Projeto evolução do saneamento básico

9.149 visualizações

Publicada em

Souza, Bianca Rodrigues. Evolução do Saneamento Básico. 2011. Slides Power Point. TCC (Graduação em Gestão em Tecnologia do Meio Ambiente) – Universidade Norte do Paraná, 2011.

Publicada em: Educação
1 comentário
3 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.149
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
430
Comentários
1
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projeto evolução do saneamento básico

  1. 1. Evolução do Saneamento Básico<br />Dos Primórdios à Atualidade<br />
  2. 2. Evolução do Saneamento Básico<br />A humanidade era nômade, sendo assim, não conviviam por muito tempo com os resíduos gerados.<br />Não existiam tantas pessoas no Planeta e os resíduos formados por elas, não eram uma preocupação.<br />
  3. 3. Evolução do Saneamento Básico<br />A necessidade do sanear, veio da convivência muito próxima com os resíduos.<br />O significado de sanear é: Tornar são, habitável.<br />Você conseguiria conviver com todos os seus resíduos em sua casa?<br />
  4. 4. Evolução do Saneamento Básico<br />O desenvolvimento natural da humanidade levou ao surgimento de aldeias e os cultivos (plantações) foram inerentes.<br />Com as lavouras, surgiram os ratos e insetos e o começo da poluição dos rios.<br />Apareceu também a necessidade de se ter gatos domesticados, cujo papel era predar os ratos.<br />
  5. 5. Evolução do Saneamento Básico<br />A primeira cidade com a preocupação do saneamento foi a Babilônia, antiga Mesopotâmia e hoje Iraque (Oriente Médio).<br />*Afresco da porta de Ishtar.<br />
  6. 6. Evolução do Saneamento Básico<br />O primeiro sistema de abastecimento de água foi encontrado em Jerwan, foi construído na Assíria em 691 A.C. (Norte da Mesopotâmia).<br />
  7. 7. Evolução do Saneamento Básico<br />A civilização minóica se desenvolveu na ilha de Creta, no mar Egeu, entre 2700 a.C. e 1450 a.C.<br /> Seu principal centro era a cidade de Cnossos. <br />O termo "minóico" deriva de Minos, título dado ao rei de Creta.<br />Possuía um sistema de drenagem construído em pedra e terracota, com um coletor ou emissário final das águas residuais (águas pluviais e de excreta) que descarregava o efluente a uma distância considerável da origem. <br />As precipitações freqüentes e intensas na região resultavam na ocorrência cíclica de condições de auto-limpeza.<br />
  8. 8. Evolução do Saneamento Básico<br />Os egípcios dominavam técnicas sofisticadas de irrigação do solo na agricultura e métodos de armazenamento de líquido, pois dependiam das enchentes do Nilo.<br />Armazenavam água em grandes potes de barro durante aproximadamente um ano, tempo suficiente para que a sujeira se depositasse no fundo do recipiente. <br />Entre os séculos XV a XIII A.C. aparecem representações de filtragem por sedimentação e uso de sifões, e especula-se que utilizavam alúmen para remover sólidos suspensos.<br />
  9. 9. Evolução do Saneamento Básico<br />Vasos egípcios usados na <br />decantação das águas.<br />
  10. 10. Evolução do Saneamento Básico<br />No Médio Império (2100-1700 a. C.) cidade de Kahum, construída, por ordem do faraó, segundo um plano unificado, tinha a água escoada, através de uma calha de pedra mármore implantada no centro da rua. <br />Em Tel-el-Amarna, do século XIV a. C. (com sistema de drenagem igual ao de Kahum) foram encontrados sinais da existência de banheiros em casas mais humildes. <br />
  11. 11. Evolução do Saneamento Básico<br />O filósofo Empédocles de Agrigento (504-443 a. C.) já havia estabelecido uma associação entre pântanos e malária. <br />Empédocles livrou de uma epidemia o povo de Selinute, na Sicília, desviando dois rios para os pântanos, com o intuito de prevenir a estagnação das águas e torná-las saudáveis. <br />Atenas possuía um sistema de esgotos, o que no entanto não a livrou da grande peste que atingiu seus cidadãos em 430 a. C., durante a Guerra do Peloponeso.<br />
