Reino animal BIO – TUBÃO
Protozoários Prof. tubão
<ul><li>FILOS </li></ul><ul><li>Reino  Ciliophora ( ciliados) </li></ul><ul><li>Protista  </li></ul><ul><li>Sub-reino  Api...
<ul><li>Reprodução:  </li></ul><ul><li>a) Assexuada: Cissiparidade, brotamento, endogenia, esquizogonia (merogonia) </li><...
 
 
 
 
 
 
Termos mais usados em parasitologia <ul><li>Agente etiológico </li></ul><ul><li>Vetor, Vetor mecânico e vetor biológico </...
DOENÇA DE CHAGAS prof. Eduardo Agente etiológico : Trypanosoma   cruzi ,
<ul><li>Hospediro Invertebrado ou  Vetor :  “Barbeiro” </li></ul><ul><li>No Brasil: Triatoma infestans, Panstrogylus megis...
MECANISMOS DE TRANSMISSÃO -Transmissão por insetos (fezes do inseto) -Transfusão sanguínea -Transmissão congênita -Acident...
<ul><li>Fase Aguda -  Inicia-se com a entrada do parasito, Normalmente assintomática: </li></ul>Sinal de Romanã
“ FASE CRÔNICA , miocárdio. Surgimento de fibrose difusa, relacionada ao foco inflamatório
CARDIOMEGALIA
Megaesôfago   Megacólon
<ul><li>PROFILAXIA </li></ul><ul><li>Melhoria das habitações principalmente rurais </li></ul><ul><li>Combate ao barbeiro <...
Malária ( Impaludismo, maleita, impaludismo, sezão, febre palustre, tremedeira, febre intermitente) Prof. Eduardo
Classe  Sporozoa   Gênero  Plasmodium   (todos parasitas intracelulares, sem estruturas locomotoras)
<ul><li>Quatro espécies de  plasmodium  parasitam humanos: </li></ul><ul><li>P. vivax : Febre terçã benigna (48 hs.) </li>...
O nome “mosquito-prego” vem da posição oblíqua em relação ao suporte que assumem quando pousam. Mosquito Vetor:  gênero  A...
 
 
<ul><li>PATOGENIA e SINTOMAS </li></ul><ul><li>Fase inicial: mal-estar, cefaléia e cansaço </li></ul><ul><li>Acesso malári...
Profilaxia  <ul><li>Proteção individual </li></ul><ul><li>Quimioprofilaxia </li></ul><ul><li>Combate ao vetor  </li></ul><...
<ul><li>A Leishmaniose pode se apresentar das seguintes formas: </li></ul><ul><li>A)Tegumentar :  </li></ul><ul><li>Cutâne...
<ul><li>Cutânea difusa: provoca metástases. </li></ul>
<ul><li>Cutâneo-mucosa: destrói a mucosa nasofaríngea. </li></ul>
<ul><li>B) Visceral : geralmente fatal e incurável, ataca vísceras como fígado e baço.  </li></ul>
<ul><li>REINO ANIMALIA  PORÍFEROS: </li></ul><ul><li>As esponjas não possuem tecidos ou órgãos.  </li></ul><ul><li>São aqu...
 
<ul><li>CELENTERADOS ou CNIDÁRIOS: </li></ul><ul><li>Primeiros sistema digestório incompleto e sistema nervoso difuso (sim...
 
 
<ul><li>PLATELMINTOS: </li></ul><ul><li>São vermes achatados e vivem livre na água doce, salgada ou em terra úmida; são pa...
 
Classe Cestoda Teníase/Cisticercose Prof. TUBÃO
Teníase <ul><li>Agente Etiológico:   Taenia saginata   (boi) e  Taenia solium  ( porco) </li></ul><ul><li>Hospedeiro defin...
 
