SEGUNDO REINADO

15.095 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
10 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
15.095
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.390
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
368
Comentários
0
Gostaram
10
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

SEGUNDO REINADO

  1. 1. Segundo Reinado (1840- 1889)
  2. 2. Linha do Tempo
  3. 3. O Golpe da MaioridadeO menino Pedro de Alcântara, só poderia assumir o governo ao atingir 18 anos. Os representantes do Partido Liberal resolveram antecipá-la e deram o Golpe da Maioridade, isto é, articularam-se para declarar Pedro de Alcântara maior de idade. Assim, com 15 anos, foi coroado imperador recebendo o título de D. Pedro II. Assim, com a coroação de D. Pedro II tinha início no Brasil o Segundo Reinado.
  4. 4. Principais Características do Segundo Reinado 1. A Estabilidade Política; 2. Governo Descentralizado; 3. Crises Externas ao Brasil; 4. O Movimento Abolicionista.
  5. 5. 1. A Estabilidade Política D. Pedro II em seu governo procurou atender aos interesses dos ricos proprietários rurais que eram membros do Partido Liberal e do Partido Conservador.
  6. 6. A manutenção do Império centralizadoSegundo o jornalista conservador José Justiniano Rocha, o apoio não poderia vir da massa desiludida, mas do grande comércio e agricultura: “dê o governo a essas duas classes toda a consideração, vincule-as por todos os modos à ordem estabelecida, identifique-as com as instituições do país, e o futuro estará em
  7. 7. 2. Governo Descentralizado Ao contrário do pai D. Pedro I que governou de forma autoritária, com todos os poderes concentrados em suas mãos, D. Pedro II dividiu os poderes com o Parlamento, isto é, com a Assembléia Geral.
  8. 8. ECONOMIA CAFEEIRA
  9. 9. Café• Surgiu na Etiópia (kaffa)• Uso na península Arábica• Levado à Europa por mercadores árabes e italianos no século XI• Comercializado por franceses: Haiti e Guianas Francesas no século XVII• No Brasil, no final do século XVII no Pará
  10. 10. Expansão cafeeira e a modernização do Brasil• A modernização do Brasil se faz sentir através das estradas de ferro, do sistema bancário, da introdução da maquinaria e do relativo desenvolvimento industrial. Entretanto, nenhuma alteração de estrutura é vislumbrada no período estudado. Ao contrário, com a cultura cafeeira afirmando-se, persiste e acentua-se a dependência agrícola da economia brasileira que baseada na monocultura permanecerá submissa às flutuações dos mercados consumidores. PINTO, Virgílio Noya. Balanço das transformações econômicas do século XIX.
  11. 11. IMIGRAÇÃO
  12. 12. ImigraçãoO processo de imigração apresentou dois momentos distintos:• Sistema de parcerias: recebia uma parcela de terra para cultivar o café e deveria dar metade ao fazendeiro. Já iniciava com dívidas de passagens e ferramentas• Imigração subsidiada: o governo subsidiava. Ganhava parcelas fixas pela quantidade de pés coletados
  13. 13. Imigração• (...) uma quantidade bem superior a 9 milhões de europeus deixou a Europa, e a grande maioria seguiu para os Estados Unidos. Isto equivalia a mais de quatro vezes a populações de Londres em 1851. No meio século precedente tal movimentação deve ter sido superior a um milhão e meio de pessoas no todo. Eric J. Hobsbawm, p. 207
  14. 14. ImigraçãoOs fazendeiros paulistas não se voltaram parao imigrante porque acreditavam nas virtudesou na maior rentabilidade do trabalho livre,mas porque a alternativa do escravodesaparecia e era preciso dar uma respostapara o problema. Boris Fausto. História do Brasil. 2001
  15. 15. Lei de terra (1850)• Proibia qualquer outra forma de aquisição de terras que não fosse pela compra.• Dificultou o acesso à terra.• Fraudes, documentos forjados com datas retroativas (causa da existência de grandes latifúndios).
  16. 16. 3. Crises externas ao Brasil A Guerra do Paraguai (1865-1870) O Paraguai tornou-se uma república independente em 1811, separando-se do Vice-Reino do Prata. Seu território não tem saída para o mar. O isolamento do Paraguai fez com que seus governantes passassem a se preocupar com o desenvolvimento do país, conduzindo a economia para torná-lo auto- suficiente, ou seja, estavam preocupados somente com seu umbigo.
  17. 17. 3. Crises externas ao Brasil A Guerra do Paraguai (1865-1870) Assim, no governo de Francisco Solano López, que teve início em 1862, o Paraguai não dependia de quase ninguém já que, (1) produzia todos os alimentos de que precisava, (2) tinha uma fábrica de armas e de pólvora e (3) terras produtivas em fazendas estatais. Por outro lado, o Paraguai não podia viver isolado, pois precisava vender seus produtos. Por isso, era importante que tivesse uma saída para o mar e o caminho possível era navegar através dos rios Paraguai, Paraná e da Prata, até chegar ao Oceano Atlântico.
  18. 18. 3. Crises externas ao Brasil A Guerra do Paraguai (1865-1870) As principais conseqüências da Guerra do Paraguai foram: • Enriquecimento da Inglaterra, pois recebeu com juros o dinheiro que havia emprestado ao Brasil e á Argentina para financiar a guerra. Também havia vendido armas e equipamentos; • Hegemonia regional de brasileiros e argentinos • Destruição do Paraguai que ao final da guerra, dos seus 800 mil habitantes, restavam apenas 184 mil: três em cada quatro paraguaios haviam morrido nos combates.
  19. 19. America do Sulem 1830.
  20. 20. 4. O Movimento Abolicionista Foram dois os fatores que contribuíram para o fim da escravidão no Brasil: • A resistência por parte dos escravos principalmente nos engenhos de açúcar do Nordeste e na região das Minas; • Pressões internacionais, principalmente da Inglaterra;
  21. 21. 4. O Movimento Abolicionista Evolução das leis Lei Eusébio de Queirós (1850) – Proibia o tráfico de escravos no Brasil; Lei do Ventre Livre (1871) – Determinava que os filhos de mulher escrava nascidos a partir daquela data seriam livres, mas continuariam na condição de propriedade do senhor até os 21 anos de idade; Lei do Sexagenário (1885) – Declarava livres os escravos com mais de 65 anos de idade; Lei Áurea (1888) – Declarava extinta a escravidão no Brasil.
  22. 22. A Queda do ImpérioA Campanha abolicionista Com a abolição o escravismo, semindenização aos proprietários , aaristocracia escravista abandona o governo.
  23. 23. A questão militarA Guerra do ParaguaiA formação do Exército BrasileiroOs tenentes- Benjamin Constant e Sena Madureira fundaram o clube militar e foram presos pelo governo.
  24. 24. BENJOINOHISTORIA@GMAIL.COM carlos benjoino

×