A Reforma e a Contra-Reforma
Introdução <ul><li>O que é a Reforma? </li></ul><ul><li>Quais os seus objectivos? </li></ul><ul><li>Que factores impulsion...
A Reforma Figuras 1 e 2 – Martinho Lutero pregando
O que é a Reforma? Século XVI Martinho Lutero Movimento reformista Cristão Protestos contra a doutrina da Igreja Católica ...
Quais os seus objectivos? Reforma significativa no Catolicismo Igreja  Voltasse Pureza inicial  Imoral  Luxo e opulência d...
Que factores impulsionaram esse movimento? Século XVI Sociedades Europeias Campo religioso Igreja Idade Média Renascimento...
Quais foram as principais entidades desse movimento? Reformadores Como por exemplo Martinho Lutero João Calvino John Knox ...
Quais as suas consequências na Europa? Europa Contra-Reforma Aparecimento de religiões protestantes Norte da Europa Igreja...
Quais as suas consequências na Península Ibérica? Península Ibérica e Portugal Norte da Europa Impenetrável Reformismo Pro...
Documentos Documento 1 No dia 20 de Setembro de 1492, o Papa Alexandre VI nomeou vinte cardeais, […] entre os quais o seu ...
Documentos Documento 2 Júlio II foi um Papa dotado de coragem e firmeza invulgares, mas impetuoso e de ambição desmedida [...
Documentos Documento 3 Todos somos pecadores. Mas é um erro pensar-se que este mal se pode curar com as boas obras. A expe...
Documentos Documento 4 Deverás possuir uma fé profunda e confiante em Deus. Graças a ela, triunfarás das tentações e serás...
Documentos Documento 5 […] 19.  Ainda não parece ter sido provado que todas as almas do purgatório tenham certeza de sua s...
A Contra-Reforma Figura 8 – Inquisição Figura 9 – Concílio de Trento
O que é a Contra-Reforma? Século XVI Movimento da Igreja Católica Combate à Reforma Renovação interna Meios utilizados Inq...
Quais os objectivos desse movimento? Renovação interna Combate à Reforma Combater/ impedir o avanço do Protestantismo Rede...
Quais as suas origens? Combate à Reforma Renovação interna Reforma Concílio de Trento Índex Originando Inquisição Companhi...
Que pessoas tiveram mais influência nesse movimento? Reformadores Ordens religiosas Leão X Papas Nomeadamente Perseguiam D...
O que é que esse movimento originou na Europa? Europa Estilo Barroco Externamente Mais definida Austeridade protestante Do...
O que é que esse movimento originou na Península Ibérica? Península Ibérica Estagnação cultural Inquisição Índex Vigia da ...
Documentos Documento 6  O Santo Concílio ordena que […], nos assuntos da fé e dos costumes, ninguém […] tenha a audácia d...
Documentos Documento 7 Aquele que desejar tornar-se num soldado de Deus na nossa Ordem […] deverá […] consagrar-se à propa...
Documentos Documento 8 Se sabem ou ouviram que algum cristão tenha dito ou feito alguma coisa contra a nossa Santa Fé Cató...
Documentos Documento 9 Fui preso apesar de estar inocente. […] Em cento e cinquenta presos da Inquisição nem cinco são cul...
Documentos Documento 10 Vi, por mandado do Ilustríssimo e Reverendíssimo Senhor Arcebispo de Lisboa, Inquisidor-Geral dest...
Biografias <ul><li>Nasceu a 10 de Novembro de 1483 em Eisleben </li></ul><ul><li>Sacerdote Agostiniano </li></ul><ul><li>P...
Biografias <ul><li>Nasceu a 10 de Julho de 1509 em Noyon </li></ul><ul><li>Teólogo cristão francês </li></ul><ul><li>Grand...
Biografias Fig.14_Ulrich Zwinglio <ul><li>Nasceu a 1 de Janeiro de 1484 em Wildhaus, Cantão de São Galo </li></ul><ul><li>...
Biografias <ul><li>Nasceu em 1514 em Haddington, East Lothian </li></ul><ul><li>Reformador escocês </li></ul><ul><li>Líder...
Biografias <ul><li>Nasceu a 11 de Dezembro de 1475 </li></ul><ul><li>Giovanni di Lorenzo de Medici </li></ul><ul><li>Famíl...