 
 
 
 
 
<ul><li>Profilaxia </li></ul><ul><ul><li>Tratamento dos doentes </li></ul></ul><ul><ul><li>Construção de pocilgas e fossas...
Esquistossomose
<ul><li>Agente Etiológico:  Gênero  Schistosoma.  </li></ul><ul><li>Espécies: S.  mansoni, S. japonicum e S. haematobium <...
<ul><li>-  Morfologias  </li></ul><ul><ul><li>Verme adulto </li></ul></ul>
<ul><ul><ul><li>Ovo </li></ul></ul></ul>
<ul><ul><ul><ul><li>Miracídio </li></ul></ul></ul></ul>
<ul><ul><ul><ul><li>Cercária </li></ul></ul></ul></ul>
Biomphalaria glabrata  Biomphalaria straminea  Biomphalaria tenagophila  <ul><li>Transmissores </li></ul><ul><ul><li>Famíl...
Vermes imaturos - sistema porta Casal de verme (Adultos) - Veias mesentéricas inferiores
 
<ul><ul><li>Ascite (Barriga d’água) </li></ul></ul>
<ul><li>Profilaxia :  </li></ul><ul><li>Tratar os animais e impedir que defequem próximos a água. </li></ul><ul><li>Destru...
NEMATELMINTOS TUBÃO
<ul><li>NEMATELMINTOS OU ASQUELMINTOS: </li></ul><ul><li>São vermes de corpo alongado, simetria bilateral, triblásticos.  ...
 
 
ASCARIDÍASE Prof. TUBÃO
<ul><li>ASCARIDOSE  ou ASCARIDÍASE  ( Lombriga ou Bicha) </li></ul><ul><li>Agente Etiológico :  Ascaris lumbricoides </li>...
<ul><li>Ovo:  Cor castanha, cápsula espessa e resistente (quitina e proteinas) </li></ul><ul><li>Fêmea é capaz de ovipor 2...
 
<ul><li>Ovos meio ambiente   Larva Rabditóide (L-1)     Larva Rabditóide (L-2)     Larva Filarióide (L-3)     Adulto  ...
<ul><li>Profilaxia </li></ul><ul><ul><li>Tratamento dos doentes </li></ul></ul><ul><ul><li>Educação sanitária </li></ul></...
Prof. TUBÃO AMARELÃO (ANCILOSTOMOSE Agente Etiológico :  Ancylostoma duodenale   e  Necator americanus
 
 
 
<ul><li>Habitat  - - principalmente duodeno, sendo que em infestação maciça  poderá ser encontrado também no jejuno. </li>...
<ul><li>Profilaxia: </li></ul><ul><ul><li>Tratamento dos doentes </li></ul></ul><ul><ul><li>Educação sanitária </li></ul><...
 
Diagnóstico Clínico
<ul><li>ANELÍDEOS: </li></ul><ul><li>Corpo segmentado, dividido em anéis.  </li></ul><ul><li>Vivem  em  solo úmido, na águ...
 
 
<ul><li>MOLUSCOS: </li></ul><ul><li>Possuem um corpo mole protegido por uma concha calcária, ou valva. (exceto a lesma e o...
<ul><li>A) gastrópodes:  cabaça, pé, massa visceral, rádula, pulmonados ou branquiais, glândulas pedais (muco) </li></ul><...
<ul><li>B) bivalves:  cabaça, pé, sem rádula, filtradores, branquiais, produzem pérolas. Mariscos e ostras </li></ul>
 
<ul><li>B) cefalópodes:  cabaça, pé, massa visceral, primeiro cérebro (polvo). Lulas possuem cocha interna. Polvos não tem...
<ul><li>ARTRÓPODES: </li></ul><ul><li>Possuem pernas articuladas e o corpo segmentado. </li></ul><ul><li>Possuem um exoesq...
 
<ul><li>CRUSTÁCEOS: </li></ul><ul><li>A maioria é AQUÁTICA (exceto o tatu-bola). </li></ul><ul><li>Fazem parte do plâncton...
CRUSTÁCEOS
<ul><li>ARACNÍDEOS: </li></ul><ul><li>Aranhas, escorpiões e ácaros (carrapatos). </li></ul><ul><li>corpo dividido em cefal...
ARACNIDEOS
<ul><li>INSETOS: </li></ul><ul><li>Os insetos existem em todas as regiões do mundo. </li></ul><ul><li>Grupo com o biodiver...
INSETOS
<ul><li>METAMORFOSE </li></ul>
<ul><li>EQUINODERMOS :  </li></ul><ul><li>exclusivamente marinhos, com endoesqueleto calcário que emite espinhos ( echinos...
 
 
<ul><li>CORDADOS </li></ul><ul><li>Nocorda </li></ul><ul><li>Tubo neural </li></ul><ul><li>Fendas branquiais </li></ul><ul...
 
