Normas da abnt

11.593 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.593
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
35
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Normas da abnt

  1. 1. 11 Introdução Este manual apresenta técnicas para confecção de trabalhos técnicos científicos,artigos e planos de trabalhos, seguindo o padrão de normas da ABNT - Associação Brasileirade Normas Técnicas, para o curso de Bacharelado em Informática. O objetivo deste é auxiliar alunos e orientadores durante o processo de confecção detrabalhos escritos no decorrer do curso, em todas as disciplinas. Estas normas aquiapresentadas deverão ser adotadas pelo corpo docente do departamento como um padrão paraescrita de trabalhos em suas disciplinas e também durante o processo de orientação detrabalhos de conclusão de curso. Vale lembrar que este manual é um apanhado de normas para auxiliar na organizaçãode trabalhos escritos. Caso surjam dúvidas durante a utilização deste manual aconselha-se umestudo mais aprofundado das normas da ABNT, que encontram-se na bibliografia destemanual.1.1 Organização de texto O Capítulo 2 apresenta normas para organização e apresentação de trabalhos escritos.O Capítulo 3 apresenta normas para elaboração de trabalhos técnicos-científicos. O Capítulo 4apresenta normas para confecção de artigos. O capítulo 5 apresenta normas para confecção dePlano de trabalho.__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  2. 2. 22 Normas para organização e apresentação de trabalhos escritos Neste capítulo serão descritas técnicas para organização e formatação do texto que irãocompor o trabalho em desenvolvimento. Para tanto, deverão ser utilizadas as normasconstantes nas seções que compõem este Capítulo. Estas seções apresentam as normas paradesenvolvimento de trabalhos escritos segundos a ABNT.2.1 Papel Para apresentação final do trabalho deverá ser utilizado papel branco formato A4 (21,0cm x 29,7 cm). Caso sejam necessárias cópias do trabalho original, estas deverão ser tiradasem papel de mesmo formato, A4 (21,0 cm x 29,7 cm), sendo este papel denominado papelpadrão.2.2 Folhas Largas Quando a largura do formato do papel padrão for insuficiente para a apresentação dasilustrações, adotar o formato padrão com largura ampliada, definindo convenientementedobras sucessivas para que formato resultante não ultrapasse o formato do papel padrão, oucópia reduzida das ilustrações dentro das dimensões do papel padrão, desde que estas nãoprejudiquem a leitura das mesmas.2.3 Escrita O original do trabalho em desenvolvimento deverá ser editado em formato do papelpadrão (ver seção 2.1), definindo alinhamento justificado de margens evitando separaçõessilábicas com barras ou outros sinais. Utilize fonte “Times New Roman” , tamanho 12 e estilonormal para a redação do corpo textual do trabalho em desenvolvimento.__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  3. 3. 32.4 Margens Com vistas a permitir uma boa visualização do texto, bem como a sua corretareprodução e encadernação, as seguintes margens devem ser observadas: - margens superior e esquerda de 3,0 cm - margens inferior e direita de 2,0 cm2.5 Espaços No texto utilizar espaçamento entre linhas de 1,5 linhas. Cada novo capítulo começaem nova folha, com título destacado do texto. Neste caso, utilizar fonte "Times New Roman",tamanho 16 e estilo negrito com apenas a primeira letra do texto que indica o novo capítuloem maiúscula. O fim de uma seção1 e o cabeçalho da próxima deverão ser separados duas linhas embranco, mantendo o espaçamento entre linhas de 1,5 linhas. Utilizar o espaçamento entrelinhas de 1,0 linha (simples) em citações destacadas que possuírem acima de três linhas. Casocontrário, deverá ser mentido o espaçamento entre linhas de 1,5 linhas.2.6 Paginação Todas as páginas do trabalho devem ser numeradas. As folhas dos elementos pré-textuais – contra capa, folha de rosto, listas, sumário,... – são identificadas com algarismosromanos minúsculos situados na margem inferior centralizada da página. Os elementostextuais são paginados com algarismos arábicos começando pela introdução ou folha inicialdo texto, na parte superior direita da página, até o final do documento.1 Quando uma seção terminar próximo ao fim de uma página, colocar o cabeçalho da próxima seção na páginaseguinte para manter uma boa distribuição textual do trabalho em desenvolvimento.__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  4. 4. 42.7 Desdobramento em Volumes Quando a obra for separada em dois volumes, a página do título deve ser anexadatambém ao segundo volume, destacando a indicação "Volume I" e "Volume II" logo abaixodo título. A numeração das páginas do segundo volume deve ser uma seqüência do primeirovolume.__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  5. 5. 53 Normas para elaboração de trabalhos Neste capítulo serão descritas técnicas para elaboração dos elementos pré-textuais ecorpo de texto que irão compor o trabalho em desenvolvimento. Serão apresentadas aqui asnormas para desenvolvimento de trabalhos escritos segundos a ABNT. Os anexos A a Jcontêm exemplos de alguns dos itens mencionados neste capítulo, desenvolvidos de acordocom as normas apresentadas.3.1 Roteiro Padrão Os trabalhos individuais ou em grupo, monografias, trabalhos finais de graduação,relatórios de pesquisa e iniciação científica solicitados pelo corpo docente como processo deavaliação de suas disciplinas deverão possuir os seguintes itens, na ordem descrita a seguir:• capa;• folha de rosto;• agradecimentos, oferecimentos (se desejado);• resumo;• lista de símbolos;• lista de figuras;• lista de tabelas;• lista de abreviaturas ou siglas;• sumário;• texto;• anexos (se necessários);• glossário (se necessário);• referências bibliográficas.__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  6. 6. 63.2 Elementos pre-textuais3.2.1 Capa A capa do trabalho deverá conter informações que identifiquem o instituição, título edata (mês e ano) do trabalho em desenvolvimento. No anexo A apresenta-se um modelo queserve de base para confecção da capa. a) Unidade de ensino (identificação da instituição, coordenação e curso) b) Título do trabalho em negrito c) Local (cidade e estado) d) data (ano da defesa ou da apresentação do trabalho)3.2.2 Folha de rosto É a fonte principal de identificação, que contém dados mais completos. Nela, sãorepetidas as informações da capa (em posição contém os elementos de identificação dotrabalho). e) Unidade de ensino (identificação da instituição, coordenação e curso) f) Título do trabal o em negrito h g) Nome completo do candidato h) Natureza do trabalho apresentado (como por exemplo: Trabalho Final de Graduação, Relatório de Pesquisa, Plano de Trabalho, etc.) i) Orientador (qualificação e nome completo) j) Co-orientador (se houver) k) Local (cidade e estado) e data (mês e ano da defesa ou da apresentação do trabalho) No anexo B apresenta-se um modelo que serve de base para confecção da folha derosto.__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  7. 7. 73.2.3 Agradecimentos, oferecimentos (opcionais) Localizados após a folha de rosto, na mesma ordem citada, em páginas separadas.3.2.4 Resumo Consiste na apresentação clara e concisa dos pontos relevantes do trabalho, de maneiraa permitir ao leitor saber da conveniência ou não da sua leitura na íntegra. É redigido pelo autor, em português, em páginas distintas, antecedendo a introdução,sendo escrito em parágrafo único e apresentando uma síntese do conteúdo do trabalho(temática, objetivos, metodologia, resultados, conclusões). Quanto ao estilo, o resumo deve ser composto por uma seqüência de frases completase não por uma enumeração de tópicos; a primeira frase deverá ser significativa, explicando otema principal do documento. Na redação dar preferência ao uso da terceira pessoa dosingular e do verbo na voz ativa. Após o resumo e devem constar palavras-chaves relativasaos assuntos do trabalho. Deve ser do tipo informativo, conforme indica a NBR 6028, seguido de 3 a 5 palavras-chave, conter no máximo 500 palavras e não receber ilustrações (Anexo C). Em caso detrabalhos de grande vulto, deve ser acompanhado de tradução em língua estrangeira, sendoopcional para o Trabalho de Conclusão de Curso3.2.5 Lista de abreviaturas ou siglas Todas as abreviaturas ou siglas devem ser ordenadas alfabeticamente e seguidas deseus respectivos significados, de acordo com as recomendações da ABNT, NBR 10719 ou NB887/89 e a NBR 12256. Ver Anexo E.__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  8. 8. 83.2.6 Lista de símbolos Relacionar os símbolos utilizados na ordem em que aparecem no texto, acompanhadosde seus respectivos significados. Ver Anexo J.3.2.7 Lista de figuras (gráficos, diag ramas, lâminas, etc.) Relacionar as figuras na ordem em que aparecem no texto indicando, para cada uma, oseu número, legenda e página onde se encontra. Ver Anexo G.3.2.8 Lista de tabelas Relacionar as tabelas na ordem em que aparecem no texto indicando, para cada uma, oseu número, legenda e página onde se encontra. Ver Anexo H.3.2.9 Sumário Relaciona as principais divisões e seções do texto, na mesma ordem em que foramelaboradas no corpo do trabalho apresentado – ver Anexo C. O sumário deverá ser localizadoimediatamente após as listas. É aconselhável o uso do sistema de numeração progressiva para numerar as divisões esubdivisões do texto, conforme a norma NBR-6022 da ABNT. No caso do trabalho ser apresentado em mais de um volume, cada um deve conter osumário geral da obra, bem como seu próprio sumário, ocupando páginas consecutivas.__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  9. 9. 