Revista tecnologia no ifrs

1.438 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.438
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
522
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revista tecnologia no ifrs

  1. 1. [Digite o endereço da empresa] Página 1
  2. 2. Tecnologia no IFRS 2011 nº1 Editorial Esta edição nasceu de um trabalho escolar, no qual os alunos de diferentes tur- mas do IFRS campus Bento Gonçalves deveriam pesquisar sobre algum componente tecnológico presente no campus. O formato solicitado para o trabalho foi o de “repor- tagem”, ou seja, um texto curto, com um tema bastante específico e que transmitisse dados da realidade cotidiana. As turmas foram divididas em equipes, cada uma poderia pesquisar sobre algum equipamento relacionado às aulas em geral, aos seus cursos técnicos ou ainda àqueles que invadem os muros do Instituto nas mochilas dos estudantes. Os trabalhos foram apresentados para suas respectivas turmas nas aulas de Sociologia e, após, foram levan- tados pontos que poderiam ser modificados ou melhorados. Num segundo momento, os grupos entregaram sua versão final. As “reportagens” apresentam informações e detalhes que muitas vezes passam despercebidos por aqueles que convivem cotidianamente neste espaço, além de refle- xões críticas sobre os temas pesquisados. Nesse sentido, experimentam o olhar socioló- gico de questionar a realidade comum e propor vias de mudança e inovação. Do mes- mo modo, chama a atenção o olhar do estudante sobre a própria escola, com perspecti- vas que nem sempre rompem o tecido normal das decisões institucionais e que perma- necem latentes, sem encontrarem os canais adequados para se manifestarem. Esta publicação visa dar voz à criatividade e à inovação que os estudantes expres- sam, com suas expectativas, apreensões e interesses desenvolvidos na aventura de serem alunos dessa escola. Seus olhares atentos detectam investimentos paralisados, formas de inovação para as aulas e muito mais... Todas as ilustrações que compõem a parte gráfica foram retiradas do link: www.flickr.com/photos/soynius. Boa Leitura! p. 2
  3. 3. Tecnologia no IFRS 2011 nº1 Calculadora, eis a questão por: Augusto, Bruno Ferrari, Mateus, Michel, Ruan e Vinícius da 1° agro A. A calculadora é um deve ser usada após a equipamento comum nas compreensão do sentido das mochilas dos estudantes do operações. Seu uso não pre- IFRS campus Bento Gon- judica o ensino, mas é me- çalves. Ela não é solicitada lhor exercitar a interpretação pelos professores, mas, do que dar comandos. mesmo assim, os alunos a Da mesma forma, o trazem para as aulas. Desse discente do curso em licen- modo, alguns professores ciatura em Matemática do até permitem seu uso, mas IFRS, Luiz Ambrozi, diz não nas provas. que é uma ferramenta de Na escola, ela se faz auxílio ao aluno, mas o pre- necessária para conferir re- judica quando é utilizada sultados de cálculos feitos sem a compreensão da ope- manualmente. Assim, ofere- ração. Outro professor do ce maior praticidade e segu- IFRS disse que a calculadora rança. Porém, pode se tor- só poderia ser usada por nar desvantajosa quando seu alunos que são capazes de uso ocorrer sem a compre- resolver os mesmos cálculos ensão da operação. Como manualmente. dica, seria interessante que Percebemos clara- houvesse aulas sobre a utili- mente a presença da calcu- zação da calculadora cientí- ladora em sala de aula. As- fica, pois os alunos pouco sim, todos deveriam saber as conhecem as funções dessa suas funcionalidades, pois ferramenta. em nossa vida profissional A opinião no IFRS usaremos calculadoras nor- sobre a calculadora não va- mais e, até mesmo, precisa- ria muito. Por exemplo, a remos da calculadora cientí- professora de matemática fica, que possui funções Elizabethe Pitt Giacomazzi mais avançadas. Portanto, diz que a calculadora é uma seriam muito interessantes ferramenta necessária que aulas para entendê-las. p. 3
  4. 4. Tecnologia no IFRS 2011 nº1 Inovar para economizar por: Airton; Alessandro; Edson Romio; Rafael; Ricardo Ambrosi; Zulmir Filho do 1° Eno Com a intenção de reduzir chuveiro só já gasta muito, imagine então custos devido aos chuveiros elétricos que vários chuveiros para em torno de 90 causavam um elevado gasto de energia, alunos se banharem. Era demais. no internato do IFRS campus Bento Os alunos do IFRS têm recla- Gonçalves foi implantada, no dia mado muito em relação à caldeira. Nada 11/11/1996, uma caldeira para o aque- mais justo que ouvirmos os dois lados. cimento da água utilizada pelos alunos Para isso entrevistamos o residente do em seus banhos diários. Por fontes internato F.P. confiáveis, descobrimos que a caldeira R. I: Ficamos sabendo que a caldeira do tem algumas avarias e desvantagens. Para Instituto tem sido algo bom para os descobrir a verdade, entrevistamos o alunos internos. Você acha que poderia senhor Raul, responsável pela manuten- haver algo a ser feito, para um melhor ção e cuidados da caldeira. aproveitamento desse equipamento? Repórter Investigativo: Senhor Raul, F. P: Sim. Os alunos deveriam demorar qual é a fonte de alimentação da caldei- menos em seus banhos, para um racio- ra? namento de água, além de gastar menos Raul: A caldeira usa como fonte de