Globalizacao

421 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
421
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Globalizacao

  1. 1. PÓS-MODERNISMO EA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO
  2. 2.  Pré-História (milhões de anos até 4000 a 3500 a.C – Invenção da escrita) Antiguidade (4000 a 3500 a.C até 476 d.C – Queda do Império Romano) Idade Média (476 d.C até 1453 – Queda de Constantinopla) Idade Moderna (1453 – 1789 – Revolução Francesa) Idade Contemporânea (1789 – atualidade)
  3. 3.  Revolução Francesa (1789) Revolução Industrial (meados do séc. XVIII / expandiu-se a partir do séc. XIX) Crescimento da crítica socialista (séc. XIX/XX) Primeira Guerra Mundial Revolução Russa Política do Bem estar-social (welfare state) Segunda Guerra Mundial
  4. 4.  O que é o Neoliberalismo? Termo criado em 1938, pelo economista alemão Alexander Rustow O Estado não deve interferir na dinâmica social (Livre mercado)
  5. 5.  Contexto Histórico
  6. 6.  1945 – Disputa eleitoral na Inglaterra Conservadores x Trabalhistas
  7. 7.  Friedrich August von Hayek lança O Caminho da Servidão, que serve como um verdadeiro manifesto da doutrina liberal Hayek condena o fortalecimento do Estado na sociedade, que, segundo o autor, a longo prazo, conduz a sociedade para o totalitarismo e a ausência das liberdades individuais. Hayek utiliza um discurso profundamente marcado pelos conteúdo político-ideológico
  8. 8.  Milton Friedman é contra a intervenção do Estado na economia. Critica a postura do presidente Roosevelt e sua política de incentivos (New Deal) por parte do Estado, para acelerar a recuperação da crise econômica gerada pela crise de 1929.
  9. 9.  Assim como nos EUA, os incentivos foram adotados também pelo estado nazista na Alemanha pós Primeira Guerra. Esses benefícios foram teorizados e formam a base do pensamento do economista Keynes.
  10. 10.  Friedman critica o keynesianismo, pois, segundo ele, a intervenção do Estado retarda a recuperação econômica. Logo, o que Friedman prega também é o liberalismo, ou seja, a livre iniciativa.
  11. 11.  País laboratório: Chile (década de 1970) Década de 1980 – EUA (Ronald Reagan) e Inglaterra (Margareth Thatcher)
  12. 12.  não intervencionismo na economia o mercado se auto-regula privatização da previdência privatização das telecomunicações privatização das empresas estatais flexibilização das leis trabalhistas
  13. 13.  Não existe doutrina neoliberal. O termo neoliberal é pejorativo. O que existe na prática é a retomada da doutrina liberal.
  14. 14.  Definição: Processo de aprofundamento da integração política, econômica e cultural
  15. 15. Origem alguns estudiosos apontam a Globalização tendo início durante o período mercantilista (séc. XV a XVIII) criação da ONU (1945) outros apontam para o final da Segunda Guerra => criação do CECA (1951) – Comunidade Europeia do Aço e Carvão, que envolvia França, Alemanha Ocidental, Itália, Bélgica, Países Baixos e Luxemburgo) => Comunidade Europeia (1967) => União Europeia (1992)
  16. 16.  Na prática 9/11/1989 – Queda do Muro de Berlim (marco simbólico)
  17. 17. fim da percepção do mundo bipolarizado(URSS x EUA)
  18. 18.  Começo dos anos 1990 Desmantelamento do Estado Comunista e fim da União Soviética (1922-1991)
  19. 19. Características: o mundo representado por blocos: UE, Nafta, Mercosul, G-8, G-20, BRICs etc. diminuição das barreiras comerciais padronização do consumo mundial presença de marcas globais (Ex. Nike, Coca-Cola, McDonalds) sociedade estruturada em rede (internet)
  20. 20.  Também chamada de sociedade pós-industrial e sociedade tecnológica, a sociedade da informação é aquela marcada por uma avalanche de informações, vindas das mais diversas fontes, em função do avanço tecnológico. É a “sociedade global” que McLuhan teria profetizado ao dizer que, graças ao surgimento dos meios de comunicação (em especial os eletrônicos - rádio e TV), voltamos à época tribal, uma “tribo eletrônica”.
  21. 21. Características Nessa sociedade há a convergência dos sistemas de comunicação, tecnologias da informação e crescimento das redes integradas. A informação é vista como uma commodity, um bem negociável. Logo, a troca de informação é a atividade econômica e social predominante. Por isso vivemos numa Economia da Informação, deixando de lado os estágios da Economia Agrária e da Economia Industrial
  22. 22.  sociedade dinâmica evolução tecnológica novo paradigma social sociedade regida economicamente pelo setor de serviços e tecnologia da informação
  23. 23.  - a informação passa a ser uma commodity (softwares, desenvolvimento de programas da área de TI, padrões de consumo refinados (valorização das marcas, p.ex.) - A sociedade passa a ser mediada pelas novas tecnologias de informação (TICs) - A inspiração das redes tem origens nas pesquisas militares
  24. 24.  - O capital internacional ampliou sua área de atuação na Sociedade em Rede e desestimu lou o setor produtivo - As tecnologias permitiram a horizontalização de suas estruturas, por meio de TICs de baixo custo, e a produção foi transnaciolizada
  25. 25.  formação de bolhas econômicas crises globais estigmatização de alguns países como meros fornecedores de mão de obra semi-escrava (China, Índia p.ex.)
  26. 26.  aumento do desemprego (em função da substituição da mão de obra pela tecnologia – eliminação de postos de trabalho) exclusão social (pela falta de acesso à informação e qualificação) aumento da desigualdade social
  27. 27.  Fim da II Guerra Mundial Mudança de Paradigmas
  28. 28.  desenvolvimento tecnológico (eletrônica, satélites, internet, telefonia, celulares, redes, fibra ótica, ampliação do número de mensagens) velocidade – não só o número de mensagens aumentou, como a velocidade em que elas são transmitidas. Vive-se num constante processo de “presentificação", em que o futuro é sempre antecipado para o presente.
  29. 29.  mudança no paradigma dos meios – passagem dos meios de comunicação convencionais (um- todos) para a comunicação em rede (todos-todos) Consumismo e hedonismo – o indivíduo, na sociedade de massas, procura desesperadamente destacar-se dos outros. O meio para isto é a compulsão consumista, que leva ao fenômeno hedonista (busca pelo prazer).
  30. 30.  niilismo – o excesso de discursos leva ao vazio discursivo. As ideologias já não explicam mais os fenômenos da sociedade moderna. Cria-se um clima de desesperança e vazio em relação ao futuro. pastiche – não existe mais originalidade. Novos discursos têm como fonte de inspiração velhos enunciados, remontados, com roupagem nova.
  31. 31.  simulacro (Jean Baudrillard) – os meios de comunicação (cinema, videogame, televisão) criam uma outra realidade (hiper-realismo), em que o entretenimento é garantido e a segurança é total.

×