Igualdade de gênero

5.187 visualizações

Publicada em

Slides exibidos no debate sobre Igualdade de Gênero, dia 14/06.

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.187
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
143
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Igualdade de gênero

  1. 1. FEMINISMO:Mulheres = HomensMACHISMO:Homens > MulheresMISANDRIA:Mulheres > HomensO feminismo luta pela diminuição de taxas deviolência contra a mulher, saláriosigualitários, ausência de um padrão de belezaopressor, pelo alistamento opcional para ambosos sexos, pelo prazo de licença maternidade epaternidade serem iguais, entre outras coisas.Cuidado antes de dizer coisas espertas como: “éfeminista até a hora de pedir a conta”. Gentilezanão é cavalheirismo!
  2. 2. “1 a cada 4 mulheres negras serãosexualmente abusadas antes de completarem18 anos.” (Stone, R.D., No Secrets, No Lies: How Black Families CanHeal from Sexual Abuse, 2004)“1 a cada 3 mulheres no planeta serão estupradas ouespancadas durante a vida.” (2003 UNIFEM report entitled "Not A Minute More:Ending Violence Against Women," or 2008, the UNITE To End Violence Against Women Campaign,initiated by UN Secretary-Generals Office)“Corte pede para que vítima com paralisia cerebralprove que ela resistiu ao estupro com evidênciasde mordidas, chutes e arranhões”(http://thinkprogress.org/justice/2012/10/03/947981/court-requires-disabled-rape-victim-to-prove-she-fought-back-calls-for-evidence-of-biting-kicking-scratching/?mobile=nc)“53,5% das vítimas deestupro têm entre 0 e 14anos de idade” (Dossiê Mulher 2011)Por que existe o feminismo?“Homens recebem salários 30%maiores que as mulheres no Brasil”(Observatório de Igualdade de Gênero no Brasil)
  3. 3. HOMOFOBIA E TRANSFOBIA A sociedade nos diz que homens têm que ser viris, másculos e agressivos. Já as mulheressão tidas frágeis, indefesas e necessitam de homens. Homens gays, que trabalham com o seu lado feminino e são associados com a ideia deserem penetrados (algo associado ao feminino, a mulher e, portanto, ao negativo, àsubmissão) são discriminados, e também por não “pegarem geral”. Mulheres lésbicas, pornão quererem um homem nos aspectos afetivos, emocionais e físicos de umrelacionamento, também o são. Existem também argumentos religiosos contra oshomossexuais. Pessoas trans* são pessoas que “se sentem no corpo errado”. Não tem nada a ver comorientação sexual, e sim com identidade de gênero. São pessoas que nascem com umagenitália feminina, por exemplo, mas têm uma consciência/alma/dê o nome que você quiserde homem, por exemplo. Existem pessoas que se identificam com ambos os gêneros ounenhum. Pode ou não ter a ver com travestismo (existem pessoas que se travestem apenaspor prazer e não por se identificarem com outro gênero, como o Laerte, por exemplo).Atualmente, a OMS classifica a transexualidade como doença (portanto, passível de cura,pela cirurgia de adequação sexual, garantida pelo sistema público da maioria dos países. Oproblema é que existe uma fila de espera imensa e que essas pessoas são altamentediscriminadas por não seguirem os estereótipos de gênero estabelecidos socialmente). É comum ler sobre pessoas trans* que, na infância, se confundiam na hora de usar obanheiro e ficam paradas entre as duas filas indianas (de meninos e meninas) no jardim deinfância. Já li também sobre uma menina trans* (uma menina que nasceu no corpo demenino) tentando cortar seu pênis fora, aos dois ou três anos de idade.(Como cissexual, é complicado me colocar no lugar de pessoas trans*, mas achei esse texto bastante explicativo:http://www.feministacansada.com/tagged/trans%2A/page/2 )
