Dadaismo e Abstracionismo

5.292 visualizações

Publicada em

Aula compartilhada para todos...

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.292
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.173
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
67
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Dadaismo e Abstracionismo

  1. 1. ARTEABSTRATAE DADAISMO
  2. 2. Abstracionismo
  3. 3. O movimento Dadá (Dada) ou Dadaísmo foi umavanguarda moderna iniciada em Zurique, em 1916,por um grupo de escritores e artistas plásticos, doisdeles desertores do serviço militar alemão.Embora a palavra dada em francês signifique cavalode brinquedo, sua utilização marca o non-sense oufalta de sentido que pode ter a linguagem (como nalíngua de um bebê).Para reforçar esta idéia foi criado o mito de que onome foi escolhido aleatoriamente, abrindo-se umapágina de um dicionário e inserindo-se um estiletesobre a mesma. Isso foi feito para simbolizar ocaráter anti-racional do movimento, claramentecontrário à Primeira Guerra Mundial.
  4. 4. O Dadaísmo é caracterizado pela oposição aqualquer tipo de equilíbrio, pela combinação depessimismo irônico e ingenuidade radical.Pelo ceticismo absoluto e improvisação. Enfatizou oilógico e o absurdo.Entretanto, apesar da aparente falta de sentido, omovimento protestava contra a loucura da guerra.Assim, sua principal estratégia era mesmo denunciare escandalizar.
  5. 5. O poeta romeno Tristan Tzara, dá uma receita, parafazer, um poema dadaísta: Pegue um jornal. Pegue a tesoura. Escolha no jornal um artigo do tamanho que você deseja dar a seu poema. Recorte o artigo. Recorte em seguida com atenção algumas palavras que formam esse artigo e meta-as num saco. Agite suavemente. Tire em seguida cada pedaço um após o outro.Copie conscienciosamente na ordem em que elas são tiradas do saco. O poema se parecerá com você. E ei-lo um escritor infinitamente original e de umasensibilidade graciosa, ainda que incompreendido do público.
  6. 6. Max Ernst, Oeudipus Rex
  7. 7. Idylle, de Francis Picabia
  8. 8. Max Ernst
  9. 9. Blauer Vogel, Kurt Schwitters, 1922

×