<ul><li>2)  VERTEBRADO S </li></ul><ul><li>A)  Agnatos  ou ciclostomados: </li></ul><ul><li>Lampreias e peixes bruxas </li...
<ul><li>B)  Peixes Cartilaginosos  ou codríctes  </li></ul><ul><li>Boca ventral (tubarões e raias) </li></ul><ul><li>Escam...
<ul><li>C)  Peixes ósseos  (osteíctes) </li></ul><ul><li>Primeiro esqueleto ósseo </li></ul><ul><li>(crânio e coluna verte...
<ul><li>Peixes ósseos pulmonados </li></ul><ul><li>Primeiros tetrápodes </li></ul><ul><li>Ancestrais dos anfíbios </li></ul>
<ul><li>D)  Anfíbios  (vida dupla): sapos rãs e salamandras </li></ul><ul><li>-  girino  (larva): aquático, branquial e áp...
<ul><li>E)  Répteis : cobras, lagartos tartarugas e jacarés. </li></ul><ul><li>Independência da água: fecundação interna, ...
<ul><li>F)  Aves : Penas querarinizadas (manutenção do calor e vôo) Ossos pneumáticos, músculos peitorais desenvolvidos, q...
<ul><li>G)  Mamíferos : Pêlos queratinizados, glândulas mamarias, diafragma e dentes diferenciados. </li></ul><ul><li>a) M...
<ul><li>b)  marsupiais  (bolsa ou marsúpio) Placenta primitiva: cangurus, gambás e koalas. </li></ul>
<ul><li>c)  placentários  (maioria) desenvolvimento intra-uterino completo:  </li></ul>
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Reino animal

3.167 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.167
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
20
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
70
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Reino animal