93.3 Corpo de texto3.3.1 Texto O texto é a parte do documento onde o conteúdo é apresentado e desenvolvido. Comrelação ao estilo da redação, o trabalho deve ser escrito em linguagem impessoal, na terceirapessoa e ser também inteiramente consistente, isto é, uma convenção ou critério usado emuma página deve ser mantido em todo o texto. A concisão e a clareza do texto ficaminteiramente sob a responsabilidade do orientador, o qual orientará o aluno nas modificaçõesque considerar necessárias. Geralmente consiste em: introdução, revisão de literatura,desenvolvimento e conclusão, divididos em capítulos, conforme a natureza do assunto. A introdução deve fornecer uma visão global da pesquisa realizada, incluindo aformulação de hipóteses, delimitações do assunto tratado e os objetivos da pesquisa. A revisão de literatura apresenta a literatura básica sobre o assunto, resumindo osresultados de estudos feitos por outros autores. A literatura citada deve ser apresentadapreferencialmente em ordem cronológica, em blocos de assuntos, mostrando a evolução dotema de maneira integrada. Todo documento citado (conforme NBR 10520) deve constar nasreferências bibliográficas ao final do trabalho. O desenvolvimento ou corpo do trabalho é a parte mais extensa e visa as informaçõesimportantes, a metodologia do trabalho, os dados coletados e sua análise. No desenvolvimentoconsiderar os seguintes aspectos:a) os materiais, técnicas e métodos devem ser descritos de maneira precisa e breve visando possibilitar a repetição do experimento com a mesma precisão;b) os métodos inéditos desenvolvidos pelo autor devem ser justificados e apontadas as suas vantagens em relação a outros;c) os processos técnicos a que forem submetidos os produtos e os tratamentos empregados devem ser citados;d) às técnicas e métodos já conhecidos deve-se fazer apenas referência e não descrição;e) técnicas novas devem ser descritas com detalhes e novos equipamentos ilustrados com fotografias e desenhos;__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  10. 10. 10f) hipóteses e generalizações que não estejam baseadas nos elementos contidos no próprio trabalho devem ser evitados;g) os dados utilizados na análise estatística figurarão no texto ou em anexo;h) a análise dos dados, sua interpretação e discussões técnicas podem ser conjugados ou separadas, conforme melhor se adequar aos objetivos do trabalho;i) os diversos resultados devem ser agrupados e ordenados convenientemente, podendo vir eventualmente acompanhados de tabelas, gráficos ou figuras, com valores estatísticos para maior clareza;j) os dados experimentais obtidos são analisados e relacionados com os principais problemas que existam sobre o assunto, dando subsídios para a conclusão” (UFP, 1992). A conclusão apresenta, de forma sintética, os resultados da pesquisa, salientando aextensão e a importância de sua contribuição. Deve basear-se em dados comprovados. Para maior clareza no desenvolvimento do texto, adotar o sistema de numeraçãoprogressiva.3.3.2 Numeração Progressiva Consiste na divisão do trabalho em seções (1, 1.1, 1.1.1, 2, 2.1, 2.2...). Não se devesubdividir em seções além da terciária. Para maiores detalhes ver a NBR 6024 da ABNT.3.3.3 Seções primárias Correspondem à divisão "capítulo". São numeradas com a série natural dos númerosinteiros, a partir de um (1), pela ordem de sua colocação no documento. O título desta seçãodeve ser colocado apenas com a primeira letra maiúscula e negritado.__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  11. 11. 113.3.4 Seções secundárias, terciárias, etc. São resultantes da divisão do texto dos capítulos. Numeram-se seqüencialmente com asérie natural dos números inteiros, a partir de um (1) pela ordem de sua colocação norespectivo capítulo. Exemplo: O Capítulo 11 subdivide-se numa seção secundária 11.1 negritada e que se subdivideem 2 seções terciárias, 11.1.1 e 11.1.2. O título da seção secundária, deve ser negritado esomente a primeira letra das palavras do título é maiúscula . Nas seções terciárias e suasramificações os títulos não serão negritados.3.3.5 Alíneas As alíneas incluídas numa seção caracterizam-se por meio de letras do alfabeto latino(a, b, c, ...) pela sua ordem. A letra, seguida de um parêntese, é colocada imediatamente antesda primeira palavra do texto da alínea. Exemplo: ver seção 3.3.7 Citações.3.3.6 Notas de Rodapé Destinam-se a prestar esclarecimentos, comprovar ou justificar uma informação quenão deve ser incluída no texto. As notas de rodapé são colocadas ao pé da página, separadas do texto por uma linha deaproximadamente 1/3 da largura útil da página, a partir da margem esquerda. Deve-se utilizarespaçamento simples. Recomenda-se que a remissão para o rodapé seja feita através denumeração progressiva.__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  12. 12. 123.3.7 Citações As citações devem ser indicadas no texto por um sistema autor-data, ou seja, aindicação da fonte é feita pelo sobrenome do autor ou pela instituição responsável ou, ainda,pelo título de entrada seguido da data de publicação do documento, separados por vírgula eentre parênteses. Quando o nome do autor ou entrada estiver incluído na sentença, indica-se apenas adata, entre parênteses. Quando houver coincidência de autores com o mesmo sobrenome edata de edição, acrescentam-se as iniciais de seus prenomes. As citações de diversosdocumentos de um mesmo autor, publicados em um mesmo ano, são distinguidas peloacréscimo de letras minúsculas após a data e ser espacejamento. Quando for necessário especificar no texto a(s) página(s) ou seção(s) da fonteconsultada, esta(s) deverá(ão) seguir a data, separada(s) pelo designativo que a(s) caracteriza. As citações, conforme NBR 10520/90, podem ser:a) transcrição – reprodução das próprias palavras do texto.b) paráfrase – citação livre do texto. As regras gerais para o uso de citações são:a) É indispensável mencionar os dados necessários à identificação da fonte da citação. Estes dados podem aparecer no texto, em nota de rodapé ou em lista no fim do texto. A primeira citação de uma obra deve ter sua referência bibliográfica completa (ver NBR 6023). As subsequentes citações da mesma obra podem ser referenciadas d forma abreviada, desde e que não haja referências intercaladas de outras obras do mesmo autor. Na indicação destas referências subsequentes podem ser adotadas as expressões latinas: - apud – citado por, conforme, segundo; - ibidem ou ibid. – na mesma obra; - idem ou id – igual à anterior; - opus citatum ou op. cit. – obra citada; - passim – aqui e ali;__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  13. 13. 13 - sequentia ou seq. – seguinte ou que se segue. Quando há vários livros citados do mesmo autor, pode-se usar títulos abreviados, desde que identificados da primeira vez que aparecem ou em lista de abreviaturas, precedendo o texto.b) Para obras de autoria coletiva, ao indicar dois autores, utiliza-se o &. Exemplo: (Souza & Barros, 1999). Em caso de mais de dois autores, pode-se indicar o nome do primeiro seguido da expressão et al. (e outros). Exemplo: Arantes et al. (1999) afirmam...c) As transcrições do texto devem aparecer entre aspas ou destacadas graficamente. Devem ser indicadas as supressões, interpolações, comentários, ênfase ou destaques do seguinte modo: - supressões – “........” - interpolações ou comentários – [.......] - ênfase ou destaque – grifo, negrito, itálico, etc. Souza (1999) esclarece que “a produção do aço para edificações de grande porte deve obedecer cuidados especiais no que toca a ductibilidade, dureza e resistência do mesmo”. Ou... “A produção do aço para edificações de grande porte deve obedecer cuidados especiais no que toca a ductibilidade, dureza e resistência do mesmo” (Souza, 1999). Nas transcrições acima de três linhas deve-se fazer a duplicação do espaçamento paraa entrada de parágrafo e a diminuição do entrelinhamento de 1,5 linhas para 1,0 linha(simples). Jardim (1998) ao tratar sobre as persepções de uso do laboratório afirma: Uma das possíveis formas de utilização do laboratório é, na visão cognitiva, a de, através de experiências selecionadas pelo professor, conseguir que o aluno explicite suas idéias. (...) Esse procedimento pode levar o aluno a demonstrar e objetivar sua estrutura conceitual, o que lhe possibilitaria suas soluções quando confrontadas com novas situações que não pudessem ser resolvidas através deste conhecimento.d) Na citação de citação (quando o autor diretamente consultado cita outro), identifica-se a obra diretamente consultada: o autor e/ou obra citada é indicado da seguinte maneira: Silva apud Pessoa.__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  14. 14. 14 Deve-se considerar os conceitos “como formas de organizar e dar significado às experiências pessoais − etapas de um desenvolvimento conceitual contínuo e ativo” (Santos apud Jardim, 1999, p. 69)e) Caso o trecho a ser transcrito já possua uma citação, ou uso se aspas como destaque, deve- se utilizar aspas simples. Exemplo: “a palavra possui ′força integradora, ou seja, garante a articulação de conceitos′, e ainda...”.f) Quando se tratar de dados obtidos por informação oral (palestras, debates, comunicações, etc.), indicar entre parênteses a expressão: informação verbal.g) Na citação de trabalhos em fase de elaboração, trabalhos não publicados, etc., deve ser mencionado o fato, indicando-se os dados bibliográficos disponíveis. A NBR 12256 (apresentação de originais para publicação) recomenda que toda citaçãofeita no texto tenha sua referenciação indicada na Bibliografia, no final do trabalho (vejaSeção 3.4). Outras dúvidas devem ser retiradas com uso da NBR 10520 e da NBR 12256 –p.2 citações.3.3.8 Ilustrações A NBR 10719/89 indica que “as ilustrações compreendem as tabelas e figuras, alémde fórmulas matemáticas, físicas e químicas e símbolos. As figuras compreendem as imagensvisuais extensivas ao texto, como mapas, fotografias, desenhos, esquemas, diagramas, etc.". A apresentação de tabelas, quadros e figuras é fixada pela NBR 12256 (apresentaçãode originais para publicação), havendo indicações complementares na Diretiva – parte 3/1995,ambas da ABNT.3.3.9 Apresentação gráfica As ilustrações devem ser apresentadas de forma clara e legível tanto no original comonas cópias a serem obtidas. Os títulos e legendas que acompanham as ilustrações, devemacompanhar a nitidez do texto.