  12. 12. Evolução do Saneamento Básico<br />Roma foi fundada em torno de um forte no topo de uma colina, porém em torno de 600 a. C., a expansão da área urbana exigiu que o vale pantanoso ao pé da colina fosse drenado, produzindo uma área plana e seca que iria se tornar o fórum romano. <br />Desenvolveu-se ali uma cidade-mercado, que alcançou a população de cerca de um milhão de habitantes no início da era cristã. <br />A cidade, no período imperial era abastecida por onze aquedutos, porém água canalizada era um privilégio de poucos e a maioria dos cidadãos abastecia-se em fontes públicas.  <br />Havia extensos esgotos, de construção esplêndida (alguns tão grandes que neles se podia passar com uma carroça puxada por um cavalo), mas se conectavam apenas com o sistema público de drenagem e não com as casas particulares. <br />
  13. 13. Evolução do Saneamento Básico<br />Fonte pública em Roma, preservada até hoje.<br />
  14. 14. Evolução do Saneamento Básico<br />A Cloaca Máxima é uma das mais antigas redes de esgotos do mundo. <br />Construída no final do século VI a.C. pelos últimos reis de Roma, com a finalidade de drenar as águas residuais e o lixo, para o rio Tibre.<br />O sistema original era um canal a céu aberto que seria progressivamente coberto devido às exigências do espaço do centro citadino.<br />A Cloaca Máxima foi mantida em bom estado durante toda a idade imperial. <br />
  15. 15. Evolução do Saneamento Básico<br />Imagens da Cloaca Máxima<br />
  16. 16. Evolução do Saneamento Básico<br />Latrinas públicas. Em 315 depois de Cristo, havia 144 latrinas públicas em Roma.<br />
  17. 17. Evolução do Saneamento Básico<br />O arquiteto e engenheiro, Marco Vitrúvio Pólio (70-25 a.C.), em seu livro De Architectura, acentuou a importância de se determinar a salubridade de um sítio e oferece indicações precisas para a seleção de lugares apropriados à fundação de cidades e à construção de prédios.<br />Também deu muita atenção à posição, à orientação e ao sistema de drenagem das moradias.<br />
  18. 18. Evolução do Saneamento Básico<br />As cidades medievais consistiam num amontoado de edifícios num labirinto de ruas estreitas. <br />Eram pequenas, densamente povoadas, barulhentas e sujas. <br />A maioria de suas ruas não tinha pavimentação e tampouco obras de drenagem e recebia toda sorte de refugos e imundície. <br />
  19. 19. Evolução do Saneamento Básico<br />O povo vivia na rua, amontoava-se entre as galinhas e as centenas de cães e gatos que faziam o “aproveitamento” dos restos que encontravam.<br />A igreja [343-420 d. C.] não viam razões válidas para um cristão tomar banho depois do batismo.<br />Na maioria dos conventos e monastérios da Europa medieval, o banho era praticado duas ou três vezes ao ano, em geral às vésperas de festas religiosas como a Páscoa e o Natal.<br />
  20. 20. Evolução do Saneamento Básico<br />CURIOSIDADES<br />Os excrementos eram atirados pelas janelas diretamente nas ruas.<br />O rei Luiz XIV decretou em 1715, que os corredores do palácio deveriam ser limpos uma vez por semana. Então pensamos, qual seria a freqüência anterior?<br />Em 1668 se torna obrigatória a construção de vasos sanitários em todas casas de Paris.<br />
  21. 21. Evolução do Saneamento Básico<br />Milhares de ratos chegavam aos portos da Europa vindos do Oriente e estes estavam contaminados pela bactéria PasteurellaPestis. <br />O ambiente europeu era extremamente favorável para os ratos pelas péssimas condições de higiene.<br />As pulgas destes roedores transmitiam a bactéria aos homens através da picada. <br />Não havia cura para a peste negra e a medicina era pouco desenvolvida. <br />A doença fez tantas vítimas (de 25 a 30 milhões), que faltavam caixões e espaços nos cemitérios para enterrar os mortos. Os doentes eram, muitas vezes, abandonados, pela própria família, nas florestas ou em locais afastados. <br />