Síntese final Norte da Europa Sul da Europa Objectivos Objectivos Papas/ Ordens religiosas Consequências  Mudança de menta...
Síntese final 1443 Nasce o Papa Júlio II 1475 Nasce o Papa Leão X 1483 Nasce Martinho Lutero 1484 Nasce Ulrich Zwinglio 14...
Curiosidades <ul><li>Dia da Reforma Protestante  O dia da Reforma Protestante é um dia que é celebrado pelos Luteranos e ...
Curiosidades
Curiosidades
Curiosidades
FONTES:  Fontes Bibliográficas Enciclopédia da História Mundial: Da Idade da Pedra ao Século XXI, Lisboa, Parragon Books, ...
FONTES:PPT’s 4Shared, &quot;Free File Sharing&quot; Página consultada a 19 de Março de 2011, <http://www.4shared.com/docum...
FONTES:  Imagens Figura 1  Pedro Henrique Martins, &quot;Alvo, mais que neve&quot;, página consultada no dia 14 de Março ...
FONTES:  Documentos Documento 1   DINIZ, Maria Amélia; TAVARES, Adérito; CALDEIRA, Arlindo M.; História História oito Par...
FONTES:  Sites Algo Sobre,Página consultada a 20 de Março de 2011, <http://www.algosobre.com.br/historia/reforma-e-contra-...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Trabalho final (por finalizar)

871 visualizações

Publicada em

power point de historia

Publicada em: Educação, Espiritual, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
871
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Bernardo  O nosso trabalho é sobre a Reforma e a Contra Reforma
  • Filipe
  • Rocha  Começamos com a Reforma
  • Rocha  A reforma protestante, que surgiu no séc. 16 foi um movimento reformista cristão, que começou quando martinho lutero, através das 95 teses, e originando protestos contra a doutrina da igreja catolica, propôs a reforma do cristianismo, cuja doutrina se baseia nas 5 solas: sola fide (apenas a fé), sola scriptura (apenas a escritura), solus christus (apenas cristo), sola gratia (apenas a graça) e soli deo gloria (glória apenas a deus)
  • Belo  Os objectivos da reforma eram a reforma significativa no catolicismo, para que a Igreja voltasse à sua pureza inicial, pois a igreja era imoral por causa do luxo e opulencia do clero, por causa dos papas portarem se como reis, não eram castos, e por isso não praticavam o celibato, e casavam-se, as indulgencias, papas não clerigos e reliquias demais.
  • Paiva: a mudança de mentalidade do séc. 16 nas sociedades europeias no campo religioso foi que a igreja, que na idade media era respeitada e omnipotente, no renascimento era criticada e efraquecida, pois, devido à corrupção e ignorancia dos clerigos, o que causava insatisfação, e tudo isto propunha a reforma
  • Filipe
  • Rocha: as consequencias de reforma na europa foram o aparecimento da religiões protestantes, principalmente no norte da europa, o que fez a igreja catolica iniciar a contra reforma, que é outra consequencia da reforma
  • Belo: As cnsequencias da reforma na peninsula iberica e em portugal, que estavam a grande distância do norte da europa, que era onde se concentrava o reformismo protestante, que fez a igreja iniciar a contra reforma, que fez com que as autoridades religiosas tornassem a península iberica impenetravel ao reformismo protestante
  • Paiva: Neste documento vê-se que os papas tinham comportamentos muito pouco dignos: não eram castos (casavam-se) e ganhavam bens materiais com as nomeações
  • Filipe
  • Rocha: Neste documento está expressa uma das grandes ideologias da doutrina defendida por lutero: as boas obras não fazem o homem bom
  • Belo: Neste documento está outra ideologia de lutero: o fundamental é a fé
  • Paiva: Não podíamos pôr aqui todas as teses, mas só o facto de serem 95 teses, significa que a igreja tinha muitos defeitos nesse tempo.
  • Filipe
  • Filipe
  • Rocha: a contra reforma dividia-se em duas partes: a renovação interna e o combate à reforma. A renovação interna tinha como objectivo redefinir a doutrina da igreja e a disciplina do clero. A parte do combate à reforma tinha como objectivos combater e impedir o avanço do protestantismo
  • Belo: Como se viu anteriormente, a contra- reforma divide-se em renovação interna e combate à reforma. A parte do combate à reforma, através do concilio de trento, originou que o index, a inquisição e a companhia de jesus atacasssem e perseguissem a doutrina protestante, que fazia parte da reforma, que originou a parte do combate à reforma, mas alguns autores consideram que nada teve a ver com a parte da renovação interna, e por isso a reforma não originou completamente a contra-reforma.
