Coordenação e subordinação

749 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
749
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
278
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Coordenação e subordinação

  1. 1. Coordenação   e   subordinação  
  2. 2. Frase  simples  e  frase  complexa  (ver  Manual  pág.275)   Frase  simples:  possui  um  único  verbo  (principal  ou  copula:vo)  ou   complexo  verbal.       Ex:  O  Abel  caiu.  O  Abel  :nha  tropeçado.     Frase  complexa:  possui  mais  do  que  um  verbo  ou  complexo  verbal.       Ex:  O  Abel  caiu,  par:u  a  perna  e  foi  ao  hospital.      
  3. 3.        As  frases  complexas  podem  relacionar-­‐se  por   coordenação  ou  por  subordinação.            A  coordenação  consiste  numa  relação   entre   duas   orações   da   mesma   categoria   por   meio   de   conjunções   ou   locuções   conjuncionais  coordena:vas.     Orações  Coordenadas     •  Não  dependem  umas  das  outras;   •  Não  exercem  funções  sintá:cas  entre  si;   •  Não  podem  ser  antepostas.  
  4. 4. Coordenação  assindé:ca                Relação  que  se  estabelece  entre  orações  coordenadas  sem  que   sejam  u:lizadas  conjunções.              Ex.:  Mónica  renunciou  ao  amor,  abdicou  da  poesia.     Coordenação  sindé:ca                Relação  que  se  estabelece  entre  orações  coordenadas  através   de  conjunções  ou  locuções  conjuncionais.              Ex.:  O  Abel  par5u  a  perna  e  foi  ao  hospital.    
  5. 5. Oração  coordenada  copula:va   expressa  ligação  ou  adição  de  informações   rela:vamente  à  oração  anterior.       Ex.:  Fui  ao  cinema  e  comprei  pipocas.         Conjunções/locuções  conjuncionais   coordena:vas            e,  nem,       não  só…mas  também,     não  só…como  também   Conjunções  correla:vas   nem...  nem        
  6. 6.  Oração  coordenada  adversa:va     estabelece  uma  ideia  de  oposição   rela:vamente  à  oração  anterior.       Ex.:  Está  calor,  mas  não  vamos  à  praia.   Advérbios  conec:vos/locuções   adverbiais  conec:vas     porém,  contudo,  todavia,  no  entanto,   não  obstante   Conjunção  coordena:va  adversa:va     mas  
  7. 7. Oração  coordenada  disjun:va     estabelece  uma  alterna:va   rela:vamente  à  oração  anterior.      Ex.:  Vens  comigo  ou  ficas  em  casa?   Conjunções/locuções  conjuncionais   coordena:vas  disjun:vas     ou   Conjunções  correla:vas     ou…ou,    nem...  nem,  quer…quer,              ora…ora,  seja…seja      
  8. 8. Oração  coordenada  conclusiva    indica  uma  conclusão  rela:vamente  à   oração  anterior.       Ex.:  Adormeci,  logo  cheguei  atrasada.     Conjunção  coordena:va  conclusiva          logo       Advérbios  conec:vos/locução   adverbial  conec:va          pois,  portanto,  por  conseguinte      
  9. 9. Oração  coordenada  explica:va     apresenta  uma  explicação  rela:vamente  à   oração  anterior.       Ex.:  Há  gente  em  casa,  pois  as  luzes  estão   acesas.   Conjunções  coordena:vas  explica:vas                  pois,  que      
  10. 10.          A  subordinação  consiste  numa   relação   entre   duas   orações,   uma   subordinante   e   uma   subordinada,   por  meio  de  conjunções  ou  locuções   conjuncionais  subordina:vas.     Orações  Subordinadas     •  Dependem  da  subordinante;   •  Exercem  funções  sintá:cas  entre  si;   •  Podem  ser  antepostas.  
  11. 11. Oração  subordinante   palavra,  cons:tuinte,  oração  ou  frase  de   que  depende  uma  oração  subordinada.     Ex.:  Assim  que  chegámos  ao  restaurante,  o   Miguel  fez  o  pedido.    
  12. 12. Oração  subordinada  adverbial                 Oração   que   desempenha   a   função   sintá:ca   de   modificador   da   frase   ou   do   grupo  verbal.      
  13. 13. Oração  subordinada  adverbial  temporal       exprime  uma  ideia  de  tempo  rela:vamente   à  oração  subordinante.       Ex.:  Assim  que  chegámos  ao  restaurante,  o   Miguel  fez  o  pedido.       Conjunções/locuções  subordina:vas  adverbiais   temporais   quando,  mal,  apenas,  enquanto,     assim  que;  logo  que;  até  que;  antes  que;  desde  que;   depois  que;  sempre  que;  cada  vez  que;  todas  as  vezes  que      
  14. 14. Oração  subordinada  adverbial  causal     transmite  a  causa  do  que  é  afirmado  na   oração  subordinante.       Ex.:   Vou   deitar-­‐me   cedo,   porque   tenho   sono.     Conjunções/locuções  subordina:vas   adverbiais  causais     porque,  como,  porquanto,     visto  que,  já  que,  uma  vez  que,  pois  que    
