Industria Do Petr4óLeo

14.572 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
14.572
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
274
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
586
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Industria Do Petr4óLeo

  1. 1. Instrutor : Bruno Bonafé E-mail: [email_address] [email_address]
  2. 3. O que será Estudado? <ul><li>O Petróleo </li></ul><ul><li>A Origem e Composição </li></ul><ul><li>História do Petróleo no Mundo </li></ul><ul><li>Petróleo e as Guerras </li></ul><ul><li>História do Petróleo no Brasil </li></ul><ul><li>As crises do Petróleo </li></ul><ul><li>Matriz Energética </li></ul><ul><li>Mercado de Trabalho </li></ul><ul><li>Capítulo 1 </li></ul>
  3. 4. O que será Estudado? <ul><li>Bacias Sedimentares </li></ul><ul><li>Introdução a Engenharia de Reservatórios </li></ul><ul><li>Classificação de Reservatórios </li></ul><ul><li>Maiores Produtores Mundiais </li></ul><ul><li>Maiores Consumidores Mundiais </li></ul><ul><li>Campos de Produção </li></ul><ul><li>Campos Marginais e Campos Maduros </li></ul><ul><li>Exploração e Produção – E&P </li></ul><ul><li>Capítulo 2 </li></ul>
  4. 5. O que será Estudado? <ul><li>Introdução a Perfuração de Poços </li></ul><ul><li>Classificação dos Poços </li></ul><ul><li>Tipos de Plataformas </li></ul><ul><li>Participações Governamentais - Royalties </li></ul><ul><li>Lei do Petróleo </li></ul><ul><li>Principais órgãos do Setor Petrolífero </li></ul><ul><li>Capítulo 3 </li></ul>
  5. 6. O Petróleo O petróleo é uma substância Oleosa, inflamável, menos densa que a água, com cheiro característico e de cor variando entre o negro e o castanho escuro, de origem fóssil formado basicamente de carbono e Hidrogênio - Hidrocarbonetos Antes de Estudarmos melhor a composição do petróleo, precisamos conhecer um pouco mais o mundo da química.
  6. 7. Noções Básicas de Química Orgânica Essa parte da química, além de estudar a estrutura, propriedades, composição, reação e síntese de compostos orgânicos que, por definição, contenham carbono , pode também conter outros elementos como o oxigênio e o hidrogênio .
  7. 8. Noções Básicas de Química Orgânica O que são Hidrocarbonetos? São compostos orgânicos, ou seja possuem Carbono em sua composição ligados a moléculas de Hidrogênio. H C H H H
  8. 9. Noções Básicas de Química Orgânica HIDROCARBONETOS ALIFÁTICOS AROMÁTICOS Cadeia aberta Alcanos Alcenos Alcinos Cadeia fechada Ciclo-alcanos Ciclo-alcenos Ciclo-alcinos
  9. 10. Noções Básicas de Química Orgânica Alcanos – Hidrocarbonetos saturados de cadeia aberta e apresentam apenas ligações simples entre os seus átomos de carbono . Fórmula geral dos alcanos – C n H 2n + 2
  10. 11. Noções Básicas de Química Orgânica Alcenos – Hidrocarbonetos insaturados de cadeia aberta e apresentam uma única ligação dupla . Fórmula geral dos alcenos – C n H 2n
  11. 12. Noções Básicas de Química Orgânica Alcinos – Hidrocarbonetos insaturados de cadeia aberta e apresentam uma única ligação tripla . Fórmula geral dos alcinos – C n H 2n - 2
  12. 13. Noções Básicas de Química Orgânica Cicloalcanos – Hidrocarbonetos cíclicos que apresentam apenas ligações simples Fórmula geral dos cicloalcanos – C n H 2n
  13. 14. Noções Básicas de Química Orgânica Cicloalcenos – Hidrocarbonetos cíclicos que apresentam apenas uma ligação dupla . Fórmula geral dos cicloalcenos – C n H 2n - 2
  14. 15. Noções Básicas de Química Orgânica Cicloalcinos – Hidrocarbonetos cíclicos que apresentam apenas uma ligação tripla Fórmula geral dos cicloalcinos – C n H 2n - 4
  15. 16. Noções Básicas de Química Orgânica Hidrocarbonetos aromáticos - Hidrocarbonetos que possuem um ou mais anéis benzénicos ( aneis aromáticos ) . Benzeno – C 6 H 6
  16. 17. Noções Básicas de Química Orgânica Radicais Metil Etil Propil Butil Pentil Hexil Heptil Alcano Alceno Alcino Cicloalcano Cicloalceno Cicloalcino 1C 2C 3C 4C 5C 6C 7C
  17. 19. O Petróleo Agora que estudamos um pouco sobre os hidrocarbonetos, podemos concluir que o petróleo é uma combinação complexa destes hidrocarbonetos podendo conter também quantidades pequenas de nitrogênio, Oxigênio, compostos de enxofre e íons metálicos, principalmente Níquel e vanádio.
