CONCURSO “HÁ POESIA NA ESCOLA” 2015
RESULTADO
1º ESCALÃO
1º lugar
Contadora de histórias
Contadora de histórias quero ser
...
2 Rede Concelhia de Bibliotecas de Coimbra
Concurso de Poesia “Há Poesia na Escola”
2º lugar
Palavras do Mundo
A palavra m...
3 Rede Concelhia de Bibliotecas de Coimbra
Concurso de Poesia “Há Poesia na Escola”
tem sempre muito calor!
A palavra água...
4 Rede Concelhia de Bibliotecas de Coimbra
Concurso de Poesia “Há Poesia na Escola”
Rafael Calvário Correia Ribeiro Fernan...
5 Rede Concelhia de Bibliotecas de Coimbra
Concurso de Poesia “Há Poesia na Escola”
Por vezes nem sabemos
Do que uma palav...
6 Rede Concelhia de Bibliotecas de Coimbra
Concurso de Poesia “Há Poesia na Escola”
“vida” e “saber”.
“Amor”
é uma palavra...
7 Rede Concelhia de Bibliotecas de Coimbra
Concurso de Poesia “Há Poesia na Escola”
Rápido como um cavalo,
Grande como um ...
8 Rede Concelhia de Bibliotecas de Coimbra
Concurso de Poesia “Há Poesia na Escola”
Não vás magoar.
Afonso Lopes Correia (...
9 Rede Concelhia de Bibliotecas de Coimbra
Concurso de Poesia “Há Poesia na Escola”
3º ESCALÃO
1º lugar
A Palavra
No iníci...
10 Rede Concelhia de Bibliotecas de Coimbra
Concurso de Poesia “Há Poesia na Escola”
Um Mundo de Palavras.
Filipa Costa (8...
11 Rede Concelhia de Bibliotecas de Coimbra
Concurso de Poesia “Há Poesia na Escola”
Dizer que se sente
Sem amor no olhar
...
12 Rede Concelhia de Bibliotecas de Coimbra
Concurso de Poesia “Há Poesia na Escola”
e a questão:
como se plantam plátanos...
13 Rede Concelhia de Bibliotecas de Coimbra
Concurso de Poesia “Há Poesia na Escola”
2º lugar
Mundo das Palavras
Um escrit...
14 Rede Concelhia de Bibliotecas de Coimbra
Concurso de Poesia “Há Poesia na Escola”
novos criadores, novos chefes. Escrav...
15 Rede Concelhia de Bibliotecas de Coimbra
Concurso de Poesia “Há Poesia na Escola”
de certa maneira.
Mais do que mudança...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Concurso ha poesianaescola_ 2015 (7) (1)

1.500 visualizações

Publicada em

São quinze as poesias vencedoras na 6.ª edição do concurso “Há poesia na escola” 2015 que a Biblioteca Municipal de Coimbra promoveu, através do Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares (SABE), em articulação com as escolas da Rede de Bibliotecas Escolares de Coimbra e como forma de comemorar o Dia Mundial da Poesia, celebrado a 21 de março.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.500
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
915
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Concurso ha poesianaescola_ 2015 (7) (1)

  1. 1. CONCURSO “HÁ POESIA NA ESCOLA” 2015 RESULTADO 1º ESCALÃO 1º lugar Contadora de histórias Contadora de histórias quero ser e nos livros irei voar… Pelo mundo soltarei palavras que ao coração irão parar! Por esse mundo colorido, darei a conhecer, a todas as crianças, o prazer de saber ler. Ao lermos, sentiremos palavras com cheiro a maçã abraçadas num manto ao colo da mamã. Quero trazer ao mundo aprendizagem e beleza! As palavras serão flores na doce natureza. Joana Rodrigues Miranda (3.º B; Escola do 1.ºCEB Bairro Norton de Matos).