combustível para seu funcionamento. alimentação óleo, esse tipo de caldeira R. I.: Você tem feito esse racionamento, não faz vapor, ela esquenta uma quantia demorando apenas o tempo necessário de água e depois desliga-se automatica- para seu banho? mente. F. P: Sim. R. I.: Os alunos do campus têm recla- R. I: Porém, não se trata apenas do mado sobre a insuficiência de água racionamento. Se cada um fizer sua quente para os banhos. Teria algo a ver parte, teremos um bom aproveitamento com um mau funcionamento desse do equipamento. Tem-se apenas a cal- equipamento? deira no Instituo para o aquecimento de Raul: Não, o equipamento está em água para o banho, você sugere algo que ótimo estado, o problema é que alguns poderia ser feito, caso um dia a caldeira alunos gostam de ficar por um tempo estrague, para os alunos não ficarem sem demasiado debaixo da água. Como ela seu banho diário? esquenta uma quantia e depois se desliga F. P: Um sistema de aquecimento solar, automaticamente, acaba a água quente. reduzindo assim gastos; poderia se utili- Ela recomeça a esquentar e esse proces- zar a caldeira somente no inverno. so é um pouco demorado. Inovadora e prática, a caldeira R. I: Ela utiliza óleo como fonte de é ótima e pretende permanecer por alimentação, como você havia mencio- longos anos no campus Bento Gonçal- nado antes, mas entre esse método e o ves. Contudo, painéis solares seriam chuveiro elétrico, qual é o mais econô- uma maneira ainda mais prática, eco- mico? nômica e menos poluente. Talvez, em Raul: A caldeira. O chuveiro trazia gas- um futuro não muito distante isso se tos financeiros muito grandes. Um torne realidade. p. 4
  5. 5. Tecnologia no IFRS 2011 nº1 Câmeras de Segurança por: Bernardo Bonesso; Fabio Fuhr; Fabrício Seger; Jean Slongo; Vânderson do 2° Agro B Nos dias de hoje, são poucas que não ocorram infrações. Porém, no as pessoas que não têm a sua disposição caso de ocorrerem, o culpado é facil- uma câmera fotográfica, seja ela digital mente identificado. Ele criticou a falta de ou não. É um utensílio indispensável monitoramento em algumas áreas: a para quem quer guardar bons momentos cantina, a horta e a agroindústria, o que com a sua família e/ou amigos. Aristóte- faria com que houvesse menos delitos. les, por volta de 350 a. C., criou um Entrevistamos também Gas- método de observar os eclipses solares par, funcionário coordenador do inter- sem prejudicar a visão: a câmara escura. nato, que comentou sobre a eficiência Aristóteles fez um pequeno furo na que as câmeras possuem na Instituição, câmara, pelo qual a luz passava e forma- coibindo delitos, protegendo alunos e o va a imagem em seu interior. Desde essa patrimônio. Ele relatou sobre a invasão época, as câmeras evoluíram muito. A de um individuo desconhecido no inter- partir do momento que começaram a nato, há dois anos, que cometeu um ganhar novas funções, como a filmagem, furto e agrediu um aluno interno. Por acabam se tornando úteis em áreas bem meio das câmeras, o individuo foi identi- diversificadas: na televisão, registro de ficado e posteriormente preso. momentos e, atualmente, para a segu- Analisando as duas entrevistas, rança. podemos concluir que as câmeras têm A nossa Instituição é um e- seus pontos positivos. No internato, xemplo quando se fala em câmeras para onde vários alunos residem, elas são a segurança, utilizando-as para um me- fundamentais para a proteção. O moni- lhor controle dos indivíduos que a fre- toramento frequente de algumas áreas quentam e para a proteção dos equipa- faz com que o patrimônio seja protegido. mentos existentes. Aqui no IFRS cam- Entretanto, também há alguns pontos pus Bento Gonçalves somos monitora- negativos. A partir do momento em que dos por várias câmeras, que podem, no os indivíduos da instituição começam a entanto, tirar nossa privacidade. Por ser vigiados, acabam perdendo um pou- exemplo, no internato há cinco câmeras co de sua privacidade. É importante num único corredor e três externas, que questionar: é melhor proteger o patri- também servem para controlar o com- mônio e os alunos ou privilegiar a priva- portamento dos internos. Há a justifica- cidade de alguns? Em nossa opinião, é tiva de proteger os alunos de pessoas muito mais importante a proteção dos estranhas e o patrimônio público. alunos e do patrimônio, até porque não De acordo com Douglas Vi- são todos que se incomodam com as centi Alchieri, aluno interno, as câmeras câmeras. A escola possui muitos materi- são indispensáveis para a nossa institui- ais de alto valor financeiro. Além disso, ção e muito importantes no internato. os alunos residentes no internato estão Ele comentou que essa casa do estudan- longe da família, que confia plenamente te já foi assaltada por falta de segurança e na Instituição para protegê-los. que por causa do Instituto possuir cerca de 2000 alunos, as câmeras fazem com p. 5