__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  15. 15. 15 São consideradas figuras: fotografias, mapas, desenhos, gráficos, diagramas, etc. Asfiguras devem ser mencionadas no texto e inseridas logo após esta menção. O título deve serdisposto abaixo da figura e quando não for criação dos autores do texto deve ter sua fontemencionada, abaixo do título. São considerados quadros as apresentações de tipo tabular que não empregam dadosestatísticos. As tabelas são usadas para facilitas a apresentação de informações. Sãoconstituídas por linhas verticais e horizontais, indicando dados percentuais. A tabela deve ser mencionada no texto para então ser inserida no mesmo. O título édisposto acima da tabela. Caso a tabela não tenha sido elaborada pelo autor, deve sermencionada a autoria embaixo da tabela, indicando-se: a expressão “Fonte:”, seguida doTítulo do livro, editora e ano de publicação. As tabelas podem ou não ser abertas nas laterais. Caso algum valor tabulado mereçaexplicação, esta poderá ser salientada por um asterisco abaixo da tabela (colocar o mesmosímbolo ao lado direito e acima do valor em destaque). Quando uma tabela ocupar mais deuma página, não será delimitada na parte inferior repetindo-se o cabeçalho na página seguinte,com seu número repetido seguido de “continuação”. Exemplo: Tabela 1 (continuação) naspáginas intermediárias e Tabela 1 (conclusão) na última página. Os cabeçalhos das colunasdevem ser repetidos em cada uma das páginas.3.3.10 Numeração As ilustrações são numeradas com a série natural dos números inteiros, a partir de um(1). A NBR 10719 indica que “as ilustrações devem ter numeração arábica seqüencial aolongo do texto, independentemente para tabelas e figuras”, e “as figuras devem ser numeradasseqüencialmente ao longo do texto, independente do tipo”. As tabelas devem ser numeradas com algarismos arábicos, começando por 1. Estanumeração deve ser independente da numeração das seções e das figuras. Fórmulas só serãonumeradas quando isto contribuir para uma maior clareza do texto.__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  16. 16. 163.3.11 Título Toda ilustração que irá compor o texto em desenvolvimento deve ser mencionada notexto e possuir um título, colocado abaixo da mesma, com exceção da tabela, que serámencionada no texto e terá o seu título na parte superior.3.3.12 Localização As ilustrações deverão ser localizadas preferencialmente, no próprio texto onde sãoreferenciadas. Dependendo do volume de ilustrações a serem apresentadas, as mesmaspoderão ser reunidas em um anexo. Deixar um espaço entre a figura e o texto para separar osdois blocos de informação.3.4 Bibliografia Bibliografia é um conjunto de elementos que permite a identificação de documentosutilizados, no todo ou em parte, pelo autor de um trabalho. A correta e completa identificaçãode um texto facilitará o processo de sua localização e obtenção por um leitor interessado. As bibliografias podem aparecer em nota de rodapé ou de fim de texto, em listabibliográfica ou encabeçando resumos. Deverão seguir a NBR 6023 que fixa a forma dereferenciação de vários materiais (livros, revistas, legislação, etc.), citando exemplos paracada um deles. O procedimento de quem consulta a norma é inicialmente enquadrar o materialconforme as modalidades previstas na norma (Monografias, Seriados, Patentes, ReferênciaLegislativa) e apenas seguir fielmente os exemplos, observando que a indicação inicialoferece a noção dos elementos constitutivos da referência e só depois, seguido da expressão“P. ex.:” vem a forma exata para a elaboração da referência. As especificações a seguir identificam os elementos das referências bibliográficas eestabelecem uma ordem ou seqüência padronizada para sua apresentação. Os elementos para a__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  17. 17. 17referenciação seguem, em geral, uma única ordem de descrição, embora tenhamcaracterísticas próprias quanto à forma de apresentação. Alguns exemplos de referênciasbibliográficas estão disponíveis no Anexo I.3.4.1 Especificação e ordem dos elementos3.4.1.1 Monografias ( livros, folhetos, separatas, dissertações, etc.)- se consideradas no todo, devem conter: - autor; - título; - indicações de responsabilidade (ex.: Organizada por Manuel Bandeira, Revisão crítica por Maximiano de Carvalho e Silva). - edição; - imprenta (local, editor e ano de publicação); - descrição física (número de páginas ou volumes), ilustração, dimensão; - série ou coleção; - notas especiais; - ISBN. O quadro abaixo ilustra um exemplo da referência bibliográfica de um livro, utilizado para a realização de um trabalho. Ex.: BECKER, Fernando. A epistemologia do professor: o cotidiano da escola. 45.ed. Petrópolis: Vozes, 1996. Observa-se que a partir da segunda linha as informações seguem embaixo da terceira letra.Além destes dados essenciais, pode-se acrescentar outros, de uso opcional, presentes no itemacima citado. se consideradas em parte, devem conter: - autor; - título;__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  18. 18. 18 - edição; - imprenta (local, editor e ano de publicação); - descrição física (número de páginas ou volumes); - localização da parte referenciada- se consideradas em partes com autoria própria, devem conter: - autor da parte referenciada; - título da parte referenciada; - referência da publicação no todo precedida de In; - localização da parte referenciada.3.4.1.2 Seriados (revistas, jornais, etc.)- se considerados no todo, devem conter: - título da revista; - local de publicação; - editor (entidade responsável, se não constar do título e/ou editor comercial); - data (ano) do primeiro volume e, se a publicação cessou, também do último; - periodicidade (semanal, mensal, bimestral, etc. ou freqüência irregular); - notas especiais (títulos anteriores, indicação de resumos, etc.); - ISSN.- se consideradas em parte (fascículos, suplementos, números especiais, etc.), devem conter: - título da coleção; - título do fascículo, suplemento de número especial se houver; - local e editor; - indicação de volume, número e data; - número total de páginas do fascículo, etc.; - nota indicativa do tipo de fascículo. Ex.: VEJA. As perspectivas do Brasil no século XXI. São Paulo: Abril, v. 32, n. 45, set. 1999.__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  19. 19. 19 Neste caso observa-se que o destaque é dado para o nome da revista, que vem em letras maiúsculas.- artigos, etc. em revistas devem conter: - autor do artigo; - título do artigo; - título da revista; - título do fascículo, suplemento ou número especial, quando houver; - local de publicação; - número do volume, fascículo, páginas inicial e final do artigo; - mês (ou equivalente) e ano (do fascículo, suplemento ou número especial); - nota indicativa do tipo de fascículo, quando houver (suplemento, número especial, etc.). Ex.: BLANCH, Régia Maria Avancini. Buscando elementos para caracterizar a ciência que se ensina e se aprende. Ensaios e Ciência, Campo Grande, MS, v.2, n.3, p. 43-64, dez. 1998.- artigos, etc. em jornais devem conter: - autor do artigo; - título do artigo; - título do jornal; - local de publicação; - data (dia, mês e ano); - descrição física (número ou título do caderno, seção, suplemento, páginas do artigo referenciado e número de ordem das colunas). A seguir, um exemplo de referência bibliográfica para artigo de jornal com autoria: COUTINHO, W. L. Junta Comercial desativada em Campo Grande. Correio do Estado, Campo Grande, MS, 7 abr. 1999. Caderno B, p.12. A seguir, um exemplo de referência bibliográfica para artigo de jornal sem autoria:__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  20. 20. 20 VIOLÊNCIA no cinema. Folha de São Paulo, São Paulo, 5 nov. 1999. P. 12, c. 5. Observe que neste caso, utiliza-se o nome do artigo como entrada, mas o nome do jornal éque recebe destaque.3.4.1.3 Patentes As suas referências devem conter: - nome e domicílio do depositante, do inventor e do titular (concessionário ou instituição que colaborou ou patrocinou a invenção e pessoa física ou jurídica, quando houver). Mencionar os elementos repetidos apenas uma vez; - título da invenção na língua original; - Classificação Internacional de Patentes País (sigla do País segundo o Código Internacional de duas letras) seguido do número do depósito, número da publicação e da patente expedida, quando houver; - data do depósito, da publicação do pedido de privilégio e da expedição da carta patente, quando houver; - indicação da publicação onde foi citada a patente.3.4.1.4 Referência legislativa- Acórdãos, decisões e sentenças das cortes ou Tribunais: - nome do local (país, estado ou cidade); - nome da Corte ou Tribunal; - ementa ou acórdão; - tipo e número do recurso (agravo de instrumento, agravo de petição, apelação civil, apelação criminal, embargo, habeas-corpus, mandado de segurança, recurso extraordinário, recurso de revista, etc.); - partes litigantes; - nome do relator precedido da palavra Relator; - data do acórdão sempre que houver; - indicação da publicação que divulgou o acórdão, decisão, sentença, etc. de acordo com as regras cabíveis a seguir; - voto vencedor e voto vencido.__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  21. 21. 