AUTORIA PEER-TO-PEER: 
O CASO OVERMUNDO 
Beatriz Cintra Martins 
Acta Media 11 - Coimbra - 2014
PRODUÇÃO PEER-TO-PEER 
cooperação livre como um terceiro modo de produção 
participação equipotencial ou anti-credencialis...
WIKIPÉDIA 
Editada por milhões de 
colaboradores 
287 diferentes versões idiomáticas 
Sexto site mais visitado da Internet...
GNU/LINUX 
Sistema operacional open source 
Produzido por milhares de 
programadores em todo mundo 
Maior concorrente mund...
O QUE É UM AUTOR? 
Palestra de Michel Foucault na Société Française de Philosophie, 
em 1969 
A autoria para além de uma a...
O QUE É A AUTORIA? 
A historicidade da autoria: 
“Houve um tempo em que textos que hoje chamaríamos 
“literários” (narrati...
O QUE É A AUTORIA? 
Há uma inversão a partir dos séculos XVII e XVIII: 
“[...]Perguntar-se-á a qualquer texto de poesia ou...
O QUE É A AUTORIA? 
Não está necessariamente vinculada a um sujeito em particular 
“[a função autor] não reenvia pura simp...
DINÂMICA DA AUTORIA 
PEER-TO-PEER 
Anonimato ou nomeação 
Crédito 
Reputação 
Rarefação do discurso 
Princípio organizador...
ANONIMATO DO MURMÚRIO 
“Podemos imaginar uma cultura em que os discursos circulassem 
e fossem recebidos sem que a função ...
ANONIMATO E NOMEAÇÃO 
O ciberespaço possibilita o desaparecimento da figura do autor, 
no anonimato do murmúrio? 
Qual a d...
ANONIMATO E NOMEAÇÃO 
A importância crescente da assinatura (WEISSBERG) 
O valor da reputação em ambientes colaborativos 
...
O AUTOR EM COLETIVO 
“A época atual verá reforçar-se a pertinência do autor 
individual (forjado pela cultura do livro) me...
REPUTAÇÃO NA PRODUÇÃO 
COLABORATIVA 
Desenvolvimento do software 
livre: 
Produção colaborativa e aberta, 
típica da rede ...
REPUTAÇÃO NA PRODUÇÃO 
COLABORATIVA 
Na Wikipédia há uma expressiva participação 
anônima, por diferentes motivos: 
Políti...
ANONIMATO? 
Wikiscanner, criado em 2007 
por Virgil Griffith, americano 
de 24 anos 
Identifica os IPs de onde 
foram feit...
ANONIMATO? 
Perfil do Twitter, criado por 
rapaz de 18 anos, detecta 
origem de edições 
anônimas na Wikipédia, 
feitas a ...
REDE E RAREFAÇÃO DO 
DISCURSO 
Princípio de rarefação do discurso: um conjunto de procedimentos 
que tem por objetivo orga...
REDE E RAREFAÇÃO DO 
DISCURSO 
A rede criaria uma nova ordem do texto capaz de escapar da 
rarefação do discurso? 
A autor...
REDE E RAREFAÇÃO DO 
DISCURSO 
A rarefação do discurso não se reduz a uma mera interdição do 
discurso 
Diz respeito sim à...
VALIDAÇÃO COLETIVA 
No ciberespaço, os discursos são, em grande parte, produzidos 
através de redes sociais cognitivas 
Co...
OVERMUNDO
OVERMUNDO 
O Overmundo é um site colaborativo voltado para a cultura brasileira e a 
cultura produzida por brasileiros em ...
OVERMUNDO 
Website que traz notícias sobre cultura brasileira produzidas pelo 
próprio público participante 
Lançado em ma...
OVERMUNDO – PUBLICAÇÃO
OVERMUNDO – EDIÇÃO 
COLABORATIVA
OVERMUNDO – VOTAÇÃO
OVERMUNDO 
O artigo “O autor coletivo”, publicado 
em 3/12/2006, teve 421 votos e 34 
comentários 
Diálogo no qual se nego...
