Sintaxe

9.367 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
10 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.367
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3.525
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
514
Comentários
0
Gostaram
10
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sintaxe

  1. 1. FUNCIONAMENTO DA LÍNGUA – SINTAXE 1
  2. 2. ENQUADRAMENTO PEDAGÓGICO E CIENTÍFICO  Novos Programas de Português do Ensino Básico( http://www.dgidc.min-edu.pt/linguaportuguesa/Paginas/ default.aspx)   Competências específicas da disciplina: – compreensão do oral, expressão oral, leitura, escrita e conhecimento explícito da língua (CEL).  Dicionário Terminológico – documento que fixa os termos a utilizar na descrição e análise de diferentes aspetos do CEL (http://dt.dgidc.min-edu.pt/). 2
  3. 3. B. LINGUÍSTICA DESCRITIVA B.4. SINTAXE 3
  4. 4. B.4. SINTAXE B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS  Funções sintáticas ao nível da frase 4
  5. 5. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS AO NÍVEL DA FRASE Sujeito Sujeito simples Sujeito composto Sujeito nulo Sujeito nulo Sujeito nulo Sujeito nulo subentendido indeterminado expletivo 5
  6. 6. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS AO NÍVEL DA FRASE Sujeito Sujeito simples Sujeito compostoConstituído por apenas um grupo Constituído por mais do que umnominal ou oração. grupo nominal ou oração.Ex.: [O polícia] multou o Ex.: [O João e a Ana] são casados.condutor.  dois grupos nominais  um grupo nominal [Quem estuda e quem [Quem se atrasa] tem falta. trabalha] tem boas notas.  uma oração  duas orações 6
  7. 7. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS AO NÍVEL DA FRASE Sujeito nulo Sujeito nulo Sujeito nulo Sujeito nulo subentendido indeterminado expletivo Ex.: [-] Comprei um Ex.: [-] Dizem que Ex.: [-] Anoiteceu. livro de poesia para se come bem a Inês. aqui. Identificado pela flexão Não se refere a algo Sujeito sem verbal. específico e é interpretação, pois não parafraseável por é semanticamente “alguém”. selecionado pelo verbo. (Verbos impessoais e meteorológicos) 7
  8. 8. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS AO NÍVEL DA FRASEVocativo – função sintática usada em contextos de interpelação, sendo frequente em frases interrogativas, exclamativas e imperativas. O vocativo está sempre isolado dos restantes elementos da frase através de vírgulas. Ex.: [Sr. professor,] posso sair?    8
  9. 9. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS AO NÍVEL DA FRASE ESTRATÉGIAS PARA NÃO CONFUNDIR O VOCATIVO COM O SUJEITO Coocorrência Pontuação Concordância Substituição na mesma verbal pronominal frase Ex.: *Ela, nãoVocativo Ex.: Inês, não faças o bolo. faças o bolo. Ex.: Inês, eu não faço o bolo. Ex.: Ela nãoSujeito Ex.: (A) Inês não fez o bolo. fez o bolo. 9
  10. 10. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS AO NÍVEL DA FRASEPredicado – função sintática desempenhada pelo grupo verbal, ou seja, pelo verbo, pelos seus complementos e pelos seus modificadores.    10
  11. 11. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS AO NÍVEL DA FRASE•  Diferentes realizações do predicado  [Trovejou]. O António [gosta de ler]. A Ana [visitou os avós]. Ele [foi atacado por um leão]. Ela [respondeu ao professor]. A Leonor [parece cansada]. O Rui [escreveu uma carta ao Nós [faremos o trabalho amanhã]. amigo]. 11
  12. 12. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS AO NÍVEL DA FRASEModificador da frase – função sintática que não é selecionada por nenhum elemento da frase. O modificador pode, por isso, ser omitido sem que a frase se torne agramatical. Esta função sintática pode ser desempenhada por:   um grupo adverbial Ex.: [Felizmente], ele faltou ao encontro.   um grupo preposicional Ex.: [Com certeza], ela chegou atrasada.   uma oração Ex.: [Como seria de esperar], o Paulo tirou negativa. 12