  6. 6. Tecnologia no IFRS 2011 nº1 Data show ajuda a aprendizagem? por: Augusto; Caroline; Gabriela; Larissa; Solana do 2° Agro A Atualmente, o campus Ben- pido desenvolver uma matéria atra- to Gonçalves do IFRS possui cerca vés de projeções ao invés de trans- de 30 data shows em funcionamen- crevê-la toda no quadro. Porém, há to. O custo para adquirir cada um controvérsias. O ex-aluno Anderson deles foi de aproximadamente dois Dichel afirma que o equipamento mil reais. Isso gerou um investimen- pode ser ótimo para apresentar tra- to total de sessenta mil reais, sem balhos, mas é ineficiente no aprendi- contar os gastos com manutenção. zado, pois as condições necessárias Apesar de ser um investi- para o uso do data show podem mento alto, Lilian Molon, coorde- distrair o aluno, como por exemplo nadora pedagógica, garante que tal a baixa iluminação da sala, que mui- equipamento é uma importante tas vezes acaba por causar sono; ou ferramenta multimídia dentro da sala até mesmo olhar muito tempo para a da aula, pois auxilia na dinâmica projeção: o excesso de luz pode pedagógica. fazer os olhos doerem, principal- O data show é um equipa- mente para alunos com algum dis- mento consideravelmente pequeno e túrbio ocular. fácil de ser transportado, e que pro- Dessa forma, o uso desse cessa um sinal de vídeo (enviado por equipamento, além de poder gerar um computador), projetando a ima- desinteresse e desatenção do aluno à gem correspondente em uma tela ou aula, pode também causar o distan- em uma parede usando um sistema ciamento entre professor e aluno, de lentes e uma luz muito brilhante. uma vez que esse método de ensino Os mais modernos são capazes até volta mais a atenção do professor à de corrigir pequenos defeitos visuais projeção do que aos alunos. da imagem transmitida como curvas Portanto, o mais viável pa- e borrões. rece ser o equilíbrio que o professor Por ser tão preciso na pro- deve buscar, ou seja, intercalando jeção de imagens e/ou vídeos, é aulas com métodos tradicionais e muito usado em conferências, trei- outras, nas quais são usados equi- namentos, apresentações e em aulas. pamentos tecnológicos, para que Segundo a aluna do 2º ano de Téc- assim tenha-se uma proximidade nico em Informática, Paula Dalla saudável dos alunos e faça com que Costa, o data show é bom para que o eles não se sintam obrigados a a- professor possa desenvolver melhor prender, mas sim queiram aprender matérias muito cansativas, difíceis ou por vontade própria. extensas. Pois, obviamente é mais rá- p. 6
  7. 7. Tecnologia no IFRS 2011 nº1 Engarrafadora é desperdício? Por: Caroline da Rosa; Caroline Pedrotti; Letícia Zanon; Raquel Portaluppi do 1° Eno A máquina Engarrafadora de 2010”. da marca Fimer está no campus Por ter um custo muito al- Bento Gonçalves há pouco mais to, a engarrafadora deveria ser de três anos. Ela foi um investi- usada com frequência, pois ao mento feito pela Cantina Escola, comprá-la foi feito um investimen- que costumava engarrafar seus to que traria benefícios ao aprendi- vinhos. Ela encontra-se hoje no zado dos alunos. Mas ela está pa- último andar da cantina e em per- rada, então acabamos nos pergun- feito estado de conservação. tando: será que realmente foi um Luiz Potiliolli, que traba- investimento ou foi um desperdí- lha na cantina, explica seu funcio- cio? Lucas Foppa, estudante do namento: “Ao entrar na máquina, segundo ano do Ensino Médio e o primeiro processo pelo qual a Técnico em Viticultura e Enologia garrafa passa é a lavagem, depois opina sobre o assunto: “Acredito uma espécie de bomba com duas que a escola deveria voltar a co- mangueirinhas retira o ar de dentro mercializar seus vinhos, pois a da garrafa e injeta gás hidrogênio. venda é uma grande fonte de lu- Após, ela passa por um comparti- cros, os quais seriam destinados a mento com nove bicos, onde está o diferentes áreas do ensino em nos- vinho que a enche (o vinho desce so campus e seria uma boa experi- através de uma bomba dos tanques ência para os alunos verem o vinho dos outros andares da cantina), sendo engarrafado e comercializa- então a garrafa recebe a rolha e do de novo.” segue pela esteira até onde será Se a escola não voltar a recolhida”. engarrafar seus vinhos, a máquina Segundo Luís, a máquina vai continuar parada, e essa situa- custou cerca de R$ 350.000,00. Ela ção trará prejuízos. Para poder é de origem italiana e grande parte lucrar ao invés de gastar mais, a de seu funcionamento é eletrônico. escola deveria alugar a máquina “Por ser um alto investimento, para o uso de outras cantinas ou estar em ótimas condições e ser vendê-la. É importante que o di- muito prática e rápida, a máquina nheiro da escola seja usado com deveria ser usada com frequência, consciência, pois, na realidade, ele mas a Cantina Escola não está mais é de todos os alunos e seu uso tem comercializando os vinhos que de ser benéfico para os mesmos. produz e, por isso, a última vez que ela foi usada foi em novembro p. 7
