, grande volume de carros e de arborização nos passeios, mostrando diferenças paisagísticas do Bairro. Contudo na próxima quadra há dois exemplares (um em cada lado da Avenida). O primeiro, no terceiro lote, Dr. Moraes para Benjamin, é o tipo bolo de confeiteiro219; o segundo, na esquina da Avenida com Benjamin, funciona a Sérgio Martins Advogado. 218Impresso no tamanho “fólio”, o Primeiro Fólio é a primeira edição de coletânea das peças de William Shakespeare. Foi compilado em 1616 e publicado em 1623. Obtido do site: http://www.wdl.org/pt /item/11290/, ás 13:25, no dia 31 de Maio de 2013. 219O Bolo de Confeiteiro não foi encontrado em nenhum texto seja livro ou qualquer referência acadêmica. Quando iniciei minha pesquisa (2010), perguntava para algumas pessoas sobre uma forma específica das residências Neocoloniais textura na parede externa. Como resposta afirmavam se assemelhar a um bolo com glacê, logo liguei ao bolo feito por confeiteiros.
  3. 3. ANAIS - 7º SIMP - Semniário Internacional em Memória e Patrimônio - http://simp.ufpel.edu.br Programa de Pós-graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural- PPGMP – UFPel - http://www.ufpel.edu.br/ich/ppgmp Entretanto há uma nesta Travessa que, embora intervido tem traços como a textura da parede externa e o desenho da cobertura como possíveis indicadores do estilo. Porém no trecho seguinte – Rui Barbosa e Quintino – há mais dois. Um, no terceiro lote, da Avenida para Rui Barbosa, do tipo bolo de confeiteiro, mas de forma compacta e seu entorno com edifícios residenciais e comerciais. (...) encontrei um aumento de transeuntes e de centros comerciais e serviços. Logo vi um crescimento de carros, principalmente taxistas na frente do hotel, (...), e dos ônibus. Esta cena operística, me faz lembrar o primeiro ato de Carmen220, marcada pela concentração da arborização e os passeios danificados. (Trecho do diário de Campo – Belém, 22 de Abril de 2013, das 9:00 ás 10:00. Segunda-feira). Todavia o segundo, na Quintino, partindo da José Malcher, no segundo lote, tem arco, coluna torça e outros, mas esta sendo intervido. Já nas próximas quadras há um conjunto militar, entre Quintino e a Avenida Visconde de Souza Franco, que possuem azulejos, varanda com guarda corpo de madeira e frontão ondulado. 378 FIGURA 2 - 2013, Belém, Pará, vila militar na Av. José Malcher. Fonte: AZEVEDO, Felipe Moreira. Todavia há outro exemplar na entrada da Vila Alda Maria, do tipo geminada. E a frente há a Passagem Joaquim Nabuco, com o fluxo de pessoas pequeno, o passeio modificado e a falta de conservação do meio-fio e a grande presença de arborização no local. (...) há três, uma do lado da outra, que chamam a atenção pelos elementos seja arco, colunas, frontão, parede externa e outros, mas também há quatro que apresentam vagos traços como o cachorro, as esquadrias, arcos, paredes externas com textura, que acabam por levantar dúvidas. (Trecho do diário de Campo – Belém, 22 de Abril de 2013, das 9:00 ás 10:00. Segunda-feira). Assim vimos momentos muito distintos. Um fluxo intenso na Gov. José Malcher, principalmente quando se aproxima do meio-dia e nos momentos de pico, além das pessoas que na maioria estavam com andar apressado. ATO 2 - A Jornada com a Companheira: O Romance no Ar. Assim que desci do ônibus na Generalíssimo, a primeira coisa que fiz foi pegar minha companheira para todas as horas (máquina fotográfica), (...), e após estar revestido por 220Primeiro ato: Praça em Sevilha, de um lado a fábrica de cigarros e de outro o quartel. Ao meio-dia há a troca de guardas e as operárias saem da fábrica. Entre elas Carmen. Em seguida, as operárias fazem um grande tumulto. Obtido do site: http://www2.uol.com.br/spimagem/opera/carmen/sinopse.htm, ás 17:10, no dia 31 de Maio de 2013.