  15. 15. Oração  subordinada  adverbial  final   expressa  a  finalidade  da  ideia  indicada   na  oração  subordinante.       Ex.:   Comprei   bilhetes   para   ir   ao   concerto.     Conjunções/locuções  subordina:vas   adverbiais  finais     para,       para  que,  a  fim  de  que      
  16. 16. Oração  subordinada  adverbial  condicional   indica  uma  condição  que  permite  a  realização   do  que  é  expresso  na  oração  subordinante.   Funciona  como  modificador  da  frase.     Ex.:   Se   não   fosses   tão   teimoso,   já   5nhas   terminado  o  trabalho.       Conjunções/locuções  subordina:vas  adverbiais   condicionais   se,  caso,   desde  que,  salvo  se,  a  não  ser  que,  a  menos  que,  contanto   que,  exceto  se    
  17. 17. Oração  subordinada  adverbial  compara:va     estabelece  uma  comparação  com  a  oração   subordinante.       Ex.:  Ele  é  inteligente  como  o  irmão.     Conjunções/locuções  subordina:vas  adverbiais   compara:vas   como,  que  (depois  de  mais,  menos,  maior,  menor,   melhor,  pior),  qual  (depois  de  tal),  quanto  (depois  de   tanto),      (mais)…do  que;  (menos)…  do  que;  assim  como;  bem   como;  como  se    
  18. 18. Oração  subordinada  adverbial  consecu:va   exprime  a  consequência  de  um  facto   apresentado  na  oração  subordinante.       Ex.:  O  vendedor  insis5u  tanto  que  comprei   uma  camisa.     Conjunção  subordina:va  adverbial  consecu:va     que  (antecedido  de  tal;  tanto;  tão;  de  tal  maneira;   de  tal  modo)    
  19. 19. Oração  subordinada  adverbial  concessiva   transmite  uma  ideia  de  contraste  face  à   oração  subordinante.  Funciona  como   modificador  de  frase.     Ex.:  Embora  es5vesse  adoentada,  fui  visitar  a   minha  mãe.     Conjunções/locuções  subordina:vas   adverbiais  concessivas     embora,  conquanto,  apesar  de,  ainda  que,  se   bem  que,  mesmo  que,  mesmo  se    
  20. 20. Oração  subordinada  substan:va                Oração  que  desempenha  a  função  sintá:ca  de   sujeito  ou  de  complemento  de  um  verbo.    
  21. 21. Oração  subordinada  substan:va  comple:va       é  sujeito  ou  complemento  de  um  verbo  (ou   de  um  nome  ou  adje:vo),  desta  forma,  a   subordinante  não  faz  sen:do  sem  a   subordinada.       Ex.:   Os   estudantes   afirmaram   que   iriam   fazer  greve.     Conjunções  subordina:vas   substan:vas  comple:vas     que,  se,  para    
  22. 22. Oração  subordinada  substan:va  rela:va       é  introduzida  por  pronomes  rela:vos  e  pode  ser   sujeito   ou   complemento   direto,   complemento   indireto  ou  complemento  oblíquo  de  um  verbo   ou  também  modificador  do  grupo  verbal.     Ex.:  A  Rita  já  encontrou  quem  a  ajudasse  com  o   trabalho.       Pronomes  rela:vos     quem,  o  que,  onde,  quanto    
  23. 23. Oração  subordinada  adje:va              Oração  que  tem  funções  sintá:cas   :picamente   desempenhadas   por   grupos  adje:vais.                Dividem-­‐se  em:      rela:vas  restri:vas    rela:vas  explica:vas    
  24. 24. Oração  subordinada  adje:va  rela:va  explica:va   introduz   uma   afirmação   adicional   sobre   o   seu   antecedente   (grupo   nominal)   e,   por   essa   razão,   encontra-­‐se   delimitada   por   vírgulas.   Geralmente   desempenha   a   função   sintá:ca   de   modificador   aposi:vo  do  nome.     Ex.:  Este  atleta,  que  eu  já  conheço  há  dois  anos,   ganhou  de  novo  a  corrida.  
  25. 25. Oração  subordinada  adje:va  rela:va  restri:va   restringe   ou   limita   a   informação   rela:va   ao   seu   antecedente  (grupo  nominal)  e,  por  isso,  não  pode   ser  delimitada  por  vírgulas.  Desempenha  a  função   sintá:ca  de  modificador  restri:vo  do  nome.     Ex.:  O  bolo  de  laranja  que  comi  não  me  fez  bem.  
  26. 26.   Palavras   rela:vas   Pronomes  rela:vos   que,  quem,  o  qual,  os  quais   Determinantes  rela:vos   cujo,  cujos,  cuja,  cujas   Quan:ficadores  rela:vos   quanto,  quantos,  quanta,  quantas   Advérbio  rela:vo   onde   Para  além  das  conjunções  e  locuções  conjuncionais,  existem  algumas  palavras   que  assumem  igualmente  a  função  de  estabelecer  relações  entre  orações.  São   elas:  
  27. 27. Em  síntese:   FRASE  COMPLEXA   Orações  coordenadas   copula:vas   adversa:vas   disjun:vas   conclusivas   explica:vas  
  28. 28. Em  síntese:   FRASE  COMPLEXA   adverbiais   temporais   causais   finais   condicionais   compara:vas   consecu:vas   concessivas   substan:vas   comple:vas   rela:vas   adje:vas   rela:vas   explica:vas   rela:vas   restri:vas   Recurso  do  Manual  (Para)textos  –  Porto  Editora  –  Adaptado.  

×