  8. 8. Tecnologia no IFRS 2011 nº1 Internet no internato por: Felipe; Henrique; Lucas Magro; Mateus; Sabrina do 2° Agro A Atualmente, é difícil en- ras da noite. Para os alunos, essa contrar um lugar distante das regra deveria ser refeita, aumen- redes de internet. Surgida em tando o tempo, ou até deixá-la 1991, a internet veio para, em funcionando em tempo integral, vinte anos, conquistar pratica- pois cada aluno deve ter consci- mente toda a população mundial. ência da hora que deve ir dormir Hoje em dia, com a internet, a e dos deveres da escola, mas mui- comunicação e a informação são tas vezes os professores solicitam acessíveis praticamente em tempo vários trabalhos de pesquisa, e real. muita dessas vezes não é possível Para os alunos internos, a concluí-los até as onze horas da internet é uma grande vantagem, noite. pois é bastante útil nos estudos, Os administradores ar- nos trabalhos solicitados pelos gumentam que, se o aluno ainda professores e até na descontra- não fez seus trabalhos até as onze ção. Mas a internet, além dessas horas, deverá deixá-los para o dia vantagens, também possui suas seguinte, pois depois das onze regras, que às vezes podem ser deve-se aproveitar o tempo para desvantajosas aos estudos dos descansar. alunos. Uma forma para resolver Foram feitas algumas en- essa discussão seria um debate trevistas, e, a partir delas, nos entre os alunos e a administração, informamos como a internet fun- para entrar em um acordo que ciona e como ela se distribui pelo beneficiem ambas as partes, para campus. Percebemos também que os alunos possam melhor que ouve um conflito de opiniões usufruir deste beneficio de forma entre os alunos, que usufruem da gratuita, e que também possam internet, e os administradores e descansar sem diminuir seu de- coordenadores, que elaboram as sempenho nas aulas. Apostando regras e a administram. na autonomia e na educação e Uma das regras mais dis- não em regras rígidas para um cutidas entre os próprios alunos é melhor uso da internet. a que suspende o fornecimento de internet a partir das onze ho- p. 8
  9. 9. Tecnologia no IFRS 2011 nº1 Laboratório Educacional por: Júnior, Cristiano, Cassiano, Douglas, Loren- za e Daniele do 2° Info Como observamos na atuali- nimento. dade, a informática está cada vez mais Os computadores têm como presente no ambiente escolar. Isso não sistema operacional (S.O) o Linux. somente como meio de entretenimen- Para pessoas que têm grande conhe- to, mas também como instrumento de cimento na área de informática, como aprendizagem. os programadores, se torna um ótimo Algumas instituições, visando S.O, pois quase não há bugs e tem o crescimento da informática para fins pouca vulnerabilidade a vírus. Porém educacionais, criaram laboratórios. para leigos, o sistema já se torna um Um exemplo disto é o IFRS campus problema, visto que há uma grande Bento Gonçalves, que abrange em sua variedade de softwares incompatíveis. estrutura laboratórios para utilização Grande parte dos frequenta- dos estudantes, professores e funcio- dores dos laboratórios alega que pode- nários. O professor Adrovane falou ria integrar-se o Windows aos compu- sobre a utilidade dos laboratórios: “são tadores para facilitar o uso de softwa- úteis para fazer pesquisas e comple- res não compatíveis ao Linux. Nas mentar o aprendizado dos alunos. entrevistas, ainda observa-se que Além do mais é ótimo nas horas das 83,3% dos usuários solicitam uma aulas práticas de informática”. maior liberdade de acesso à internet. Os laboratórios do Instituto Assim, conforme o entrevistado Dani- disponibilizam diversos horários para el Trost, “as redes sociais, caso fossem uso, sempre com um supervisor dis- desbloqueadas, poderiam auxiliar posto a ajudar e cuidar para impedir o numa ampla difusão de idéias e pen- acesso a sites ou softwares proibidos, samentos, que aperfeiçoariam a capa- além da manutenção e do uso ade- cidade de raciocínio dos estudantes”. quado dos equipamentos. Sobre os Resumindo, o uso dos labo- laboratórios, o professor Adrovane ratórios de informática é muito conve- afirmou: “Acho um ótimo comple- niente, pois disponibiliza tecnologia mento para os estudos e uma oportu- para as atividades dos alunos. “Muitas nidade de pesquisas. É muito bom ter vezes não precisamos levar nossos uma opção de atividade extraclasse”. computadores pessoais para ter acesso Os computadores, apesar de à internet” afirma Caroline Ferrari. não serem de última geração, têm uma Por ser tão comum, muitas vezes es- ótima conexão com a internet. Porém quece-se a importância de laborató- esse uso se limita ao acesso de infor- rios, que, sem sombra de duvida, são mações, perde-se muitas outras fun- os maiores contribuintes para ser cionalidades e potencialidades, como extinta a exclusão digital. no uso para comunicação ou entrete- p. 9
  10. 10. Tecnologia no IFRS 2011 nº1 Notebook: aliado ou inimigo? por: Eduardo; Jader; Lucas; Luis Henrique, Mar- cheli, Tiago Frantz do 1° Agro A O notebook é um computa- tram prontos na internet e passam aos dor portátil que auxilia as pessoas em alunos, sem modificá-los, apenas re- trabalhos, pesquisas, entretenimento, cortando e colando. comunicação, etc. Por essas e outras Nós consideramos que a e- funcionalidades escolhemos esse apa- xistência de internet na escola possui relho para falarmos sobre seu uso no seu lado positivo e seu lado negativo. IFRS campus Bento Gonçalves. O lado bom é que o aluno que não No IFRS, ele nos auxilia possui internet em casa pode usufruí-la muito, pois temos muitos trabalhos na escola para fazer trabalhos e pes- que necessitam do uso da internet. quisas. O lado ruim é que alguns alu- Como diz o aluno do curso técnico nos utilizam a internet em lazer, como em agropecuária J.V: “o notebook Orkut, Twitter, e outros tantos sites possibilita fazer trabalhos praticamente que não são permitidos nas aulas, em todos os