  4. 4. ANAIS - 7º SIMP - Semniário Internacional em Memória e Patrimônio - http://simp.ufpel.edu.br Programa de Pós-graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural- PPGMP – UFPel - http://www.ufpel.edu.br/ich/ppgmp completo de minha armadura sagrada de Atena221 parti da José Malcher, em direção a 14 de Março. (Trecho do diário de Campo – Belém, 25 de Abril de 2013, das 9:00 ás 10:00. Quinta-feira). Ao começar há um exemplar do estilo no segundo lote, à esquerda (no sentido acima referido), possuindo arcos, sacada com colunas torça e guarda corpo em alvenaria com vazado e a cobertura do tipo beiral aparente. No entorno vemos o parâmetro das quadras de outrora com edifícios de grande porte, residencial e comércio, e casas como a antiga residência do Gov. Augusto Montenegro onde funciona o museu da UFPA222. Passando de minha primeira meia hora com o sol, adentro na quadra, entre 14 de Março e Alcindo Cacela, onde encontro outra amostra na esquina desta Avenida com a principal (José Malcher). Ao olhá-la, sua composição me fez lembrar a peça Romeu e Julieta223 na famosa cena do balcão224, principalmente por estar mal cuidada, onde sua forma de castelo medieval ganha mais vida com a presença de vegetação cobrindo o muro e se entrelaçando nas colunas das sacadas. (Trecho do diário de Campo – Belém, 25 de Abril de 2013, das 9:00 ás 10:00. Quinta-feira). FIGURA 3 - 2013, Belém, Pará, casa na esquina da Av. José Malcher com Av. Alcindo 379 Cacela. Fonte: AZEVEDO, Felipe Moreira. Contudo na Alcindo Cacela havia muito trânsito de pessoas e carros, porém próximo aos institutos educacionais temos aglomeração, assim como nas paradas de ônibus (são duas entre Generalíssimo e Alcindo Cacela). Entretanto, nesta até Nazaré, há um modelo próximo ao centro da face da quadra. Onde funciona a loja Bavieka com cobertura de beiral visível e textura nas paredes externas, sendo o entorno com chalés, casas modernas e prédios altos. Porém, a frente do Cube do Remo, há um com traços como sacada e beiral aparente, assim como o Nazaré Restô com textura nas paredes externas, sacada trabalhada com vazados e outros; e o CIG (Centro Integrado de Governo) sendo suntuosa pelo frontão ondulado e chafariz na entrada. Já atingindo certo tempo de incursão meu olhar começa voltar a querer se fixar na arquitetura, seja por não perceber muito movimento de indivíduos nos passeios ou pelo certo 221 Os Cavaleiros do Zodíaco, foi escrito e desenhado por Masami Kurumada e publicado de 1986 até 1990. O mangá se centrava na história de cinco jovens que utilizavam sua energia interior, assim como seus punhos e armaduras sagradas inspiradas em constelações e seres da mitologia grega. Obtido do site: http://www.Tvsin opse.kinghost.net/c/cavzodiaco1.htm, ás 17:30, no dia 05 de Junho de 2013. 222 UFPA – Universidade Federal do Pará. 223 A peça gira entre duas famílias: os Capuletos (família de Julieta), os Montecchios (família de Romeu) e o governo de Verona - Itália. Obtido do site: http://guiadoleitor.blogspot.com.br/2010/08/resenha-romeu-e-julieta-william. html, ás 18:00, no dia 05 de Junho de 2013. 224 Ato I. Cena 6: O balcão de Julieta – Sem conseguir dormir, Julieta fica em seu balcão pensando em Romeu, quando ele de repente aparece no jardim. Obtido do site: http://www.paralerepensar. com.br/shakespeare.htm, ás 18:07, no dia 05 de Junho de 2013.