  13. 13. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS AO NÍVEL DA FRASE Modificador da frase – função sintática ao nível da frase que pode veicular os seguintes valores: o  valor modal ou de orientação para o falante: exprime a atitude, o juízo de valor, a opinião, a avaliação do locutor relativamente ao conteúdo da frase; o  valor de orientação para o domínio: refere-se ao domínio ou área do saber invocados para legitimar o conteúdo da frase. 13
  14. 14. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS AO NÍVEL DA FRASE ADVÉRBIOS DE FRASE QUE PODEM SER O NÚCLEO DE GRUPOS ADVERBIAIS COM A FUNÇÃO SINTÁTICA DE MODIFICADORES DA FRASE: Valor modal/de orientação Valor de orientação para o para o falante domíniofelizmente desgraçadamente matematicamente filosoficamenteinfelizmente inacreditavelmente cientificamente historicamenteprovavelmente certamente psicologicamente cirurgicamentefrancamente obviamente quimicamente biologicamenteevidentemente presumivelmente geologicamente literariamente 14
  15. 15. B.4. SINTAXE B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS  Funções sintáticas internas ao grupo verbal 15
  16. 16. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS AO GRUPO VERBAL Funções sintáticas internas ao grupo verbal direto Elas viram [o filme]. Funções indireto O Rui escreveu [à mãe]. sintáticasComplemento desempenhadas oblíquo Nós viemos [do Porto]. por um agente da passiva constituinte Ele foi visto [pelo médico]. selecionado do sujeito O Joel está [doente]. pelo verbo. Predicativo do complemento Eu considero o Pedro direto [invejoso].Modificador Função sintática desempenhada por A Rita vai à piscina do grupo um constituinte não selecionado [amanhã]. verbal pelo verbo. 16
  17. 17. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS AO GRUPO VERBAL Complemento Complemento Complemento direto indireto agente da passiva Selecionado por um verbo Selecionado por um verbo Ocorre exclusivamente em transitivo directo, não sendo transitivo indirecto e frases passivas e antecedido de preposição. desempenhado por um grupo corresponde à função de Desempenhado por um grupo preposicional (substituível sujeito da respetiva frase nominal (substituível pelos pela forma dativa do pronome ativa. Desempenhado por um pronomes o/a/os/as) ou uma pessoal – lhe/lhes). grupo preposicional oração (substituível pelos geralmente introduzido pela pronomes o ou isso). preposição por (simples ou contraída). Ex.: Ela encontrou [uma amiga]. Ex.: A Sofia escreveu [à Ela encontrou-[a]. mãe]. Ex.: O chá foi bebido [por ela]. A Sofia escreveu-[lhe]. Eu disse [que me atrasei]. Eu disse-[o]. / Eu disse [isso]. 17
  18. 18. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS AO GRUPOVERBALComplemento oblíquo – função sintática selecionada pelo verbo e desempenhada por:   um grupo adverbial;   um grupo preposicional;   a coordenação de qualquer um destes grupos. O complemento oblíquo é selecionado por um verbo transitivo indireto. 18
  19. 19. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS AO GRUPO VERBALComplemento oblíquo Ex.: A Rita vai [ali].  grupo adverbial O Pedro mora [em Coimbra].  grupo preposicional O Nuno vem [de Londres ou de Paris]?  coordenação de grupos preposicionais 19
  20. 20. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS AO GRUPO VERBAL Complemento oblíquo Selecionado por: Verbos transitivos indiretos Verbos transitivos regidos de preposição indiretos não regidos de preposição ir a depender de reagir assistir a gostar de sentir-se presidir a vir de portar-se recorrer a discordar de vestir concordar com confiar em contar com morar em chocar com pôr em colidir com colocar em 20