  1. 1. Reino animal BIO – TUBÃO
  2. 2. Protozoários Prof. tubão
  3. 3. <ul><li>FILOS </li></ul><ul><li>Reino Ciliophora ( ciliados) </li></ul><ul><li>Protista </li></ul><ul><li>Sub-reino Apicomplexa ( esporozoários ) </li></ul><ul><li>Protozoa </li></ul><ul><li>Sarcomastighopora ( flagelados e </li></ul><ul><li>sarodíneos ) </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Reprodução: </li></ul><ul><li>a) Assexuada: Cissiparidade, brotamento, endogenia, esquizogonia (merogonia) </li></ul><ul><li>b) Sexuada: Conjugação e esporogonia </li></ul><ul><li>Nutrição: Heterótrofos e saprozóicos </li></ul><ul><li>Excreção: difusão ou vacúolos contráteis </li></ul><ul><li>Respiraçao: aeróbica ou anaeróbica </li></ul>
  5. 11. Termos mais usados em parasitologia <ul><li>Agente etiológico </li></ul><ul><li>Vetor, Vetor mecânico e vetor biológico </li></ul><ul><li>Hospedeiro, intermediário e definitivo </li></ul><ul><li>Parasito monoxeno e heteroxeno </li></ul><ul><li>Ectoparsita, endoparasita </li></ul><ul><li>Reservatório </li></ul><ul><li>Epidemia, endemia e pandemia </li></ul><ul><li>Esquizogonia, esporogonia e metagênese </li></ul>
  6. 12. DOENÇA DE CHAGAS prof. Eduardo Agente etiológico : Trypanosoma cruzi ,
  7. 13. <ul><li>Hospediro Invertebrado ou Vetor : “Barbeiro” </li></ul><ul><li>No Brasil: Triatoma infestans, Panstrogylus megistus são os principais </li></ul><ul><li>insetos hemípteros da família Triatominae (Triatomídeo) </li></ul>
  8. 14. MECANISMOS DE TRANSMISSÃO -Transmissão por insetos (fezes do inseto) -Transfusão sanguínea -Transmissão congênita -Acidentes de laboratório -Transmissão oral - Coito eTransplantes e
  9. 15. <ul><li>Fase Aguda - Inicia-se com a entrada do parasito, Normalmente assintomática: </li></ul>Sinal de Romanã
  10. 16. “ FASE CRÔNICA , miocárdio. Surgimento de fibrose difusa, relacionada ao foco inflamatório
  11. 17. CARDIOMEGALIA
  12. 18. Megaesôfago Megacólon
  13. 19. <ul><li>PROFILAXIA </li></ul><ul><li>Melhoria das habitações principalmente rurais </li></ul><ul><li>Combate ao barbeiro </li></ul><ul><li>Controle do doador de sangue </li></ul><ul><li>Controle da transmissão congênita </li></ul><ul><li>Não há vacina comercial. Todas em testes </li></ul>
  14. 20. Malária ( Impaludismo, maleita, impaludismo, sezão, febre palustre, tremedeira, febre intermitente) Prof. Eduardo
  15. 21. Classe Sporozoa Gênero Plasmodium (todos parasitas intracelulares, sem estruturas locomotoras)
  16. 22. <ul><li>Quatro espécies de plasmodium parasitam humanos: </li></ul><ul><li>P. vivax : Febre terçã benigna (48 hs.) </li></ul><ul><li>P. malarie : Febre quartã benigna ( 72 hs.) </li></ul><ul><li>P. falciparum : Febre terçã maligna (36 – 48 hs.) </li></ul><ul><li>P. ovale : Febre terçã benigna (48 hs.) </li></ul><ul><li>No Brasil encontramos o P. vivax, o P. malarie e P. falciparum </li></ul><ul><li>O P. ovale é restrito na África. </li></ul><ul><li>Períodos de incubação vaiáveis: P. falciparum, 8-12 dias; P. vivax , 13 a 17 dias e P. malarie , 28 a 37 dias. </li></ul>
  17. 23. O nome “mosquito-prego” vem da posição oblíqua em relação ao suporte que assumem quando pousam. Mosquito Vetor: gênero Anopheles . Na América a principal espécie vetora é o A. darlingi
  18. 26. <ul><li>PATOGENIA e SINTOMAS </li></ul><ul><li>Fase inicial: mal-estar, cefaléia e cansaço </li></ul><ul><li>Acesso malárico </li></ul><ul><li>Coincide com a ruptura das hemácias </li></ul><ul><li>Calafrio - febre - sudorese – fraqueza </li></ul><ul><li>O P. falciparum causa formação de trombos (necrose e falência do órgão). </li></ul><ul><li>Regiões afetadas: fígado, baço e cérebro (malária cerebral </li></ul>