  18. 20. Classificação do Petróleo Classificação do petróleo segundo o Grau API O grau de API permite classificar o Petróleo em: Petróleo leve ou de base Parafínica : Possui ºAPI maior que 31,1. Contém, além de alcanos, uma porcentagem de 15 a 25% de cicloalcanos. Petróleo médio ou de base Naftênica : Possui ºAPI entre 22,3 e 31,1. Além de alcanos, contém também de 25 a 30% de hidrocarbonetos aromáticos. Petróleo pesado ou de base Aromática : Possui ºAPI menor que 22,3 e é constituído, praticamente, só de hidrocarbonetos aromáticos. Petróleo extra-pesado : Possui ºAPI menor que 10. Quanto maior o grau API, maior o valor do produto no mercado.
  19. 21. Classificação do Petróleo Formulação É obtido pela fórmula: ºAPI = (141,5 ÷ densidade da amostra à temperatura de 60°F) - 131,5 em que a densidade é medida relativamente à densidade da água A densidade , portanto, pode ser obtida por: D = ___ 141,5___ °API + 131,5
  20. 22. Exercícios de Fixação <ul><li>O que é petróleo? </li></ul><ul><li>Qual sua composição? </li></ul><ul><li>Qual a classificação dos Hidrocarbonetos? </li></ul><ul><li>O que são Hidrocarbonetos Alifáticos e em que se dividem? </li></ul><ul><li>O que são compostos aromáticos? </li></ul>
  21. 23. Exercícios Avançados <ul><li>Na plataforma P-53 foram encontradas diversas amostras de Petróleo bruto cujo objetivo era medir o seu Grau API para verificar o seu valor comercial. Numa das amostras, o petróleo possuía densidade aproximada de 0.987 Kg/cm³ . </li></ul><ul><li>Calcule o Grau API deste óleo e o classifique de acordo com o American Petroleum Institute. </li></ul>
  22. 24. Resolução do Exercício 1 <ul><li>temos que D = 0,987 </li></ul><ul><li>Aplicando na fórmula do grau API que é: </li></ul><ul><li>D = ___ 141,5___ </li></ul><ul><li>°API + 131,5 </li></ul><ul><li>Temos: 0,987 = __ 141,5 __ </li></ul><ul><li>°API + 131,5 </li></ul><ul><li>Logo: °API = 141,5 - 131,5 </li></ul><ul><li>0,987 </li></ul><ul><li>Grau API deste óleo é de : 11,86 </li></ul><ul><li>Considerado : Petróleo pesado ou de base aromática </li></ul>
  23. 25. Logo Podemos concluir que: <ul><li>° API = 141,5 – 131,5 </li></ul><ul><li>D </li></ul>
  24. 26. Exercícios Avançados <ul><li>Foram enviadas amostras para o centro de pesquisa da Petrobras – CENPES afim de verificar o grau API dos óleos. Um dos óleos possuía densidade = 0,852 Kg/cm³ e o outro possuía densidade = 0,795 Kg/cm³. </li></ul><ul><li>Calcule o Grau API deste óleo , classifique de acordo com o American Petroleum Institute e diga qual melhor petróleo . </li></ul>