  5. 5. ANAIS - 7º SIMP - Semniário Internacional em Memória e Patrimônio - http://simp.ufpel.edu.br Programa de Pós-graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural- PPGMP – UFPel - http://www.ufpel.edu.br/ich/ppgmp milagre da pouca movimentação de carros, porém este momento foi um devaneio, um blefe de canastra225 do Bairro, pois assim que chego ao Largo do Redondo, deparei-me com um fuzuê de carros apenas esperando o sinal do semáforo ficar verde para que tudo voltasse ao normal. (Trecho do diário de Campo – Belém, 25 de Abril de 2013, das 9:00 ás 10:00. Quinta-feira). Contudo ao lado do prédio de esquina, com Quintino Bocaiúva, temos o SINDUSCON226 com jogo de cobertura, colunas torça, arco e textura na parede externa, com frontão na ponta da cobertura, indicando o tipo geminado. Também entre esta e a Dr. Moraes há, aparentemente desocupado, um com beiral aparente e arco. E nesta travessa, entre Nazaré e Braz, há três, sendo o primeiro no quinto lote da esquerda, sentido Nazaré para Braz, onde funciona o Garantia Serviços com colunas torça, torre e outros. O segundo, no terceiro lote da esquerda, sentido Braz para Nazaré, tem a sacada trabalhada, arco, esquadrias e beiral aparente. O terceiro é o Edifício Pérola (esquina da Dr. Moraes com a Braz), onde funciona o CREA-PA, com sua torre, colunas torça, detalhe nas esquadrias e etc. Existem ainda duas com traços do estilo como a cobertura, porém já intervidas, sendo localizadas no quarto e quinto lotes da esquerda no sentido Braz para Nazaré. Depois de andarilho em duas Avenidas, finalmente chego a minha terceira e última. O sol dava o ar de sua graça por completo, e, por um milagre divino, estava ventando. Contudo mesmo sendo um lugar conhecido, quando entrei na Avenida (Braz) fui tratado como estrangeiro por estar simplesmente com a câmera fotográfica na mão. (...). (Trecho do diário de Campo – Belém, 25 de Abril de 2013, das 9:00 ás 10:00. Quinta-feira). Na Benjamin há mais dois (La Famíglia e o La Bella Cantina) no segundo e terceiro lotes a direita - respectivamente, sentido Braz para Nazaré, com beiral aparente, arco, jogo de cobertura, azulejo e outros, porém já intervidos. Todavia na Braz temos mais dois na esquina com Rui Barbosa (uma de cada lado). Uma dos militares no padrão bolo de confeiteiro e outro com sacada trabalhada, porém com intervenções. Já entre esta e Quintino tem o Banco Itaú, terceiro lote da direita, sentido Quintino para Rui Barbosa que, embora com intervenção, possui sacada trabalhada e o jogo de cobertura, tendo como entorno hotéis e lojas comerciais. Saindo desta, entrei na Av. Generalíssimo, no perímetro entre Braz e Gentil e me deparei com duas residências do tipo geminadas que já foram bastante modificadas, mas ainda possui um pequeno traço do estilo que é o frontão justamente no meio da cobertura que é a mesma para ambas, localizadas nos lotes segundo e terceiro a partir da Gentil. (Trecho do diário de Campo – Belém, 25 de Abril de 2013, das 9:00 ás 10:00. Quinta-feira). Portanto, percebemos pouco fluxo de ciclistas e motos (intenso na José Malcher) e a presença de paradas de ônibus (Nazaré e José Malcher) e falta de lugar para estacionar (nas três Avenidas e na Dr. Moraes), na rua, pois o acostamento já estava ocupado, criando filas duplas, o que prejudicava a fluidez do transito. ATO 3 - Refazendo o Caminho de Dante: Parti da Serzedelo com Nazaré. Assim que desci do ônibus senti o mormaço se entranhando pelo meu corpo (...) vi que há certa concentração de prédios antigos e muitas 2251. (Brasil; jogos de cartas) Simular a posse de um bom jogo, com intenção de ludibriar; 2. (Brasil) Induzir alguém a pensar que uma coisa é verdade quando não é. Obtido do site: http://www.lexico.pt /blefar/, ás 20:28, no dia 05 de Junho de 2013. 380 226SINDUSCON – Sindicato da Indústria da Construção do Estado do Pará.