  • Paiva: As principais entidades da contra- reforma foram os papas, nomeadamente leão X, os membros das ordens religiosas, como a companhia de jesus e os dominicanos, que faziam parte da inquisição. Estas entidades perseguiam os reformadores, que estavam, portanto indirectamente relacionados co a contra reforma
  • Filipe
  • Rocha: As consequências da contra reforma na peninsula iberica foram a estagnação cultural e financeira. A estagnação cultural deveu-se ao facto do ensino ser controlado pela companhia de jesus e pelo facto da inquisição, através do index, fazer uma vigia da cultura. A inquisição também perseguia os judeus, o que levou à estagnação financeira, pois eles possuíam dinheiro e eram intelectuais.
  • Belo: Neste documento vê-se que, o concilio de trento, a única coisa que mudou foi a ultima frase, mas, como mais nada mudou, a igreja católica separou-se da protestante
  • Paiva: Neste documento estão as regras para que alguém entrasse e permanecesse na companhia de jesus, e que se baseavam na obediência absoluta
  • Filipe
  • Rocha: Este documento é um testemunho de uma pessoa que foi presa pela inquisição, e que a caracteriza, e, no fim, apresenta uma justificação para tal.
  • Belo: Este documento prova que havia uma vigia de cultura, e portanto uma revisão dos livros antes de serem impressos. Os livros podiam ser emendados, ou proibidos. Este livro “os lusiadas”, provavelmente foi apenas emendado, pois, como diz no texto, o autor mostou nele muito engenho e sabedoria.
  • Paiva
  • Filipe
  • Rocha
  • Belo
  • Paiva
  • Filipe
  • Filipe
  • Belo
  • Rocha: Vê-se aqui, primeiro que o cristianismo é a religião mais praticada no mundo, e dentro desta, os protestantes são o segundo maior, e dentro deste, o dominante é o luteranismo
  • Filipe
  • Paiva: Existe um monumento em Genebra, na Suiça, o muro dos reformadores, onde estão 4 deles: joão calvino, John knox, teodoro de besa e guilherme farel
  • Trabalho final (por finalizar)

    1. 2. A Reforma e a Contra-Reforma
    2. 3. Introdução <ul><li>O que é a Reforma? </li></ul><ul><li>Quais os seus objectivos? </li></ul><ul><li>Que factores impulsionaram esse movimento? </li></ul><ul><li>Quais foram as principais entidades desse movimento? </li></ul><ul><li>Quais as suas consequências: </li></ul><ul><li> Na Europa </li></ul><ul><li> Na Península Ibérica </li></ul><ul><li> Em Portugal </li></ul><ul><li>O que é a Contra-Reforma? </li></ul><ul><li>Quais os objectivos desse movimento? </li></ul><ul><li>Quais as suas origens? </li></ul><ul><li>Que pessoas tiveram mais influência nesse movimento? </li></ul><ul><li>O que é que esse movimento originou: </li></ul><ul><li> Na Europa </li></ul><ul><li> Na Península Ibérica </li></ul><ul><li> Em Portugal </li></ul><ul><li>No trabalho também iremos colocar algumas imagens , resumos na forma de esquemas , e, no fim do trabalho, biografias de algumas entidades importantes relativas ao tema, alguns documentos , uma síntese , as fontes e, possivelmente, algumas curiosidades . </li></ul>
    3. 4. A Reforma Figuras 1 e 2 – Martinho Lutero pregando
    4. 5. O que é a Reforma? Século XVI Martinho Lutero Movimento reformista Cristão Protestos contra a doutrina da Igreja Católica 95 Teses Reforma do Cristianismo Através Propondo Sola fide; Sola scriptura; Solus christus; Sola gratia; Soli Deo gloria 5 Solas Originando REFORMA PROTESTANTE
    5. 6. Quais os seus objectivos? Reforma significativa no Catolicismo Igreja Voltasse Pureza inicial Imoral Luxo e opulência do Clero Não eram castos Muitas relíquias Papas não Clérigos Indulgências Papas a portarem-se como reis OBJECTIVOS DA REFORMA