  4. 4. MARCHA DAS VADIAS Em 2011, aconteceram diversos estupros no campus daUniversidade de Toronto, no Canadá. O policial MichaelSanguinetti disse que as mulheres deveriam parar de sevestir como vadias para evitar estupros. Essa afirmação culpa as vítimas de estupro pela violência aque foram subordinadas, dizendo que suas roupas provocamestupros. Essa afirmação, além de machista, é falsa: 77% dosestupros são cometidos por algum conhecido da vítima (Bureau ofJustice Statistics, 1997). O lema da Marcha é: “se ser vadia é ser livre[para se vestir como quiser], somos todas vadias”. A Marcha requer a reapropriação de termos como “vadias” Em um estudo com 6.000 estudantes de 32 faculdades dosEstados Unidos, 42% das vítimas de estupro não disse aninguém e apenas 5% relataram à polícia.Por que estupro é um crime tão comum? Deve ser porque apenas 2% dos estupradores sãocondenados e presos... Ou saia curta, sei lá.
  5. 5. CULTURA DE ESTUPROESTUPRO NÃO É SEXO! “Cultura de estupro é quando temos uma sociedade que tolera e atéincentiva o estupro, e que está sempre pronta pra culpar a vítima. Costumodar alguns exemplos. Tipo: se você foi vítima de estupro e estiver procurandoajuda, será mais fácil encontrar na internet vídeos pornôs com simulações deestupro, mostrando estupro como algo excitante, do que instruçõestratando de delegacias e exames de corpo de delito. Cultura de estupro écomediante dizer que homem que estupra mulher feia não merece cadeia,merece um abraço, e metade da população rir e, diante dos protestos daoutra metade, xingar quem se indignou com o chiste de mal amada, moréia,sapatão, „nem pra ser estuprada você serve‟. Cultura de estupro é anúnciode preservativo brincar que sexo sem consentimento queima mais calorias.”(Lola Arnovich) Margo Paine fez um estudo com universitários americanos, e os números,publicados em Body Wars , não são bonitos. 30% dos entrevistadosresponderam que estuprariam se não houvesse conseqüências legais. 8%revelaram já ter estuprado ou ter tentado estuprar. 83% concordaram com aexpressão “Algumas mulheres parecem que estão pedindo para serestupradas” Caso da banda “New Hit”(http://www.feministacansada.com/tagged/new%20hit)
  6. 6. CANTADA DE RUA (ASSÉDIO)http://www.facebook.com/CantadaDeRua?fref=tsA moça que se sente lisonjeada com cantadas de rua não é porta vozoficial de todas as mulheres do mundo. Cantadas podem serextremamente assustadoras (acho que depende principalmente daproximidade do indivíduo com você), além de serem quase sempreincômodas, delimitarem o direito de ir e vir das mulheres e tratá-lascomo seres passíveis de avaliação masculina. Por sinal, a gente andamais rápido/muda de calçada na rua não porque você tem cara deestuprador, mas porque fomos inseridas e ensinadas que somossujeitas à violência 24/7. Não se sinta ofendido! Crie empatia 
  7. 7. PADRÃO DE BELEZA OPRESSOR Se você se atentar às propagandas de televisão ou anúncios derevista (pode ser até da Renner ou da C&A, lojas brasileiras),verá pouquíssimas mulheres negras e todas elas muito magras.Por exemplo o Miss Bahia, que só tem duas competidorasnegras. Vale lembrar que a Bahia é o estado com mais negrosno Brasil. Quando você vê uma pessoa gorda, a única coisa que vocêsabe sobre ela é que ela é gorda. Você não sabe nada sobrecomo ela se alimenta, o tanto de esportes que ela faz e sobresua genética. “MESMO SE GORDURA FOSSE CAUSADA SÓPOR COMIDA: não é da sua conta. Não é. Não é igual umfumante do seu lado que vai te dar câncer de fumante passivo. Amacarronada na mesa do vizinho não vai te engordar.” (FeministaCansada) Pessoas gordas, no geral, já se sentem inferiorizadas,feias e diminuídas. Pode parecer incrível, mas pessoas gordassão seres humanos e merecem ter auto-estima. Não é a gorduraque causa suicídio, não é a gordura que causa depressão e nãoé a gordura que prejudica relações: é a gordofobia. Isso é dizer,tipo: “para resolver a gordofobia, basta ser magro!” = “pararesolver o racismo, basta ser branco!”