  6. 6. ANAIS - 7º SIMP - Semniário Internacional em Memória e Patrimônio - http://simp.ufpel.edu.br Programa de Pós-graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural- PPGMP – UFPel - http://www.ufpel.edu.br/ich/ppgmp edificações de grande porte, logo, percebi a variedade do skyline da arquitetura227 (...) que compunha uma verdadeira arquitetura cênica228 cujo espetáculo encenado é a própria vida da cidade. (Trecho do diário de Campo – Belém, 02 de Maio de 2013, das 13:15 ás 15:30. Quinta-feira). Chegando entre a Avenida Serzedelo Corrêa até Benjamin Constant, não se avista exemplares do estilo, contudo na Dr. Moraes há um (entre as Avenidas Braz e Gentil) com características, onde funciona o Maison Blue, possuindo jogo de cobertura com plumas e textura nas paredes externas. Entretanto neste trecho o transito estava o Inferno de Dante229, (...). Além disso, não havia muitas pessoas nas calçadas, porém quando me aproximava de alguma parada de ônibus originava certo volume esperando o ônibus nosso de cada dia. (Trecho do diário de Campo – Belém, 02 de Maio de 2013, das 13:15 ás 15:30. Quinta-feira). FIGURA 4 - 2013, Belém, Pará, Restaurante Pizzaria Vitória, na Tv. Benjamin Constant. Fonte: AZEVEDO, Felipe Moreira. Contudo detectamos um erro na placa do bairro, pois na Gentil com Dr. Moraes um lado está Batista Campos e o outro Nazaré, sendo pela CODEM230 ambos Batista Campos. Porém entre Benjamin e Rui Barbosa há três, uma com torre, arco e janela com detalhes. Na esquina da Gentil com Benjamin, temos um Bolo de Confeiteiro, onde funciona a loja Colares. E no quarto lote, mesmo lado das outras um Bolo de confeiteiro, onde temos a Pizzaria Vitória. Todavia, voltei para Gentil e encontrei o Purgatório de Dante231, pois o transito estava totalmente estático, nenhum carro se mexia, o caos pairava a Avenida da Constituição. (Trecho do diário de Campo – Belém, 02 de Maio de 2013, das 13:15 ás 15:30. Quinta-feira). 381 FIGURA 5 - 2013, Belém, Pará, Laboratório Guadalupe na Av. Alcindo Cacela. Fonte: AZEVEDO, Felipe Moreira. 227sky.line - n 1 horizonte. 2 silhueta. Obtido do site: http://michaelis.uol.com.br/moderno/ingles/index .php?lingua=ingles-portugues&palavra=skyline, ás 09:14, no dia 06 de Junho de 2013. 228Arquitetura Cênica: É toda arquitetura que se relaciona mais diretamente com o espetáculo. 229Inferno de Dante: Dante é surpreendido pelo espírito de Virgílio chamado por Beatriz. O caminho proposto por Virgílio consiste em fazer uma viagem pelo centro da terra. Dante decide seguir Virgílio até onde vive Lúcifer. Obtido do site: http://www.coladaweb.com/resumos/a-divina-comedia-dante-alighieri, ás 17:15, no dia 06 de Junho de 2013. 230 CODEM – Companhia de Desenvolvimento e Administração da Área Metropolitana de Belém. 231Purgatório de Dante: Dante e Virgílio se veem diante de uma altíssima montanha: o Purgatório. Obtido do site: http://www.coladaweb.com/resumos/a-divina-comedia-dante-alighieri, ás 17:48, no dia 06 de Junho de 2013.
  7. 7. ANAIS - 7º SIMP - Semniário Internacional em Memória e Patrimônio - http://simp.ufpel.edu.br Programa de Pós-graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural- PPGMP – UFPel - http://www.ufpel.edu.br/ich/ppgmp Chegando a Rui Barbosa, sentido Gentil para Braz, temos a Casa da Mineração com arco, torre, azulejo, no décimo segundo lote. Porém na Gentil (entre Quintino e Generalíssimo) temos o Instituto Estadual Carlos Gomes, como modelo. Contudo na Conselheiro, sentido Quintino a Generalíssimo, temos um no sexto lote com frontão e azulejo. Descendo a Alcindo, sentido Gentil à Conselheiro, vemos dois. O primeiro no nono lote a direita, o Laboratório Guadalupe, com arco, e outros. O segundo, terceiro lote, à direita, – sentido Conselheiro para Gentil – a escolinha Anjinho Aprendiz com jogo de cobertura e detalhe das esquadrias. Por fim entrei na Conselheiro e pensando que agora veria o Paraíso de Dante232, foi ludibriado, pois aparentava ter voltado ao seu inferno, haja vista que não há arborização. (Trecho do diário de Campo – Belém, 02 de Maio de 2013, das 13:15 ás 15:30. Quinta-feira). Contudo no próximo perímetro (14 de Março a Generalíssimo) temos uma sede do