Matemática no Pré-escolar

20.272 visualizações

Publicada em

0 comentários
15 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
20.272
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
96
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
766
Comentários
0
Gostaram
15
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Matemática no Pré-escolar

  1. 1. A Matemática na Educação Pré-Escolar
  2. 2. Existem três áreas de conteúdo- Área de formação pessoal e social;- Área de expressão e comunicação;- Área de conhecimento do mundo.
  3. 3. O desenvolvimento matemático nos primeiros anos éfundamental:Alicerça aprendizagens;Promove o sucesso das aprendizagens futuras;Funções na vida corrente.
  4. 4. Papel do educadorQuestionarIncentivarEncorajarProporcionar acesso a livros, histórias, jogos…Utilizar a linguagem própria da matemáticaO educador deve valorizarConhecimento das criançasVivências das criançasOportunidades que surjam naturalmente
  5. 5. Uma história pode ser explorada intencionalmente nosdomínios da Linguagem Oral e abordagem à escrita, da dasexpressões motora, plástica e musical e da Matemática.Que histórias? Como explorar a história?
  6. 6. Apresentação de sugestões…
  7. 7. Mais Uma Ovelha? de Mij Kelly Russell AytoTodos no Sofá de Luísa Ducla SoaresA mãe da Maíza é que conta de António TorradoOs Três PorquinhosBranca de Neve e os Sete Anões1 * 2 * 3 de Luísa Ducla SoaresO Nabo Gigante de Alexis Tolstoi e Niamh Sharkey
  8. 8. Quadradinha (autor desconhecido)O Bosque das Figuras Geométricas retirado de http://eecm.amt.ua.ptO Capuchinho VermelhoCaracóis de Ouro e os Três UrsosNa Cidade dos Sólidos retirado de http://eecm.amt.ua.pt
  9. 9. Pequeno Livro de Desmatemática de Manuel António PinaPoemas da Mentira e da Verdade de Luísa Ducla Soares
  10. 10. A criança familiariza-se muito cedo com os números.Exemplos de situações:- elevador;- comando da televisão;- supermercado;E no Jardim de Infância?
  11. 11. O conhecimento do número é menos abrangente que osentido de número.O sentido de número no Jardim-de-Infância é entendidocomo um processo no qual a criança vai aprendendo acompreender os diferentes significados e utilizações dosnúmeros e a forma como estes estão interligados.
  12. 12. O sentido de número refere-se à compreensão global dosnúmeros e das operações a par com a capacidade para usaresta compreensão de forma flexível para fazer julgamentosmatemáticos e desenvolver estratégias úteis de manipulaçãodos números e das operações.
  13. 13. Assim, possuir o sentido de número inclui conhecer o númeroe as suas relações, compreender o efeito das operações sobreos números bem como perceber a grandeza relativa de umnúmero. Isto é, compreender que um número se pode obter apartir de outros, entender o que acontece a dois númerosquando se opera com eles, e ainda, perceber que porexemplo
  14. 14. o professor não pode ter 200 anos, mas um automóvel custamais de 200 euros. O sentido do número engloba aindaperceber que os números podem ser usados em diferentescontextos e com diferentes significados. Por exemplo, onúmero do bilhete de identidade serve para identificar umdeterminado indivíduo, o número da porta indica alocalização da casa numa dada rua ou a altura de um prédio étambém expressa por um número, que representa a suamedida.
  15. 15. As crianças gostam de decorar e recitar sequênciasnuméricas, criam sequências próprias até conhecerem acorrecta.Exemplo Retirado de brochura Sentido de número e organização de dados, pg.16
  16. 16. A contagem oral engloba o desenvolvimento:- Do conhecimento da sequência dos números com um só digito.- Do conhecimento das irregularidades entre 10 e 20.- Da compreensão de que o nove implica a transição …- Dos termos de transição para uma nova série (10, 20, 30, …) Retirado de brochura Sentido de número e organização de dados, pg.16
