Sergio Torquato

748 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
748
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sergio Torquato

  1. 1. O Componente Emprego na Avaliação Integrada de Sustentabilidade no Contexto do Etanol Sérgio Alves Torquato Valquíria da Silva José Eduardo Rodrigues Veiga SECRETARIA DE Danton Leonel de Camargo Bini AGRICULTURA E ABASTECIMENTO Katia Nachiluk
  2. 2. SUSTENTABILIDADE •Ambiental: utilização e preservação •Econômica: Maior retorno...competitividade e menores custos •Social: Qualidade do emprego (condições de segurança, regime de trabalho, salubridade, entre outros) e Remuneração digna para o trabalhador.
  3. 3. SUSTENTABILIDADE E EMPREGO Na produção de etanol há comprometimento, notadamente, do primeiro pressuposto no que se refere à operação de colheita realizada manualmente. Portanto, para tornar a cana um produto plenamente identificado à sustentabilidade, deve-se assumir que nada mais é insustentável do que a colheita manual deste produto.
  4. 4. SUSTENTABILIDADE E EMPREGO Mecanização vs Corte Manual Avanço irreversível da mecanização: Protocolo Ambiental, custo da operação, oferta de maquinário Problema decorrente: desemprego para o cortador sem outra qualificação Necessidade de Programas de Requalificação – como o Programa Cana Limpa do SENAR/SP - para inseri-lo em novas funções que decorrem da mudança tecnológica ou em outras explorações agrícolas.
  5. 5. SUSTENTABILIDADE E EMPREGO Para definição de parâmetros para mensuração por modelagem: Reestruturação do emprego decorrente da expansão da atividade canavieira: principais eixos do rearranjo produtivo; balanço do emprego; avanço da mecanização; perfil do trabalhador, e qualificação... Variáveis:
  6. 6. Grau de formalidade do emprego (segmentos agrícola e agroindustrial) • Total de trabalhadores no ano / total de trabalhadores no ano base • Ano base: safra 2003/2004, com base no início do boom de expansão da cana e anterior ao Protocolo Agroambiental • Pelo CAGED inclui as classificações da CNAE relativas à: cultivo da cana-de-açúcar; atividades e serviços relacionados à agricultura; usinas de açúcar; refino e moagem de açúcar; produção de álcool.
  7. 7. Indicador de Ocupação de Emprego Manual nas operações agrícolas • ∑ do nº de trabalhadores das categorias Trabalhadores Agrícolas na cultura de gramíneas e Trabalhadores Agropecuários/total de trabalhadores 05 categorias de emprego definidas pela CBO, quais sejam: • Trabalhadores da Mecanização Agrícola; • Supervisores na Exploração Agropecuária; • Trabalhadores Agrícolas na Cultura de Gramíneas - cortadores; • Trabalhadores Agropecuários em outras ocupações agrícolas - inclui a atividade de plantio, p.e.; • Demais grandes grupos - inclui ocupações não agrícolas como administração, transporte, manutenção, etc.
  8. 8. Evolução no número de hectares por trabalhador • Obtida pela divisão da área total de cana pelo número de trabalhadores no cultivo da cana-de- açúcar publicado pelo CAGED no ano t em relação ao obtido no ano t-1. • Assume-se que o trabalho com máquinas na atividade de campo é de melhor qualidade que o trabalho manual. Portanto, se a evolução tecnológica é poupadora de mão-de-obra, a variação esperada deverá ser igual ou maior que 1.
  9. 9. Grau de instrução dos trabalhadores • ∑ dos trabalhadores com grau de instrução de oitava série (ensino fundamental completo) ou mais em relação em relação ao total de trabalhadores. Assume-se que emprego de melhor qualidade exige melhor qualificação (formação). Evolução deve ser positiva.
  10. 10. • Índice de mecanização na atividade de colheita: variação deve ser maior ou igual a 1. • Nº de autuações do Ministério Público: nesse caso, a variação deve ser negativa, ou seja, variação evolutiva deverá ser menor que 1. • Remuneração média do trabalhador: evolução deve ser positiva.
  11. 11. MODELO • A partir da variáveis apresentadas é possível verificar os impactos da migração do trabalho manual para o processo mecanizado. • A quantidade de trabalhadores rural que migrarão para o processo mecanizado é menor do que o manual
  12. 12. • O processo tecnológico é poupador de mão- de-obra e qualificador da mesma. Neste processo há uma tendência da relação trabalhador/hectare diminua ao longo do tempo. • Tendência de melhoria salarial e de agregar os mais aptos ao processo (via requalificação e instrução)
  13. 13. www.iea.sp.gov.br - iea@iea.sp.gov.br Sérgio Alves Torquato e-mail: storquato@iea.sp.gov.br SECRETARIA DE AGRICULTURA E ABASTECIMENTO

×