Violência Doméstica Um problema esquecido
Introdução <ul><li>Este trabalho foi proposto pelo professor Pedro Vitória no âmbito da disciplina de Práticas de Acção So...
Porquê um problema esquecido? <ul><li>A  Violência Doméstica  é um problema não só esquecido como também escondido. </li><...
Mas  afinal o que é a Violência Doméstica? <ul><li>A  Violência Doméstica  é um problema universal que atinge milhares de ...
Um caso preocupante <ul><li>Maria tem 35 anos, é casada com Manuel, 33 anos, de quem tem 4 filhos: Ricardo, 15 anos, Mara,...
Um caso preocupante <ul><li>Maria está desempregada. O marido é pedreiro, mas só trabalha quando quer, obrigando Maria a p...
Como reagem as crianças a estes tipos de casos? <ul><li>A criança costuma assumir  sentimentos de culpa ;  uma ansiedade c...
Qual o papel de um técnico de Acção Social perante estes casos? <ul><li>Um técnico de Acção Social deve ter perante estes ...
Aconselhamento e ajuda <ul><li>Quais as instituições? </li></ul><ul><li>Aconselhamento e ajuda:  </li></ul><ul><li>A quem ...
Conclusão <ul><li>Este trabalho foi muito importante para a nossa consciencialização sobre alguns problemas que existe no ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Violencia Domestica Marina Ana Filipa

8.252 visualizações

Publicada em

Trabalho realizado em Práticas de Acção Social 10º ano na Esc. Sec. de Vagos.
No 2º período e com o tema - áreas de intervenção da Acção Social.

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.252
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
55
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Violencia Domestica Marina Ana Filipa

