Adesão ao tratamento

1.619 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.619
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
36
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • 30 minutos
  • Adesão ao tratamento

    1. 1. Adesão ao tratamento Uma abordagem multidisciplinar
    2. 2. ADESÃO AO TRATAMENTO “Medida com que o comportamento de uma pessoa – como tomar a sua medicação, seguir a dieta e/ ou mudar seu estilo de vida – corresponde às recomendações de um profissional de saúde” (OMS, 1979)
    3. 3. Sistema e equipe de saúde Fatores relacionados ao paciente ADESÃO É MULTIDIMENSIONAL Fatores relacionados a doença Fatores socioeconômicos Fatores relacionados ao tratamento Modificado de Haynes RB. Johns Hopkins University Press, 1979.
    4. 4. FATORES INFLUENCIADORES DA ADESÃO Gusmao JL. Rev Bras Hipertens vol.13(1): 23-25, 2006.
    5. 5. ADESÃO AO TRATAMENTO ENVOLVE  Ações preventivas  Comparecimento as consultas agendadas  Seguimento de orientações de auto-cuidado  Administração das medicações na forma que foram prescritas  Mudança de estilo de vida
    6. 6. NÃO ADESÃO Não seguimento das orientações, causando efeitos danosos à saúde ou redução da efetividade das medicações prescritas (Vermeire,E. 2001) Baixa adesão consiste em um problema mundial. (OMS, 2005)
    7. 7. PREVALÊNCIA DE NÃO ADESÃO Doenças crônicas diversas: 24,8% (DiMatteo MR, 2004) Receptores de transplante de órgãos sólidos: 22,6% (Rim – 36,6%) (Dew MA, 2007) Adolescentes versus crianças: 30 – 53% vs 3 – 19% (Dobbles,F. 2005; Rianthavorn,P. 2005)
    8. 8. FATORES DE RISCO PARA NÃO ADESÃO Histórico de não adesão Doenças psiquiátricas Suporte social deficiente Etilismo/uso de drogas ilícitas Adolescentes/Idosos Efeitos colaterais da medicação Relação médico paciente deficiente Falta de informação sobre a doença Analfabetos Chisholm, MA. Am J Health Syst Pharm. 62: 1775-1781. 2005
    9. 9. POR QUE OS PACIENTES NÃO SEGUEM AS ORIENTAÇÕES? Esquecimento – gostariam de tomar mas esquecem Discordam do diagnóstico ou regime terapêutico Deliberadamente tomam mais ou menos do recomendado.
    10. 10. MOTIVOS DE NÃO ADESÃO Cramer JA, New York: Raven Press: 387-392, 1991
    11. 11. IMPACTO DA NÃO ADESÃO Rejeição Perda do Enxerto Morte Econômico
    12. 12. Rejeição do Enxerto Nevins,TE. Kidney Int . 60: 1565-1570, 2001
    13. 13. Rejeição do Enxerto – HCFMUSP Porcentagem de perda do enxerto no grupo NA n= 41 pacientes Silva, DS. Congresso ABTO 2009
    14. 14. IMPACTO ECONÔMICO DA NÃO ADESÃO Custo da não adesão doenças crônicas: US$ 100 a 300 bilhões anuais. Transplante órgãos sólidos: U$$ 15 a 100 milhões anuais Custo anual Medicare:  Rim funcionante: US$ 855  Falência enxerto: US$ 50 938 Sabate, E. WHO, 2003 Hansen,R. Transplant Proc. 39: 1287-1300, 2007
    15. 15. IMPACTO ECONÔMICO DA NÃO ADESÃO - HCFMUSP n=720 pacientes Grupo NA N=41 Grupo A N=679 P Necessidade de internação 85,4% 70,2% 0,03 Biópsia 71% 55% 0,04 Rejeição aguda 39% 19,8% 0,003 Perda do enxerto 21,9% 7,9% 0,006 Cr sérica > 1,5 36,5% 70,9% <0,0001 Silva, DS. Congresso ABTO 2009
    16. 16. RAZÕES PARA MELHORAR ADESÃO AO TRATAMENTO Para OMS, consiste no “melhor investimento para gerenciar as condições crônicas de maneira efetiva” Seu benefício se estende ao paciente, família, sistema de saúde e economia do país.
    17. 17. COMO AVALIAR A ADESÃO? Relato do paciente Contagem de comprimidos Dosagem urinária ou sanguínea da medicação Auto-relato como estimativa da adesão (Morisky et al, 1986)
    18. 18. ESTRATÉGIAS NA ADESÃO Orientação fornecida ao paciente Redução do número de doses diárias de medicação Comunicação médico-paciente Monitoramento eletrônico Estímulo ao apoio do cuidador e ao autocuidado Intervenção psicológica Silva, DS. J Bras Nefrol. 31(2):139-146, 2009
    19. 19. Taxa de Adesão (%) ADESÃO A MEDICAMENTOS Uma vez dia Duas vezes dia Três vezes dia Quatro vezes dia Esquema Terapêutico Modificado de Ostenberg, L. N Eng J Med 2005; 353: 487-97
    20. 20. ADESÃO VS IMUNOSSUPRESSÃO Doesch,AO. Transplantation Proceedings. 42: 4238-4242. 2010
    21. 21. ADESÃO É UM TRABALHO MULTIDISCIPLINAR PACIENTE
    22. 22. ADESÃO É UM PROCESSO CONTÍNUO Pré Transplante Transplante Pós Transplante Identificação dos fatores de risco Assistência Personalizada Educação em saúde

    ×