    6. 7. Que factores impulsionaram esse movimento? Século XVI Sociedades Europeias Campo religioso Igreja Idade Média Renascimento Respeitada e Omnipotente Criticada e enfraquecida REFORMA Insatisfação Corrupção e ignorância dos clérigos MUDANÇA DE MENTALIDADE
    7. 8. Quais foram as principais entidades desse movimento? Reformadores Como por exemplo Martinho Lutero João Calvino John Knox Fig.4_João Calvino Henrique VIII, Rei de Inglaterra PRINCIPAIS ENTIDADES DA REFORMA Papa Leão X Fig.3_Martinho Lutero Fig.5_John Knox Fig.6_Henrique VIII de Inglaterra
    8. 9. Quais as suas consequências na Europa? Europa Contra-Reforma Aparecimento de religiões protestantes Norte da Europa Igreja Católica Fig.7_territórios da Europa Protestantes (azul) e Católicos (verde) CONSEQUÊNCIAS DA REFORMA
    9. 10. Quais as suas consequências na Península Ibérica? Península Ibérica e Portugal Norte da Europa Impenetrável Reformismo Protestante Grande distância Contra-Reforma Autoridades religiosas CONSEQUÊNCIAS DA REFORMA
    10. 11. Documentos Documento 1 No dia 20 de Setembro de 1492, o Papa Alexandre VI nomeou vinte cardeais, […] entre os quais o seu próprio filho, César Bórgia; e também o filho de Gabriel de Cesarini, irmão do seu genro; e ainda um elemento da família Farnese, parente da bela Júlia, sua amante; e muitos outros. Graças a estas nomeações, segundo se diz, Alexandre VI recebeu mais de cem mil ducados.   Stefano Infessura, Diário da Cidade de Roma, Século XVI
    11. 12. Documentos Documento 2 Júlio II foi um Papa dotado de coragem e firmeza invulgares, mas impetuoso e de ambição desmedida […]. Tudo isto seria digno de um grande louvor se se tratasse de um príncipe secular. Ou ainda se ele tivesse colocado o entusiasmo que pôs no engrandecimento temporal da Igreja pela força das armas ao serviço da pureza e da perfeição espiritual do povo de Deus.   Francisco Guicciardini, História da Itália, 1535
    12. 13. Documentos Documento 3 Todos somos pecadores. Mas é um erro pensar-se que este mal se pode curar com as boas obras. A experiência mostra-nos que as nossas obras, por muito grandes que sejam, não nos impedem de pecar. As boas obras não fazem o homem bom. Mas, se o homem for bom, fará boas obras.   Lutero, Comentário à Epístola aos Romanos
    13. 14. Documentos Documento 4 Deverás possuir uma fé profunda e confiante em Deus. Graças a ela, triunfarás das tentações e serás recto, verdadeiro, pacífico e justo; assim, cumprirás os mandamentos.   Lutero, A Liberdade do Cristão
    14. 15. Documentos Documento 5 […] 19. Ainda não parece ter sido provado que todas as almas do purgatório tenham certeza de sua salvação e não receiem por ela, não obstante nós teremos absoluta certeza disto. […] 38. Entretanto se não deve desprezar o perdão e a distribuição por parte do papa. Pois, conforme declarei, o seu perdão constitui uma declaração do perdão divino. […] 57. Que não são bens temporais, é evidente, porquanto muitos pregadores a este não distribuem com facilidade, antes os ajuntam. […] 76. Bem ao contrário, afirmamos que a indulgência do papa nem mesmo o menor pecado venial pode anular no que diz respeito à culpa que constitui. […] 95. E assim esperem mais entrar no reino dos céus através de muitas tribulações do que facilitados diante de consolações infundadas.     Lutero, 95 Teses
    15. 16. A Contra-Reforma Figura 8 – Inquisição Figura 9 – Concílio de Trento
    16. 17. O que é a Contra-Reforma? Século XVI Movimento da Igreja Católica Combate à Reforma Renovação interna Meios utilizados Inquisição Realização do Concílio de Trento Índex Fig.10_Índex Fig.11_Santo Inácio de Loyola Companhia de Jesus CONTRA-REFORMA