  1. 1. Violência Doméstica Um problema esquecido
  2. 2. Introdução <ul><li>Este trabalho foi proposto pelo professor Pedro Vitória no âmbito da disciplina de Práticas de Acção Social. </li></ul><ul><li>O objectivo é consciencializarmo-nos de um grande problema que afecta a nossa sociedade: A Violência Doméstica. </li></ul><ul><li>Para esse efeito, iremos apresentar uma história verídica que retrata bem o sofrimento e a dor de uma mulher. </li></ul>
  3. 3. Porquê um problema esquecido? <ul><li>A Violência Doméstica é um problema não só esquecido como também escondido. </li></ul><ul><li>Na nossa sociedade existem inúmeros casos deste tipo de violência mas parece que ninguém se preocupa com eles. As mulheres sofrem muito mas por outro lado têm medo de denunciar o agressor </li></ul><ul><li>Muitas vezes a Violência Doméstica acontece no meio de quatro paredes, e ninguém se apercebe disto. </li></ul><ul><li>Na nossa opinião, nós jovens temos a missão de não deixar cair no esquecimento este grande problema que causa dor e sofrimento físico e psicológico a vitima </li></ul>
  4. 4. Mas afinal o que é a Violência Doméstica? <ul><li>A Violência Doméstica é um problema universal que atinge milhares de pessoas, em grande número de vezes de forma silenciosa e dissimuladamente. Trata-se de um problema que acontece em ambos os sexos e em qualquer nível social, económico, religioso ou cultural. </li></ul><ul><li>A sua importância é relevante sob dois aspectos: </li></ul><ul><li>1º devido ao sofrimento indescritível que vivem as suas vitimas, muitas vezes silenciosas. </li></ul><ul><li>2º porque, comprovadamente, a violência doméstica, inclui a a negligência precoce o a abuso sexual, podem impedir um bom desenvolvimento físico e mental da vítima. </li></ul>
  5. 5. Um caso preocupante <ul><li>Maria tem 35 anos, é casada com Manuel, 33 anos, de quem tem 4 filhos: Ricardo, 15 anos, Mara, 12 anos, Camila, 8 anos, e o Pedro de 2 anos. </li></ul><ul><li>Maria deu entrada nas urgências do hospital distrital de Aveiro, devido a violentas agressões por parte do marido, apresentando diversas escoriações, ou seja, diversas agressões. </li></ul><ul><li>Manuel é toxicodependente e suspeita-se que possa ser portador de SIDA, desconhecendo-se se Maria e os filhos também o são. </li></ul><ul><li>Maria já deu entrada várias vezes nas urgências por tentativas de suicídio e chegou a estar 15 dias internada devido a problemas psiquiátricos. </li></ul><ul><li>O filho mais novo, de 2 anos, não está registado na Conservatória e nunca foi ao Centro de Saúde. </li></ul>
  6. 6. Um caso preocupante <ul><li>Maria está desempregada. O marido é pedreiro, mas só trabalha quando quer, obrigando Maria a pedir dinheiro à família e vizinhos. No entanto, Manuel impede Maria de se dirigir aos serviços de Segurança Social, ou outros, para obter apoio. </li></ul><ul><li>Maria tem 2 irmãos que vivem perto, mas cortaram relações com ela devido ao comportamento de Manuel. Esta nunca apresentou queixa - crime. </li></ul><ul><li>De momento, Maria encontra-se numa instituição em Oliveira do Bairro e o seu marido está a fazer uma desintoxicação. Este encontra-se num estado grave e preocupante. Esta família dificilmente voltará a ser feliz, pois esta vida encarregou-se de a afectar negativamente. Os seus filhos, já adolescentes, estão hoje a sofrer consequências psicológicas devido aos comportamentos a que assistiram na nossa infância. </li></ul><ul><li>O Pedro com 4 anos foi entregue a uma família de acolhimento que lhe deu todo o amor e carinho que precisava. Este mantém o contacto com os seus irmãos. </li></ul>
  7. 7. Como reagem as crianças a estes tipos de casos? <ul><li>A criança costuma assumir sentimentos de culpa ; uma ansiedade constante , de quando acontecerá um novo incidente ; tristeza ; confusão de sentimentos, porque ao mesmo tempo sentem ódio e amor pelo abusador; medo de abandono , quando são separadas de um dos pais vão sentir medo de perder o outro; medo de dano – físico , uma grande percentagem das crianças que presenciam a violência é castigado também; necessidade excessiva de atenção adulta, as crianças pequenas irão sentir-se frágeis e apegar-se-ão aos adultos em busca de atenção, segurança e confiança; embaraço – vergonha , ficam embaraçados com comentários públicos; ausência excessivas à escola, a criança falta à escola porque tem medo de deixar sozinha a sua mãe. </li></ul>
  8. 8. Qual o papel de um técnico de Acção Social perante estes casos? <ul><li>Um técnico de Acção Social deve ter perante estes casos um papel activo, pois a vítima necessita de apoio e ajuda. Este tem que procurar meios para melhor a qualidade de vida desta pessoa, para isso, pode criar centros de apoio as vitimas de Violência Doméstica e acompanhar o agressor para perceber o que o anda a afectar psicologicamente para ter este tipo de comportamentos. </li></ul><ul><li>Muitas vezes estas mulheres sentem-se excluídas da sociedade, dai o técnico de Acção Social deve apoia-las nesse campo criando, por exemplo, actividades e centros de convívio onde estas possam falar abertamente sobre a sua situação e dizer aquilo que sentem. </li></ul>
  9. 9. Aconselhamento e ajuda <ul><li>Quais as instituições? </li></ul><ul><li>Aconselhamento e ajuda: </li></ul><ul><li>A quem recorrer? </li></ul><ul><li>Associação de mulheres contra a violação? </li></ul><ul><li>TLF: 218 511 223 </li></ul><ul><li>Associação Portuguesa de apoio à vítima – APAV </li></ul><ul><li>TLF: 218 884 732 / 707 200 077 </li></ul><ul><li>Comissão para a igualdade e para os direitos das mulheres </li></ul><ul><li>TLF: 217 983 000 </li></ul><ul><li>Gabinete de consulta jurídica – ministério da justiça </li></ul><ul><li>TLF: 213 960 586 / 213 603 857 </li></ul><ul><li>Grupo de ajuda mútua a mulheres vítimas de violação </li></ul><ul><li>TLF: 218 400 253 / 217 937 921 </li></ul><ul><li>Serviço de informação às mulheres vítimas de violência </li></ul><ul><li>Linha Verde: 808 202 148 </li></ul><ul><li>União de mulheres alternativa e resposta – UMAR </li></ul><ul><li>  Linha Verde: 808 200 175 </li></ul><ul><li>Guarda Nacional Republicana – GNR </li></ul><ul><li>Polícia judiciária </li></ul><ul><li>www.contraviolência.online.Pt </li></ul>
  10. 10. Conclusão <ul><li>Este trabalho foi muito importante para a nossa consciencialização sobre alguns problemas que existe no nosso mundo actual. Ao contrário do que nós pensávamos a Violência Doméstica é um problema ainda bastante existente na nossa sociedade. </li></ul><ul><li>Ainda nós questionamos o porquê de ninguém se preocupar com este sofrimento e dor que as mulheres passam. Por isso, esperamos que com este trabalho as pessoas comecem a tomar mais consciência e atenção a estes problemas. </li></ul>

×