  21. 21. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS AO GRUPO VERBAL Como distinguir o complemento direto do complemento indireto e do complemento oblíquo? Complemento Complemento Complemento direto indireto oblíquo Ex.: O João comeu [o bolo]. Ex.: Ela telefonou [à tia]. Ex.: A Ana vai [a Sintra]. O João comeu-[o]. Ela telefonou-[lhe]. *A Ana vai-a. *A Ana vai-lhe. Conclusão: ao contrário do complemento direto e do complemento indireto, o complemento oblíquo não pode ser substituído por quaisquer pronomes pessoais. 21
  22. 22. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS AO GRUPO VERBALExercícioQual o tipo de complemento presente nas frases?  O avô assistiu [ao recital].  O Ricardo encontrou [velhas fotografias].  A Ana ligou [às suas amigas].  O João portou-se [bem] na escola.  A minha irmã confia [em ti]. 22
  23. 23. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS AO GRUPO VERBAL Predicativo do sujeito Função sintática selecionada por um verbo copulativo e desempenhada por um grupo nominal, um grupo adjetival, um grupo adverbial ou um grupo preposicional. Ex.: A Joana é [professora].  grupo nominal Ele está [muito feliz].  grupo adjetival O homem continua [ali].  grupo adverbial Ele ficou [na escola].  grupo preposicional Verbos copulativos: ser, estar, ficar, continuar, parecer, permanecer, andar, tornar-se, revelar-se… 23
  24. 24. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS AO GRUPO VERBAL Predicativo do sujeito – função sintática selecionada por um verbo copulativo e que contribui para a interpretação do sujeito, atribuindo-lhe:   características,   qualidades,   propriedades,   localização (espacial e temporal). 24
  25. 25. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS AO GRUPO VERBAL Caraterísticas do predicativo do sujeitoConcordância com o Suj.quando se trata de um GN Ex.: O Pedro é [médico].(grupo nominal) ou GAdj As raparigas estão [aborrecidas].(grupo adjetival)Coordenação de Ex.: O Pedro continua [em casa]. / O Pedro continuadiferentes grupos [cansado].sintáticos que têm a O Pedro continua [em casa] e [cansado].função de Pred. Suj.Normalmente, há Ex.: A Filipa ficou em casa. / A Filipa permaneceu empossibilidade de casa.comutação de verbo O João está doente. / O João continua doente.(exceto com o verbo ser) 25
  26. 26. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS AO GRUPO VERBAL Predicativo do complemento direto Função sintática selecionada por um verbo transitivo predicativo. Pode ser desempenhada por um grupo nominal, um grupo adjetival ou um grupo preposicional. Ex.: O diretor nomeou o Pedro [chefe de departamento].  grupo nominal A Joana considera a Inês [muito bonita].  grupo adjetival Ele achou o irmão [sem entusiasmo].  grupo preposicional Verbos transitivos predicativos: achar, chamar, considerar, julgar, tratar, eleger, nomear... 26
  27. 27. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS AO GRUPO VERBAL Modificador do grupo verbal – função sintática não selecionada pelo verbo e desempenhada por:   um grupo adverbial Ex.: A Ana foi ao cinema [ontem].   um grupo preposicional Ex.: O Rui comprou o jornal [naquele quiosque].   uma oração Ex.: Os alunos saíram da sala [assim que tocou a campainha]. 27
  28. 28. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS AO GRUPO VERBAL Como distinguir o complemento oblíquo do predicativo do sujeito e do modificador do grupo verbal? Complemento Predicativo Modificador oblíquo do sujeito do grupo verbalEx.: O Pedro mora [no Ex.: O Pedro está [no Ex.: O Pedro viu um Porto]. Porto]. filme [no Porto]. Complemento Predicativo Modificador não selecionado por um selecionado por um selecionado pelo verbo transitivo verbo copulativo verbo indirecto Conclusão: em frases com funções sintáticas aparentemente semelhantes, estas determinam-se pela subclasse dos verbos. 28
  29. 29. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS AO GRUPO VERBAL Exercício Qual a função sintática dos segmentos assinalados?   Os teus primos contam [com a tua ajuda].   O meu pai continua [no hospital].   A rapariga deu um tombo [em casa].   A reunião de pais foi [ontem].   O meu tio recorreu [a um psicólogo]. 29