OVERMUNDO E AUTORIA P2P 
“Peer-to-peer é uma forma de relação entre os seres humanos 
através da qual as pessoas podem se ...
OVERMUNDO E AUTORIA P2P 
Não há exigência de credencial 
Validação pelo coletivo 
Fiscalização distribuída 
Licença livre ...
VISIBILIDADE À DIVERSIDADE CULTURAL 
Título das matérias – de 05/09 a 04/10/2011 Cidade/Estado 
Artesãs buscam alternativa...
MUDANÇAS APÓS OITO ANOS 
Em 2006, contava com grande afluência de colaboradores 
Hoje, comunidade em torno do projeto dimi...
OBRIGADA! 
http://autoriaemrede.wordpress.com 
@biacm 
Apoio Capes
Autoria peer to-peer: o caso Overmundo
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Autoria peer to-peer: o caso Overmundo

1.925 visualizações

Publicada em

Apresentação feita no simpósio Acta Media XI, em novembro de 2014.

O deslocamento do paradigma autoral na atualidade, mais aberto e interativo, está relacionado à emergência da economia peer-to-peer. Casos emblemáticos deste modelo produtivo, como o sistema operacional Linux e a enciclopédia colaborativa Wikipédia, são também exemplos notórios de experimentação de um novo modelo autoral baseado em interações distribuídas em rede. Neste artigo, num primeiro momento, é feita uma reflexão sobre a concepção de autoria, tendo como base o pensamento de Michel Foucault. Em seguida, exploramos algumas características do processo autoral P2P que tem lugar nas redes de comunicação. Por último, apresentamos o caso do website Overmundo como um exemplo brasileiro de produção peer-to-peer.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.925
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.190
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Autoria peer to-peer: o caso Overmundo

  1. 1. AUTORIA PEER-TO-PEER: O CASO OVERMUNDO Beatriz Cintra Martins Acta Media 11 - Coimbra - 2014
  2. 2. PRODUÇÃO PEER-TO-PEER cooperação livre como um terceiro modo de produção participação equipotencial ou anti-credencialismo validação coletiva e filtragem a posteriori administração pela comunidade em um modelo de autoridade horizontal disponibilização livre com regime de propriedade comum
  3. 3. WIKIPÉDIA Editada por milhões de colaboradores 287 diferentes versões idiomáticas Sexto site mais visitado da Internet Cerca de 4,6 milhões de artigos em inglês Mais de 840 mil em português
  4. 4. GNU/LINUX Sistema operacional open source Produzido por milhares de programadores em todo mundo Maior concorrente mundial do Windows Roda em 95% dos 500 supercomputadores mais rápidos do mundo Em empresas como Google, Amazon, Facebook, eBay, Twitter, Yahoo! etc.
  5. 5. O QUE É UM AUTOR? Palestra de Michel Foucault na Société Française de Philosophie, em 1969 A autoria para além de uma atribuição pessoal: “A função autor é, assim, característica do modo de existência, de circulação e de funcionamento de alguns discursos no interior de uma sociedade” (FOUCAULT)
  6. 6. O QUE É A AUTORIA? A historicidade da autoria: “Houve um tempo em que textos que hoje chamaríamos “literários” (narrativas, contos, epopéias, tragédias, comédias) eram recebidos, postos em circulação e valorizados sem que se pusesse a questão da autoria; o seu anonimato não levantava dificuldades, a sua antiguidade, verdadeira ou suposta, era uma garantia suficiente.” (FOUCAULT)
  7. 7. O QUE É A AUTORIA? Há uma inversão a partir dos séculos XVII e XVIII: “[...]Perguntar-se-á a qualquer texto de poesia ou de ficção de onde é que veio, quem o escreveu, em que data, em que circunstâncias ou a partir de que projeto.” (FOUCAULT)
  8. 8. O QUE É A AUTORIA? Não está necessariamente vinculada a um sujeito em particular “[a função autor] não reenvia pura simplesmente para um indivíduo real, podendo dar lugar a vários “eus” em simultâneo, a várias posições-sujeitos que classes diferentes de indivíduos podem ocupar.” (FOUCAULT)
  9. 9. DINÂMICA DA AUTORIA PEER-TO-PEER Anonimato ou nomeação Crédito Reputação Rarefação do discurso Princípio organizador Dinâmica de negociação
  10. 10. ANONIMATO DO MURMÚRIO “Podemos imaginar uma cultura em que os discursos circulassem e fossem recebidos sem que a função autor jamais aparecesse. Todos os discursos, qualquer que fosse o seu estatuto, a sua forma, o seu valor, e qualquer que fosse o tratamento que se lhes desse, desenrolar-se-iam no anonimato do murmúrio.” (FOUCAULT)
  11. 11. ANONIMATO E NOMEAÇÃO O ciberespaço possibilita o desaparecimento da figura do autor, no anonimato do murmúrio? Qual a dimensão da produção anônima na rede? Em que medida uma produção consegue ser anônima?