  2. 2. 2 Rede Concelhia de Bibliotecas de Coimbra Concurso de Poesia “Há Poesia na Escola” 2º lugar Palavras do Mundo A palavra magia, está cheia de fantasia. A palavra alegria, é feita de magia. A palavra mundo, gira em torno de si. E a palavra sorriso, está sempre a dizer: - Sorri! A palavra tesoura, corta as coisas más. E a palavra carinho, pede sempre muita paz! A palavra amizade, cria laços muito fortes. E a palavra agilidade, tem muita elasticidade A palavra computador, só conhece o zero e o um. E a palavra número, nunca vai terminar, como é infinita, não arranjamos maneira, de a acabar. A palavra moinho, produz muito ventinho. E a palavra aquecedor,
  3. 3. 3 Rede Concelhia de Bibliotecas de Coimbra Concurso de Poesia “Há Poesia na Escola” tem sempre muito calor! A palavra água, é incolor. E a palavra flor, terá sempre uma cor! As palavras do mundo, tem uma história e significado. Assim terminamos, com um final registado! Gustavo Filipe Magalhães Mourinho – nº 14 – Turma 4 TAV – AECO - EB1 de Taveiro 3º lugar (ex aequo) Palavras do Mundo Para a alegria é preciso simpatia A inveja fica de fora Logo nunca acaba a folia Aumenta toda a utopia. Verdades custam a ouvir Reais ainda mais A mentira acaba sempre por se desmentir Segredo esse impossível de fingir. Dormir confortável é precioso Outros dormem no chão rugoso Mas a vida é assim Umas vezes espanto e outras pranto Nas palavras está escrito um sim Devido à liberdade de expressão O mundo escreve-se no coração.
  4. 4. 4 Rede Concelhia de Bibliotecas de Coimbra Concurso de Poesia “Há Poesia na Escola” Rafael Calvário Correia Ribeiro Fernandes (nº 20, 4ºACentro Escolar de Solum Sul; Agrupamento de Escolas de Eugénio de Castro) 3º lugar (ex aequo) Todas As Palavras Do Mundo Todas as Palavras do Mundo Algo querem dizer Embora com diferentes pronuncias O mundo dão a conhecer. O amor, paz, beleza… Todas têm defeitos Há Palavras que têm deveres E outras que têm direitos Com elas aprendemos Mostramos sabedoria Há Palavras que fazem maldades Outras fazem magia Existem Palavras mais leves que a pena Outras mais pesadas que rochedos Umas fazem-nos companhia Outras causam dor e medos Todas as noites adormecemos a ouvir histórias Porque debaixo dos lençóis há sempre uma Palavrinha Umas deitam-se ao fundo da cama Outras aconchegam-se debaixo da almofadinha As Palavras são fundamentais Revelam Amor e Paz
  5. 5. 5 Rede Concelhia de Bibliotecas de Coimbra Concurso de Poesia “Há Poesia na Escola” Por vezes nem sabemos Do que uma palavra é capaz Grego, Espanhol, Italiano Não importa o idioma Umas são poluição no ar Outras um belo aroma Umas vêm do Dubai E outras de Moçambique De origens tão variadas De emoções tão carregadas Há Palavras vaidosas Que até usam carteira Por vezes há uma intrusa Que acaba por ser matreira E assim ficamos a saber As Palavras de todo o Mundo Umas representam o Mal Outras levam-nos a um sonho profundo. Maria Ana de Almeida Monteiro (EB1 Montes Claros – 4ºC, nº 17; AE Martim de Freitas). 2º ESCALÃO 1º lugar Palavras do mundo Há palavras no mundo que não consigo descrever como “amor”
  6. 6. 6 Rede Concelhia de Bibliotecas de Coimbra Concurso de Poesia “Há Poesia na Escola” “vida” e “saber”. “Amor” é uma palavra maravilhosa aparece no mundo como o florescer de uma rosa. “Vida” surge do nada é complicado de explicar como a magia de uma fada. O “Saber” é muito precioso é preciso muitos anos sempre a ser estudioso. Noutras línguas é difícil de expressar pois há mais de mil palavras na vida, como as gotas do mar. Rita Cunha (5ºC, nº 23; EBS Quinta das Flores) 2º lugar Se eu fosse um navio Se eu fosse um navio, Seria o maior barco do mar E iria para alto mar…navegar. Seria veloz e elegante,