  30. 30. B.4. SINTAXE B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS Como distinguir o modificador do grupo verbal do modificador da frase? Modificador do grupo verbal Modificador da fraseFunção sintática que incide Função sintática que incide sobreapenas sobre o grupo verbal, toda a frase, ou revelando a opiniãoacrescentando-lhe informação do falante em relação ao que estáadicional, de carácter modal, expresso na frase ou indicando oespacial ou temporal. domínio a que a frase faz referência.Ex.: Os meus irmãos foram ao Ex.: [Felizmente], o Rui deixou a teatro [na semana passada]. namorada. 30
  31. 31. B.4. SINTAXE B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS Como distinguir o modificador do grupo verbal do modificador da frase? Modificador do grupo verbal Modificador da fraseEx.: Os meus irmãos foram ao teatro Ex.: [Felizmente], o Rui deixou a [na semana passada]. namorada.– pode ser interrogado: – não pode ser interrogado:Onde é que os teus irmão foram [na *O que / Quem é que o Rui deixousemana passada]? [felizmente]?– pode ser negado: – não pode ser negado:Os teus irmãos foram ao teatro não [na *O Rui deixou a namorada nãosemana passada], mas esta semana. [felizmente], mas infelizmente. 31
  32. 32. B.4. SINTAXE B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS Exercício Modificador do grupo verbal ou da frase?   [Provavelmente], ele não vem à reunião.   O João foi ao cinema [no sábado].   [Felizmente], a Joana deixou de fumar.   O professor fez a resolução do teste [no quadro].   [Filosoficamente], a tua resposta não está certa. 32
  33. 33. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS AO GRUPO NOMINAL 33
  34. 34. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS AO GRUPO NOMINALComplemento do nome – função sintática selecionada pelo nome e desempenhada por:   um grupo preposicional;   um grupo adjetival.Ex.: A ideia [de que o João aceitaria o lugar] é absurda.  grupo preposicional (oracional) A construção [da ponte] está atrasada.  grupo preposicional A pesca [baleeira] tem vindo a aumentar.  grupo adjetival 34
  35. 35. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS AO GRUPO NOMINAL Complemento do nome – esta função sintática é selecionada, na maioria das vezes, por nomes derivados ou de natureza relacional. O complemento do nome situa-se à direita do nome que o seleciona e é de preenchimento opcional. 35
  36. 36. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS AO GRUPO NOMINAL 1. Nomes que selecionam complemento: nomes derivados Nomes derivados Nomes derivados Nomes derivados de Nomes derivados de de verbos nomes adjetivos cedência (ceder) porteiro (porta) beleza (belo) ocorrência (ocorrer) artista (arte) alegria (alegre) tolerância (tolerar) transparência invasão (invadir) (transparente) oferta (oferecer) caça (caçar) pesca (pescar) 36
  37. 37. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS AO GRUPO NOMINAL 1. Nomes que selecionam complemento: nomes derivados A relação que existe entre o nome derivado de um verbo e os seus complementos é de natureza semelhante à relação que existe entre esse verbo e os seus complementos. EX.: edificar > edificação edificar  Os trabalhadores edificaram [a estátua]. edificação  A edificação [da estátua] sofreu alguns atrasos. 37
  38. 38. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS AO GRUPO NOMINAL Nomes derivados de verbos – conclusões: 1.ª – os nomes derivados de verbos trazem consigo a estrutura argumental do verbo de que derivam: se o verbo selecionar um argumento, o nome selecionará um argumento, se selecionar dois, o nome terá o mesmo comportamento. Ex.: inaugurar  verbo que seleciona um complemento O Presidente da Junta inaugurou [a ponte]. inauguração  nome que vai selecionar um complemento A inauguração [da ponte] correu como previsto. oferecer  verbo que seleciona dois complementos O Rui ofereceu [um livro] [à irmã]. oferta  nome que vai selecionar dois complementos A oferta [do livro] [à irmã] emocionou a família. 38