21- Leis, decretos, portarias, etc. - nome do local (país, estado ou cidade); - título (especificação da legislação, número e data); - ementa; - indicação da publicação oficial.3.4.2 Documentos eletrônicos considerados no todo3.4.2.1 Livros e folhetos A entrada é feita pelo sobrenome do autor, seguido pelo prenome. Informa-se então otítulo do livro, com a suporte2 colocado entre colchetes []. A seguir indica-se a edição, o localde edição, o ano da edição, a editora, a data da citação e a disponibilidade de acesso. MARZOCHI, Marcelo (org.). Am@ar e outras histórias. – Livro de Contos. [on line]. São Paulo: Fun. Biblioteca Nacional, 1999. [citado em 07 05 00]. Disponível na Internet: http://member.xoom.com/marzochi/contos.html.3.4.2.2 Teses e dissertações A entrada é feita pelo sobrenome do autor, seguido pelo prenome. Informa-se então otítulo da tese ou dissertação, seguida do suporte, local, data/ano, número de páginas ouvolumes, data da citação, informação da categoria, grau do trabalho (tese de doutorado,dissertação de mestrado...), área de concentração. Disponibilidade de acesso. DANTAS, Ana Lúcia F. Lucena. Atividade Terística e os caminhos sustentáveis: um estudo de caso no município de Ranche Queimado, SC. [on line]. Florianópolis: 1998. [citado em 02 05 00]. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção). Disponível na Internet: http://www.eps.ufsc.br/informática/pub.htm3.4.2.3 Eventos eletrônicos A entrada é feita pelo nome do evento, o número, o ano e o local de realização.Seguido do título do documento, o suporte, nome da editora, data da edição, número depáginas ou volume e a disponibilidade de acesso.2 A palavra suporte está sendo utilizada para todo tipo de meio no qual o documento está disponível.__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  22. 22. 22 CONGRESSO EUCARÍSTICO NACIONAL, 25., Rio de Janeiro, 19997. [citado em 14 09 98]. Anais... [on line]. Rio de Janeiro: Universidade Católica, 1997. Disponível na Internet: www.pucrj.universidadecatolica.br/congresso/doc7.htm.3.4.3 Documentos eletrônicos considerados em partes3.4.3.1 Partes de livros eletrônicos (trechos, fragmentos, volumes sem autoria especial A entrada é feita pelo sobrenome do autor, seguido do prenome. Informa-se então otítulo do livro, com o suporte colocado entre colchetes []. A seguir indica-se a localização daparte referenciada, a data da citação e a disponibilidade e acesso. RODRIGUES, Julio, LOPES, J. Antonio., MAEQUES, Cesar. Adimistração pública em destaque. [on line]. Porto Alegre: UFRGS, 1997. [citado em 16 08 98]. Cap. 13 : Administração Municipla. Disponível na Internet: www.ufrgs.adm/admp/doc4.htm.3.4.3.2 Partes de livros eletrônicos com autoria própria A entrada é feita pelo sobrenome do autor, seguido do prenome. Informa-se então otítulo do livro da parte referenciada da publicação no todo, precedida de In:, o suportecolocado entre colchetes []. A seguir indica-se a localização da parte referenciada, a data dacitação e a disponibilidade e acesso (no caso de suporte on line). CASTRO, Romero. A escolha. In: MARQUES, Cristina. (org.). Retratos de una Guerra. [on line]. [s.I.]: J.M. editora, 1998. [citado em 21 08 98]. Disponível na Internet: http://www.geocites.com/escolha.htm/.3.4.3.3 Trabalhos apresentados em congressos A entrada é feita pelo sobrenome do autor, seguido do prenome. O nome do congressoprecedido de In:, número, ano, local de realização, título da publicação em destaque, suporte[] local, editora, data, páginas inicial e final do trabalho, disponibilidade e acesso.__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  23. 23. 23MALHEIROS, M. R. T. L,, ARAÚJO, C. B. Z. M. Formação docente: parceria ecomnhecimento: A Prática de Ensino Revisitada. In: I MOSTRA UNIDERP DECIÊNCIA E TECNOLOGIA, 1., Campo Grande, 1999. Anais..., [on line]. CampoGrande, UNIDERP, 1999. [citado em 20 04 00]. Disponível na Internet:http://www.uniderp/mostra/humsocapl.html.3.4.4 Publicações periódicas eletrônicas (jornal e revista)3.4.4.1 Artigos de jornais eletrônicos A entrada é feita pelo sobrenome do autor em caixa alta, ou seja, letra maiúscula,seguido do prenome. A seguir informa-se o título do artigo, seguido do título do jornal,utilizando-se do recurso de destaque escolhido (negrito, itálico ou sublinhado), o suporteentre colchetes []. O local de edição do jornal, a data (dia, mês e ano) da edição. A da dacitação entre colchetes []. A discrição física (número ou título do caderno, seção, suplemento,página do artigo referenciado e número de ordem das colunas). Como elemento final dareferência, informa-se a disponibilidade e acesso. SZAJAMAN, Abram.A reboque da globalização. Folha de São Paulo. [on line]. São Paulo, 16 mai. 2000. [citado em 20 05 00]. Caderno A, Opinião, p. 3. Disponível na Internet: http://www.uol.com.br/folha/szajaman.htm.3.4.4.2 Artigos de revistas eletrônicos A entrada é feita pelo sobrenome do autor, seguido do prenome. Informa-se então otítulo da revista, utilizando recurso de destaque (negrito, itálico ou sublinhado) seguida dosuporte, local, volume, número de páginas inicial e final do artigo, data (mês/meses queabrange o fascículo, ano), a data da citação entre colchetes []. A disponibilidade e acesso. SILVA, Anielsom Barbosa da. O desafio do administrador do futuro: ser um eterno aprendiz. Revista virtual de administração. [on line]. V.2, n.4, mar./abr., 2000. [citado em 07 05 00]. Disponível na Internet: http://www.academia.cjb.net/.__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  24. 24. 243.4.5 Correio eletrônico A entrada é feita pelo sobrenome do remetente, seguido do prenome, endereçoeletrônico colocado entre parênteses (), assunto da mensagem em destaque (negrito, itálico ousublinhado), nome do destinatário e seu endereço eletrônico e a data da mensagem. SILVEIRA, Rosa Maria (xpto@rantacc.com.br). copyright. e-mail para: Sarita Lopez Sanches (sanches@rantacc.com.br). 22.set. 1998.3.4.6 Fontes de informação Os elementos da referência devem ser retirados, sempre que possível, da folha-de-rosto (página-de-rosto) ou outras fontes equivalentes.3.4.7 Regras gerais de apresentação As referências bibliográficas têm a margem da segunda linha em diante, sob a terceiraletra da entrada.3.4.8 Pontuação- deve-se usar uma forma consistente de pontuação para todas as referências incluídas numa lista ou publicação. Os vários elementos da referência bibliográfica (nome do autor, título da obra, edição, imprenta e notas especiais) devem ser separados entre si por uma pontuação uniforme. Os subelementos, dentro de um elemento, também devem ser separados por uma pontuação uniforme;- emprega-se vírgula entre o sobrenome e o nome do autor (pessoa física) quando invertido;- ligam-se por hífen as páginas inicial e final da parte referenciada, bem como as datas limites de determinado período da publicação;__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  25. 25. 25- ligam-se por barra transversal os elementos do período coberto pelo fascículo referenciado;- indicam-se entre colchetes os elementos que não figuram na obra referenciada;- empregam-se reticências nos casos em que se faz supressão do título.3.4.9 Tipos e corpos- deve-se usar uma forma consistente de destaque tipográfico para todas as referências incluídas numa lista ou publicação.3.4.10 Autor3.4.10.1 Pessoas físicas- indica(m)-se o(s) autor(es) físico(s) geralmente com a entrada pelo último sobrenome seguido do(s) prenome(s).;- os nomes são transcritos tal como figuram no trabalho referenciado. Em bibliografias, entretanto, padroniza-se o nome do autor;- quando a obra tem até três autores mencionam-se todos na entrada, na ordem em que aparecem na publicação;- se há mais de três autores, mencionam-se até os três primeiros seguidos da expressão et al;- obras constituídas de vários trabalhos ou contribuições de vários autores entram pelo responsável intelectual (organizador, coordenador, etc.) se em destaque na publicação, seguido da abreviação da palavra que caracteriza o tipo de responsabilidade, entre parênteses. Em bibliografia deve-se fazer remissiva do título;- em caso de autoria desconhecida entra-se pelo título. O termo “anônimo” não deve ser usado como substituto para o nome do autor desconhecido;- no caso de obra publicada sob pseudônimo, este deve ser adotado na referência. Quando o verdadeiro nome for conhecido é indicado entre colchetes, depois do pseudônimo.3.4.10.2 Entidades coletivas- as obras de responsabilidade de entidades coletivas têm geralmente entrada pelo título, com exceção de anais de congressos e de trabalhos de cunho administrativo, legal, etc.;__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  26. 26. 26- quando a entidade coletiva tem uma denominação genérica, seu nome é precedido pelo órgão superior. Quando a entidade coletiva, embora vinculada a um órgão maior, tem uma denominação específica que a identifica, entra-se diretamente pelo seu nome. Em caso de ambigüidade coloca-se, entre parênteses, no final, o nome da unidade geográfica a que pertence.3.4.11 Título O título é reproduzido tal como figura na obra ou trabalho referenciado, transliteradose necessário.3.4.11.1 Supressões no título- em títulos demasiadamente longos, pode-se suprimir algumas palavras, desde que a supressão não incida sobre as primeiras e não altere o sentido. A supressão é indicada por reticências;- os subtítulos podem ser suprimidos, a não ser que forneçam informação essencial sobre o conteúdo do documento;- se há mais de um título ou se o título aparece em mais de uma língua, registra-se o título que estiver em destaque ou em primeiro lugar.3.4.11.2 Acréscimos ao título- quando necessário, faz-se a tradução do título, entre colchetes, em seguida ao título;- quando necessário, acrescentam-se ao título outras informações, na forma como aparecem na publicação;3.4.11.3 Título de seriados- no caso de periódicos como um todo, o título é sempre o primeiro elemento da referência, mesmo quando há um autor, pessoa física ou entidade coletiva;- no caso de periódico com título genérico, incorpora-se o nome da entidade autora ou editora, ligados por uma flexão gramatical, entre colchetes;- quando necessário abreviam-se os títulos dos periódicos, conforme a NBR 6032.