Web 2.0

2.081 visualizações

Publicada em

A web 2.0 e seu impacto nas empresas.

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
10 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.081
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
62
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
10
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Web 2.0

  1. 1. A Web 2.0 e as empresas As oportunidades e ameaças que os novos recursos da internet trazem às empresas.
  2. 2. Web 2.0 <ul><li>É a segunda geração de comunidades e serviços na internet que facilitam a colaboração e o compartilhamento de informações entre os usuários. </li></ul><ul><li>É uma revolução nos negócios causada pelo uso da internet como plataforma para aplicativos que aproveitam os efeitos da rede e sua inteligência coletiva para se aperfeiçoarem com o uso. </li></ul>
  3. 3. Comunidades <ul><li>O conhecimento humano não faz sentido sem o contexto de comunidades , pois evolui a partir do reconhecimento e validação dos outros membros das comunidades que participamos. </li></ul>
  4. 4. O Conhecimento nas Empresas <ul><li>Cada transferência de conhecimento de um indivíduo para outro na empresa constitui uma transação econômica informal , mas significativa. </li></ul>
  5. 5. Colaboração e Conhecimento <ul><li>O desenvolvimento do Vale do Silício esteve bastante relacionado aos fluxos informais de colaboração e conhecimento entre firmas, universidades e o governo. </li></ul>
  6. 6. Internet <ul><li>A Internet é a infra-estrutura pública que está viabilizando e fomentando a migração de processos centralizados para processos descentralizados . </li></ul><ul><li>A Internet está mudando os padrões de interação social e criando uma sociedade que é caracterizada por um maior individualismo em rede . </li></ul>
  7. 7. E a internet no Brasil? <ul><li>O Brasil é hoje: </li></ul><ul><ul><li>o maior usuário mundial do Orkut; </li></ul></ul><ul><ul><li>o país onde os internautas ficam mais tempo conectados (quase 21 horas por mês, em média); </li></ul></ul><ul><ul><li>o 2° maior usuário do YouTube; </li></ul></ul><ul><ul><li>o 3° maior comprador de computadores desktops (6 milhões em 2006); </li></ul></ul><ul><ul><li>o 4° maior usuário do Second Life ; </li></ul></ul><ul><ul><li>e tem mais de 30 milhões de internautas. </li></ul></ul>
  8. 8. Código Aberto <ul><li>O processo de código aberto parcela o trabalho entre milhares e utiliza um “trabalho de formiga” para chegar a um resultado melhor. A inteligência coletiva da rede supera a de cada indivíduo. </li></ul><ul><li>Código aberto = construção colaborativa, uso livre dos resultados e acesso ao método de construção. </li></ul><ul><li>Biólogos têm usado este princípio para decifrar códigos genéticos; </li></ul><ul><li>A Nasa o usou para identificar milhões de crateras de Marte e elaborar um mapa desse planeta (Clickworkers); </li></ul><ul><li>O Projeto Gutemberg digitalizou milhares de livros e voluntários transcreveram página por página. </li></ul>
  9. 9. Nasa Clickworkers: voluntários trabalhando de graça para a Nasa Mapeamento das crateras de Marte
  10. 10. Processo de Inovação <ul><li>Inovação é um processo interativo de natureza social . Surge da comunicação e cooperação entre atores e indivíduos. </li></ul><ul><li>A maioria das idéias inovadoras nas empresas se originam nos clientes e são particularmente refinadas pelos “primeiros a adotá-las”. </li></ul>
  11. 11. Processo de Inovação <ul><li>A indústria de software da Índia começou como uma alternativa de terceirização barata de programação. Agora, a indústria está ficando mais integrada no desenvolvimento de produto de grandes corporações ocidentais e é uma das áreas de crescimento mais rápido nos negócios no mundo todo. </li></ul><ul><li>As exportações de software da Índia cresceram de 700 milhões de dólares em 1995 para 6,2 bilhões em 2000, e espera-se que alcancem 50 bilhões em 2008. </li></ul>
  12. 12. A Era das Redes <ul><li>Um estudo da McKinsey descobriu que empresas como a Cisco, eBay, Charles Schwab, CNET e algumas outras que adotaram os princípios de uma economia de rede estão superando seus competidores mais diretos em uma série de indicadores. </li></ul>
  13. 13. A Era das Redes <ul><li>A Procter & Gamble fundou uma empresa de Internet baseada em parcerias com seus consumidores e fabricantes de produto. </li></ul><ul><li>O site da empresa permite que os consumidores personalizem sua experiência de navegação e os produtos que pretendem comprar. </li></ul>
  14. 14. A Era das Redes <ul><li>A rede Zara , apesar de produzir 12.000 novos modelos de roupas por ano, usa uma rede eletrônica que ajuda a garantir que o ciclo do design à produção e distribuição leve apenas 2 semanas. </li></ul><ul><li>A empresa recolhe informações de vendas com aparelhos palmtop em sua cadeia de lojas licenciadas em 34 países. </li></ul><ul><li>A informação é imediatamente transmitida para seu centro de estilismo, que também está ligado eletronicamente à sua fábrica principal e a uma série de fábricas de tecido locais e independentes. </li></ul>
