Salazar

6.433 visualizações

Publicada em

4 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.433
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
4
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Salazar

  1. 1. SALAZAR Escola de Santa Clara Espero que gostem.
  2. 2. BIOGRAFIA <ul><li>Nome: António de Oliveira Salazar. </li></ul><ul><li>Data de nascimento: 28 de Abril de 1889. </li></ul><ul><li>Data de Falecimento: 27 de Julho de 1970). </li></ul><ul><li>Pai: António de Oliveira Salazar. </li></ul><ul><li>Mãe: Maria do Resgate Salazar. </li></ul>
  3. 3. SALAZAR E O ESTADO NOVO <ul><li>Em 1928 Óscar Carmona , indicado pelos militares como único candidato, foi eleito Presidente da República. Para ministro das Finanças foi convidado um professor da Universidade de Coimbra, António de Oliveira Salazar . </li></ul>Óscar Carmona António Salazar
  4. 4. DE PROFESSOR A MINISTRO DAS FINANÇAS <ul><li>Salazar reorganizou as finanças públicas : aumentou os impostos e reduziu as despesas com saúde, educação e salários dos funcionários públicos. </li></ul>
  5. 5. A CONSTITUIÇÃO DE 1933 <ul><li>Em 1932, Salazar foi nomeado chefe do Governo, cargo que ocupou durante 36 anos (até 1968). Foi aprovada uma nova Constituição – a Constituição de 1933 - que instituiu 4 órgãos de soberania: Presidente da República, Assembleia Nacional, Governo e Tribunais. </li></ul>
  6. 6. AS OBRAS PÚBLICAS <ul><li>A reorganização das finanças públicas permitiu ao país acumular reservas de dinheiro . </li></ul><ul><li>Entre 1939 e 1945 deu-se a 2ª Guerra Mundial em que Portugal não participou. Esta neutralidade permitiu a Portugal aumentar as exportações para os países em guerra, o que aumentou as reservas em ouro do Banco de Portugal. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Parte dessas reservas foram aplicadas em obras públicas : </li></ul><ul><li>estradas e pontes. </li></ul><ul><li>edifícios públicos : tribunais, quartéis, estações de correios,.... </li></ul><ul><li>escolas primárias, liceus e universidades. </li></ul><ul><li>barragens hidroeléctricas. </li></ul><ul><li>hospitais . </li></ul><ul><li>Nas zonas rurais, sobretudo, mantinha-se o desemprego e as más condições de vida que levaram milhares de portugueses a emigrar . </li></ul>
  8. 8. AS RESTRIÇÕES À LIBERDADE <ul><li>Salazar controlava todos os ministérios e governava de forma autoritária e absoluta, em &quot; ditadura &quot;. </li></ul>
  9. 9. O PARTIDO ÚNICO <ul><li>Culpando os partidos e os sindicatos pela instabilidade da 1ª República, Salazar proibiu a formação de partidos políticos. Só a União Nacional (criada em 1931) podia intervir - era um regime de partido único . Foi também proibido o direito à greve que, quando se davam, eram reprimidas violentamente. </li></ul>
  10. 10. A CENSURA <ul><li>Também não havia liberdade de expressão. Uma comissão de censura prévia &quot;cortava&quot; o que não deveria ser divulgado em livros, filmes, jornais, teatro e outros espectáculos, como forma de impedir qualquer crítica ao Estado Novo. </li></ul>
  11. 11. A POLÍCIA POLÍTICA <ul><li>Em 1936 foi criada uma polícia política (veio a chamar-se PIDE : Polícia Internacional e de Defesa do Estado). Tinha informadores secretos e a sua função era perseguir, prender e torturar todos os que se opusessem ao Governo, especialmente os militantes e simpatizantes do Partido Comunista Português (clandestino). Os presos políticos eram encarcerados em Caxias, Peniche ou Tarrafal (Cabo Verde). </li></ul>
  12. 12. <ul><li>Ao serviço do regime estava também a Legião Portuguesa , organização armada, e a Mocidade Portuguesa , organização juvenil a que pertenciam obrigatoriamente os jovens entre os 7 e os 14 anos. </li></ul>
  13. 13. A PROPAGANDA AO REGIME <ul><li>O apoio ao regime era ainda conseguido através </li></ul><ul><li>de um poderoso sistema de propaganda: </li></ul><ul><li>no ensino utilizavam-se livros únicos obrigatórios onde se elogiava Salazar e a sua política; </li></ul><ul><li>na Mocidade Portuguesa promovia-se o culto da obediência ao regime e do dever militar; </li></ul><ul><li>na imprensa e nos cartazes mentalizava-se a população para as vantagens do Estado Novo e escondia-se tudo o que o prejudicava. </li></ul>
  14. 14. CONCLUSÃO: <ul><li>O que eu aprendi sobre Salazar foi que ele mudou muita coisa em Portugal, ajudou-os mas também fez algumas injustiças com as pessoas. </li></ul>
  15. 15. TRABALHO ELABORADO POR: <ul><li>João santos Nº18 6ºC </li></ul>
  16. 16. fim

×