    17. 18. Quais os objectivos desse movimento? Renovação interna Combate à Reforma Combater/ impedir o avanço do Protestantismo Redefinir Doutrina da Igreja Disciplina do Clero OBJECTIVOS DA CONTRA-REFORMA
    18. 19. Quais as suas origens? Combate à Reforma Renovação interna Reforma Concílio de Trento Índex Originando Inquisição Companhia de Jesus Doutrina Protestante Atacavam e impediam CONTRA-REFORMA
    19. 20. Que pessoas tiveram mais influência nesse movimento? Reformadores Ordens religiosas Leão X Papas Nomeadamente Perseguiam Dominicanos Companhia de Jesus Inquisição Fig.12_Papa Leão X PRINCIPAIS ENTIDADES DA CONTRA-REFORMA
    20. 21. O que é que esse movimento originou na Europa? Europa Estilo Barroco Externamente Mais definida Austeridade protestante Doutrina eclesiástica Internamente Perseguições Pessoas que apoiavam a doutrina protestante Reformadores Imaginação, invenção, sumptuosidade e contrastes Opondo-se Itália Fig.13_Barroco Italiano CONSEQUÊNCIAS DA CONTRA-REFORMA
    21. 22. O que é que esse movimento originou na Península Ibérica? Península Ibérica Estagnação cultural Inquisição Índex Vigia da cultura Ensino Companhia de Jesus Estagnação financeira Judeus Perseguia CONSEQUÊNCIAS DA CONTRA-REFORMA
    22. 23. Documentos Documento 6  O Santo Concílio ordena que […], nos assuntos da fé e dos costumes, ninguém […] tenha a audácia de interpretar as Sagradas Escrituras com um sentido diverso daquele que lhe dá a Santa Madre Igreja. […] Praticai boas obras, porque Deus é justo e não esquecerá as boas acções e a caridade praticada em Seu nome. […]  A Igreja deve introduzir cerimónias, luzes, ornamentos, para despertar o espírito dos fiéis, através desses sinais vivos de piedade e de religião […]. Os bispos devem ser irrepreensíveis no seu comportamento, sóbrios e castos   Decretos do Concílio de Trento. 1545-1563
    23. 24. Documentos Documento 7 Aquele que desejar tornar-se num soldado de Deus na nossa Ordem […] deverá […] consagrar-se à propagação da fé, pregando publicamente, ensinando a palavra de Deus, fazendo exercícios espirituais e acções piedosas e, sobretudo, dando às crianças uma educação religiosa […]. Se o Papa nos enviar a propagar a fé, ou a converter as almas entre os infiéis, mesmo que seja às Índias, deveremos obedecer-lhe sem reservas […]. Os membros da Companhia de Jesus devem distinguir-se por uma obediência absoluta, verdadeira, cega, renunciando à sua própria vontade.   Inácio de Loyola, Regra da Companhia de Jesus, 1540
    24. 25. Documentos Documento 8 Se sabem ou ouviram que algum cristão tenha dito ou feito alguma coisa contra a nossa Santa Fé Católica, ou seja simpatizante da seita de Lutero, Calvino, ou outro herege, que seja condenado pela Santa Fé Apostólica; […] Se sabem ou ouviram que alguma pessoa faça feitiçarias […]. Se sabem ou ouviram que alguma pessoa exerça astrologia, leia ou tenha livros dela ou de outra arte de adivinhar […]. Se sabem ou ouviram que alguma pessoa tenha ou leia livros proibidos […]. Deverão denunciá-lo ao Santo Ofício […]. E se não o fizerem, serão sujeitos à pena de excomunhão maior.   Edital da Fé
    25. 26. Documentos Documento 9 Fui preso apesar de estar inocente. […] Em cento e cinquenta presos da Inquisição nem cinco são culpados. […] As provas de culpa fazem-se à força das torturas que eles praticam, até em meninos com oito anos ou pouco mais. […] Estive preso perto da Casa do Tormento e pude ouvir a crueldade com que se obtinha a confissão e ouvir o queixume dos atormentados. […] Por esta razão [os presos] confessam o que nunca tinham feito ou sequer sonhado, e culpam por cúmplices quantas pessoas lhes vêm à cabeça […] apenas para se verem livres da tortura. […] Tudo isso acontece pelo ódio que os cristãos-velhos têm aos cristãos-novos.   De um processo da Inquisição, 1605