__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  27. 27. 273.4.11.4 Edição- indica-se a edição, quando mencionada na obra, em algarismo(s) arábico(s)0 seguido(s) de ponto e da abreviatura da palavra “edição” no idioma da publicação;- indicam-se emendas e acréscimos à edição, de forma abreviada.3.4.11.5 Imprenta3.4.11.6 Local de publicação- o nome do local (cidade) deve ser indicado tal como figura na publicação referenciada. No caso de homônimos, acrescenta-se o nome do país, estado, etc.- quando há mais de um local, para um só editor, indica-se o mais destacado- quando a cidade não aparece na publicação, mas pode ser identificada, indica-se entre colchetes;- não sendo possível determinar o local, indica-se entre colchetes [S. l.] (Sine loco).3.4.11.7 Editor- o nome do editor deve ser grafado tal como figura na publicação referenciada, abreviando- se os prenomes e suprimindo-se outros elementos que designam a natureza jurídica ou comercial do mesmo, desde que dispensáveis à sua identificação;- quando há mais de um editor indic a-se o mais destacado. Se os nomes dos editores estiverem em igual destaque, indica-se o nome do primeiro. Os nomes dos demais poderão ser também registrados com seus respectivos locais;- quando o editor não aparece na publicação, mas pode ser identificado, indica-se entre colchetes;- quando o editor não é mencionado, pode-se indicar o impressor. Na falta de editor e impressor, indica-se, entre colchetes [s. n.] (sine nomine);- quando o local e o editor não aparecem na publicação, indica-se entre colchetes [S. l. : s. n.];- não se indica o nome do editor quando ele é o autor.__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  28. 28. 283.4.11.8 Data- indica-se sempre o ano de publicação em algarismos arábicos;- se nenhuma data de publicação, distribuição, copyright, impressão, etc. puder ser determinada, registre uma data aproximada entre colchetes. Por exemplo: - [1981?] para data provável - [ca. 1960] para data aproximada - [197?] para década certa - [18--] para século certo - [18--?] para século provável- nas referências bibliográficas de monografias em vários volumes, periódicos ou publicações seriadas considerada no todo, indica-se a data inicial seguida: a) de hífen, no caso de monografias e periódicos em curso de publicação; b) de hífen e data do último volume publicado, em caso de publicação encerrada;- os meses devem ser abreviados no idioma original da publicação, de acordo com a lista do Anexo I;- não se abreviam os meses designados por palavras de quatro ou menos letras;- se a publicação indicar, em lugar dos meses, as estações do ano ou as divisões do ano em trimestres, semestres, etc., transcrevem-se as primeiras tal como figuram na publicação e abreviam-se as últimas.3.4.12 Descrição física3.4.12.1 Número de páginas ou volumes- quando a publicação só tem um volume, indica-se o número de páginas, seguido da abreviatura “p.”;- quando a publicação tem mais de um volume, indica-se o número destes seguido da abreviatura “v.”. Se o número dos volumes bibliográficos diferir do número dos volumes físicos registrar da seguinte forma, por exemplo: 8 v. em 5;- só se indicam as páginas numeradas em algarismos romanos quando contém matéria relevante, grafando-se em minúsculas;__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  29. 29. 29- os números das páginas, inicial e final, de parte de publicações avulsas e de artigos de periódicos, são precedidos da abreviatura “p.”;- quando a publicação não for paginada, ou paginada irregularmente, registra-se da seguinte forma: “não paginado” ou “paginação irregular”.3.4.12.2 Material especial Registra-se o número de unidades físicas do material que está sendo descrito, dando onúmero das partes em algarismos arábicos e a designação específica do material. Em caso denecessidade pode-se indicar entre parênteses outras especificações.3.4.12.3 Ilustrações Indicam-se as ilustrações de qualquer natureza pela abreviatura “il.”.3.4.12.4 Dimensões Indica-se a altura da publicação em centímetros e, em caso de formatos excepcionais,menciona-se, em seguida, a largura.3.4.12.5 Séries e coleções Transcrevem-se os títulos das séries ou coleções e sua numeração tal como figuram napublicação.3.4.13 Notas especiais São informações suplementares que podem ser acrescentadas ao final da referênciabibliográfica.3.4.13.1 Documentos traduzidos- indica-se o título ou o idioma original, quando mencionado, em nota especial;- no caso de tradução feita com base em outra tradução, indica-se além da língua do texto traduzido, a do texto original;__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  30. 30. 303.4.13.2 Separatas, reimpressões, etc. Transcreve-se a indicação tal como figura na publicação.3.4.13.3 Dissertações, teses, etc. Faz-se a indicação do seguinte modo: Dissertação (Mestrado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Sociais, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 1974.3.4.13.4 Outras notas Outras notas julgadas de interesse podem ser acrescentadas às previstas nesta seção,como por exemplo:- edição limitada 100 cópias;- Escala 1:250.000;- Escalas variam;- ISBN ...- Disco compacto.3.4.14 Lista ordenada de referências bibliográficas- ordenação – a ordenação da lista pode ser alfabética, sistemática (por assunto) ou cronológica. As referências devem ser numeradas consecutivamente, em ordem crescente;- autor repetido – o nome do autor de várias obras referenciadas sucessivamente deve ser substituído, nas referências seguintes à primeira, por um travessão;- título repetido – o título de várias edições de um documento referenciado sucessivamente deve ser substituído por um travessão nas referências seguintes à primeira;- remissivas – nas bibliografias fazem-se remissivas “ver” e “ver também” sempre que necessário.__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  31. 31. 313.5 Glossário Constitui-se de uma lista em ordem alfabética, de palavras especiais, de sentido poucoconhecido ou obscuro ou mesmo, de uso muito restrit o, ou palavras em inglês acompanhadasde suas respectivas definições. A NBR 10719 indica sobre o glossário: “localiza-se após asbibliografias, iniciando em página de frente (anverso)”.3.6 Anexos São constituídos por material suplementar ao texto, colocados após o mesmo, para finsde esclarecimento ou documentação. Não constituem parte essencial para o entendimento dotrabalho e podem ser formados por conjuntos de tabelas muito detalhados para sua inclusãono texto, notas técnicas sobre métodos, esquemas, cópias de documentos geralmente nãoacessíveis ao leitor, estudos de casos muito longos, figuras, listagens, e quaisquer outrosmateriais ilustrativos. A NBR 10719 indica que os anexos devem ser identificados através de letrasmaiúsculas consecutivas e seus respectivos títulos. Exemplo: ANEXO A A.1 – Introdução A.2 A.3 A.3.1 A.3.1.1__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  32. 32. 324 Normas para confecção de artigos4.1 ROTEIRO PADRÃO Os artigos científicos devem possuir os seguintes itens, na ordem:• Título;• Nome dos autores;• Filiação institucional;• Resumo e Abstract;• Palavras-chave e Keywords;• Introdução;• Seções de desenvolvimento;• Conclusões e/ou Sugestões;• Notas (caso houver);• Anexos (caso houver);• Referências Bibliográficas. Para a elaboração de artigos devem ser seguidas as normas apresentadas a seguir, asconstantes nos capítulos 2 e 3 (com exceção da seção 3.5 e 3.6) deste manual. Os artigosdeverão conter de 10 (dez) a 12 (doze) páginas.4.2 Títulos Os títulos (em letras maiúsculas) deverão ser concisos e indicarem objetivamente oassunto tratado.4.3 Nome dos autores e filiações instituições Os nomes dos autores não deverão ser abreviados. As suas filiações institucionais,aparecerão por extenso e em hierarquia crescente, abrangendo os nomes do Departamento(laboratório ou seção), Unidade (faculdade, escola, centro, instituto, núcleo) e Instituição__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  33. 33. 33(universidade, secretaria, empresa...). Segue-se o endereço completo da instituição,acrescentando-se fax e e-mail (se houver).4.4 Resumo e abstract O resumo deverá ser feito de acordo com as normas apresentadas no capítulo 3 destemanual. O abstract é a tradução do resumo para o Inglês.4.5 Palavras-chave e keywords As palavras-chave deverão situar claramente os eixos temáticos do trabalho, partindo-se do mais amplo para o mais específico e evitando-se a mera repetição de termos presentesno título. As Keywords são a tradução das palavras-chave para o Inglês.4.6 Introdução A introdução abrangerá uma breve revisão atualizada do tema e a organização dasseções do artigo.4.7 Desenvolvimento O desenvolvimento ou corpo do texto é a parte mais extensa e apresenta asinformações importantes, a metodologia do trabalho, os dados coletados e sua análise, bemcomo, a exposição objetiva dos resultados alcançados e sua discussão, que deverão serinterpretados e relacionados com os já existentes.__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  34. 34. 344.8 Conclusões Nas conclusões deverão ser evidenciados os avanços, limites e resultados da pesquisa,salientando a extensão e a importância de sua contribuição. Deve basear-se em dadoscomprovados.4.9 Bibliografia As referências bibliográficas são a indicação completa das fontes (livros, apostilas,revistas, etc.) utilizadas para a elaboração deste plano de trabalho e devem seguir asorientações constantes na seção 3.4 deste manual.__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  35. 35. 