  25. 27. <ul><li>Após definirmos a fórmula de grau API, podemos utilizá-la melhor neste 2º exercício. </li></ul><ul><li>° API = 141,5 – 131,5 </li></ul><ul><li>D </li></ul><ul><li>Se temos o primeiro óleo com densidade de 0,852 Kg/cm³ </li></ul><ul><li>Logo: ° API = 141,5 – 131,5 </li></ul><ul><li>0,852 </li></ul><ul><li>° API = 166,07 – 131,5 = 34,57 </li></ul><ul><li>Considerado Petróleo LEVE de base Parafínica </li></ul>Resolução do Exercício 2
  26. 28. <ul><li>Se temos o Segundo óleo com densidade de 0,795 Kg/cm³ </li></ul><ul><li>Logo: ° API = 141,5 – 131,5 </li></ul><ul><li>0,795 </li></ul><ul><li>° API = 177,98 – 131,5 = 46,48 </li></ul><ul><li>Considerado Petróleo LEVE de base Parafínica </li></ul>Resolução do Exercício 2
  27. 29. Resolução do Exercício 2 Contudo podemos concluir que neste exercício o melhor petróleo a ser utilizado é o da segunda amostra , pois apresenta um elevadíssimo grau API o que o torna mais leve que o primeiro, apesar de os dois serem de ótima qualidade.
  28. 30. A formação do petróleo vem da deposição , no fundo de lagos e mares, de restos de animais e vegetais mortos ao longo de milhares de anos . Estes restos iam sendo cobertos por sedimentos, e mais tarde esses sedimentos se transformaram em rochas sedimentares. Pela ação do calor e da alta pressão provocados pelo empilhamento dessas camadas, possibilitou reações complexas, formando o petróleo. Devido a essas circunstâncias em que foi formado, o petróleo encontrado em cavidades existentes entre as camadas do subsolo . Quando o petróleo é extraído, geralmente vem acompanhado de água salgada , devido ao antigo mar existente neste local. Formação do Petróleo
  29. 31. Carbono 81-88% Hidrogênio 10-14% Oxigênio 0.01-1.20% Nitrogênio 0.002-1.70% Enxofre 0.01-5.00%
  30. 32. Onde se Localiza o Petróleo Antes de sabermos onde o petróleo se encontra, temos que conhecer os diferentes tipos de rochas que compõem o solo terrestre.
  31. 33. Tipos de Rochas <ul><li>Rochas Ígneas – É formada por compostos magmáticos, provenientes do magma terrestre. </li></ul><ul><li>Rochas Metamórficas – São aquelas formadas pelo metamorfismo de outras rochas. </li></ul><ul><li>Rochas Sedimentares – É formada por diversos tipos de sedimentos provenientes de outros tipos de rochas. É onde o petróleo se encontra. </li></ul>
  32. 35. Rochas Sedimentares A palavra sedimentar tem sua origem no latim sedere (= acumular) e é uma referência ao seu processo de formação. Elas cobrem cerca de 2/3 da área dos continentes e a maior parte do fundo dos oceanos.
  33. 36. Rochas Sedimentares As rochas sedimentares são derivadas de restos e detritos de outras rochas pré-existentes. O intemperismo faz com que as rochas Magmáticas, Metamórficas ou Sedimentares estejam constantemente sendo alteradas. O material resultante é transportado pela água, vento ou gelo e finalmente depositado como um sedimento. Deve haver então, uma compactação ou cimentação do material para ele se transformar em uma rocha sedimentar.