  8. 8. “Esse resultado foi a prova de como esse mundo estácada vez mais escr*to. Podem me chamar de racista,mas eu NUNCA vou achar uma negra do cabelo ruime nariz de batata mais bonita que a finlandesa ouamericana. É questão de gosto. Agora o que vai terde preta se achando a picanha do pedaço não vai serfácil.”“Reitero que não é por ser pretaque a angolana nãomerece, mas sim por ser feiamesmo!!!”se eu fosse feia que nem ela, tava
  9. 9. SLUT-SHAMING Termo ainda sem tradução para o Português. Significa atacaralguém por considerá-la “vadia”. No caso, ser vadia pode ser: ficar com muitas pessoas, usar roupascurtas, dançar funk, beber demais ou, basicamente, fazer qualquercoisa. Estatísticas mostram que 10 a cada 10 mulheres será chamada de“vadia” ou similar ao longo da vida. O patriarcado diz que é errado você querer sensualizar – se vocêquer ser sexy, você é uma vadia que não se dá valor. Essepensamento vai na linha de "tudo bem usar saia curta porque vocêse sente bem, mas não se você quer que caras vejam as suaspernas". Mas e daí se eu quiser que vejam as minhas pernas? Issome torna menos digna de valor e respeito? Querer ser sexy não éerrado – o corpo é seu, você pode fazer o que bem entender comele. E dificilmente vão diferenciar uma menina que desce até o chãopelo próprio prazer de uma "menina que desce até o chão para seexibir. No final, não há diferença. A questão é que nos dois casos, amenina deve estar livre de julgamentos, ameaças e falta de respeito.
  10. 10. ABORTO http://www.nytimes.com/2007/10/12/world/12abortion.html?_r=1& Estudo daOMS que diz que o número de abortos não muda em países onde é legal ouilegal. Veja só esta conclusão. Caso o aborto seja crime ou não, restrito ounão,o número de abortos permanece exatamente o mesmo. Ouseja, independente da legislação de um país, um número x de fetos serãoabortados. Então porque lutar pela descriminalização do aborto? Se não fazdiferença? Simples. Porque o aborto ilegal e inseguro matapessoas. Pessoas ALÉM do número x de fetos que já iriam morrer. Sabeaqueles abortos feitos no banheiro, com agulha de tricô, cabide, e galhos?Eles causam a morte de pessoas. Abortos com médicos incapacitados e mal-equipados, em condições extremas, matam pessoas. Rasgos uterinos eperfuração de órgãos causados pelas agulhas de tricô e cabides usadosprovocam hemorragia interna, infeccções, esterelização e mortes depessoas. Então, se o aborto é legal e seguro: X fetos vão morrer. Nem mais, nemmenos. Se o aborto é ilegal e inseguro: X fetos continuarão morrendo, mais umnúmero Y de pessoas que morreram pelas consequências de terem tentadofazer um aborto ilegal e inseguro.Qual é a opção que salva mais vidas? O Feminismo escolheu a opção quesalva mais vidas.**: Nem todas as feministas são a favor do aborto! Essa questão geramilhares de debates dentro dos próprios núcleos feministas.
  11. 11. O ARGUMENTO DO VIOLINISTA “Você acorda de manhã e se encontra numa cama de hospitaldo lado de um violinista inconsciente. Um violinista inconscientemuito famoso. Aparentemente, os médicos te explicam,descobriram que ele tinha uma doença fatal nos rins e aSociedade de Amantes da Música pesquisaram todos oshistóricos médicos disponíveis e descobriram que você era aúnica pessoa que poderia ser usada para este procedimentomédico, por ser compatível com o violinista. Logo, tesequestraram e o sistema circulatório do violinista foi plugado aoseu, de forma que seus rins funcionam como seus e dele aomesmo tempo. Se desligarem ele de você agora, ele vai morrer.Mas dentro de 9 meses ele vai estar recuperado da doença nosrins e aí ele pode ser desligado de você sem morrer.” Me diga:Se você não quiser ter que passar 9 meses com seu corpoplugado ao do violinista, desplugar aquilo e sair andando dohospital, você cometeu um crime? **: O argumento do violinista tenta provar, apenas, que abortonão é assassinato. Ele tenta sustentar, também, a soberania damulher sobre seu próprio corpo.

×