355 Normas para confecção de plano de trabalho5.1 Roteiro padrão O Plano de Trabalho é o roteiro que prevê, inicialmente, as ações necessárias para aelaboração e implementação de um trabalho. Enquanto documento, segue as regrasestabelecidas para os trabalhos acadêmicos, com algumas adaptações, devendo conter:• Folha de Rosto;• Sumário;• Introdução;• Justificativa;• Objetivos;• Metodologia;• Cronograma;• Bibliografia.5.1.1 Folha de rosto A folha de rosto deve ser feita de acordo com o modelo proposto neste manual, comoilustrado no Anexo B.5.1.2 Sumário O sumário deve ser feito de acordo com as normas constantes na seção 3.2.9 destemanual. O Anexo D apresenta um exemplo de sumário__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  36. 36. 365.1.3 Introdução A introdução deve apresentar uma breve contextualização do tema abordado no trabalho.5.1.4 Justificativa A justificativa aponta a relevância social e acadêmica do trabalho a ser desenvolvido.Deve esclarecer a situação encontrada atualmente, enfatizando os problemas a seremresolvidos, bem como a viabilidade das soluções.5.1.5 Objetivos Os objetivos indicam com extrema cl reza o que se pretende alcançar com o adesenvolvimento do trabalho. Devem ser apresentados o objetivo geral e os objetivosespecíficos. 1. Objetivo Geral Apresenta o objetivo geral do trabalho, ou seja, o que se pretende atingir com odesenvolvimento do trabalho. Ex.: Construir um programa de computador que permita o controle de acesso deacadêmicos aos laboratórios de informática do IMEC. 2. Objetivos Específicos Relacionam-se as ações que deverão ser realizadas de modo a se alcançar o objetivogeral. Ex.: • Diagnosticar os acadêmicos que freqüentam os laboratórios; • Controlar o cadastro dos acadêmicos, incluindo suas identificações, turmas e disciplinas;__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  37. 37. 37 • ...; • Gerar relatórios analíticos da disponibilidade dos laboratórios, considerando a freqüência de utilização.5.1.6 Metodologia A metodologia abrange a descrição das ações, técnicas e recursos (humanos emateriais) a serem utilizados durante o desenvolvimento do trabalho. Neste item devem serenfatizados os motivos técnicos e teóricos para a adoção de diferentes caminhos. Exigefundamentação teórica (com utilização de vários autores).5.1.7 Cronograma O cronograma é a contraposição entre a quantidade de ações a serem desenvolvidas e aprevisão do tempo disponível para tanto. Geralmente é elaborado através de uma tabela eserve de guia de orientação para a consecução do trabalho.5.1.8 Bibliografia As referências bibliográficas são a indicação completa das fontes (livros, apostilas,revistas, etc.) utilizadas para a elaboração deste plano de trabalho e devem seguir asorientações constantes na seção 3.4 deste manual.__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  38. 38. 38BibliografiaANDRADE, Maria margarida. Introdução ao trabalho científico. 3. Ed. São Paulo: Atlas, 1998.ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Referências Bibliográficas. NBR 6023. Rio de Janeiro, ago. 1989a.______________. Resumo. NBR 6028:Rio de Janeiro, maio 1990.______________. Apresentação de citações em documentos, NBR 10520. Rio de Janeiro, abr. 1992.______________. Apresentação de Relatórios Técnicos-científicos. NBR 10719. Rio de Janeiro, ago. 1989b.DEMO, Pedro. Introdução à metodologia da ciência. São Paulo: Atlas, 1995.INÁCIO FILHO. Geraldo. A monografia na Universidade. 2. Ed. Campinas: papirus, 1995.MARTINS, Gilberto de Andrade. Manual para elaboração de monografias. São Paulo: Atlas, 1990.MÜLHER, Mary Stela, CORNELSEN, Mary. Normas e padrões para teses, dissertações e monografias. 2. Ed. Londrina: Ed. UEL, 1999__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  39. 39. 39GlossárioABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicasapud – citado por, conforme, segundoibidem ou ibid. – na mesma obraidem ou id – igual à anterioropus citatum ou op. cit. – obra citadapassim – aqui e alisequentia ou seq. – seguinte ou que se segue__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  40. 40. 40 ANEXOS__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  41. 41. 41ANEXO A – Exemplo de capa3 3 cm UNIDERP – UNIVERSIDADE PARA O DESENVOLVIMENTO DO ESTADO E DA REGIÃO DO PANTANAL TÍTULO DO TRABALHO 3 cm 2 cm [Cidade] – [Estado] [Ano de Publicação] 2 cm3 As bordas só estão sendo usadas nos anexos A e B para simular os limites do papel, em uma capa ou folha derosto, elas são dispensáveis.__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  42. 42. 42ANEXO B – Exemplo de folha de rosto 3 cm UNIDERP – UNIVERSIDADE PARA O DESENVOLVIMENTO DO ESTADO E DA REGIÃO DO PANTANAL COORDENADORIA DOS CURSOS DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO, PROCESSAMENTO DE DADOS E ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO CURSO DE (nome do curso) TÍTULO DO TRABALHO 3 cm 2 cm por NOME DO ALUNO Nº da Matrícula – Departamento – Instituição de Ensino Trabalho Final Prof. [Msc./Dr.] [nome do professor] Orientador [Cidade]/[Estado], [mês] de [ano de publicação]. 2 cm__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  43. 43. 43ANEXO C – Exemplo de resumo Resumo O presente estudo trata da qualidade total no âmbito empresarial. O objetivo desta pesquisa, de tipo descritivo, foi determinar a quantidade e ramo de empresas situadas em Campo Grande-MS, que operam com a filosofia da Qualidade Total, identificando as práticas mais desenvolvidas nas mesmas e suas conseqüências quanto a relação custo-benefício. Para tanto, foram coletadas informações em acervos bibliográficos, feito o levantamento das empresas através de dados do SEBRAE, SESI, e SENAI, escolhendo-se uma amostra de vinte empresas, sendo duas de cada um dos remos identificados. As coletas nas empresas foram realizadas no período de junho a outubro, tendo-se como instrumentos questionários e roteiros para entrevista. Também foi feita coleta de documentos cedidos pelas empresas. Os resultados permitem concluir que há uma relação direta entre o aumento da produtividade e o uso de programas da qualidade total. Houve um aumento médio de 30% dos lucros. Os processos mais utilizados implicar no controle de todas as operações realizadas, com a determinação de objetos e continuas avaliações. Observou-se, porém, lacunas quanto a capacitação continuada dos funcionários entrevistados, bem como, a ausência de benefícios, no que toca a melhoria das condições de trabalho e de salários. Palavras-chave: Gestão empresarial, Relação custo-benefícios, Condições de trabalho.__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  44. 44. 44ANEXO D – Exemplo de sumário1 INTRODUÇÃO ...............................................................................................................................................................1 1.1 ORGANIZAÇÃO DE TEXTO........................................................................................................................................12 NORMAS PARA ORGANIZAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ESCRIT OS ...................2 2.1 PAPEL ..........................................................................................................................................................................2 2.2 FOLHAS L ARGAS .......................................................................................................................................................2 2.3 ESCRITA ......................................................................................................................................................................2 2.4 M ARGENS ...................................................................................................................................................................3 2.5 ESPAÇOS .....................................................................................................................................................................3 2.6 PAGINAÇÃO ................................................................................................................................................................3 2.7 DESDOBRAMENTO EM VOLUMES ............................................................................................................................43 NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS .......................................................................................5 3.1 R OTEIRO P ADRÃO .....................................................................................................................................................5 3.2 E LEMENTOS PRE-TEXTUAIS .....................................................................................................................................6 3.2.1 Capa...................................................................................................................................................................6 3.2.2 Folha de rosto..................................................................................................................................................6 3.2.3 Agradecimentos, oferecimentos (opcionais) ...............................................................................................7 3.2.4 Resumo ..............................................................................................................................................................7 3.2.5 Lista de abreviaturas ou siglas .....................................................................................................................7 3.2.6 Lista de símbolos .............................................................................................................................................8 3.2.7 Lista de figuras (gráficos, diagramas, lâminas, etc.)