  34. 37. Rochas Sedimentares O Brasil possui 6.430.000 km 2 de bacias sedimentares, dos quais 4.880.000 km 2 em terra e 1.550.000 km 2 em plataforma continental. No entanto, para a formação de petróleo é necessário que as bacias tenham sido formadas em condições muito específicas. Normalmente, são áreas em que sucessões espessas de sedimentos marinhos foram soterrados à grandes profundidades.
  35. 38. Rochas Sedimentares A maioria dos hidrocarbonetos explorados no mundo inteiro provêm de rochas sedimentares. Em termos de idade, praticamente 60% provêm de sedimentos cenozóicos, pouco mais de 25% de depósitos mesozóicos e cerca de 15% de sedimentos paleozóicos. No Brasil, a maior parte da produção está ligada a sedimentos mesozóicos. Na figura abaixo, podemos observar as diferentes bacias do Brasil, separadas de acordo com a sua era geológica de origem.  
  36. 43. Geologia do petróleo A Origem do Petróleo <ul><li>O petróleo tem origem a partir da matéria orgânica depositada junto com os sedimentos. </li></ul><ul><li>A necessidade de condições não-Oxidantes pressupõe um ambiente de deposição composto de sedimentos de baixa permeabilidade, inibidor da ação da água circulante em seu interior. </li></ul>
  37. 44. Geologia do petróleo A Origem do Petróleo <ul><li>A interação dos seguintes fatores: </li></ul><ul><li>Matéria Orgânica </li></ul><ul><li>Sedimentos </li></ul><ul><li>Condições Termoquímicas </li></ul><ul><li>São fundamentais para o início da cadeia de processos que leva à formação do petróleo. </li></ul>
  38. 45. Geologia do petróleo A Origem do Petróleo <ul><li>Existem 4 estágios para a formação do petróleo, são eles: </li></ul><ul><li>Diagênese </li></ul><ul><li>Catagênese </li></ul><ul><li>Metagênese </li></ul><ul><li>Metamorfismo </li></ul>
  39. 46. Geologia do petróleo A Origem do Petróleo
  40. 47. Geologia do petróleo Etapas Diagênese Nessa etapa a temperatura está na faixa de 65°C, predomina a atividade bacteriana que provoca a reorganização celular e transforma a matéria orgânica em querogênio. O produto gerado é o metano bioquímico. Catagênese Nessa etapa a temperatura está na faixa de até 165°C, é determinante da quebra das moléculas de querogênio e resulta na geração de hidrocarbonetos líquidos e gás.
  41. 48. Geologia do petróleo Etapas Metagênese Nessa etapa a temperatura vai até 210°C, propicia a quebra das moléculas de hidrocarbonetos líquidos e sua transformação em gás leve. Metamorfismo Ultrapassando a última etapa, o aumento de temperatura leva à degradação do hidrogênio gerado. E os produtos são: Grafite. Gás carbônico e resíduo de gás metano.
  42. 49. Migração do petróleo Para se ter uma acumulação de petróleo é necessário que, após o processo de geração, ocorra à migração e que esta tenha seu caminho interrompido pela existência de algum tipo de armadilha geológica. Do estudo dos fatores controladores da ocorrência do petróleo, a migração é o mais questionado, o menos conclusivo, e o que mais suscita polemica entre os geólogos de petróleo . O fato é que o petróleo é gerado em uma rocha dita fonte , ou geradora , e se desloca para outra, onde se acumula, dita reservatório . As formas de migração têm tido várias explicações, e na Petrobras modelos bem fundamentados têm sido propostos para explicar as acumulações existentes no país.
