Inclusão da pessoa com deficiência no mercado de trabalho

13.905 visualizações

Publicada em

Trabalho a ser apresentada na empresa DASA, no dia 25 de outubro de 2010

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
13.905
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
93
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
417
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Inclusão da pessoa com deficiência no mercado de trabalho

  1. 1. Ariovaldo Vieira da Silva 2010 [email_address] http://arivieiracet.blogspot.com/ Inclusão da Pessoa com Deficiência no mercado de trabalho Cia. Engenharia de Tráfego
  2. 2. Reserva legal <ul><li>Lei de Cotas ( art. 93 da Lei nº 8.213/91 ). </li></ul>5% IV – de 1.001 em diante 4% III – de 501 a 1.000 empregados 3% II – de 201 a 500 empregados 2% I – de 100 a 200 empregados
  3. 3. Pessoas com deficiência <ul><li>Pessoas com deficiência são aquelas que têm impedimentos de longo prazo de natureza </li></ul><ul><ul><ul><ul><li>Física, </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Intelectual ou </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Sensorial , </li></ul></ul></ul></ul><ul><li>os quais, em interação com diversas barreiras , podem obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdades de condições com as demais pessoas. </li></ul><ul><li>(art 1º - Convenção sobre os Direitos da Pessoa com Deficiência ) </li></ul><ul><li>http://arivieiracet.blogspot.com/ </li></ul>Ariovaldo Vieira da Silva - arisol@uol.com.br
  4. 4. Bases da Convenção <ul><li>A primeira é a idéia que a DEFICIÊNCIA é um produto social , fruto da relação das pessoas com deficiência com seu meio urbano, social, familiar e etc. </li></ul>Ariovaldo Vieira da Silva - arisol@uol.com.br Eliminar barreiras/ criar acessibilidade . Fica claro que cabe ao Estado, principalmente, a criação das condições adequadas para que as pessoas com deficiência participem da sociedade, sejam incluídas em igualdade com as demais. http://arivieiracet.blogspot.com/
  5. 5. Conceito de Pessoa com Deficiência para Lei de Cotas <ul><li>Convenção 159/83 OIT </li></ul><ul><li>Convenção da Guatemala </li></ul><ul><li>Decreto Federal 3.298/99 art. 3º </li></ul><ul><li>Decreto 5.296/04 art. 5º </li></ul>
  6. 6. População atual: 186.690.583 habitantes, 2008 -IBGE Com pelo menos uma deficiência: 27.070.134 Retrato da Deficiência no País Fonte IBGE - Censo 2000
  7. 7. O que as empresas devem fazer para recepcionar empregados com deficiência <ul><li>Promover a diversidade – assim todos vão ter a mesma possibilidade de desenvolver seu potencial </li></ul><ul><li>Eliminação de barreiras arquitetônicas </li></ul><ul><li>Garantir interação da pessoa com deficiência com os demais empregados da empresa e com todos os parceiros e clientes. </li></ul><ul><li>Estímulo à inclusão </li></ul>Ariovaldo Vieira da Silva - arisol@uol.com.br
  8. 8. Benefícios que a inclusão traz para a empresa <ul><li>Imagem </li></ul><ul><li>Ambiente de trabalho – a empresa inclusiva reforça o espírito de equipe de seus funcionários, fortalecendo a sinergia em torno dos objetivos comuns e expressando seus valores coletivamente. O ambiente adequado atenua as deficiências e torna-se mais agradável para todos. </li></ul>
  9. 9. Benefícios que a inclusão traz para a empresa <ul><li>ganhos de produtividade - quando as pessoas com deficiência estiverem devidamente inseridas nas funções onde possam ter um bom desempenho. </li></ul>