Conservatório de Música da UFPA, com arcos, textura nas paredes externas e outros. Logo, neste dia vimos o fluxo intenso nas quatro Avenidas, principalmente de ônibus. Pouca circulação de pessoas, excetuando próximo das escolas e a presença e ausências de arborização. ATO 4 - O Barba Azul Aparece: No Caminho da Via de Doces. No início da Visconde de Souza Franco – esquina com José Malcher –, determinei sendo meu ponto de partida para esta quarta aventura. E Assim, encontrei um conjunto logo na esquina (José Malcher) com Boaventura. (Trecho do diário de Campo – Belém, 04 de Maio de 2013, das 08:15 ás 09:30. Sábado). Este conjunto pertence aos militares e não estão protegidas por nenhum órgão, seja FUMBEL233, SECULT234 ou IPHAN235, o que levanta falhas em Belém, mas ainda por ser do Neocolonial, pois excetuando um prédio, os demais no máximo são protegidos se estiverem no entorno de bem tombado, como a vila de militares na Tv. 14 de Março, que compõe o entorno da Basílica Santuário de Nossa Senhora de Nazaré. Entretanto, mesmo lembrando-me deste caso que me deixa triste e com raiva de barba azul236, avisto no quarto lote – sentido Boaventura para João Balby, uma com jogo de 232Paraíso de Dante: No céu cristalino Dante adquire nova capacidade visual, e passa a compreender o mundo espiritual. Obtido do site: http://www.coladaweb.com/resumos/a-divina-comedia-dante-alighieri, ás 18:38, no dia 06 de Junho de 2013. 233 FUMBEL – Fundação Cultural do Município de Belém. 234 SECULT – Secretaria de Estado de Cultura. 235 IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. 236 “O Barba Azul” trata de um homem temido por todos. Um dia, anuncia para sua esposa uma viagem repentina. Entretanto, ela se vale da ausência do marido para conhecer o quarto proibido. Por fim "O Barba" retorna e acaba descobrindo o feito da esposa. Diante disso, ele decide matá-la, porém, os irmãos da moça chegam e acabam assassinando o maldito “Barba Azul”. Obtido do site: http://mundofabuloso.blogspot.com.br/2007/10/o-barba- 382 azul-no-para-crianas.html, ás 15:30, no dia 10 de Junho de 2013.
  8. 8. ANAIS - 7º SIMP - Semniário Internacional em Memória e Patrimônio - http://simp.ufpel.edu.br Programa de Pós-graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural- PPGMP – UFPel - http://www.ufpel.edu.br/ich/ppgmp cobertura, sacada e outros, porém com intervenção. (Trecho do diário de Campo – Belém, 04 de Maio de 2013, das 08:15 ás 09:30. Sábado). Contudo a via não estava movimentada. A arborização era pontual, porém os passeios e meio fio estavam quebrados. Entretanto na Boaventura, entre Rui Barbosa e Benjamin, há uma com frontão e arco, segundo lote – sentido Rui Barbosa para Benjamin e o entorno são casas térreas e uma alta. Por ventura, na Benjamin, no perímetro desta Rua até a Braz, me senti como se fosse a João e Maria237, encontrando minha Via de doces, ao avistar dois exemplares e seis com traços do estilo. (Trecho do diário de Campo – Belém, 04 de Maio de 2013, das 08:15 ás 09:30. Sábado). A primeira (entre Boaventura e José Malcher), à direita, – subindo Benjamin – tem sacadas trabalhadas, cobertura com beiral aparente e outros. O segundo (entre João Balby e José Malcher) possui jogo de cobertura e a volumetria. O terceiro, mesmo perímetro da anterior, esquina com José Malcher, tem cachorros, cobertura com beiral aparente e arco. Na quarta, quinta e sexta, entre Nazaré e Braz, uma do lado da outra, do tipo geminadas, embora modificadas, temos traços como a do meio com arco. A sétima possui sacada trabalhada, arco e azulejo e ao lado há uma com arco, azulejo e outros. Nessa minha via de doces, coberta por arborização, com exceção, entre a Boaventura e a José Malcher. Contudo avistei mobiliários como pontos de taxi e bancas de revistas, e equipamentos como lixeiras que emanavam odor. (Trecho do diário de Campo – Belém, 04 de Maio de 2013, das 08:15 ás 09:30. Sábado). 