  19. 27. Profilaxia <ul><li>Proteção individual </li></ul><ul><li>Quimioprofilaxia </li></ul><ul><li>Combate ao vetor </li></ul><ul><li>Melhoria das condições de vida </li></ul>
  20. 28. <ul><li>A Leishmaniose pode se apresentar das seguintes formas: </li></ul><ul><li>A)Tegumentar : </li></ul><ul><li>Cutânea: provoca lesões cutâneas de aspecto pápulo-vesiculoso. </li></ul>
  21. 29. <ul><li>Cutânea difusa: provoca metástases. </li></ul>
  22. 30. <ul><li>Cutâneo-mucosa: destrói a mucosa nasofaríngea. </li></ul>
  23. 31. <ul><li>B) Visceral : geralmente fatal e incurável, ataca vísceras como fígado e baço. </li></ul>
  24. 32. <ul><li>REINO ANIMALIA PORÍFEROS: </li></ul><ul><li>As esponjas não possuem tecidos ou órgãos. </li></ul><ul><li>São aquáticas e vivem fixos nos substratos </li></ul><ul><li>São filtradores, com simetria radial ou sem simetria. </li></ul><ul><li>Apresentam poros por onde a água penetra até o átrio e depois sai pelo ósculo. Apresentam células especiais, os COANÓCITOS, responsáveis pela digestão intracelular e pela captação do O2. Podem apresentar reprodução sexuada ou assexuada por brotamento, gemulação ou regeneração. Existem três tipos: ÁSCON, SÍCON ou LÊUCON. </li></ul>
  25. 34. <ul><li>CELENTERADOS ou CNIDÁRIOS: </li></ul><ul><li>Primeiros sistema digestório incompleto e sistema nervoso difuso (simetria radial). </li></ul><ul><li>São aquáticos, podem nadar (medusa)ou viver fixo (pólipo). Podem viver em colônias (caravelas). </li></ul><ul><li>São predadores diblásticos, apresentam uma célula típica o CNIDOBLASTO. </li></ul><ul><li>.A reprodução pode ser assexuada por brotamento ou sexuada com metagênese ( alternância de geração ). </li></ul><ul><li>São de três classes, sifozoa (medusóide), hidrozoa (polipóide) e antozoa (corais e nêmonas). </li></ul>
  26. 37. <ul><li>PLATELMINTOS: </li></ul><ul><li>São vermes achatados e vivem livre na água doce, salgada ou em terra úmida; são parasitas do homem. </li></ul><ul><li>Apresentam simetrial bilateral e cefalização </li></ul><ul><li>Não possuem sistema respiratório e circulatório. </li></ul><ul><li>são triblásticos e a excreção é por células-flama ou SOLENÓCITOS. </li></ul><ul><li>Podem ser monóicos ( planárias e Taenia solium ) ou dióicos (Schistosoma mansoni). </li></ul><ul><li>Sofrem regeneração </li></ul>
  27. 39. Classe Cestoda Teníase/Cisticercose Prof. TUBÃO
  28. 40. Teníase <ul><li>Agente Etiológico: Taenia saginata (boi) e Taenia solium ( porco) </li></ul><ul><li>Hospedeiro definitivo: Homem </li></ul><ul><li>Hospedeiro intermediário: Bovinos e suínos (o homem pode assumir esta posição) </li></ul><ul><li>Transmissão : </li></ul><ul><li>Em humanos comer carne mal cozida. </li></ul><ul><li>Em bovinos e suínos : ingerir ovos presentes nas fezes humanas. Nestes há formação de cisticercos (larvas) </li></ul>
  29. 47. <ul><li>Profilaxia </li></ul><ul><ul><li>Tratamento dos doentes </li></ul></ul><ul><ul><li>Construção de pocilgas e fossas assépticas </li></ul></ul><ul><ul><li>Não comer carne crua ou mal cozida </li></ul></ul><ul><ul><li>Estimular melhoria no sistema de criação dos animais </li></ul></ul><ul><ul><li>Inspeção de matadouros e frigoríficos. </li></ul></ul><ul><ul><li>Não permitir a venda de carnes em feira livre sem a devida proteção e higiene. </li></ul></ul><ul><li> Cozer bem as carnes, tratar os animais e humanos infectados </li></ul>
  30. 48. Esquistossomose
  31. 49. <ul><li>Agente Etiológico: Gênero Schistosoma. </li></ul><ul><li>Espécies: S. mansoni, S. japonicum e S. haematobium </li></ul><ul><li>Biologia: Dimorfismo sexual, machos maiores com canal ginecóforo. Fêmeas redondas </li></ul><ul><li>Hospedeiros definitivos : homens, ovinos e bovinos, podendo infectar qualquer mamífero. </li></ul><ul><li>Hospedeiro Intermediário : moluscos aquáticos planorbídeos (gêneros Bionphalaria e Phisopsis) . </li></ul><ul><li>Parasita de veias mesentéricas e hepáticas de mamíferos e da massa visceral de moluscos </li></ul>