................................................................................8 3.2.8 Lista de tabelas ................................................................................................................................................8 3.2.9 Sumário .............................................................................................................................................................8 3.3 C ORPO DE TEXTO.......................................................................................................................................................9 3.3.1 Texto ..................................................................................................................................................................9 3.3.2 Numeração Progressiva ...............................................................................................................................10 3.3.3 Seções primárias ............................................................................................................................................10 3.3.4 Seções secundárias, terciárias, etc. ............................................................................................................11 3.3.5 Alíneas .............................................................................................................................................................11 3.3.6 Notas de Rodapé............................................................................................................................................11 3.3.7 Citações ...........................................................................................................................................................12 3.3.8 Ilustrações .......................................................................................................................................................14 3.3.9 Apresentação gráfica ....................................................................................................................................14 3.3.10 Numeração ......................................................................................................................................................15 3.3.11 Título................................................................................................................................................................16 3.3.12 Localização .....................................................................................................................................................16 3.4 BIBLIOGRAFIA..........................................................................................................................................................16 3.4.1 Especificação e ordem dos elementos........................................................................................................17 3.4.2 Documentos eletrônicos considerados no todo ........................................................................................21__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  45. 45. 45ANEXO E – Exemplo de lista de abreviaturasabs. absolutoCNPq Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológicofig. figuraIES Instituição de Ensino Superior__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  46. 46. 46ANEXO F – Exemplo de lista de abreviaturas≥. Procedência maior≤ Procedência menor= Procedência igualβ Beta≅ Sinal de aproximadamente__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  47. 47. 47ANEXO G – Exemplo de lista de tabelasTABELA 1 – Tabela de informações ....................................................................................... 15TABELA 2 – Tabela de dados com cinco ligamentos para estruturas ..................................... 20TABELA 3 – Tabela de dados com dois ligamentos para estruturas ....................................... 35__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  48. 48. 48ANEXO H – Exemplo de lista de figurasFIGURA 1 – Estruturas hierárquicas........................................................................................ 12FIGURA 2 – Árvore simbólica ................................................................................................. 16FIGURA 3 – Estruturas com elementos de mesmo nome ........................................................ 19FIGURA 4 – Árvore do exemplo 1.......................................................................................... 21FIGURA 5 – Desenho de um cartão de dados.......................................................................... 27FIGURA 6 – Hierarquias e tabelas ........................................................................................... 28FIGURA 7 – Lista linear de registros tipo “pessoa” ................................................................ 30__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  49. 49. 49ANEXO I – Exemplo de bibliografiaDIAS, Gonçalves. Gonçalves Dias: poesia. Organizada por Manuel Bandeira; revisão críticapor Maximiano de Carvalho e Silva. 11. ed. Rio de Janeiro: Agir, 1983. 87 p. il. 16 cm(nossos clássicos, 18). Bibliografia: p. 77-78. ISBN 85-220-0002-6.INDÚSTRIA da construção: Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, 1982. 388 p. (Censos econômicos1975. Inquéritos especiais). ISBN 85-240-0095-3ORLANDO FILHO, José, LEME, Edson José de ª Utilização agrícola dos resíduos daagroindústria canavieira. In: SIMPÓSIO SOBRE FERTILIZANTES NA AGRICULTURABRASILEIRA, 1984, Brasília. Anais ... Brasília : EMBRAPA, Departamento de Estudos ePesquisas, 1984, 642 p. p. 451-475.REVISTA BRASILEIRA DE GEOGRAFIA. Rio de Janeiro: IBGE, 1939. Trimestral.Absorveu: Boletim geográfico do IBGE. Índice acumulado, 1939-1983. ISSN 0034-723X.CONJUNTURA ECONÔMICA. As 500 maiores empresas do Brasil. Rio de Janeiro: FGV, v.38, n. 9, set. 1984. 135p. Edição especial.MOURA, Alexandrina Sobreira de. Direito de habitação às classes de baixa renda. Ciência &Trópico, Recife, v. 11, n. 1, p. 71-78, jan./jun. 1983.COUTINHO, Wilson. O Paço da Cidade retorna ao seu brilho barroco. Jornal do Brasil, Riode Janeiro, 6 mar. 1985. Caderno B, p. 6.COMMODITIES TRADING AND DEVELOPMENT LIMITED, André Aspa. Processo einstalação para alcalinizar e pasteurizar as sementes de cacau antes de seu esmagamento.Int. Cl A 23 G ½. BR n. PI 8002165. 2 abr. 1980; 25 nov. 1980. Revista da PropriedadeIndustrial, Rio de Janeiro, n. 527, p. 15, 25 nov. 1980.__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  50. 50. 50ANEXO J – Abreviatura dos meses PORTUGUÊS ESPANHOL ITALIANO janeiro jan. enero ene. gennaio gen. fevereiro fev. febrero feb. febbraio feb. março mar. marzo mar. marzo mar. abril abr. abril abr. aprile apr. maio maio mayo mayo maggio mag. junho jun. junio jun. giugno giug. julho jul. julio jul. giuglio giugl. agosto ago. agosto ago. agosto ago. setembro set. septiembre set. settembre set. outubro out. octubre oct. ottobre ott. novembro nov. noviembre nov. novembre nov. dezembro dez. diciembre dic. decembre dec. dicembre dic. FRANCÊS INGLÊS ALEMÃO janvier jan. January Jan. Januar Jan. février fév. February Feb. Februar Feb. mars mars March Mar. März März avril avr. April Apr. April Apr. mai mai May May Mai Mai juin juin June June Juni Juni juillet juil. July July Juli Juli août août August Aug. August Aug. septembre sept. September Sept. September Sept. octobre oct. October Oct. Oktober Okt. novembre nov. November Nov. November Nov. decembre dec. December Dec. Dezember Dez.__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  51. 51. 511 INTRODUÇÃO ...............................................................................................................................................................1 1.1 ORGANIZAÇÃO DE TEXTO ........................................................................................................................................12 NORMAS PARA ORGANIZAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ESCRIT OS ...................2 2.1 PAPEL ..........................................................................................................................................................................2 2.2 FOLHAS L ARGAS .......................................................................................................................................................2 2.3 ESCRITA ......................................................................................................................................................................2 2.4 M ARGENS ...................................................................................................................................................................3 2.5 ESPAÇOS .....................................................................................................................................................................3 2.6 PAGINAÇÃO ................................................................................................................................................................3 2.7 DESDOBRAMENTO EM VOLUMES ............................................................................................................................43 NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS .......................................................................................5 3.1 R OTEIRO P ADRÃO .....................................................................................................................................................5 3.2 E LEMENTOS PRE-TEXTUAIS .....................................................................................................................................6 3.2.1 Capa...................................................................................................................................................................6 3.2.2 Folha de rosto..................................................................................................................................................6 3.2.3 Agradecimentos, oferecimentos (opcionais)...............................................................................................7 3.2.4 Resumo ..............................................................................................................................................................7 3.2.5 Lista de abreviaturas ou siglas .....................................................................................................................7 3.2.6 Lista de símbolos .............................................................................................................................................8 3.2.7 Lista de figuras (gráficos, diagramas, lâminas, etc.)