Quem é?
 Jornalista e escritor
 Nasceu em Braúna-SP, em 10 de março de 1943 (71 anos).
 Iniciou no jornalismo com 16 an...
No jornalismo
Carreira
Impresso: Folha de S. Paulo,
Quatro Rodas, AutoEsporte,
Estado de S. Paulo, Jornal da
Tarde
Televis...
Autópsia do Medo
Relata a vida de Sérgio
Paranhos Fleury, o mais
temido agente da repressão
militar, denunciando o horror
...
Eu, Cabo Anselmo
“Ele reclama da solidão e do não reconhecimento, por parte da
história, de seus serviços. Que fazer? Aind...
FIM
 Elias
 Eliceu
 Mateus
 Thiago
 Viviane
Percival de souza
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Percival de souza

598 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
598
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Percival de souza

  1. 1. Quem é?  Jornalista e escritor  Nasceu em Braúna-SP, em 10 de março de 1943 (71 anos).  Iniciou no jornalismo com 16 anos.  É conselheiro da Faculdade Metodista.  Atualmente está na TV Record. Principais Obras Publicadas Autópsia do Medo (Globo, 2000) Eu, Cabo Anselmo (Globo, 1999) NarcoDitadura (Labortexto, 2003) A Prisão (Alfa-Omega, 2008) Society Cocaína (Traço, 1983) Prêmios 4 Prêmios Esso 2 Vladmir Herzog de Anistia e Direitos Humanos Título de Cidadão Paulistano
  2. 2. No jornalismo Carreira Impresso: Folha de S. Paulo, Quatro Rodas, AutoEsporte, Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde Televisão: TV Globo, Cultura, Educativa e TV Record Especializou-se em Jornalismo Investigativo Participou da criação do Jornal da Tarde Cobriu as atividades do Esquadrão da Morte, temida organização marginal do regime militar Colaborou com os alternativos Movimento e Opinião, e com as revistas Realidade, Veja, IstoÉ e Época
  3. 3. Autópsia do Medo Relata a vida de Sérgio Paranhos Fleury, o mais temido agente da repressão militar, denunciando o horror e os abusos cometidos durante a ditadura. “Fleury, idolatrado na polícia, era reverenciado nas Forças Armadas como general, almirante ou brigadeiro. Para os guerrilheiros, o demônio estava encarnado em Fleury, impondo-lhes derrota atrás de derrota”.
  4. 4. Eu, Cabo Anselmo “Ele reclama da solidão e do não reconhecimento, por parte da história, de seus serviços. Que fazer? Ainda que agrade a traição, ao traidor tem-se aversão, sabe-se. ‘Até dentro da comunidade de informações, eu percebia, você percebe, né?, que algumas pessoas (me) desprezavam: 'Pô, esse filho da mãe aí traiu todo mundo, entregou tudo, vira-casaca', ou coisa parecida’, disse ele”.
  5. 5. FIM  Elias  Eliceu  Mateus  Thiago  Viviane

×