  32. 50. <ul><li>- Morfologias </li></ul><ul><ul><li>Verme adulto </li></ul></ul>
  33. 51. <ul><ul><ul><li>Ovo </li></ul></ul></ul>
  34. 52. <ul><ul><ul><ul><li>Miracídio </li></ul></ul></ul></ul>
  35. 53. <ul><ul><ul><ul><li>Cercária </li></ul></ul></ul></ul>
  36. 54. Biomphalaria glabrata Biomphalaria straminea Biomphalaria tenagophila <ul><li>Transmissores </li></ul><ul><ul><li>Família - Planorbidae </li></ul></ul><ul><ul><li>Gênero - Biomphalaria </li></ul></ul><ul><ul><li>Espécies - Biomphalaria glabrata </li></ul></ul><ul><li>Biomphalaria straminea </li></ul><ul><li>Biomphalaria tenagophila </li></ul>
  37. 55. Vermes imaturos - sistema porta Casal de verme (Adultos) - Veias mesentéricas inferiores
  38. 57. <ul><ul><li>Ascite (Barriga d’água) </li></ul></ul>
  39. 58. <ul><li>Profilaxia : </li></ul><ul><li>Tratar os animais e impedir que defequem próximos a água. </li></ul><ul><li>Destruir as larvas na água. </li></ul><ul><li>Combater os moluscos </li></ul><ul><li>Drenagem de campos alagadiços em volta de pastagens </li></ul><ul><li>Evitar que os ruminantes pastem em locais inundados ou após inundações. </li></ul>
  40. 59. NEMATELMINTOS TUBÃO
  41. 60. <ul><li>NEMATELMINTOS OU ASQUELMINTOS: </li></ul><ul><li>São vermes de corpo alongado, simetria bilateral, triblásticos. </li></ul><ul><li>sistema digestivo completo, sem sistema respiratório e circulatório, maioria dióicos e reprodução sexuada. </li></ul><ul><li>Possuem esqueleto hidrostático e uma cutícula resistente. </li></ul><ul><li>São parasitas do homem. </li></ul><ul><li>Grande biodiversidade </li></ul>
  42. 63. ASCARIDÍASE Prof. TUBÃO
  43. 64. <ul><li>ASCARIDOSE ou ASCARIDÍASE ( Lombriga ou Bicha) </li></ul><ul><li>Agente Etiológico : Ascaris lumbricoides </li></ul><ul><li>Verme adulto Mede cerca de 20 a 40 centímetros </li></ul>
  44. 65. <ul><li>Ovo: Cor castanha, cápsula espessa e resistente (quitina e proteinas) </li></ul><ul><li>Fêmea é capaz de ovipor 200.000 ovos/dia </li></ul>
  45. 67. <ul><li>Ovos meio ambiente  Larva Rabditóide (L-1)  Larva Rabditóide (L-2)  Larva Filarióide (L-3)  Adulto  Ovo com larva infectante </li></ul><ul><li>Hospedeiro: Definitivo - Homem (monoxêno) </li></ul><ul><li>Habitat: Intestino delgado : jejuno e íleo </li></ul><ul><li>Patogenia ( estádio larval, Depende do número de larvas) </li></ul><ul><li>Patogenia ( Verme no estádio larval, depende do número de larvas) </li></ul><ul><li>Fígado: migração p/ parênquima pode causar hemorragias (necrose e fibrose) </li></ul><ul><li>Pulmões (Ciclo de Looss) - pontos hemorrágicos na passagem das larvas para os alvéolos. </li></ul>
  46. 68. <ul><li>Profilaxia </li></ul><ul><ul><li>Tratamento dos doentes </li></ul></ul><ul><ul><li>Educação sanitária </li></ul></ul><ul><ul><li>Construção de fossas assépticas </li></ul></ul><ul><ul><li>Lavar as mãos antes de tocar nos alimentos </li></ul></ul><ul><ul><li>Proteção dos alimentos contra os insetos. </li></ul></ul>
  47. 69. Prof. TUBÃO AMARELÃO (ANCILOSTOMOSE Agente Etiológico : Ancylostoma duodenale e Necator americanus
  48. 73. <ul><li>Habitat - - principalmente duodeno, sendo que em infestação maciça poderá ser encontrado também no jejuno. </li></ul><ul><li>Patogenia da Penetração na pele: Hiperemia, Prurido, Lesões traumáticas, Edema e Dermatite urticariforme </li></ul><ul><li>Pulmões (Ciclo de Looss) - provocam pequenas alterações na passagem das larvas para os alvéolos mas ocorre Síndrome de Löeffler: </li></ul><ul><li>Tosse de pequena ou longa duração </li></ul><ul><li>Febre </li></ul><ul><li>Bronquite </li></ul><ul><li>Pneumonia </li></ul>