  12. 12. ANONIMATO E NOMEAÇÃO A importância crescente da assinatura (WEISSBERG) O valor da reputação em ambientes colaborativos A relevância do registro da contribuição de cada um para a construção da reputação A moeda de troca da rede
  13. 13. O AUTOR EM COLETIVO “A época atual verá reforçar-se a pertinência do autor individual (forjado pela cultura do livro) mergulhando ao mesmo tempo em uma configuração tecnocultural que articula o indiviso e o indivíduo. Assim, há de se desenhar precisamente a figura do autor em coletivo, totalmente voltada para o prazer do coletivo [...] e levada incessantemente a produzir diferença, a produzir original; esse endereçamento à originalidade torna-se, é claro, uma condição coletiva. “ (WEISSBERG)
  14. 14. REPUTAÇÃO NA PRODUÇÃO COLABORATIVA Desenvolvimento do software livre: Produção colaborativa e aberta, típica da rede O registro de cada contribuição faz parte de uma conduta ética Podem não receber remuneração, mas acumulam créditos de reputação Os melhores são reconhecidos – Linus Torvalds, Richard Stallman etc.
  15. 15. REPUTAÇÃO NA PRODUÇÃO COLABORATIVA Na Wikipédia há uma expressiva participação anônima, por diferentes motivos: Político, profissional, trollagem, vandalismo etc. Mas há também participação não menos significativa de colaboradores registrados Estes podem galgar posições dentro da estrutura sociotécnica de administração da enciclopédia Jimmy Wales e’ tido como “ditador benevolente”
  16. 16. ANONIMATO? Wikiscanner, criado em 2007 por Virgil Griffith, americano de 24 anos Identifica os IPs de onde foram feitas edições anônimas Diversos governos (EUA, Austrália, Portugal e Vaticano) e empresas (Microsoft, Apple, PepsiCo, Exxon)
  17. 17. ANONIMATO? Perfil do Twitter, criado por rapaz de 18 anos, detecta origem de edições anônimas na Wikipédia, feitas a partir de órgãos do governo federal brasileiro Há iniciativas semelhantes na Inglaterra (@parliamentedits) e nos EUA (@congressedits)
  18. 18. REDE E RAREFAÇÃO DO DISCURSO Princípio de rarefação do discurso: um conjunto de procedimentos que tem por objetivo organizar e controlar a circulação do discurso na sociedade: “Creio que existe outro princípio de rarefação de um discurso [...]. Trata-se do autor. O autor, não entendido, é claro, como o indivíduo que pronunciou ou escreveu um texto, mas o autor como princípio de agrupamento do discurso, como unidade e origem de suas significações, como foco de sua coerência.” (FOUCAULT)
  19. 19. REDE E RAREFAÇÃO DO DISCURSO A rede criaria uma nova ordem do texto capaz de escapar da rarefação do discurso? A autoria distribuída escaparia do controle e da delimitação do discurso? Ou novas constrições são estabelecidas?