lugares do campus”. Ele principalmente nas de Informática, complementa: “se não fosse a internet pois, assim, não prestam atenção nas wireless e os notebooks, seria pratica- aulas. mente impossível fazer qualquer tipo O computador portátil, se de trabalho”. Isso acontece porque o usado de forma correta, pode auxiliar número de alunos no IFRS é maior do os alunos e professores do IFRS a que o número de computadores dis- qualificar o ensino. Mas, se usado de poníveis em laboratórios e na bibliote- forma incorreta, como exemplo, “C- ca. Assim, se não fosse o fato dos TRL C e CTRL V”, ele pode atrapa- alunos trazerem para a escola seus lhar muito o aprendizado. notebooks, a realização de trabalhos Para não ocorrer este tipo de seria quase impossível. ato, o professor deve pedir a fonte de Mas o notebook também é cada trabalho pesquisado. Assim co- usado para fins inadequados. Assim, mo o aluno, quando recebe textos do ele pode até atrapalhar os estudos. professor, deve exigir também a fonte Como diz o aluno Guilherme Trevelin ou o site em que tais textos foram do 1º Agro B: “o uso dessa ferramenta retirados. Assim, poderá haver mais pode levar ao comodismo de quem o controle de ambas as partes. A mesma usufrui, pois as pessoas acabam copi- coisa deve ser feita para cópias de ando tudo da internet e não adquirido livros. nenhum conhecimento”. Já houve Somente assim os cidadãos casos em que trabalhos copiados da poderão ter noção de ética e moral, internet receberam notas zero e, em não cometendo o delito de cópia, e, outros casos, notas máximas. isso obviamente deve partir do educa- Há também casos de materi- dor principal: a escola. ais didáticos que os professores encon- p. 10
  11. 11. Tecnologia no IFRS 2011 nº1 Pulverizadores por: Lucas Foppa; Tomás; Leonardo Ferrari; Eduardo Thumé; Lucas Mejolaro do 2° Eno Os pulverizadores são utili- por pessoas inexperientes, pois pode zados na aplicação de agrotóxicos em causar danos à saúde do utilizador”. plantas. No IFRS campus Bento Gon- Sobre os meios de facilitar o trabalho çalves há pulverizadores na horta e na de quem o utiliza, diz que “Deve ser granja. Os agrotóxicos são importantes investido em cursos e acompanhamen- na prevenção de pragas, porém, se mal to de técnicos para coordenar o corre- aplicados, podem ser tóxicos tanto to uso do pulverizador”. Já na opinião para a planta como para o homem. É de Gabriel, “O uso de pulverizadores importante que a escola prepare os por pessoas inexperientes pode causar alunos para o uso adequado desse diversos incidentes para a pessoa e equipamento, já que muitos agriculto- para a cultura pulverizada, como o res não o fazem. excesso de insumo e a contaminação Na pulverização, os agrotóxi- do aplicador”. E conclui, afirmando cos, diluídos em água, são reduzidos a que, para auxiliar o utilizador, “devem pequenos fragmentos. Como são go- ser utilizados inseticidas pouco tóxicos tas, é mais fácil para o homem inalar e de fácil aplicação, como os líquidos”. sem perceber. Nesses casos, a utiliza- Segundo o aluno Bruno, “O uso de ção dos Equipamentos de Proteção pulverizadores por pessoas inexperien- Individual (EPIs) é obrigatória. No tes pode resultar de acidentes com IFRS há esses equipamentos. Embora produtos tóxicos, no desperdício de estejam bem conservados, há poucas produtos, ou na aplicação de insetici- unidades disponíveis para o aprendi- das ineficiente, causando prejuízos na zado dos alunos. Por exemplo, uma produção e danos à saúde do traba- turma de trinta alunos precisa se reve- lhador”. Segundo ele, esse problema zar para que todos tenham contato pode ser reduzido pelo “uso correto com o equipamento. do EPI, com todo o treinamento e A preparação dos alunos, informações necessários”. que irão utilizar este equipamento de Concluímos que o sucesso de certa forma perigoso, é fundamental uma boa pulverização depende de para que não ocorram incidentes bom pulverizador, bom produto quí- futuros. Alunos do terceiro ano foram mico, operador treinado, boa quali- entrevistados a respeito do assunto. dade de água, pH ideal e condições de Jeferson, sobre o uso do equipamento tempo favoráveis. O IFRS pode con- por pessoas inexperientes, diz: “Acho tribuir nesse processo, preparando muito perigoso, pois se for utilizado adequadamente seus alunos para essa incorretamente poderá causar danos à prática perigosa. saúde do operador e a aplicação pode ser ineficiente.” Sobre este mesmo tema, o aluno Rodrigo afirma: “É inadequado o uso de pulverizadores p. 11
