Tarefa 2 auto_avaliacao_be

239 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
239
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tarefa 2 auto_avaliacao_be

  1. 1. Ano letivo 2012|2013Avaliar? Entre a BE e osatores.
  2. 2. ComunidadeParceriasAtividadesAberturaProjetos
  3. 3. A avaliação da biblioteca deve serincorporada no processo de avaliaçãoda escola, dada a sua relação estreitacom a sua missão e objetivos.
  4. 4. Entender e valorizar a avaliação“O valor não é algo intrínseco às coisas mas tem sobretudo a ver com aexperiência e benefícios que dele se retira: se é importante a existênciade uma BE agradável e bem apetrechada, a esse facto deve estarassociada uma utilização consequente nos vários domínios que carate-rizam a missão da BE, capaz de produzir resultados que contribuam deforma efetiva para os objetivos da escola em que se insere” (MABE, p.11).
  5. 5. O que se pretende?• Aferir a qualidade eeficácia da BE• Processo pedagógico eregulador• Grau de eficiência e deeficácia e satisfação dosserviços prestados• Impacto das atividadesrealizadas• Processo de ensino e naaprendizagem• Mobilizar a escola• Melhorar o serviçooferecido pela BE
  6. 6. A escolha deste domínio teve a ver com a necessidade depromover uma reflexão acerca da utilização dabiblioteca, pelos alunos e Encarregados de Educação, tendoem conta a oferta de atividades de articulação e parcerias.DOMÍNIO
  7. 7. PROJETOS, PARCERIAS E ATIVIDADES LIVRES E DE ABERTURA ÀCOMUNIDADEC
  8. 8. APOIO A ATIVIDADES LIVRES, EXTRA CURRICULARES E DEENRIQUECIMENTO CURRICULARC.1.1 APOIO À AQUISIÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE MÉTODOS DE TRABALHO E DE ESTUDO AUTÓNOMOS.C.1.2 DINAMIZAÇÃO DE ATIVIDADES LIVRES DE CARÁTER LÚDICO E CULTURAL.C.1.3 APOIO À UTILIZAÇÃO AUTÓNOMA E VOLUNTÁRIA DA BE COMO ESPAÇO DE LAZER E LIVRE FRUIÇÃO DERECURSOS.C.1.4 DISPONIBILIZAÇÃODE ESPAÇOS, TEMPOS E RECURSOS PARA A INICIATIVA E INTERVENÇÃO LIVRE DOSALUNOS.C.1.5 APOIO ÀS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR(AEC) E ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO E APOIO ÁFAMÍLIA (AAAF), CONCILIANDO-AS COM A UTILIZAÇÃO LIVRE DA BE.C.1EVIDÊNCIASPONTOS FORTES IDENTIFICADOSPONTOS FRACOS IDENTIFICADOS
  9. 9. PROJETOS E PARCERIASC.2.1 ENVOLVIMENTO DA BE EM PROJETOS DA RESPETIVA ESCOLA OU DESENVOLVIDOS EM PARCERIA, A NÍVELLOCAL OU MAIS AMPLO.C.2.2 DESENVOLVIMENTO DE TRABALHO E SERVIÇOS COLABORATIVOS COM OUTRASESCOLAS, AGRUPAMENTOS E BE.C.2.3 PARTICIPAÇÃO COM OUTROS ESCOLAS E, EVENTUALMENTE, COM OUTRAS ENTIDADES (RBE,DRE;CFAE)EM REUNIÕES DA BM/SABE OU OUTRO GRUPO DE TRABALHO A NÍVEL CONCELHIO OU INTERCONCELHIO.C.2.4 ESTÍMULO À PARTICIPAÇÃO E MOBILIZAÇÃODOS PAIS/EE NO DOMÍNIO DA PROMOÇÃODA LEITURA EDO DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS DAS CRIANÇAS E JOVENS QUE FREQUENTAM A ESCOLA.C.2.5 ABERTURA DA BE À COMUNIDADE LOCAL.C.2Todas as evidências resultarão da análise e interpretação dos dados obtidos apartir dos diversos instrumentos de recolha de informação.
  10. 10. Ações paramelhoria ObservaçõesImplicar para melhorar!
  11. 11. “A COMUNICAÇÃO dos RESULTADOS do processo de avaliação é umaetapa essencial, pois esses resultados implicam e envolvem toda aescola. Os aspectos positivos e aspectos menos conseguidos devem serpartilhados e cada um, em função dos suas responsabilidades, deverácomprometer-se na melhoria. A comunicação é um factor crucial para osucesso das ações de melhoria que forem concebidas na sequência doprocesso de avaliação “[…].In Modelo de Avaliação da Biblioteca Escolar, p.85, 2011COMUNICAR
  12. 12. AFERIR A QUALIDADEDO TRABALHO QUE ABE DESENVOLVENESTE DOMÍNIO ECOMO MELHORARALGUNS ASPETOS.
  13. 13. AVALIAR A BIBLIOTECA + PELAQUALIDADE E - PELA QUANTIDADE!A avaliação da biblioteca não se pode resumir ao número deentradas e saídas de utilizadores ou documentos.
  14. 14. Avaliar a evolução do impacto Para que serve a biblioteca? Os alunos leem com mais qualidade? Resolvem problemas simples e complexos na procura deinformação? Sabem ser críticos e discriminam entre diferentes tipos efontes de informação?
  15. 15. • É muito difícil avaliar este impacto, mas é onosso trabalho• O nosso trabalho consiste em criar mecanismosde oferta de diferentes serviços à escola• E o impacto está no que foi mudado a nívelhumano e culturalIMPLICAR
  16. 16.  O trabalho da BE não se resume só a dados estatísticos Pensar de que forma este serviço influencioupositivamente a escola Ações em plena sintonia com as necessidadesdiagnosticadas no projeto educativo Haver partilha de intenções e caminhar no mesmo sentidoeducativoEsta medição não tem a ver só com o trabalho da BE mascom a arquitetura de participação da própria escola.
  17. 17. Seja o nosso AMIGO CRÍTICOAjude-nos a ver mais!Mail: be.arnoso@gmail.comhttp://biblioarnoso.wordpress.com
  18. 18. Muito obrigada pela vossaatenção!PB Maria José Gonçalves Fonseca Pereira
  19. 19. Documento de apoioGabinete da Rede de Bibliotecas Escolares. Modelo de Avaliação dasBibliotecas Escolares (2011). Disponível em:<http://www.rbe.mec.pt/np4/file/83/mabe.pdf >[7/06/2013]PARTILHAR

×