  20. 20. REDE E RAREFAÇÃO DO DISCURSO A rarefação do discurso não se reduz a uma mera interdição do discurso Diz respeito sim à sua organização e circulação social, em uma ordem muito mais complexa Há distensão e maior polifonia, mas inseridas em um processo de negociação
  21. 21. VALIDAÇÃO COLETIVA No ciberespaço, os discursos são, em grande parte, produzidos através de redes sociais cognitivas Conformam novas ordens de circulação do discurso, validadas coletivamente
  22. 22. OVERMUNDO
  23. 23. OVERMUNDO O Overmundo é um site colaborativo voltado para a cultura brasileira e a cultura produzida por brasileiros em todo o mundo, em especial as práticas, manifestações e a produção cultural que não têm a devida expressão nos meios de comunicação tradicionais. O Overmundo é feito pela sua própria comunidade. Aqui, você pode encontrar textos, dicas e obras que apontam para um vasto panorama da diversidade cultural do Brasil. E o melhor: você pode não apenas ler, mas participar das discussões, selecionar os destaques do site e principalmente publicar os seus próprios conteúdos. O convite está feito: o que na produção artística de sua cidade nunca teve visibilidade nacional? Por que não tornar tudo isso visível aqui no Overmundo? www.overmundo.com.br
  24. 24. OVERMUNDO Website que traz notícias sobre cultura brasileira produzidas pelo próprio público participante Lançado em março de 2006 Interface aberta e colaborativa: qualquer pessoa, desde que se registre no site, pode enviar matérias para uma das suas áreas editoriais: overblog; banco de cultura, guia e agenda Seu processo editorial é feito de forma coletiva e descentralizada
  25. 25. OVERMUNDO – PUBLICAÇÃO
  26. 26. OVERMUNDO – EDIÇÃO COLABORATIVA
  27. 27. OVERMUNDO – VOTAÇÃO
  28. 28. OVERMUNDO O artigo “O autor coletivo”, publicado em 3/12/2006, teve 421 votos e 34 comentários Diálogo no qual se negocia a construção de uma narrativa sobre o tema em discussão Comentários e texto original do artigo formam o conteúdo final
  29. 29. OVERMUNDO E AUTORIA P2P “Peer-to-peer é uma forma de relação entre os seres humanos através da qual as pessoas podem se conectar umas às outras sem pedir permissão, e unir-se em prol da criação de valor comum”. (BAUWENS)
  30. 30. OVERMUNDO E AUTORIA P2P Não há exigência de credencial Validação pelo coletivo Fiscalização distribuída Licença livre garante a constituição do bem comum Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Compartilha Igual 3.0 Brasil (CC BY-NC-SA 3.0)
  31. 31. VISIBILIDADE À DIVERSIDADE CULTURAL Título das matérias – de 05/09 a 04/10/2011 Cidade/Estado Artesãs buscam alternativas no pinhão e na palha Ponta Grossa/PR Vai um lambadão aí? Cuiabá/MT Africanas (ou: vamos fazer um filme?) Vitória/ES Projeto Afro de Tuxaua faz mapeamento Campinas/SP Vai no passinho do menor da Favela São João do Conexões litero-amazônicas Boa Vista/RR Em nome da arte do interior Anastácio/MS III Semana do Folclore Serra da Mesa Uruaçu/GO A força do Projeto Encantadores do Sertão! São João do Piauí/ Festa bonita no Bonito Brasília/DF O povo gosta é do pagode Belo Horizonte/ A Cultura em Santa Catarina: O que está faltando? Florianópolis/SC O Som da Periferia do Recife: Rock In Rio D Recife/PE
  32. 32. MUDANÇAS APÓS OITO ANOS Em 2006, contava com grande afluência de colaboradores Hoje, comunidade em torno do projeto diminuiu Continua como referência de modelo editorial peer-to-peer Constitui-se em rico repositório, de acesso aberto, sobre as mais variadas manifestações da cultura brasileira
  33. 33. OBRIGADA! http://autoriaemrede.wordpress.com @biacm Apoio Capes

×