................................................................................8 3.2.8 Lista de tabelas ................................................................................................................................................8 3.2.9 Sumário .............................................................................................................................................................8 3.3 C ORPO DE TEXTO.......................................................................................................................................................9 3.3.1 Texto ..................................................................................................................................................................9 3.3.2 Numeração Progressiva ...............................................................................................................................10 3.3.3 Seções primárias ............................................................................................................................................10 3.3.4 Seções secundárias, terciárias, etc. ............................................................................................................11 3.3.5 Alíneas .............................................................................................................................................................11 3.3.6 Notas de Rodapé............................................................................................................................................11 3.3.7 Citações ...........................................................................................................................................................12 3.3.8 Ilustrações .......................................................................................................................................................14 3.3.9 Apresentação gráfica ....................................................................................................................................14 3.3.10 Numeração ......................................................................................................................................................15 3.3.11 Título................................................................................................................................................................16 3.3.12 Localização .....................................................................................................................................................16 3.4 BIBLIOGRAFIA..........................................................................................................................................................16 3.4.1 Especificação e ordem dos elementos........................................................................................................17 3.4.2 Documentos eletrônicos considerados no todo ........................................................................................21 3.4.3 Documentos eletrônicos considerados em partes ....................................................................................22 3.4.4 Publicações periódicas eletrônicas (jornal e revista).............................................................................23 3.4.5 Correio eletrônico .........................................................................................................................................24 3.4.6 Fontes de informação ...................................................................................................................................24 3.4.7 Regras gerais de apresentação ...................................................................................................................24 3.4.8 Pontuação .......................................................................................................................................................24 3.4.9 Tipos e corpos ................................................................................................................................................25 3.4.10 Autor ................................................................................................................................................................25 3.4.11 Título................................................................................................................................................................26 3.4.12 Descrição física .............................................................................................................................................28 3.4.13 Notas especiais ...............................................................................................................................................29 3.4.14 Lista ordenada de referências bibliográficas ...........................................................................................30 3.5 GLOSSÁRIO...............................................................................................................................................................31 3.6 ANEXOS ....................................................................................................................................................................314 NORMAS PARA CONFECÇÃO DE ARTIGOS ................................................................................................32 4.1 ROTEIRO PADRÃO .............................................................................................................................................32 4.2 T ÍTULOS ....................................................................................................................................................................32__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres
  52. 52. 52 4.3 NOME DOS AUTORES E FI IAÇÕES INSTITUIÇÕES ................................................................................................32 L 4.4 RESUMO E ABSTRACT ...............................................................................................................................................33 4.5 PALAVRAS -CHAVE E KEYWORDS............................................................................................................................33 4.6 INTRODUÇÃO ............................................................................................................................................................33 4.7 DESENVOLVIMENTO................................................................................................................................................33 4.8 C ONCLUSÕES ...........................................................................................................................................................34 4.9 BIBLIOGRAFIA..........................................................................................................................................................345 NORMAS PARA CONFECÇÃO DE PLANO DE TRAB ALHO ...................................................................35 5.1 R OTEIRO PADRÃO....................................................................................................................................................35 5.1.1 Folha de rosto................................................................................................................................................35 5.1.2 Sumário ...........................................................................................................................................................35 5.1.3 Introdução.......................................................................................................................................................36 5.1.4 Justificativa.....................................................................................................................................................36 5.1.5 Objetivos .........................................................................................................................................................36 5.1.6 Metodologia....................................................................................................................................................37 5.1.7 Cronograma ...................................................................................................................................................37 5.1.8 Bibliografia .....................................................................................................................................................37__________________________________________________________________________________________Prof. Msc. Paulo Henrique Cayres

×