383 FIGURA 6 - 2013, Belém, Pará, clínica Saúde na Tv. Rui Barbosa. Fonte: AZEVEDO, Felipe Moreira. Todavia na Braz até Rui Barbosa, temos a Passo Kids, no terceiro lote – sentido Nazaré para Braz –, com beiral aparente, azulejo, porém já modificada. E entre Nazaré e José Malcher há a Clínica Saúde, no terceiro lote – sentido José Malcher para Nazaré –, com jogo de cobertura e arco. Entretanto na Quintino, entre Nazaré e Braz, temos três (no sentido Nazaré para Braz), sendo a primeira (quarto lote) com arco, sacada trabalhada e cobertura com beiral aparente. A segunda, oitavo lote, tem arco e jogo de cobertura. E a terceira (ao lado da anterior) tem arco, sacada trabalhada e detalhe nas esquadrias, porém já intervida. Ao fim do quarto dia vemos o fluxo baixo de veículos nas duas Ruas visitadas (Boaventura e João Balby). Com relação às pessoas, aumenta à medida que aproxima-se das Avenidas. 237A ópera sobre dois irmãos perdidos na floresta e aprisionados por uma bruxa, que pretende devorá-los. Seu autor é Engelbert Humperdinck (1854-1921). Obtido do site: http://livraria.folha.com.br/ catalogo/1162393/joao-e-maria, ás 16:20, no dia 10 de Junho de 2013.
  9. 9. ANAIS - 7º SIMP - Semniário Internacional em Memória e Patrimônio - http://simp.ufpel.edu.br Programa de Pós-graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural- PPGMP – UFPel - http://www.ufpel.edu.br/ich/ppgmp ATO 5 - O Fechar do Ciclo: O Medo de Falstaff. Neste meu último dia de incursão (...). Meu canhão seguidor238 começou pelo encontro da Boaventura com a Alcindo Cacela, e logo ao adentrar me deparei com um exemplar do estilo provavelmente já modificado, porém mantendo elementos como o frontão ondulado e a presença, neste, do azulejo. De sua forma também dar para supor que tivesse ligação com a edificação do primeiro lote, devido à posição onde se encontra o frontão. (Trecho do diário de Campo – Belém, 16 de Maio de 2013, das 08:00 ás 10:10. Quinta-feira). Logo mais, passando dois lotes, temos outro, porém diferente do anterior, já intervido, com sacada trabalhada, cobertura com beiral aparente e a pomba ou pluma em cada aresta. Há também a presença de residências neocoloniais encontradas no outro lado da via (Bairro do Umarizal) com características do estilo, sendo algumas ainda preservadas. Contudo embora a cena arquitetônica estivesse interessante, não havia nenhuma arborização neste perímetro. O fluxo de carros ainda não estava intenso e por ser cedo não encontrei muitas pessoas. A via esta conservada, os passeios preservados, com exceção das alterações para a entrada das garagens. (Trecho do diário de Campo – Belém, 16 de Maio de 2013, das 08:00 ás 10:10. Quinta-feira). Adentrado, entre a Tv. 14 de Março e a Avenida Generalíssimo, vemos uma situação já ocorrida com relação a placa do bairro – sentido 14 de Março para Generalíssimo –, pois, em vez de estar o bairro Nazaré, estava Umarizal. Todavia temos no mínimo três a quatro prédios de grande porte, e com receio de achar um Falstaff239 procuramos atentar o máximo o olhar. (...) na última parte da Boaventura (entre a Avenida Souza Franco e Quintino), me deparei com duas coisas. Primeiro foi à falta na placa do bairro, o nome do mesmo e outro foi à passagem, de uma senhora na cadeira de rodas na rua, mas não porque a calçada estava com problemas, mas sim por causa da quantidade de carros estacionados, no acostamento, que não permitia a passagem dela para o passeio. (Trecho do diário de Campo – Belém, 16 de Maio de 2013, das 08:00 ás 10:10. Quinta-feira). FIGURA 7 - 2013, Belém, Pará, casa na entrada da Vila Alda Maria na Rua João Balby. Fonte: AZEVEDO, Felipe Moreira. Porém na João Balby (entre Wandenkolk e Dom Romualdo), há a Vila Alda Maria, onde temos dois exemplares do estilo já intervidos, porém possuindo elementos como a cobertura com a presença das plumas, com jogo de cobertura, presença de cachorros, janelas com formatos do padrão neocolonial. Uma na esquina da vila, e a outra ao seu lado. 384 FIGURA 8 - 2013, Belém, Pará, casa na Passagem Ramos. 238Canhão Seguidor: Refletor de grande potência utilizado para acompanhar atores, bailarinos etc. 239Falstaff é uma ópera de Giuseppe Verdi (Roncole, 9 ou 10 de Outubro de 1813 – Milão, 27 de Janeiro de 1901). Libreto de Boito a partir da comédia "As Alegres Comadres de Windsor" de Shakespeare. Obtido do site: http://pt.shvoong.com/entertainment/music/795809-%C3%B3pera-verdi-lstaff/#ixzz2WEFip7zm, ás 18:38, no dia 14 de Junho de 2013.