  17. 17. As primeiras actividades a realizar com as crianças devem serconcretas, para que, de modo progressivo ganhem abstracçãoe consigam pensar nos números sem contactarem comobjectos.
  18. 18. Mais Uma OvelhaPromove a aprendizagem do nosso sistema de contagem oral.TarefaLeitura da história “Mais Uma Ovelha”.Reflectir sobre a situação apresentada na brochura Sentido de número e organização de dados, pg. 40.Questões feitas pela educadora.Extensão à tarefa inicial.
  19. 19. Todos no SofáPermite trabalhar a contagem oral crescente e a contagem oral decrescente.TarefaLeitura da história “Todos no Sofá”Reflectir sobre a situação apresentada na brochura Sentido de número e organização de dados, pg. 14.
  20. 20. A mãe de Maíza é que contaPermite trabalhar a contagem por ordem crescente ou decrescente.Utilização de termos específicos do localizar, nomeadamente dentro e fora.TarefaLeitura da história “A mãe de Maíza é que conta”Reflectir sobre a situação apresentada na brochura Sentido de número e organização de dados, pg. 90. Geometria, pg. 78.
  21. 21. Outras formas de trabalhar a sequência numérica.CançõesPoemasLengalengas
  22. 22. CançõesCanção da velha e dos númerosBati à porta do número umEstava uma velha a dançar com atumQue giro que é! (4 vezes)
  23. 23. Bati à porta do número doisEstava uma velha a dançar com dois boisQue giro que é! (4 vezes)Bati à porta do número trêsEstava uma velha a dançar com um chinêsQue giro que é! (4 vezes)
  24. 24. Bati à porta do número quatroEstava uma velha a dançar com um sapatoQue giro que é! (4 vezes)Bati à porta do número cincoEstava uma velha a dançar com um brincoQue giro que é! (4 vezes)
  25. 25. Bati à porta do número seisEstava uma velha a dançar com pincéisQue giro que é! (4 vezes)Bati à porta do número seteEstava uma velha a dançar com um babeteQue giro que é! (4 vezes)
  26. 26. Bati à porta do número oitoEstava uma velha a dançar com um biscoitoQue giro que é! (4 vezes)Bati à porta do número noveEstava uma velha a dançar com um bigodeQue giro que é! (4 vezes)
  27. 27. Bati à porta do número dezEstava uma velha a dançar com os pésQue giro que é! (4 vezes)retirado de http://miminhosecarinhos.blogspot.com/search/label/Matem%C3%A1tica
  28. 28. TarefaIlustre a canção da velha e dos números com as crianças e exponha-a na sala de aula.
  29. 29. Poesia OS NÚMEROS DO MENINO GULOSO Dá-me bolinhos mas não só um. Desde o almoço faço jejum. Dá-me bolinhos mas não só dois. Como um agora outro depois.
  30. 30. Dá-me bolinhosmas não só três,que os vou paparduma só vez.Dá-me bolinhosmas não só quatro,para os provarlogo no quarto.
  31. 31. Dá-me bolinhosmas não só cinco.Com tanta fomeeu bem os trinco.Dá-me bolinhosmas não só seis,todos maioresque bolos reis. Luísa Ducla SoaresRetirado dehttp://www.app.pt/nte/luisads/mentiraverdade.htm#OS%20NÚMEROS%20DO%20MENINO%20GULOSO
  32. 32. TarefaInspire-se no poema de Luísa Ducla Soares que acabou de lere escreva um poema no qual os números sejam o temaprincipal.
  33. 33. TarefaExplore o espaço poético (poesia, jogos,…) emhttp://www.ecolenet.nl/tellme/poesia/poemas.htm
  34. 34. Os 10 soldadinhosMarcham 10 soldados, ai, mas como chove!Um escorregou na lama, só ficaram 9.Os nove soldados cearam biscoito, um comeu demais, sóficaram 8.Os oito soldados seguem o cadete,Perde-se um na estrada, só ficaram 7.Vão sete soldados apanhar papéis,Um foge para casa, só ficaram 6.Estes seis soldados acharam um brinco,Um vai ao ourives, e só ficaram 5.