  12. 12. Tecnologia no IFRS 2011 nº1 Alimentação gratuita de qualidade por: Amanda Ariotti; Christiane; Estella Munhoz; Emanuele Camerini; Victória Frainer do 2° Eno O IFRS campus Bento Gonçal- cardápio. ves é uma instituição federal de ensino Os alimentos vão para um pre- público e gratuito. Por ser um pólo de gão eletrônico, no qual a empresa que dá o atração regional e nacional, abriga alunos lance mais baixo torna-se fornecedor das mais diversas regiões do Estado e do durante todo o ano, por isso muitas vezes a País. Hoje tem cerca de 2.000 alunos, em qualidade dos alimentos não é tão alta. Os vários níveis de ensino. fornecedores entregam os alimentos con- Além de educação de qualidade, forme a necessidade e demanda, que é outro fator importante é o refeitório, pre- semanalmente alterada pela mudança do sente na instituição desde 1971, que ofere- cardápio. E todos os alimentos servidos ce atualmente para seus alunos e servido- nas três refeições são comprados com res, três refeições diárias. São poucas as exceção de pães e geléias. escolas e universidades públicas que po- Ao longo dos últimos anos fo- dem oferecer alimentação e estrutura para ram feitos levantamentos sobre a possibili- as refeições de boa qualidade. A alimenta- dade de empresas terceirizadas prepara- ção necessita de cuidados especiais, sabe- rem os alimentos, porém os projetos não mos que a ideal precisa conter frutas, foram levados adiante. Para Ionara, o uso carboidratos, proteínas e vegetais, além do da terceirização seria melhor, já que a ambiente onde são servidas as refeições qualidade da comida seria mais alta. estar limpo e cuidado. Na cozinha, ao conversarmos Os alunos e servidores entrevis- com alguns funcionários, foram constata- tados relatam que as questões a serem das a necessidade de novos equipamentos melhoradas são a limpeza em geral, a e alguns melhoramentos, como, por e- pouca quantidade de saladas, e que muitas xemplo, os fornos. O equipamento que vezes quem chega ao segundo horário não limpa os utensílios foi instalado neste ano, encontra tanta comida quanto no primeiro, buscando mais higiene e limpeza. Ele é falta de variações no cardápio e pela ocasi- totalmente automatizado. Trabalham no onal má qualidade das refeições que resul- local nove funcionários que se revezam nas ta no desperdício. Como exemplo, para o 14 horas de trabalho, porém, como foi prof. Daniel, um ponto importante a ser destacado em algumas entrevistas, pode revisto é o cardápio, que “deveria ser mais haver trabalho sobrecarregado consideran- variado”. do o número de refeições servidas diaria- Na entrevista feita com a nutri- mente. cionista responsável pelo cardápio e o A escola cresceu, a demanda refeitório, encontramos maiores informa- também, o tamanho do refeitório parece ções e motivos que poderiam em parte cada vez menor, as máquinas usadas para a justificar os problemas encontrados. A limpeza não são eficientes o bastante, da comida servida é controlada para que não mesma forma há depredação em algumas haja desperdícios. Segundo Ionara, pouca mesas e certo descaso pelo alimento que comida é jogada fora, sendo essa a que para muitos pode ser as únicas refeições sobra nos pratos, pois a comida que sobra diárias. É necessário mais atenção com os de meio dia é servida novamente na janta. equipamentos do refeitório. pois precisa- A compra dos alimentos ocorre da seguin- mos de alimentação de qualidade em te forma: anualmente são avaliados todos nossa escola. os alimentos que podem ser utilizados no p. 12
  13. 13. Tecnologia no IFRS 2011 nº1 Servidores por: Bruno Bergoli, Gustavo Santos, Henrique Machiavelli e Leonardo Invernizzi do 3º Info Os servidores podem ter porém, com o aumento da de- várias funções, mas basicamente manda, sempre precisa de me- servem para guardar informações lhorias e de mais servidores e, de algum sistema informático. pelo menos uma vez por mês, é Eles podem triplicar o feita manutenção. desempenho de um computador O servidor é um sistema pessoal, têm capacidade de fun- seguro. Todos os dias, duas ou cionar 24 horas por dia e possu- três pessoas tentam invadir algum em várias opções de segurança servidor da escola, mas sem su- para garantir a integridade dos cesso. Certo dia, chineses tenta- dados. Um servidor também tem ram invadir os servidores da esco- uma economia de mais de 80% la, mas não conseguiram, informa no consumo de energia em rela- Leonardo Pereira, um dos res- ção a um computador pessoal. ponsáveis pelo setor Isto porque trazem tecnologia As reclamações mais fre- inteligente, que ajusta o desem- quentes ocorrem porque o acesso penho e o consumo de energia não é plenamente livre por haver de acordo com a carga de traba- bloqueios e registros; assim, fi- lho requisitada. Isso leva a uma cam registrados todos os sites que economia de energia considerá- são acessados no campus. Outra vel, pois mesmo que o servidor reclamação é sobre a baixa velo- fique ligado 24 horas por dia, nos cidade da internet, que é de 6 períodos de inatividade o consu- MB, dividida em todo o campus. mo cai drasticamente. Segundo Henrique Orso, aluno Na nossa escola existem do 3º ano do curso de informáti- 8 servidores, que custaram entre ca do IFRS, “a velocidade da R$25 mil e R$50 mil, e estão internet aqui da escola é baixa se localizados no 2º andar do bloco comparada com a da minha ca- C. Cada servidor tem uma fun- sa... não é ruim, mas podia ser ção. Aquele que nos foi mostrado melhor e podiam liberar mais monitora as câmeras de seguran- sites como o orkut e youtube.” ça, mas há servidores que filtram Há projetos para aumentar a os sites acessados nos laborató- velocidade da internet, mas de- rios e também os da reitoria e da pende da aprovação da diretoria biblioteca. Hoje o servidor aten- e de licitações. de às necessidades da escola, p. 13