  10. 10. ANAIS - 7º SIMP - Semniário Internacional em Memória e Patrimônio - http://simp.ufpel.edu.br Programa de Pós-graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural- PPGMP – UFPel - http://www.ufpel.edu.br/ich/ppgmp 385 Fonte: AZEVEDO, Felipe Moreira. Passando por esta, entre Generalíssimo e 14 de Março, temos a Passagem Ramos com três casas (nos lotes quatro, cinco e seis a direita, sentido João Balby para José Malcher) intervidas, mas com sacadas trabalhadas, jogo de cobertura com pluma, sendo as locadas no quinto e sexto lotes com textura externa, e esta do tipo térrea. Há outra com frontão ondulado e pináculos, cobertura com plumas, sacada com balaústres e arco com colunas que lembram o cânone Toscano – no quinto lote a esquerda, sentido João Balby para José Malcher. Ápice Ao realizar esta etapa de etnografia de rua obtivemos que as casas Neocoloniais, no bairro de Nazaré, projetadas em sua maioria para famílias de classe média e alta (como as da Passagem Joaquim Nabuco), adquirem um significado além do real, tendo a simbologia diante dos olhos dos moradores e dos outros ainda preservados. Essa sublimidade vista na arquitetura, será classificada por John Ruskin (1969) na “Lâmpada da Memória” como sendo o tempo ou a história, ou seja, a vida da arquitetura, suas etapas, os valores humanos e as marcas da passagem do tempo que a caracterizam e que estão impregnados em suas paredes e alicerces, e que devem ser mantidos, cuidados, usados e preservados. Todavia, em suma, nas cinco incursões presenciamos prédios Neocoloniais que se comportam como um cenário operístico, que relembra na memória deste observador/pesquisador fatos ou momentos de óperas como Carmen, Romeu e Julieta e que se entrelaçavam aos obstáculos e curiosidades vistos, assim como nas formas dos prédios Neocoloniais do Bairro, onde viu-se a busca por funcionalidade, atendendo as necessidades humanas, mas também com um signo moralizado que representasse a família que ali residia, conferindo valor de modelo cultural. Agradecimentos Trabalho desenvolvido com apoio de Bolsa da Fundação de Amparo a Pesquisa do Pará (FAPESPA). Referências DARBON, Sébastien. O Etnólogo e suas imagens. In: SAMAIN, Etienne (org). O Fotográfico. Editora HUCITEC, CNPq. São Paulo, 1998. GEERTZ, Clifford. Uma descrição densa: Por uma Teoria Interpretativa da Cultura. In A Interpretação das Culturas. p. 13-41.
  11. 11. ANAIS - 7º SIMP - Semniário Internacional em Memória e Patrimônio - http://simp.ufpel.edu.br Programa de Pós-graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural- PPGMP – UFPel - http://www.ufpel.edu.br/ich/ppgmp NOVAES, Sylvia Caiuby. O uso da imagem na antropologia. In: SAMAIN, Etienne (org). O 386 Fotográfico. Editora HUCITEC, CNPq. São Paulo, 1998. ROCHA, Ana Luiza Carvalho da; ECKERT, Cornelia. Etnografia de rua: estudo de antropologia urbana. In: Iluminuras – Banco de imagens e efeitos visuais, PPGAS/UFRGS, 2001. Número 44. p. 03-25. RUSKIN, John. A Lâmpada da Memória. – Cotia-SP: Ateliê Editorial, 2008.

×