    26. 27. Documentos Documento 10 Vi, por mandado do Ilustríssimo e Reverendíssimo Senhor Arcebispo de Lisboa, Inquisidor-Geral destes reinos, Os Lusíadas, de Luís de Camões, […] o qual livro, assim emendado como agora vai, não tem cousa contra a fé e os bons costumes, e pode imprimir- -se. E o autor mostrou nele muito engenho e sabedoria.   Frei Bartolomeu Ferreira. 1572
    27. 28. Biografias <ul><li>Nasceu a 10 de Novembro de 1483 em Eisleben </li></ul><ul><li>Sacerdote Agostiniano </li></ul><ul><li>Professor de teologia </li></ul><ul><li>Percursor da Reforma Protestante </li></ul><ul><li>Em 1517 publica as 95 Teses </li></ul><ul><li>Não se retractou ao Papa Leão X nem a Carlos V </li></ul><ul><li>Foi excomungado e expulso do Sacro Império Romano-Germânico </li></ul><ul><li>Escondeu-se traduziu a Bíblia para alemão </li></ul><ul><li>Morreu a 18 de Fevereiro de 1546 em Eisleben </li></ul>
    28. 29. Biografias <ul><li>Nasceu a 10 de Julho de 1509 em Noyon </li></ul><ul><li>Teólogo cristão francês </li></ul><ul><li>Grande influência na Reforma Protestante </li></ul><ul><li>Doutrina: Calvinismo </li></ul><ul><li>Morreu a 27 de Maio de 1564 em Genebra </li></ul>
    29. 30. Biografias Fig.14_Ulrich Zwinglio <ul><li>Nasceu a 1 de Janeiro de 1484 em Wildhaus, Cantão de São Galo </li></ul><ul><li>Morreu a 10 de Outubro de 1531 em Kappel am Albis </li></ul><ul><li>Teólogo suíço </li></ul><ul><li>Principal líder da Reforma Protestante na Suiça </li></ul><ul><li>Relativamente ao Estudo teológico chegou a conclusões semelhantes às de Lutero sem a sua influência </li></ul>
    30. 31. Biografias <ul><li>Nasceu em 1514 em Haddington, East Lothian </li></ul><ul><li>Reformador escocês </li></ul><ul><li>Líder da Reforma na Escócia </li></ul><ul><li>Apoiante do Calvinismo </li></ul><ul><li>Morreu a 24 de Novembro de 1572 em Edimburgo </li></ul>
    31. 32. Biografias <ul><li>Nasceu a 11 de Dezembro de 1475 </li></ul><ul><li>Giovanni di Lorenzo de Medici </li></ul><ul><li>Família abastada Médici </li></ul><ul><li>Filho de Lorenzo de Medici </li></ul><ul><li>Papa desde 1513 até à sua morte </li></ul><ul><li>Último Papa não-sacerdote </li></ul><ul><li>Morreu a 1 de Dezembro de 1521 </li></ul>
    32. 33. Síntese final Norte da Europa Sul da Europa Objectivos Objectivos Papas/ Ordens religiosas Consequências Mudança de mentalidade Reformadores Perseguiam Impedir Impedir Impedir REFORMA CONTRA-REFORMA
    33. 34. Síntese final 1443 Nasce o Papa Júlio II 1475 Nasce o Papa Leão X 1483 Nasce Martinho Lutero 1484 Nasce Ulrich Zwinglio 1491 Nasce Santo Inácio de Loyola 1509 Nasce João Calvino 1513 Morre o Papa Júlio II 1514 Nasce John Knox 1517 Martinho Lutero prega na porta de uma igreja de Wittenberg, Alemanha, 95 teses críticas contra a Igreja Católica. Este facto dá início à Reforma. 1519 Ulrich Zwingli inicia a Reforma na Suiça. 1521 Lutero é expulso da Igreja; Morre o Papa Leão X 1531 Morre Ulrich Zwinglio 1532 João Calvino inicia o movimento Protestante em França. 1534 Inácio de Loyola funda os jesuítas [Companhia de Jesus]. 1536 Dissolução dos mosteiros em Inglaterra. 1541 John Knox leva a Reforma para a Escócia. 1546 Morre Martinho Lutero 1549 Um novo livro de orações, o Book of Common Prayer, é introduzido em Inglaterra. 1556 Morre Santo Inácio de Loyola 1562 Guerras religiosas em França entre Católicos e Huguenotes (Protestantes). 1564 Morre João Calvino; nasce Guilherme Farel 1568 Revolta dos Protestante holandeses contra o domínio Espanhol 1572 Morre John Knox 1588 Derrota da Invencível Armada junto das costas britânicas. 1598 O Édito de Nantes dá aos Protestantes e Católicos em França direitos iguais.