  14. 14. Tecnologia no IFRS 2011 nº1 Sistema Acadêmico por: Fernando Paris; Paulo Costa; Paulo Resch- ke; Volnei Pelizzer do 2° Eno Na sociedade atual esta- aprendizado, já que tem a dispo- mos cada vez mais priorizando a nibilidade dos materiais usados agilidade, e o Instituto Federal durante as aulas. Diz ainda que pensou nisso quando instalou o gosta dele pois o ajuda calculando Sistema Acadêmico, há três anos. as médias e apresenta um modo Esse sistema visa uma facilidade fácil de visualizar os resultados. na comunicação entre professo- Já a aluna Caroline Gon- res e alunos com relação a notas zatti considera o sistema muito de trabalhos e provas realizados. prático para as aulas, facilitando Considerado por muitos alunos muito o modo de visualizar notas como indispensável, ele informa e materiais. Mas diz que nem sobre a frequência do aluno, no- tudo nele é bom, pois apresenta tas dos trabalhos e provas, possui diversas falhas, o que dificulta espaço para mensagens aos alu- algumas vezes a utilização dos nos, boletim escolar, para posta- materiais disponíveis. O prof. de gem de materiais didáticos, ca- história Tiago Goulart diz que o lendário escolar, acesso ao histó- sistema o ajuda bastante, mas rico escolar, um breve currículo lembra que utiliza apenas o bási- pessoal e acesso a materiais de co, como as funções de registro anos passados. de notas, frequência e o espaço Ele funciona através de destinado a materiais didáticos. uma empresa terceirizada, do Quando questionado com rela- estado de Espírito Santo, que ção às falhas do sistema, ele diz fornece o suporte mensal ao Ins- que não ocorreram com ele, mas tituto para manter o sistema fun- que sabe de casos em que houve cionando. Apesar de seu uso problemas. relativamente curto até o momen- Com isso, vemos o quan- to, apenas três anos, ele tem pre- to esse recurso pode ser útil, mas visão de uso até o 1º semestre de não 100% confiável. Esperamos 2012, quando será substituído que ele seja cada vez mais aper- por um sistema similar, mas de- feiçoado para facilitar ainda mais senvolvido pelo Instituto, o SIA. a vida de professores e alunos e Na opinião do aluno A- que seja desenvolvido pela pró- lessandro Werner Bücker, do pria Instituição, para baratear ensino médio, o sistema acadê- seus custos. mico é muito bom, pois facilita o p. 14
  15. 15. Tecnologia no IFRS 2011 nº1 Torradeira: uma arma de guerra por: Andréia Procedi; Douglas Alchieri; Felipe Janes; Júlio; Quesia Freitas do 2° Agro B Este instrumento que pa- água para melhores utilidades e rece ser um simples eletrodomésti- finalidades. co torna-se uma arma de guerra Perguntado sobre o assun- nas mãos de guerreiros, cujo escu- to, Michel Frozza, estudante de 15 do é os cadernos e os livros, e a anos, respondeu que a torradeira é lança, a caneta esferográfica. O indispensável para viver com um aparelho que para muitos não pas- pouco mais de conforto, princi- sa de um eletrodoméstico (consi- palmente no internato. De acordo derado até ultrapassado), ou que com ele, a torradeira é muito mais vive sobre pias e balcões servindo que um simples objeto, pois duran- para o preparo de um lanche rápi- te o final de semana, quando o do ou até mesmo uma refeição, refeitório da escola está fechado, é tem uma extrema importância na a ela que os alunos recorrem para vida de jovens aqui no IFRS que preparar suas refeições, pois é uma necessitam preparar seu próprio forma barata de se alimentar. alimento aos finais de semana. Apesar de todos esses be- De acordo com alguns en- nefícios e praticidades, é indispen- trevistados, a torradeira é um apa- sável ter um cuidado com o seu relho indispensável, principalmen- manuseio, pois o uso incorreto te para jovens que moram longe de pode causar queimaduras graves. casa e também pessoas que dis- Outro fator de risco são os cho- põem de pouco tempo para cozi- ques elétricos que se pode sofrer. nhar. Outro fator considerado Em muitos casos, por desatenção, importante pela maioria dos entre- as pessoas deixam o fio do equi- vistados foi o baixo custo de aqui- pamento encostado em sua chapa sição deste equipamento, sendo quente, derretendo a proteção possível adquirir uma torradeira isolante, a deixando com o fio por apenas R$ 40,00. desencapado. Por isso seria acon- “Se não fosse a torradeira, selhável que a indústria produzisse acho que já teria morrido de fo- um material mais resistente a tem- me”, é o que diz Vanessa Campa- peraturas elevadas, dando mais na, estudante de 17 anos, que utili- segurança a quem for utilizar o za a torradeira no preparo de pão, equipamento. alegando ser mais saudável. Con- A torradeira, então, é um forme ela, sem esse facilitador aparelho indispensável para aque- doméstico não haveria como se les que lutam na guerra de morar alimentar com tanta facilidade e longe de casa. Esta guerra seria rapidez. Porém, deveria possuir facilitada se houvesse refeitório um sistema de aquecimento de disponível aos finais de semana. p. 15