  22. 22. Evolução do Saneamento Básico<br />Neste período entre os séculos XVI e XVII a preocupação com a saúde começou a intensificar.<br />Começaram as pavimentações das ruas e construções de obras de canais de drenagem, onde escoavam os refugos indesejáveis das ruas em direção aos rios e lagos.  <br />O uso desse método produzia um mau cheio insuportável, além do que, as provisões de água tornavam-se perigosamente poluídas pelos dejetos jogados nos rios e lagos.<br />
  23. 23. Evolução do Saneamento Básico<br />Com o desenvolvimento industrial, a partir de meados do séc. XVIII, houve grande êxodo rural e as populações concentraram-se nas cidades.<br />As condições de vida nas cidades da Inglaterra, França, Bélgica e Alemanha eram terríveis. As moradias eram superlotadas e sem as mínimas condições de higiene.<br />Os detritos eram acumulados em recipientes, de onde eram transferidos para reservatórios públicos mensalmente.<br />O sistema de drenagem por carreamento pela água logo originou mais problemas: as fossas raramente eram limpas e seu conteúdo se infiltrava pelo solo, saturando grandes áreas do terreno e poluindo fontes e poços usados para o suprimento de água.<br />
  24. 24. Evolução do Saneamento Básico<br />Como esses canais de esgotamento se destinavam a carrear água de chuva, os rios de cidades maiores se transformaram em esgotos a céu aberto.<br />O suprimento de água e limpeza de ruas não acompanharam a expansão urbana.<br />Ao mesmo tempo a proliferação das indústrias que lançavam seus resíduos nas águas agravava a poluição ambiental.<br />Houve a volta, então de graves epidemias, sobretudo a febre tifóide, transmitida pela água contaminada.<br />A mortalidade era agravada pelas péssimas condições de vida e trabalho da classe operária<br />
  25. 25. Evolução do Saneamento Básico<br />No século XIX as autoridades perceberam uma clara conexão entre a sujeira e a doença nas cidades. (Demoraram bastante, visto que em 2700 a.C. em Creta já havia esta preocupação).<br />Os engenheiros hidráulicos em 1842, propuseram uma reforma radical do sistema sanitário, separando rigorosamente a água potável da água servida.<br />As valas de esgotos a céu aberto seriam substituídas por encanamentos subterrâneos construídos com manilhas de cerâmica cozida.<br />
  26. 26. Evolução do Saneamento Básico<br />Em 1866 houve a divulgação do uso do concreto armado como material de construção por Joseph Monier.<br /> As vantagens do concreto armado: segurança , durabilidade, rapidez de execução, economia de conservação, impermeabilidade e resistência a choques e vibrações. <br />Concreto possibilitou desenvolvimento das obras de drenagem, facilitando a construção de lajes de cobertura e o emprego de tubos pré-moldados para construção das galerias. <br />Ainda no século XIX, com a propagação da água encanada e do esgoto e com o desenvolvimento de uma nova indústria da higiene – principalmente nos Estados Unidos – que o banho foi reabilitado. <br />
  27. 27. Evolução do Saneamento Básico<br />Emílio Ribas ( 1862-1925) e Osvaldo Cruz ( 1872- 1917)<br />Sanitaristas de São Paulo e Rio de Janeiro<br />
  28. 28. Evolução do Saneamento Básico<br />Saturnino de Brito ( 1864- 1929) <br />Patrono da engenharia sanitária no Brasil<br />Em 1930 todas as capitais possuíam sistemas de distribuição de água e coleta de esgotos, graças, em parte, a seus esforços.<br />
  29. 29. Evolução do Saneamento Básico<br />O Brasil possui 12% da água potável do mundo, mas ela não está espalhada igualmente pelo território. <br />Durante muito tempo no país, não foi dada a devida importância para o desperdício de água. <br />Em 1988, a nova Constituição aprovou leis que protegiam a fauna a flora e as águas. <br />É IMPORTANTE ter consciência de que toda a degradação ambiental é conseqüência do modo de agirmos ao longo do tempo, do nosso consumismo desenfreado e do capitalismo exarcebado.<br />
  30. 30. Evolução do Saneamento Básico<br />Obrigada a todos e tenham uma boa vida, se sua consciência ambiental deixar!<br />

×