    34. 35. Curiosidades <ul><li>Dia da Reforma Protestante  O dia da Reforma Protestante é um dia que é celebrado pelos Luteranos e por outras igrejas cristãs que tiveram origem na Reforma Protestante iniciada por Martinho Lutero, no dia 31 de Outubro de 1483 e que teve final no ano de 1546. </li></ul>
    35. 36. Curiosidades
    36. 37. Curiosidades
    37. 38. Curiosidades
    38. 39. FONTES: Fontes Bibliográficas Enciclopédia da História Mundial: Da Idade da Pedra ao Século XXI, Lisboa, Parragon Books, 2005, pp. 118-119. DINIZ, Maria Amélia; TAVARES, Adérito; CALDEIRA, Arlindo M.; História História oito Parte 1, lisboa editora, 2010, pp 72-77 SARAIVA, José Hermano, História Universal, Europa séculos XVI-XVIII, volume VI, Lisboa, Publicações Alfa, 1985, pp 90-91 pp 94-98.
    39. 40. FONTES:PPT’s 4Shared, &quot;Free File Sharing&quot; Página consultada a 19 de Março de 2011, <http://www.4shared.com/document/ZLezAUWL/Histria_Geral_PPT_-_Reforma_Pr.htm>. EJT, &quot;Crescendo e Educando&quot; Página consultada a 19 de Março de 2011, <www.juvencioterra.com.br/virtual/reforma.ppt>. SlidesPowerPoint, &quot;Portal de Slides em Powr Point&quot; Página consultada a 19 de Março de 2011, <http://slidespowerpoint.googlepages.com/ReformaProtestante.ppt>. Soaulas.com,(NTD) Página consultada a 19 de Março de 2011, <http://soaulas.com/banco_aulas/262_652reforma1ano.ppt>.
    40. 41. FONTES: Imagens Figura 1  Pedro Henrique Martins, &quot;Alvo, mais que neve&quot;, página consultada no dia 14 de Março de 2011, <http://pedrohenrique-martins.blogspot.com/2010/10/as-95-teses-contra-o-comercio-das.html>. Figura 2  Semperreformanda - Teologia, Apologética Evangélica, &quot;Teologia e Apologética Evangélica em Portugal. Reflexões bíblicas e sociais à luz das Escrituras&quot; Página consultada a 19 de Março de 2011, <http://semperreformanda-teologia.blogspot.com/>. Figura 3  A tela da reflexão, &quot;História, Literatura, Cultura Afro, Formação Política e Sindical&quot; Página consultada a 19 de Março de 2011, <http://manmessias21.blogspot.com/2010_05_01_archive.html>. Figura 4  Blog do Will, &quot;Um canal aberto para repensarmos o Cristianismo&quot; Página consultada a 19 de Março de 2011,<http://blogdowilll.wordpress.com/biografias/>. Figura 5  Segredo de Davi, &quot;3 anos seguindo segundo o coração de Deus&quot; Página consultada a 19 de Março de 2011, <http://segredodedavi.blogspot.com/2010/04/vida-de-john-knox.html>. Figura 6  A tela da reflexão, &quot;História, Literatura, Cultura Afro, Formação Política e Sindical&quot; Página consultada a 19 de Março de 2011, <http://manmessias21.blogspot.com/2010_05_01_archive.html>. Figura 7  Wikipédia, &quot;A Enciclopédia livre&quot;, página consultada no dia 23 de Fevereiro de 2011, <http://pt.wikipedia.org/wiki/Reforma_Protestante>. Figura 8  FMLO, “Santa Inquisição” Página consultada a 19 de Março de 2011, <http://www.fmlo.com.br/inquisi.htm>. Figura 9  Blogger, “Renascimento Cultural” Página consultada a 19 de Março de 2011, <http://www.fmlo.com.br/inquisi.htm>. Figura 10  Wikipédia, &quot;a Enciclopédia Livre&quot;, página consultada a 27 de Março de 2011, <http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Index_Librorum_Prohibitorum_1.jpg>. Figura 11  Blog do Católico &quot;Creio na Igreja una, santa, Católica e Apostólica&quot;, página consultada no dia 27 de Março de 2011, <http://blog-do-catolico.blogspot.com/2010/11/frase-santo-inacio-de-loyola.html>. Figura 12  Diocese do Funchal, &quot;Porque, se temos sido unidos a ele na semelhança da sua morte, certamente também o seremos na semelhança da sua ressurreição&quot;, página consultada no dia 27 de Março de 2011, <http://www.diocesedofunchal.pt/portal/index.php?option=com_content&task=view&id=13&Itemid=36>. Figura 13  Blogger, &quot;Historia del Arte&quot;, Mari Luz Página consultada a 19 de Março de 2011, <http://luz-historia-arte.blogspot.com/2009_05_01_archive.html>. Figura 14  Igreja Ortodoxa Hispânica, “Igreja Una Santa Católica e Apostólica”, página consultada no dia 25 de Abril de 2011, <http://www.igrejaortodoxahispanica.com/Textos/A_Reforma_Protestante.html>.