  49. 74. <ul><li>Profilaxia: </li></ul><ul><ul><li>Tratamento dos doentes </li></ul></ul><ul><ul><li>Educação sanitária </li></ul></ul><ul><ul><li>Construção de privadas e fossas assépticas </li></ul></ul><ul><ul><li>Lavar as mãos antes de tocar nos alimentos </li></ul></ul><ul><ul><li>Lavar os alimentos que são comidos drus </li></ul></ul><ul><ul><li>Beber água filtrada ou fervida </li></ul></ul><ul><ul><li>Usar calçados e luvas ao manipular o solo </li></ul></ul><ul><ul><li>Incorporar na dieta alimentar proteínas e Ferro. </li></ul></ul>
  50. 76. Diagnóstico Clínico
  51. 77. <ul><li>ANELÍDEOS: </li></ul><ul><li>Corpo segmentado, dividido em anéis.  </li></ul><ul><li>Vivem em solo úmido, na água doce e salgada. </li></ul><ul><li>Sanguessuga (hirudíneos), Nereis e Eunices (poliquetas) e minhocas (oligoquetas). </li></ul><ul><li>Alguns são hermafroditas, mas existem também os que apresentam sexos separados. </li></ul><ul><li>Sistema circulatório fechado com hemoglobina, e respirção cutânea. Excretção por metanefrídios. </li></ul><ul><li>aumentando a aeração do solo e formam húmus fezes de minhocas, que fertiliza o solo. </li></ul>
  52. 80. <ul><li>MOLUSCOS: </li></ul><ul><li>Possuem um corpo mole protegido por uma concha calcária, ou valva. (exceto a lesma e o polvo). </li></ul><ul><li>  Vivem no mar, na terra e em água doce. </li></ul><ul><li>  São formados por 3 partes principais: </li></ul><ul><li>   Cabeça, (tentáculos), Massa visceral (região do manto e onde estão os órgãos) e o Pé (lubrificado). </li></ul><ul><li>A massa visceral é recoberta por uma fina epiderme chamada manto que fabrica a concha. </li></ul><ul><li>Três grupos principais: bivalves, gastrópodes e cefalópodes. </li></ul>
  53. 81. <ul><li>A) gastrópodes: cabaça, pé, massa visceral, rádula, pulmonados ou branquiais, glândulas pedais (muco) </li></ul><ul><li>Caramujos e caracóis </li></ul>
  54. 82. <ul><li>B) bivalves: cabaça, pé, sem rádula, filtradores, branquiais, produzem pérolas. Mariscos e ostras </li></ul>
  55. 84. <ul><li>B) cefalópodes: cabaça, pé, massa visceral, primeiro cérebro (polvo). Lulas possuem cocha interna. Polvos não tem concha. </li></ul>
  56. 85. <ul><li>ARTRÓPODES: </li></ul><ul><li>Possuem pernas articuladas e o corpo segmentado. </li></ul><ul><li>Possuem um exoesqueleto resistente que impermeabiliza o corpo e possibilita movimentos. </li></ul><ul><li>Limita o crescimento forçando o animal fazer as mudas ou ecdises (troca do exoesqueleto). </li></ul>
  57. 87. <ul><li>CRUSTÁCEOS: </li></ul><ul><li>A maioria é AQUÁTICA (exceto o tatu-bola). </li></ul><ul><li>Fazem parte do plâncton marinho e de água doce. </li></ul><ul><li>lagosta, camarão, siri e caranguejo e cracas. </li></ul><ul><li>  o corpo da lagosta é revestido por um exoesqueleto de quitina e calcário e divide-se em duas partes: cefalotórax (conjunto de cabeça e tórax) e abdome. </li></ul><ul><li>   Corpo dividido em cefalotórax e abdome; possuem cinco ou mais pares de pernas, dois pares de antenas e a maioria respira por brânquias. </li></ul><ul><li>No cefalotórax encontram-se as antenas e as pinças </li></ul>
  58. 88. CRUSTÁCEOS
  59. 89. <ul><li>ARACNÍDEOS: </li></ul><ul><li>Aranhas, escorpiões e ácaros (carrapatos). </li></ul><ul><li>corpo dividido em cefalotórax e abdome. </li></ul><ul><li>Quatro pares de patas e não possuem antenas. </li></ul><ul><li>Possuem quelíceras e palpos. </li></ul><ul><li>As quelíceras inoculam veneno paralisando a e os palpos servem para manipular o alimento. Possuem glândulas fiandeiras (teias). </li></ul><ul><li>Os escorpiões injetam veneno através do aguilhão. </li></ul><ul><li>Os carrapatos são hematófagos e transmitem doenças como febre maculosa e a sarna. </li></ul>