  35. 35. Os cinco soldados encontraram um rato,Um foge assustado, e só ficaram 4.Os quatro soldados vão lavar os pés,Cai um no ribeiro, e só ficaram 3.Ficam três soldados a guardar os bois,Um vai para toureiro, e só ficaram 2.Dos dois um deitou-se a fazer ó - ó,Foi-se embora o outro, e ficou 1 só.Este era o tambor, e fez: trrum-tum-tumCai de cansaço, não ficou nenhum.Retirado dehttp://www.minerva.uevora.pt/itic/1998_1999/elefante/can_solda.html
  36. 36. LengalengasFui à caixa das bolachasTirei umaTirei duasTirei trêsTirei quatroTirei cincoTirei seis
  37. 37. Tirei seteTirei oitoTirei noveTirei dezQue é para veres o guloso que tu és Retirado de http://www.recursoseb1.com/ficheiros/varios/historia.pdf
  38. 38. Um, dois, três, quatroA galinha mais o patoFugiram da capoeiraForam atrás da cozinheiraQue lhes deu com um sapatoUm, dois, três, quatro Retirado de http://www.recursoseb1.com/ficheiros/varios/historia.pdf
  39. 39. Ordem crescente e decrescenteFormiguinhas Cinco formiguinhas andando devagar uma entrou no formigueiro quantas restam para entrar? Quatro Quatro formiguinhas andando devagar uma entrou no formigueiro quantas restam para entrar? Três
  40. 40. Três formiguinhas andando devagar uma entrou no formigueiro quantas restam para entrar?DuasDuas formiguinhasandando devagaruma entrou no formigueiroquantas restam para entrar?Uma
  41. 41. Uma formiguinhaandando devagarela entrou no formigueiroquantas restam para entrar?ZeroRetirado dehttp://terroristasdepalmoemeio.blogspot.com/2008/06/canes-para-trabalhar-noes-matemticas.html
  42. 42. ROMANCE DAS DEZ MENINAS CASADOIRASSão dez as meninas e sobre elas chove, mas chega um bombeiro e ficam só nove.São nove meninas comendo biscoito mas chega um padeiro e ficam só oito.
  43. 43. São oito meninasfazendo uma omeletemas chega um gulosoe ficam só sete.São sete meninaspintando papéismas chega um pintore ficam só seis.
  44. 44. São seis as meninasà volta de um brincomas chega um ourivese ficam só cinco.São cinco meninasque vão ao teatromas chega um actore ficam só quatro.
  45. 45. São quatro meninasfalando francêsmas chega um estrangeiroe ficam só três.São três as meninasguardando peruasmas chega um pastore ficam só duas.
  46. 46. São duas meninasnadando na espumamas chega um barqueiroe fica só uma.É uma meninaa apanhar carumamas chega um leão,não fica nenhuma. Luísa Ducla SoaresRetirado dehttp://www.app.pt/nte/luisads/mentiraverdade.htm#ROMANCE%20DAS%20DEZ%20MENINAS%20CASADOIRAS
  47. 47. Para além da contagem oral um a um podemos promover àcriança a aprendizagem da contagem oral de 2 em 2, de 5 em5, ou de 10 em 10.
  48. 48. Retirado de brochura Sentido de número e organização de dados
  49. 49. BibliografiaCastro, J.P. e Rodrigues, M.. Sentido de número e organização de dados. DGIDC: Lisboa. 2008.Mendes, M.F. e Delgado, C.C.. Geometria. DGIDC: Lisboa,.2008.Orientações Curriculares. Ministério da Educação, Lisboa,.1997.APM, Desenvolvendo o Sentido do Número. Materiais para o educador e para o professor do 1ºciclo. 2005.Abrantes, P., L. Serrazina, e I. Oliveira. A Matemática na educação básica. Lisboa: ME/DEB. 1999Matos, J. M. e Serrazina, M. L.. Didáctica da Matemática. Lisboa: Universidade Aberta. 1996Moreira, D.. Iniciação à Matemática no Jardim de Infância. Universidade Aberta. 2003
  50. 50. http://r21.ccems.pt/http://eecm.amt.ua.pthttp://www.app.pt/nte/luisads/mentiraverdade.htm#ROMANCE%20DAS%20 DEZ%20MENINAS%20CASADOIRAShttp://terroristasdepalmoemeio.blogspot.com/2008/06/canes-para- trabalhar-noes-matemticas.htmlhttp://www.recursoseb1.com/ficheiros/varios/historia.pdfhttp://www.minerva.uevora.pt/itic/1998_1999/elefante/cancoes.htmlhttp://omundinhododavid.blogspot.com/2008/06/cano-dos-nmeros.htmlhttp://www.ecolenet.nl/tellme/poesia/poemas.htmhttp://miminhosecarinhos.blogspot.com/search/label/Matem%C3%A1tica

×