  15. 15. A Rede e as Empresas <ul><li>“ O papel primário das grandes empresas passará a ser o de estabelecer regras, padrões e culturas para organizações de rede operando parcialmente dentro e parcialmente fora de seus próprios limites.” </li></ul><ul><li>Profs. Malone e Laubacher, do MIT e de Harvard </li></ul>
  16. 16. Trabalhadores do Conhecimento <ul><li>Os trabalhadores do conhecimento estão muito menos restritos por antigos limites impostos por localização ou fronteiras organizacionais. </li></ul><ul><li>A rede é a empresa. </li></ul><ul><li>Embraer : desenvolve aeronaves com parceiros mundiais através de um portal corporativo. </li></ul><ul><li>Sainsbury (supermercados): melhorou a receita de 2.750 produtos alimentícios de forma colaborativa. </li></ul>
  17. 17. Processos <ul><li>Antes </li></ul><ul><ul><li>Processos centralizados </li></ul></ul><ul><li>Depois </li></ul><ul><ul><li>Processos descentralizados </li></ul></ul>TOP-DOWN poder no topo BOTTOM-UP poder na base Modelos de negócio baseados na exploração da distribuição de produtos Modelos de negócio baseados na exploração do processo de relacionamento
  18. 18. Descentralização <ul><li>Software livre Descentralização da indústria de software </li></ul><ul><li>Mp3/ i-música Descentralização da indústria fonográfica </li></ul><ul><li>iPod/podcasting Descentralização da indústria do rádio </li></ul><ul><li>VoIP Descentralização da indústria de telefonia </li></ul><ul><li>Rede Mesh Descentralização da indústria de telecom </li></ul><ul><li>Laptop US$ 100 Descentralização da indústria de hardware </li></ul><ul><li>Wikipedia Descentralização da indústria de conteúdo </li></ul><ul><li>Portais colaborativos, blogs e redes sociais online (Orkut...) Descentralização da indústria de informação </li></ul>
  19. 19. Código Aberto: construção colaborativa Sistema operacional Modelagem 3D
  20. 20. iPod / iTunes / podcasting iPod iTunes (loja de músicas e filmes)
  21. 21. iPhone música telefonia navegação na internet comunicação sem fio
  22. 22. Skype: a telefonia VoIP permite ligações gratuitas à distância mais de 9 milhões de pessoas online
  23. 23. Rede Mesh: rede sem fio à internet cobrindo uma cidade inteira Backbone Distribuidores Comunidade wireless 1 Comunidade wireless 2 Comunidade wireless N
  24. 24. Laptop de US$ 100: programa educacional para países em desenvolvimento
  25. 25. Wikipedia: a maior enciclopédia mundial é escrita pelos internautas Projetos “wiki” incluem notícias e livros.
  26. 26. Wikipedia Histórico do verbete Página de usuário
  27. 27. Blogs
  28. 28. Agregador RSS: lê notícias e blogs sem precisar abrir a página de origem
  29. 29. Orkut: rede social não especializada
  30. 30. MySpace: rede social sobre música
  31. 31. Camiseteria: os usuários enviam estampas e conhecem outros usuários
  32. 32. Peabirus: Rede de Colaboração, Conhecimento e Negócios Página de usuário Visão geral das publicações
  33. 33. Creative Commons: publicação de conteúdo com direitos de reprodução liberados
  34. 34. A cauda longa: pequenos nichos passam a ser viáveis
  35. 35. Mídia produzida pelo consumidor “ Anúncio” de iPod criado por fã do produto A Heinz convida o consumidor a criar seu próximo comercial de TV
  36. 36. Estruturas Corporativas Executivo chefe Líder de equipe Membros de projeto HIERARQUIA TRADICIONAL ORGANIZAÇÃO EM REDE
  37. 37. Tipos de Redes <ul><li>As “guerras” entre redes buscam atacar os nós principais (pontos fracos) </li></ul><ul><li>É preciso uma rede para combater outra rede </li></ul>Rede em cadeia Rede em estrela Rede “todos os canais”
  38. 38. A Dinâmica da Rede <ul><li>A força de uma rede depende de seu bom funcionamento em 5 níveis: </li></ul><ul><ul><li>Nível Organizacional — a configuração da organização (desenho); </li></ul></ul><ul><ul><li>Nível Narrativo — a história que é contada (senso de causa, propósito e missão); </li></ul></ul><ul><ul><li>Nível Doutrinal — as estratégias e métodos colaborativos (princípios e práticas guia); </li></ul></ul><ul><ul><li>Nível Tecnológico — os sistemas de informação; </li></ul></ul><ul><ul><li>Nível Social — as ligações pessoais que asseguram lealdade e confiança. </li></ul></ul>
  39. 39. Redes Descentralizadas <ul><li>“ Redes descentralizadas irão substituir hierarquias e os controles centrais serão substituídos por sistemas auto-organizáveis que se parecerão muito mais com a relação entre o homem e a natureza do que com relações institucionais”. </li></ul><ul><li>Nicholas Negroponte MIT – Media Lab </li></ul>Rodrigo Mesquita e Nicholas Negroponte com representantes de Birigüi/SP
  40. 40. www.arnaldorabelo.com.br Agradecimento: www.peabirus.com.br

×