A transferência de energia e de matéria no ecossistema
Estrutura das cadeias alimentares 
 Cada componente da cadeia, representando um grupo de seres 
vivos, é denominado nível...
Teia alimentar 
 Teia alimentar é o conjunto de cadeias alimentares que 
interagem em um ecossistema. 
 Observe a teia a...
Cadeia alimentar e a perda de energia 
 A energia necessária para a manutenção do metabolismo em um 
organismo é obtida p...
Cadeia alimentar e a perda de energia 
 A quantidade de energia perdida para o meio externo varia. 
Muitas vezes, na tran...
Cadeia alimentar e a perda de energia
O fluxo unidirecional de energia 
 A energia luminosa “penetra” no mundo vivo pelos seres 
clorofilados, sendo transforma...
O ciclo da matéria 
 Ao contrário da energia, a matéria que passa do mundo vivo 
para o mundo físico pode ser reaproveita...
Produtores e decompositores: indispensáveis no 
fluxo de energia e no ciclo da matéria 
 Os organismos produtores são con...
Pirâmides ecológicas 
 As pirâmides ecológicas expressam, graficamente, a estrutura 
dos níveis tróficos de uma cadeia al...
A pirâmide de energia 
 Mostra a quantidade de energia acumulada nas substâncias 
orgânicas de cada nível trófico. A quan...
A pirâmide de energia
A pirâmide de biomassa 
 Expressa a quantidade de biomassa ou matéria acumulada nos 
seres vivos de cada nível trófico de...
A pirâmide de números 
 Expressa a quantidade de indivíduos presentes em cada nível 
trófico da cadeia alimentar. Quando ...
A pirâmide de números
Bianca Lima – nº 6 
Eduarda Hiraoka – nº 7 
Lucas Vilar – nº 21 
Maria Beatriz L. C. R. L. – nº 22 
Thaís da Glória – nº 34
Cadeias alimentares
Cadeias alimentares
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Cadeias alimentares

691 visualizações

Publicada em

trabalho de bio

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
691
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cadeias alimentares