  10. 10. Comunicação inclusiva <ul><li>Na comunicação interna é importante assegurar que regulamentos, programas e informações sobre remuneração e carreira estejam disponíveis aos empregados portadores de deficiência, em meios que sejam acessíveis a eles. </li></ul><ul><li>Nas campanhas e peças publicitárias voltadas para a divulgação de produtos da empresa ou para a valorização de sua imagem institucional é importante incluir pessoas com deficiência, sempre que essa for uma solução natural e adequada aos objetivos da comunicação. </li></ul>
  11. 11. Inclusão das PCD’s <ul><li>Autonomia – é a condição de domínio no ambiente físico-social, preservando ao máximo a privacidade e a dignidade da pessoa que a exerce. Ter maior ou menor autonomia significa que a PcD, com ou o uso de tecnologia assistiva, tem maior ou menor controle nos vários ambientes que ela queira e/ou necessite freqüentar para atingir seus objetivos. </li></ul><ul><li>Independência – É a faculdade de decidir sem depender de outras pessoas (membros da família ou profissionais especializados, por ex.). Uma PcD poder mais ou menos independente em decorrência não somente da quantidade e qualidade de informações, mas também da sua autodeterminação e/ou prontidão para tomar decisões numa determinada situação. </li></ul><ul><li>Empoderamento – o processo pelo qual uma pessoa, ou um grupo de pessoas, usa o seu o seu poder pessoal para fazer escolhas e tomar decisões, assumindo assim o controle de sua vida. </li></ul>
  12. 12. Estudos da deficiência <ul><li>Pessoa com deficiência visual </li></ul>
  13. 13. Ariovaldo Vieira da Silva - arisol@uol.com.br http://arivieiracet.blogspot.com/
  14. 14. Dinâmica da descrição <ul><li>Descreva ao seu colega a imagem abaixo </li></ul>
  15. 15. Dinâmica da descrição <ul><li>TROCAR AS VENDAS </li></ul>
  16. 16. Dinâmica da descrição <ul><li>Descreva ao seu colega a figura abaixo </li></ul>Ariovaldo Vieira da Silva - arisol@uol.com.br
  17. 17. É natural se sentir desconfortável diante do diferente.
  18. 18. O desconforto diminui e até mesmo desaparece com a convivência.
  19. 19. Encontrando pessoas com deficiência <ul><li>Se relacione com naturalidade </li></ul><ul><li>Se quiser ajudar, pergunte antes </li></ul><ul><li>Considere acessórios utilizados pelas pessoas com deficiência como parte de seu espaço. Cadeiras de rodas, muletas, bengala e cães-guia só devem ser tocados quando solicitado </li></ul>
  20. 20. Encontrando pessoas com deficiência <ul><li>Fale em tom natural com a pessoa com deficiência visual </li></ul><ul><li>Com cadeirantes procurem se sentar se a conversa for longa </li></ul><ul><li>Procure se comunicar de alguma forma com a pessoa com deficiência auditiva e respeite as pessoas com deficiência intelectual </li></ul>
  21. 21. EDUARDO GALEANO, ESCRITOR URUGUAIO <ul><li>&quot;A utopia está lá no horizonte. Me aproximo dois passos, ela se afasta dois passos. Caminho dez passos e o horizonte corre dez passos. Por mais que eu caminhe, jamais alcançarei. Para que serve a utopia? Serve para isso: para que eu não deixe de caminhar&quot;. </li></ul>
  22. 22. Elaboração <ul><li>Ariovaldo Vieira da Silva </li></ul><ul><li>Gestor em Educação </li></ul>Departamento de Educação de Estudantes Cia. Engenharia de Tráfego [email_address] http://arivieiracet.blogspot.com/
  23. 23. <ul><li>CETET CENTRO DE TREINAMENTO E EDUCAÇÃO DE TRÂNSITO </li></ul><ul><li>GED – GERÊNCIA DE EDUCAÇÃO DE TRÂNSITO </li></ul><ul><li>Luiz Carlos Mantovani Néspoli </li></ul><ul><li>Gerente </li></ul><ul><li>DEE – DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO DE ESTUDANTES </li></ul><ul><li>Susana Nunes Penna </li></ul><ul><li>Supervisora </li></ul>

×