Prevupe - Pré-História do Brasil

4.858 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.858
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
129
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Prevupe - Pré-História do Brasil

  1. 1. Aula 03 <ul><li>PRÉ-HISTÓRIA DO BRASIL </li></ul>
  2. 2. <ul><li>“ Eram pardos, todos nus, sem coisa alguma que lhes cobrisse suas vergonhas. Nas mãos traziam arcos com suas setas. Ali veríeis galantes, pintados de preto e vermelho, e quartejados, assim nos corpos, como nas pernas, que certo pareciam bem assim. Também andavam, entre eles, quatro ou cinco mulheres moças, nuas como eles, que não pareciam mal. Entre elas andava uma com uma coxa, do joelho até o quadril, e a nadega, toda tinta daquela tintura preta. (...) e suas vergonhas tão nuas e com tanta inocência descobertas, que nisso não havia vergonha alguma.” (Carta de Pero Vaz de Caminha dirigida a D. Manuel (Porto Seguro, Ilha de Vera Cruz, 1° de maio de 1500). </li></ul>
  3. 3.   <ul><li>Existem várias hipóteses sobre a ocupação humana da América. A mais aceita sustenta que os primeiros homens a chegarem à América vieram do norte da Ásia, através do Estreito do Bering. </li></ul><ul><li>Para alguns, as primeiras migrações ocorreram há, aproximadamente, 20 mil anos. Para outros, como a arqueóloga brasileira Niède Guidon , as mais antigas travessias foram realizadas entre 40 mil e 70 mil anos atrás. </li></ul><ul><li>No Brasil, os mais antigos vestígios da presença humana datam do período Paleolítico. A Pré-História Brasileira é o período que antecede a chegada portuguesa em 1500. </li></ul>
  4. 4. Rússia dividida pelas ilhas Diomedes e oceano frente aos EUA, 1,6 mil km
  5. 5. Brasilia teimosa até o distrito federal
  6. 6. <ul><li>Niede Guidon (história natural pela USP) contém artefatos que datam de 45 000 anos atrás. </li></ul><ul><li>O problema de sua hipotése é que o que é tido por Guidon e sua equipe como sendo &quot;artefatos&quot; é tido por outros como sendo &quot;geofatos&quot; - os primeiros sendo produtos do trabalho humano e os últimos sendo produtos da ação de forças naturais. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Importantes descobertas feitas em São Raimundo Nonato, estado do Piauí, estão ajudando os estudiosos a reconstituir a história dos primeiros habitantes do Brasil. Eles também deixaram suas marcas nas cavernas em que viviam, fazendo desenhos e pinturas. Além das pinturas foram encontrados também utensílios de pedra, ossos e restos de fogueiras. </li></ul><ul><li>Mas os vestígios mais antigos da presença humana na América foram encontrados em 1969 em São Raimundo Nonato, precisamente na toca do Boqueirão da Pedra Furada. São restos de fogueiras e instrumentos de pedra lascada, vários esqueletos humanos, uma enorme quantidade de ossos de animais hoje extintos como tigres de dentes de sabre, mastodontes, etc. e pinturas rupestres. </li></ul><ul><li>Foram localizadas na região urnas funerárias, fósseis humanos, de mastodontes, lhamas, tigres dentes-de-sabre e preguiças-tatus gigantes. Suas pinturas rupestres, que representam rituais sexuais e de caça dos animais de então, foram declaradas patrimônio da humanidade pela Unesco. </li></ul>
  8. 11. <ul><li>O conhecimento que temos sobre o índio brasileiro do século 16 baseia-se principalmente em relatos e descrições dos viajantes europeus que aqui estiveram, na época. Particularmente, os livros do alemão Hans Staden e do francês Jean de Lery, que conviveram com os índios por volta de 1550. </li></ul><ul><li>Os dois apresentam detalhadamente o modo de vida indígena, relacionando aspectos que vão dos mais triviais, como as vestes e adornos, aos mais complexos, como as crenças religiosas. Sobre as épocas anteriores à chegada dos portugueses, os estudos históricos contam com a contribuição da Antropologia e da Arqueologia, que permitiram traçar um panorama abrangente, apesar da existência de lacunas </li></ul><ul><li>Ao longo desse processo, teria ocorrido a diferenciação lingüística e social que deu origem aos troncos indígenas Macro-Jê e Macro-Tupi. Deste último, entre os séculos 8 e 9, originaram-se as nações Tupi e Guarani. São as que mais se destacam nos últimos 500 anos da História do Brasil, justamente porque tiveram um contato mais próximo com o homem branco. </li></ul>
  9. 14. <ul><li>Na chegada de Pedro Álvares Cabral, em 1500, estima-se que os índios brasileiros fossem entre um e cinco milhões. Os tupis ocupavam a região costeira que se estende do Ceará a Cananéia (SP). Os guaranis espalhavam-se pelo litoral Sul do país e a zona do interior, na bacia dos rios Paraná e Paraguai. Em outras regiões, encontravam-se outras tribos, genericamente chamados de tapuias, palavra tupi que designa os índios que falam outra língua. </li></ul>
  10. 16. <ul><li>As aldeias eram formadas por ocas (cabanas), habitações coletivas que apresentavam formas e dimensões variadas. Em geral, as ocas eram retangulares, com o comprimento variando entre 40 m e 160 m e a largura entre 10 m e 16 m. Abrigavam entre 85 e 140 moradores. Suas paredes eram de madeira trançada com cipó e recobertas com sapé desde a cobertura. </li></ul>