  60. 90. ARACNIDEOS
  61. 91. <ul><li>INSETOS: </li></ul><ul><li>Os insetos existem em todas as regiões do mundo. </li></ul><ul><li>Grupo com o biodiversidade (vivem em quase todos os ambientes). </li></ul><ul><li>O corpo dividido em cabeça, tórax e abdome. </li></ul><ul><li>Um par de antenas e três pares de pernas. A maioria possui um ou dois pares de asas. </li></ul><ul><li>Olhos compostos que formam imagens. </li></ul><ul><li>Aparelho bucal variando conforme o habitat. Crustáceos: </li></ul><ul><li>São polinizadores mas também causam doenças. Podem ser sociais. </li></ul>
  62. 92. INSETOS
  63. 93. <ul><li>METAMORFOSE </li></ul>
  64. 94. <ul><li>EQUINODERMOS : </li></ul><ul><li>exclusivamente marinhos, com endoesqueleto calcário que emite espinhos ( echinos = espinho). </li></ul><ul><li>  São pentaradiais, porém as larvas são bilaterais . </li></ul><ul><li>   Possuem pés ambulacrários, por meio dos quais o animal se locomove, que são projeções de um complexo sistema interno de canais que formam o chamado sistema ambulacrário (hidrovascular). </li></ul><ul><li>  A boca fica na face inferior e Ânus na face superior. São deutorostômios, como os cordados. </li></ul><ul><li>São as estrelas-do-mar, ss ouriços-do-mar, as bolachas-da-praia e os pepinos-do-mar. </li></ul>
  65. 97. <ul><li>CORDADOS </li></ul><ul><li>Nocorda </li></ul><ul><li>Tubo neural </li></ul><ul><li>Fendas branquiais </li></ul><ul><li>Cauda </li></ul><ul><li>1- Protordados </li></ul><ul><li>Anfioxo e </li></ul><ul><li>Ascidias </li></ul>
  66. 99. <ul><li>2) VERTEBRADO S </li></ul><ul><li>A) Agnatos ou ciclostomados: </li></ul><ul><li>Lampreias e peixes bruxas </li></ul>
  67. 100. <ul><li>B) Peixes Cartilaginosos ou codríctes </li></ul><ul><li>Boca ventral (tubarões e raias) </li></ul><ul><li>Escamas placóides </li></ul><ul><li>Fendas branquiais </li></ul><ul><li>Ausência de bexiga </li></ul><ul><li>natatória </li></ul>
  68. 101. <ul><li>C) Peixes ósseos (osteíctes) </li></ul><ul><li>Primeiro esqueleto ósseo </li></ul><ul><li>(crânio e coluna vertebral) </li></ul><ul><li>Boca anterior </li></ul><ul><li>Escamas dérmicas </li></ul><ul><li>Bexiga natatória </li></ul><ul><li>opérculo </li></ul>
  69. 102. <ul><li>Peixes ósseos pulmonados </li></ul><ul><li>Primeiros tetrápodes </li></ul><ul><li>Ancestrais dos anfíbios </li></ul>
  70. 103. <ul><li>D) Anfíbios (vida dupla): sapos rãs e salamandras </li></ul><ul><li>- girino (larva): aquático, branquial e ápoda </li></ul><ul><li>- adulto : terrestre (mal adaptado), pele fina (permeável) respiração pulmonar e cutânea, ovo sem casca, fecundação externa (dependência da água) </li></ul>
  71. 104. <ul><li>E) Répteis : cobras, lagartos tartarugas e jacarés. </li></ul><ul><li>Independência da água: fecundação interna, ovo com casca e anexos, pele queratinizada. Ectotérmicos ou exotérmicos </li></ul>
  72. 105. <ul><li>F) Aves : Penas querarinizadas (manutenção do calor e vôo) Ossos pneumáticos, músculos peitorais desenvolvidos, quilha, sacos aéreos, bico córneo, aussência de bexiga urinária. Endotérmicos. </li></ul>
  73. 106. <ul><li>G) Mamíferos : Pêlos queratinizados, glândulas mamarias, diafragma e dentes diferenciados. </li></ul><ul><li>a) Monotremados ou (ornitorrinco e équidinas): ovíparos (sem palcenta) </li></ul>
  74. 107. <ul><li>b) marsupiais (bolsa ou marsúpio) Placenta primitiva: cangurus, gambás e koalas. </li></ul>
  75. 108. <ul><li>c) placentários (maioria) desenvolvimento intra-uterino completo: </li></ul>

×