  7. 7. 7 Rede Concelhia de Bibliotecas de Coimbra Concurso de Poesia “Há Poesia na Escola” Rápido como um cavalo, Grande como um elefante! Espantaria toda a gente, Até o Adamastor dos mares! Mas apesar desse tamanho Chegaria a todos os lugares. Seria sempre um navio sonhador, Do nascer ao sol pôr. José Francisco Mendonça (6ºB, n.º11; EB 2,3 Dr.ª Maria Alice Gouveia). 3º lugar (ex aequo) As Palavras do Mundo Há muitas palavras do mundo, As boas, As engraçadas, As ignorantes, E até as mal-educadas. Uma palavra, Um elogio Fazem uma pessoa feliz, Fazem uma pessoa contente. Isso sim, É ser uma pessoa decente. Com as palavras podes construir, Com elas podes brincar. Mas o que mais interessa, É que uma pessoa,
  8. 8. 8 Rede Concelhia de Bibliotecas de Coimbra Concurso de Poesia “Há Poesia na Escola” Não vás magoar. Afonso Lopes Correia (n.º1, 6ºD; AECO – EB 2,3 de Taveiro) 3º lugar (ex aequo) Como os jardins coloridos Chuinga, chewing gum, pastilha elástica Três palavras diferentes Três línguas divergentes Uma aula de ginástica É a diversidade É a vida São as cores da realidade A rosa, o malmequer e a margarida Podemos ser todos amigos Como os jardins coloridos Os pássaros cantando As raças conversando Os livros convivendo E assim aprendendo Maria Inês Ferreira Lopes (5º H; Escola Básica de Eugénio de Castro)
  9. 9. 9 Rede Concelhia de Bibliotecas de Coimbra Concurso de Poesia “Há Poesia na Escola” 3º ESCALÃO 1º lugar A Palavra No início, nada era. Existia apenas Um vazio escuro. Depois veio a Palavra. Luminosa, fria, Bela e sombria A todo o lado se estendeu Por todo o lado apareceu E cresceu. Destinada a ser admirada, por todos venerada, Tornou-se algo Capaz de expressar o amor, o ódio De inflamar paixões e amansar tempestades Mentiras, verdades, Segredos, orações, Alojada dentro de todos os corações. Musa dos poetas e escritores, Sarando feridas, acalmando dores Caprichosa: por vezes destruidora, Outras apaziguadora. Confortando e atormentando a alma Espalhando a raiva, trazendo a calma. Esta é a Palavra, por todos Temida e amada: Rede invisível Fina e forte, espessa e fraca. O Mundo mudou: Para sempre ficou
  10. 10. 10 Rede Concelhia de Bibliotecas de Coimbra Concurso de Poesia “Há Poesia na Escola” Um Mundo de Palavras. Filipa Costa (8ºE, nº8; EB 2,3 Drª Maria Alice Gouveia). 2º lugar Confissões - As palavras O rio corre e leva-as O vento sopra e volta a trazê-las Os homens falam-nas por falarem Eu, poetisa, escrevo-as. As palavras falam por si Transmitem mais que pensamentos Apoderam-se de mim E atingem o mais profundo dos sentimentos. Fazem parte do meu sangue Da minha maneira de ser Enlouquecem a minha alma Tudo para eu as escrever. Mafalda Fabrício de Almeida (nº13, 8ºC; Escola Secundária Infanta Dona Maria) 3º lugar (ex aequo) Palavras Para Quê Dizer que se ama Quando não se cuida Dizer que me chama Quando não consegue falar Dizer que se chora Quando as lágrimas não caem
  11. 11. 11 Rede Concelhia de Bibliotecas de Coimbra Concurso de Poesia “Há Poesia na Escola” Dizer que se sente Sem amor no olhar Palavras para quê? Se a cumpri-las não se vê? Palavras para quê? Juliana Isabel Salgado Marceneiro (Nº 9, 9ºD; AECO - EB 2,3 de Taveiro). 3º lugar (ex aequo) Vozes do mundo Vasto mundo de vvvvvvvvvvozes diverso Diz verso imagino a quantidade a variedade no universo e lá fico Dis perso ouvido aberto a escutar novas opiniões diferentes nações palavras tantas diferença é qualidade positividade Costumes outros e vou a Pangim que é na Índia e à China também na Ásia compromisso: fazer da vida uma viagem novas caras novas feições mastigar outras culturas a abraçar refeições um chinês e um cozido um português e um Chop soy respeito é tradição