  43. 50. Migração do petróleo A explicação clássica para o processo atribui papel relevante à fase de expulsão da água das rochas geradoras, que levaria consigo o petróleo durante os processos de compactação. Outra explicação estaria no microfraturamento das rochas geradoras. Isto facilitaria o entendimento do fluxo através de um meio de baixíssima permeabilidade, como as rochas argilosas (folhelhos). À expulsão do petróleo da rocha onde foi gerado dá-se o nome de migração primária. Ao seu percurso ao longo de uma rocha porosa e permeável até ser interceptado e contido por uma armadilha geológica dá-se o nome de migração secundária. A não-contenção do petróleo em sua migração permitiria seu percurso continuado em busca de zonas de menor pressão até se perder através de exsudações, oxidação e degradação bacteriana na superfície.
  44. 51. Rocha Reservatório O petróleo, após ser gerado e ter migrado, é eventualmente acumulado em uma rocha que é chamada de reservatório. Esta rocha pode ter qualquer origem ou natureza, mas para se constituir em um reservatório deve apresentar espaços vazios no seu interior (porosidade), e que estes vazios estejam interconectados, conferindo-lhe a característica de permeabilidade . Desse modo, podem se constituir rochas-reservatório os arenitos e calcarenitos, e todas as rochas sedimentares essencialmente dotadas de porosidade intergranular que sejam permeáveis. Algumas rochas, como os folhelhos e alguns carbonatos, normalmente porosos, porém impermeáveis, podem vir a se constituir reservatórios quando se apresentam naturalmente  fraturados.
  45. 52. Rocha Reservatório Uma rocha-reservatório, de uma maneira geral, é composta de grãos ligados  uns aos outros por um material, que recebe o nome de cimento. Também existe entre  os grãos outro material muito fino chamado matriz. O volume total ocupado por  uma rocha-reservatório é a soma do volume dos materiais sólidos (grãos, matriz e  cimento) e do volume dos espaços vazios existentes entre eles. O volume de espaços  vazios é também chamado de volume poroso. Portanto, a porosidade de uma rocha é  definida por:    Φ = Vp/Vt
  46. 53. Rocha Selante Atendidas as condições de geração, migração e reservatório , para que se dê a acumulação do petróleo, existe a necessidade de que alguma barreira se interponha no seu caminho. Esta barreira é produzida pela rocha selante , cuja característica principal é sua baixa permeabilidade .        Além da impermeabilidade, a rocha selante deve ser dotada de plasticidade, característica que a capacita a manter sua condição selante mesmo depois de submetida a esforços determinantes de deformações. Duas classes de rochas são selantes por excelência: os folhelhos e os evaporitos (sal). Outros tipos de rochas também podem funcionar como tal. A eficiência selante de uma rocha não depende só de sua espessura, mas também de sua extensão.
  47. 54. Rocha Selante
  48. 55. Conclusão !! <ul><li>Podemos concluir que para que haja formação de petróleo e acúmulo em reservatórios, é necessário a perfeita combinação entre diversos fatores, como temperatura, tempo geológico, tipologia rochosa, armadilhas geológicas, dentre outras. </li></ul>
  49. 56. Exercícios !!! <ul><li>Uma amostragem de rocha proveniente de um poço de petróleo durante sua perfuração foi analisada e ficou definido que seu volume total é de 20cm³, e seu volume poroso é de 10cm³. Calcule o percentual da porosidade desta rocha. </li></ul><ul><li>Uma rocha encontrada numa bacia sedimentar do estado da Bahia, possuía uma porosidade de 30%. Sabendo-se que o volume total desta rocha é de 900 cm³, calcule seu volume poroso Vp. </li></ul>
  50. 57. Exercícios !!! <ul><li>O que é uma rocha reservatório? </li></ul><ul><li>O que é uma rocha selante? </li></ul><ul><li>Quais os fatores necessários para que haja formação de petróleo? </li></ul><ul><li>Quais as 4 etapas do processo de transformação da matéria orgânica, cite em que etapa podemos encontrar petróleo. </li></ul><ul><li>Qual a diferença entre volume poroso (V p ) e volume total (V t ) </li></ul><ul><li>Lembrando que os 3 primeiros alunos que fizerem corretamente todas as questões, receberão um brinde na próxima aula. </li></ul>

×