    41. 42. FONTES: Documentos Documento 1  DINIZ, Maria Amélia; TAVARES, Adérito; CALDEIRA, Arlindo M.; História História oito Parte 1, lisboa editora, 2010, pp 73 Documento 2  DINIZ, Maria Amélia; TAVARES, Adérito; CALDEIRA, Arlindo M.; História História oito Parte 1, lisboa editora, 2010, pp 73 Documento 3  DINIZ, Maria Amélia; TAVARES, Adérito; CALDEIRA, Arlindo M.; História História oito Parte 1, lisboa editora, 2010, pp 73 Documento 4  DINIZ, Maria Amélia; TAVARES, Adérito; CALDEIRA, Arlindo M.; História História oito Parte 1, lisboa editora, 2010, pp 73 Documento 5  Portal da História, “Onde o passado encontra o futuro”, página consultada a 25 de Abril de 2011, <http://www.arqnet.pt/portal/teoria/teses.html>. Documento 6  DINIZ, Maria Amélia; TAVARES, Adérito; CALDEIRA, Arlindo M.; História História oito Parte 1, lisboa editora, 2010, pp 75 Documento 7  DINIZ, Maria Amélia; TAVARES, Adérito; CALDEIRA, Arlindo M.; História História oito Parte 1, lisboa editora, 2010, pp 75 Documento 8  Externato Marista de Lisboa, Prova escrita de História, 8º ano, 2º teste do 2º período lectivo, 2010-2011, documento H Documento 9  DINIZ, Maria Amélia; TAVARES, Adérito; CALDEIRA, Arlindo M.; História História oito Parte 1, lisboa editora, 2010, pp 77 Documento 10  DINIZ, Maria Amélia; TAVARES, Adérito; CALDEIRA, Arlindo M.; História História oito Parte 1, lisboa editora, 2010, pp 77
    42. 43. FONTES: Sites Algo Sobre,Página consultada a 20 de Março de 2011, <http://www.algosobre.com.br/historia/reforma-e-contra-reforma.html>. Colégio web, página consultada a 20 de Março de 2011, <http://www.colegioweb.com.br/historia/a-reforma-e-a-contra-reforma.html>. História de tudo, página consultada a 23 de Fevereiro de 2011, <http://www.historiadetudo.com/contra-reforma.html>. Infopédia, &quot;Enciclopédia e dicionários Porto Editora&quot;,Página Consultada a 20 de Março de 2011, <http://www.infopedia.pt/$contra-reforma>. Sapo, página consultada a 23 de Fevereiro de 2011, <Infopédia, &quot;Enciclopédia e dicionários Porto Editora&quot;,Página Consultada a 20 de Março de 2011, <http://neh.no.sapo.pt/documentos/a%20contra%20reforma.htm>. Sua Pesquisa, página consultada a 23 de Março de 2011, <http://www.suapesquisa.com/protestante/>. Orbita Starmédia, página consultada a 27 de Março de 2011, <http://orbita.starmedia.com/achouhp/historia/reforma_religiosa.htm>.

    ×