  12. 12. 12 Rede Concelhia de Bibliotecas de Coimbra Concurso de Poesia “Há Poesia na Escola” e a questão: como se plantam plátanos em Pangim? André Ricardo Rodrigues de Matos (B3/3º ciclo; Centro Educativo dos Olivais (AE Martim de Freitas), 4º ESCALÃO 1º lugar Soneto em Alexandrinos A Queda da Torre Babel separou-nos. Pelo menos tentou. O mar separou-nos. Pelo menos tentou. Tantos o tentaram, sem nunca conseguir Pois temos o melhor de tudo: o sentir. Sentimos, pois somos seres racionais – Preferindo, eu, seres emocionais. É isso o que une, sem nunca separar, Nem Babel conseguiu, nem conseguiu o mar! São esses sentimentos que nos incentivam, Que tanto distinguem dos outros animais. Amor e Paz nos distanciam dos demais. E assim, nós, inseparáveis, nos unimos, Porque as palavras do mundo são um cordel E unidos seguiremos rumo a Babel. Diana Sofia Gonçalves Matias (12ºF, Nº7; EBS Quinta das Flores)
  13. 13. 13 Rede Concelhia de Bibliotecas de Coimbra Concurso de Poesia “Há Poesia na Escola” 2º lugar Mundo das Palavras Um escritor de nada serve se das palavras não for servo. Letras que aparecem, ditadas na dura ditadura da tinta permanente. O escritor − um mero meio, que no meio de outros triunfa. Joga o trunfo no gigantesco, no jogo de cartas que é a vida. Um risco para o que arrisca, que o mundo tenta mudar, com o simples toque de caneta no frágil papel gasto, intemporal. Uma gota, um mar de líquido. Uma letra, cidade construída. Uma frase, um lago de si. Um livro, um vasto universo. O escritor − simples criador, esquecido no tempo do tempo. Palavras − as vencedoras, estátuas do futuro! Palavras, todas, que são imensas. Palavras novas, palavras velhas. Gastas! Gerações infindas de uma só raiz, que alastrou no mundo, no mar e na terra. Novos significados, novas intenções,
  14. 14. 14 Rede Concelhia de Bibliotecas de Coimbra Concurso de Poesia “Há Poesia na Escola” novos criadores, novos chefes. Escravidão! O mundo a controlar palavras, palavras que gritam liberdade. Vários foram os caminhos, os mergulhos no líquido espesso: uma língua de cada continente uma língua de cada habitante. Solidão! Todas elas vizinhas, sinónimas, antónimas… com um objetivo comum. Chegou a hora! Livres da mão humana: Liberdade! A cultura é a palavra das coisas! O mundo construiu-se de palavras, as palavras evoluiram com o mundo. E então? As palavras serão do mundo ou será o mundo das palavras? Maria Inês Roque (nº21; 11ºA AECO – Escola Secundária de D. Duarte) 3º lugar Mais do que palavra Mais do que palavra, a mesma é sentimento, o expressar do sentimento que a folha de papel lavra. Mais do que uma expressão, palavra é coração. É um país sem fronteira em mudança constante
  15. 15. 15 Rede Concelhia de Bibliotecas de Coimbra Concurso de Poesia “Há Poesia na Escola” de certa maneira. Mais do que mudança, palavra é conhecimento: uma valiosa herança de quem lhe mostrou contentamento. Mais do que herança, palavra é criação autêntico poder humano condensado na ponta da mão. Mais do que criação da palavra não me atrevo. Do belo vocábulo em questão, digo apenas quanto devo. David Abegoaria (nº6, 10ºB; Escola Secundária Infanta Dona) MENÇÕES HONROSAS 1º Escalão Filipa Távora Poiarez Mexia Lobo – Escola Básica Solum, 4º ano, nº 5 – turma A – AE Eugénio Castro 3º Escalão Tiago Luís – 8º B, nº 24 – EBS Quinta das Flores Beatriz Nunes – 7ºC – Escola Básica de Eugénio de Castro 4º Escalão Hugo Antunes – 10ºA – Escola Secundária de Avelar Brotero

×