Fibras

1.592 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.592
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
61
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
53
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fibras

  1. 1. Alguns achados recentes sobre *transformação das fibras no exercício *recrutamento de UM Hipertrofia x Hiperplasia ANEXO AULA CONTROLE DO MOVIMENTO
  2. 2. <ul><li>Princípios do Treinamento para Saltadores: Implicações para o </li></ul><ul><li>Desenvolvimento da Força Muscular </li></ul><ul><li>Nelio Alfano Moura & Tania Fernandes de Paula Moura (Brasil) </li></ul><ul><li>Trabalho apresentado durante o I Congresso Sul-americano de treinadores de Atletismo. Manaus, 2001 </li></ul><ul><li>Publicado (em inglês) em New Studies in Athletics, 16(04):51-61, 2001 </li></ul>http://www.treinamentoesportivo.com/artigos_pdf/RecomendacaoPliometria_NELIO.pdf
  3. 3. ANDERSEN, SCHJERLING & SALTIN (2000) Reconversão das fibras tipo IIa para fibras tipo IIb após a interrupção do treinamento com cargas elevadas.
  4. 4. <ul><li>“ Quando o músculo é submetido a treinamento pesado por mais de um mês, as fibras IIb se convertem totalmente em fibras IIa , ao mesmo tempo em que ficam maiores. Quando o treinamento pesado é interrompido, há uma reconversão das fibras IIa para IIb , porém seguindo uma curva semelhante à da supercompensação: indivíduos que possuiam 9% de fibras IIb antes do treinamento pesado, tiveram esse valor reduzido para 2% após três meses de treinamento, sendo que depois de um período de detraining também de três meses a porcentagem de fibras IIb aumentou para 18%” (Figura 5). </li></ul>ANDERSEN, SCHJERLING & SALTIN (2000)
  5. 5. BOSCO (1985a) <ul><li>Relação negativa entre desenvolvimento das capacidades de força máxima e de força explosiva em atletas </li></ul><ul><li>Limitação na duração do período devotado à força máxima (no máximo 8 semanas). </li></ul>
  6. 6. Recrutamento dos diferentes tipos de unidades motoras: após 8 semanas de treinamento, já começam a se consolidar alterações estruturais no músculo indesejáveis para a expressão da capacidade de força explosiva. A hipertrofia das fibras tipo I se colocariam como um obstáculo ao rendimento de alto nível.
  7. 7. Fibras musculares DESTREINO
  8. 8. HIPERTROFIA X HIPERPLASIA <ul><li>Aumento do volume das fibras existentes </li></ul><ul><li>A amplitude de hipertrofia pode variar entre os indivíduos </li></ul><ul><li>Formação de novas fibras </li></ul><ul><li>Demonstrada em animais – “alguns estudos” </li></ul>
  9. 9. Aumento da área muscular com treinamento de força <ul><li>Fibras do tipo II aumentam mais </li></ul><ul><li>Fibras do tipo I, mas sem importância este aumento. </li></ul><ul><li>- Outro estudos não mostraram estas diferenças. </li></ul>A hipertrofia tb é vista como síntese de proteínas não contráteis – que equivalem a ~ 13 % da massa muscular do homem.
  10. 10. Somente a hipertrofia explica o aumento da performance? <ul><li>O que tb contribui para o aumento da performance? </li></ul><ul><li>Adaptações nervosas </li></ul><ul><li>Melhora na transmissão da força sobre os ossos. </li></ul>Divergências desconhecidas Aumento de 30 – 40% de massa muscular Aumento de 2 - 3 vezes da força muscular
  11. 11. Hipertrofia de músculos rápidos e lentos <ul><li>Bíceps: 65 – 70 % de fibras rápidas </li></ul><ul><li>Hipertrofia facilitada. </li></ul><ul><li>Sóleo: 60 – 70 % de fibras lentas </li></ul><ul><li>Hipertrofia dificultada. </li></ul>

×