Apresentação House

441 visualizações

Publicada em

Apresentação da série House para estudantes do ensino médio.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
441
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
217
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação House

  1. 1. E ASNARRATIVAS DE FICÇÃO CIENTÍFICA Rodrigo Belinaso GuimarãesInstituto Federal do Rio Grande do Sul
  2. 2. As narrativas de ficção científica imaginam espaços que se recusam, tal como o hospital cenário de HouseM.D., a se constituírem como meio ambiente estável. Na ficção científica, são comuns os personagens híbridos. House constitui suasubjetividade e seu organismoemaranhados com o remédio Vicodim®.
  3. 3. Há uma recusa deliberada de House em reconhecer seus pacientes do ponto de vista humanitário, desconsiderando seus sentimentos, apreensões e escolhas. House, enquanto soberano, liga-seexclusivamente à vida nua (AGAMBEN, 2002), ou seja, despoja os pacientes de qualquer qualidade identitária.
  4. 4. House M.D compõe uma narrativa que explora os conceitos de corpo e desubjetividade, para assim, interrogar ao públicosobre as novas dimensõesda vida humana, possíveis por uma crescente imbricação homem- máquina.
  5. 5. House exige uma extremadisposição dos pacientes para osexames e tratamentos médicos, exemplificada na anulação de suas subjetividades e na aceitação dos suplícios requisitados por suasexperiências diagnósticas. Tudo isso perfaz uma finalidade concreta para a população humana: a aceitação generalizada da hibridização homem-máquina, pelo medogeneralizado da morte e por ela poder ocorrer a qualquer momento.
  6. 6. House é aquele que decidesobre o estado de exceção. Ele decide se o caso exige diagnóstico diferenciado.Nesse sentido, toda a série transcorre num estado deexceção efetivo, no qual a normalidade dos diagnósticos é suspensa.Assim, nas ações de House, norma e o ato não são diferenciados.
  7. 7. Da disputa de House com sua pernadoente, não mais produtiva, que dói sem explicação, nasce, talvez, um House que se liberta de sua dor através de um comprimido que o faz mais inteligente e perspicaz. A ficção científica narra a imortalidade do homem individual, daspopulações e do Estado-nação ao estaremsempre em disputa contra as ameaças de um corpo que morre, se desfaz ou sedissolve. House é um organismo que está sempre se reconstituindo.

×