  11. 18. <ul><li>Na chegada de Pedro Álvares Cabral, em 1500, estima-se que os índios brasileiros fossem entre um e cinco milhões. Os tupis ocupavam a região costeira que se estende do Ceará a Cananéia (SP). Os guaranis espalhavam-se pelo litoral Sul do país e a zona do interior, na bacia dos rios Paraná e Paraguai. Em outras regiões, encontravam-se outras tribos, genericamente chamados de tapuias, palavra tupi que designa os índios que falam outra língua. </li></ul>
  12. 19. Existiam mais de uma centena de nações indígenas, cada qual com crenças, língua, técnicas e costumes distintos. Levando em consideração o critério Língua, os indígenas podem ser classificados em 04(quatro) grupos principais. São eles:
  13. 20. <ul><li>Tupi – ocupava o litoral brasileiro e várias regiões do sertão (interior); </li></ul><ul><li>Jê ouTapuia – ocupava o Brasil Central; </li></ul><ul><li>Nuaruaque (Nu-Aruak) – Ocupava certas regiões da Amazônia e do Estado do Mato Grosso; </li></ul><ul><li>Caraíba (Karib) – Ocupava o Norte da Região Amazônica </li></ul>
  14. 23. Apesar das diferenças culturais, existiam características comuns entre os povos indígenas: - A organização econômica baseava-se principalmente na caça, na pesca e na guerra; - A organização social básica era a Família e os Aldeamentos; - Cada aldeia (Taba) tinha vida própria e era governada por um conselho de chefes (Morubixabas); -Coletivismo; - Propriedade individual de alguns objetos como as armas, as roupas e os enfeites; - Ausência genérica da propriedade privada;
  15. 24. - São raras as sociedades indígenas estratificadas; - Viviam em cabanas (ocas), feitas de sapé ou de folas de palmeiras, e geralmente dispostas em círculo; - A Ocara, era uma área livre no centro do espaço das ocas, destinada às reuniões coletivas; -Divisão natural ou sexual do trabalho; - Xamanismo – Forma de religião na qual determinados membros do grupo entram em contato com o mundo sobrenatural, procurando defender e proteger a comunidade. O Xamã é o Pajé;- Vasto conhecimento astronômico; - A Arte possui aspectos práticos : cânticos, danças e artefatos. Pintura corporal, tapiragem ( mudar a cor das penas dos pássaros e das aves), trançados, a cerâmica só existia em alguns grupos étnicos; - A mais importante tradição indígena foi a prática do ‘MUTIRÃO’(trabalho coletivo que buscava o benefício de toda a coletividade).; Ocas formam Aldeias, que formam Tribos, que formam as Nações.
  16. 25. Divisão do Trabalho Mulheres Homens Plantio e Colheita; Coleta; Produção de farinha; fiação e tecelagem; serviços domésticos; cuidas das crianças. Derrubada da mata; coivara; caça e pesca; fabrico de instrumentos; construção de casas, proteção da família e da aldeia; guerra.
  17. 26. QUESTÕES VESTIBULARES 1.(COVEST)Como afirma Henri Marrou, para “recuperar e compreender o passado humano em sua totalidade, complexidade e completa riqueza” o historiador deve: a) Ater-se à seqüência minuciosa e detalhada dos fatos históricos. b) Priorizar os aspectos econômicos dos acontecimentos da vida humana. c) Conseguir ser absolutamente imparcial, para recuperar integralmente os fatos do passado. d) Centrar sua atenção nas ações dos governantes, já que são eles que fazem a História; *e) Ser aberto às demais ciências valorizando os múltiplos aspectos de uma formação social. 2.(COVEST) “A História é um profeta com o olhar voltado para trás: pelo que foi e contra o que foi, anuncia o que será” (Eduardo Galeano) . Na afirmativa de Galeano fica evidente que: V0 0 Na análise histórica ocorre a reunião das dimensões básicas do tempo : passado, presente e futuro. F11 Só o conhecimento histórico permite controle sobre o futuro e vida dos homens. F2 2 A análise história possibilita uma visão fatalista da caminhada da humanidade. F3 3 A figura do profeta representa, simbolicamente, a consciência histórica da humanidade. F4 4 O estudo da História objetiva descrever o passado, sem associá-lo ao presente.
  18. 27. 3.(COVEST) Na Pré-História encontramos fases do desenvolvimento humano. Qual a alternativa que apresenta características das atividades do homem na fase do Neolítico? a) Os homens praticavam uma economia coletora para obtenção de alimentos. b) Os homens fabricavam seus instrumentos para a obtenção de alimentos e abrigo. c) Os homens aprenderam a controlar o fogo. d) Os homens conheciam uma economia comercial e já praticavam os juros. X e) Os homens cultivavam plantas e domesticavam animais, tornando-se produtores de alimentos. 4.(UFRS) Foi fator decisivo para a sobrevivência dos povos do período Neolítico: a) A utilização de metais como cobre e bronze. b) O nomadismo típico dos povos caçadores e coletores. Xc) A Revolução Neolítica. d) A Revolução Urbana e a formação dos Impérios Teocráticos. e) A formação de religiões monoteístas.

×