  16. 16. Tecnologia no IFRS 2011 nº1 TV: Essencial? por: Fernanda; Júlia; Marcele; Pamela; Vinícius; Vittória do 1° Eno. A Televisão da coopera- Segundo Lucas Foppa tiva dos alunos do IFRS campus Alves, 2º ano Enologia, a TV é Bento Gonçalves é bastante utili- muito boa, pois incentiva a cultu- zada. Diariamente, ela é ligada no ra e é uma grande fonte de lazer horário dos intervalos e almoço. para os alunos, principalmente os Esses horários são preestabeleci- que estudam o dia inteiro. An- dos pela direção de ensino do dressa Santin, 2º ano informática campus, que é quem os controla. diz: “Acho bem legal que a escola Nem todas as escolas possuem disponha de uma TV. Não assis- uma televisão, por isso a valori- to muito, mas é muito bom zamos muito. quando queremos descansar um A TV foi adquirida pelo pouco. A TV por assinatura pro- Instituto com a finalidade de porciona muito mais canais, e trazer maior lazer para os alunos muitos deles são bons, pois mos- e está sob responsabilidade da tram pesquisas e descobertas Cooperativa Escola, que tem um recentes de uma forma muito gasto fixo de R$ 80,00 por mês mais divertida, além dos canais com a TV a cabo. “Concordo de música, que são os que mais com os horários estabelecidos atraem os alunos”. para o funcionamento da televi- Já para Jenei Bucco, a são. Se ela ficasse ligada durante TV não é tão fundamental assim: todo o dia, muitos alunos não “Acho interessante a proposta, iriam para a aula para ficar assis- mas às vezes ela pode dispersar a tindo, e o volume atrapalharia as atenção nos estudos. A TV por aulas realizadas nos laboratórios e assinatura foi uma opção porque salas mais próximas” diz Jenei proporciona aos alunos muito Luís Bucco, coordenador da mais canais”. Cooperativa Escola. Todos os alunos entrevis- Será que é fundamental tados afirmaram que gostam da para uma escola ter uma televisão TV. Ela não é fundamental, mas em sua área de convivência? Será deve ser usada de maneira a não que os alunos sentem necessida- interferir em seus estudos. Te- de de ter uma televisão por assi- mos que valorizar muito nossa natura disponível? Entrevistamos escola, porque é uma das poucas alguns alunos para saber o que instituições de ensino que possui eles pensam sobre o assunto. uma televisão aberta aos alunos. p. 16
  17. 17. Tecnologia no IFRS 2011 nº1 Tecnologia a la Batman por: Allana; Letícia Trivilin; Luís Tomazel; Shara; Natália Ferrari; Kimberly do 2° Eno. A Tecnologia do século laboratórios de informática. XXI avança a uma velocidade as- Entrevistamos um servidor sombrosa. Basta um piscar de olhos do DTI para ter mais informações para que aquilo que hoje é uma sobre os quadros. novidade tornar-se ultrapassado. Quais as principais vanta- Enquanto há 10 anos celulares com- gens que você vê no uso do Quadro pactos eram novidade, hoje, todos os Interativo? “O reaproveitamento do dias, são lançados novos aparelhos que é passado em aulas anteriores, no mercado e cada vez mais funcio- pois é possível gravar as aulas. A nais. Quem poderia imaginar que interatividade entre alunos e profes- até as lousas seriam modernizadas? sores. A agilidade na apresentação, Pois no IFRS elas foram. pois as aulas já poderiam ser feitas Há um 1 ano, foram instaladas as na casa do próprio professor. Muito chamadas “Lousas Interativas” ou vantajoso para o curso de matemáti- “Quadros Interativos” no Instituto. ca, por exemplo, para os gráficos.” Eles são uma mescla de quadro Viu alguma desvantagem comum com tela touch screen. no aparelho? “Não, nenhuma.” O Quadro Interativo res- É muito difícil realizar a ponde como se fosse o monitor do manutenção? “Até agora o único computador. Ele torna possível utili- aparelho que deu manutenção foi o zar recursos como word, powerpo- 1° quadro interativo comprado. Mas int, excel, internet, etc., administran- o problema foi somente com as do-os apenas com o toque da caneta. canetas, já que estas precisaram de Essa caneta é de tipo especial, com novas baterias, pois as suas descarre- baterias, e é reconhecida pelo qua- garam.” dro na hora da recepção de coman- Qual o modo mais comum dos diretos. de uso aqui no Instituto? “Os pro- Além de todas as funções fessores começaram a utilizar mais o de um computador, esse quadro quadro interativo e pedir ajuda ao também pode ser usado como “qua- DTI, assim eles poderiam dar aulas dro” simples, pois a qualquer mo- mais interativas e práticas. Instala- mento, independente do que esteja mos o software no computador dos sendo utilizado, é possível fazer professores, para eles poderem fazer anotações em sua face. Tão versátil as aulas em suas casas e depois apre- quanto o Batman! sentarem de um jeito diferente para Todo dia, diversas pessoas os alunos.” do IFRS entram em contato com Comentário adicional: “A- esses quadros. A questão é que ele cho que o quadro deveria ser mais pode inovar as aulas, deixando-as utilizado pelos professores. É uma mais divertidas e simples, já que com ferramenta válida para o ensino. O ele podemos ter o professor expli- maior obstáculo é que alguns profes- cando a matéria e ao mesmo tempo sores não querem aprender a usá- lidando com o computador, o que lo...” antes era fisicamente impossível nos p. 17
  18. 18. Tecnologia no IFRS 2011 nº1 Agradecimentos Este trabalho foi idealizado e editado pelo professor de Sociologia Rodrigo Beli- naso e contou com a participação de suas turmas do ensino médio do IFRS campus Bento Gonçalves que realizaram a atividade com compromisso e dedicação. A revista agradece especialmente ao professor de Português Agostinho (Guto) Agostini que revi- sou todos os textos. Até a próxima edição!!! p. 18

×