  1. 1. A transferência de energia e de matéria no ecossistema
  2. 2. Estrutura das cadeias alimentares  Cada componente da cadeia, representando um grupo de seres vivos, é denominado nível trófico. Assim, na cadeia gramíneas -> preás -> cobras -> decompositores:  as gramíneas formam o primeiro nível trófico;  os preás representam o segundo nível trófico;  as cobras são o terceiro nível trófico;  os decompositores formam o quarto nível trófico.  Observe que uma cadeia alimentar se inicia com os produtores e termina com os decompositores. Mas, por ser implícita a atuação dos decompositores, é comum não representar esses organismos em uma cadeia alimentar (cadeia onde a seta indica o nível trófico que obtém alimento).
  3. 3. Teia alimentar  Teia alimentar é o conjunto de cadeias alimentares que interagem em um ecossistema.  Observe a teia alimentar a seguir:
  4. 4. Cadeia alimentar e a perda de energia  A energia necessária para a manutenção do metabolismo em um organismo é obtida por meio da respiração celular, quando certas substâncias orgânicas contidas nos alimentos são oxidadas. Nesse processo, grande parte da energia química acumulada nas substâncias orgânicas se perde para o meio externo na forma de calor. Além da respiração celular, um organismo também pode perder parte da energia contida nos alimentos para o meio externo de outros modos. Assim, em uma cadeia alimentar, a disponibilidade de energia diminui à medida que ela é transferida de um nível trófico para outro.
  5. 5. Cadeia alimentar e a perda de energia  A quantidade de energia perdida para o meio externo varia. Muitas vezes, na transferência de energia de um nível trófico para outro, 90% ou mais da energia química dos alimentos se perde para o meio externo. Em consequência disso, as cadeias alimentares normalmente não possuem mais que cinco ou seis níveis tróficos.  Concluímos que, quanto mais próxima do início da cadeia alimentar estiver uma população, maior será a quantidade de energia disponível para ela e, portanto, essa população poderá abrigar maior número de indivíduos.
  6. 6. Cadeia alimentar e a perda de energia
  7. 7. O fluxo unidirecional de energia  A energia luminosa “penetra” no mundo vivo pelos seres clorofilados, sendo transformada em energia química por meio da fotossíntese. Então, ao longo da cadeia alimentar, a energia desenvolve um trajeto no sentido de produtores -> consumidores -> decompositores e, ao passar do mundo vivo para o mundo físico, na forma de calor, não pode mais ser reaproveitada. Diz-se então que o fluxo de energia em uma cadeia alimentar é unidirecional.
  8. 8. O ciclo da matéria  Ao contrário da energia, a matéria que passa do mundo vivo para o mundo físico pode ser reaproveitada pelos seres vivos. Depois de processada, incorporada à matéria viva e transferida ao longo da cadeia alimentar, a matéria retorna ao mundo físico principalmente pela ação de bactérias e de fungos, quando substâncias orgânicas são decompostas e podem ser novamente utilizadas por um ser produtor. Diz-se então que a matéria , em um ecossistema, apresenta trajeto cíclico.
  9. 9. Produtores e decompositores: indispensáveis no fluxo de energia e no ciclo da matéria  Os organismos produtores são considerados componentes bióticos indispensáveis para a manutenção de vida em um ecossistema independente.  Os seres decompositores são também componentes bióticos indispensáveis, por participarem diretamente da reciclagem da matéria na natureza.  Por não participar diretamente de nenhum dos processos citados, os consumidores não são considerados componentes bióticos indispensáveis para a manutenção de vida em um ecossistema. Mas a eliminação de determinado grupo de consumidores de uma região pode trazer sérias consequências ao ecossistema, muitas vezes afetando de forma considerável as demais populações estabelecidas naquela área.
  10. 10. Pirâmides ecológicas  As pirâmides ecológicas expressam, graficamente, a estrutura dos níveis tróficos de uma cadeia alimentar. Cada nível trófico é representado por um retângulo, assim:  o retângulo da base representa o primeiro nível trófico (produtores);  o segundo retângulo representa o segundo nível trófico (consumidores primários);  o terceiro retângulo apresenta o terceiro nível trófico (consumidores secundários), e assim por diante;  Existem três tipos de pirâmides: a pirâmide de energia, a pirâmide de biomassa e a pirâmide de números.
  11. 11. A pirâmide de energia  Mostra a quantidade de energia acumulada nas substâncias orgânicas de cada nível trófico. A quantidade de energia disponível diminui ao longo da cadeia alimentar; assim, quanto mais distante dos produtores estiver um determinado nível trófico, menor será a quantidade de energia que recebe por meio dos alimentos. Por isso, uma pirâmide de energia sempre apresenta o vértice virado para cima.
  12. 12. A pirâmide de energia
  13. 13. A pirâmide de biomassa  Expressa a quantidade de biomassa ou matéria acumulada nos seres vivos de cada nível trófico de cadeia alimentar.  Sabe-se que apenas uma parcela da biomassa adquirida por meio dos alimentos é transformada em matéria viva. Nos animais, por exemplo, uma parte da biomassa dos alimentos é utilizada como fonte de energia e eliminada para forma de resíduos respiratórios (CO2 E H2O); há também uma parte que é eliminada para o ambiente externo coma fezes ou como material de excreção, como ureia.
  14. 14. A pirâmide de números  Expressa a quantidade de indivíduos presentes em cada nível trófico da cadeia alimentar. Quando o número de indivíduos diminui ao longo da cadeia, pirâmide de números apresenta o vértice voltado para cima.
  15. 15. A pirâmide de números
  16. 16. Bianca Lima – nº 6 Eduarda Hiraoka – nº 7 Lucas Vilar – nº 21 Maria Beatriz L. C. R. L. – nº 22 Thaís da Glória – nº 34

×