  39. 39. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS AO GRUPO NOMINAL Nomes derivados de verbos – conclusões: 2.ª – no caso do verbo, a presença dos complementos é obrigatória, pois o verbo define uma situação em processo; no caso do nome, o complemento é opcional, pois o nome apresenta a situação como resultado. Ex.: O Presidente da Junta inaugurou [a ponte]. / *O Presidente da Junta inaugurou. O Rui ofereceu [um livro] [à irmã]. / *O Rui ofereceu. A inauguração [da ponte] correu como previsto. / A inauguração correu como previsto. A oferta [do livro] [à irmã] emocionou a família. / A oferta emocionou a família. 39
  40. 40. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS AO GRUPO NOMINAL 2. Nomes que selecionam complemento: nomes relacionais e outros Nomes relacionais Parentesco Partes do Icónicos Epistémicos corpo pai perna quadro hipótese mãe cabeça imagem verdade filho mão fotografia pensamento tia… braço... pintura... constatação... Outros nomes livro, casa, embalagem, tecido... 40
  41. 41. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS AO GRUPO NOMINAL Modificador restritivo (do nome) – função sintática que não é selecionada pelo nome. O modificador restritivo limita ou restringe o nome. Esta função sintática pode ser desempenhada por:   um grupo preposicional;   um grupo adjetival;   uma oração subordinada adjetiva relativa restritiva. 41
  42. 42. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS AO GRUPO NOMINAL Modificador restritivo (do nome) Ex.: Os alunos [que estudaram] tiraram boas notas.  oração subordinada adjetiva relativa restritiva Comprei um carro [cinzento].  grupo adjetival A menina [de tranças] é minha irmã.  grupo preposicional Na escrita, o modificador restritivo não pode ser separado do nome que modifica por vírgulas. 42
  43. 43. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS AO GRUPO NOMINAL Modificador apositivo (do nome) – função sintática que não é selecionada pelo nome. O modificador apositivo não restringe o nome que modifica. Esta função sintática pode ser desempenhada por:   um grupo nominal;   uma oração subordinada adjetiva relativa explicativa. 43
  44. 44. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS AO GRUPO NOMINALModificador apositivo (do nome)Ex.: Os alunos [, que são estudiosos,] tiraram boas notas.  oração subordinada adjetiva relativa explicativa Joana Silva [, a escritora,] deu uma sessão de autógrafos.  grupo nominalNa escrita, o modificador apositivo é separado do nome que modificapor vírgulas. 44
  45. 45. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS AO GRUPO NOMINALExercícioComplementos ou modificadores?  a leitura do livro  a invenção da roda  a paragem do coração  a saída dos alunos  a encomenda do bolo 45
  46. 46. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS AO GRUPO ADJETIVALComplemento do adjetivo – Complemento selecionado porum adjetivo. O complemento do adjetivo pode ser um grupopreposicional (oracional ou não oracional). Esta função sintáticapode ser desempenhada por:   um grupo preposicional oracional   um grupo preposicional não oracional Os complementos do adjetivo são, muitas vezes, de preenchimento opcional. 47
  47. 47. B.4.2. FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS AO GRUPO ADJETIVALComplemento do adjetivo   Grupo preposicional oracional - O João está [contente [por te ter convidado]] ([por te ter convidado] é complemento do adjetivo "contente" no grupo adjetival [contente por te ter convidado]).   Grupo preposicional não oracional – O João está [contente [com a situação]] ([com a situação] é complemento do adjetivo "contente" no grupo adjetival [contente com a situação]). 48

×