Metodologia de aplicação deargamassas colantes e suas       patologias
Histórico das Argamassas  • No início, era utilizado o “bolão” – mistura simples de    cimento e areia  • Nos anos 50, na ...
Tipos de argamassas colantes                                           e suas características             Argamassa Colant...
Tipos de argamassas colantes                                           e suas características            Argamassa Colante...
Tipos de argamassas colantes                                           e suas características            Argamassa Colante...
Tipos de argamassas colantes                                           e suas características               Argamassas Col...
Tipos de argamassas colantes                                           e suas características         Argamassas Colantes ...
Metodologia de aplicação                                           de argamassas colantes                                 ...
Metodologia de aplicação                                           de argamassas colantes                               2....
Metodologia de aplicação                                           de argamassas colantesMetodologia de aplicação de argam...
Metodologia de aplicação                                           de argamassas colantesMetodologia de aplicação de argam...
Metodologia de aplicação                                           de argamassas colantesMetodologia de aplicação de argam...
Metodologia de aplicação                                           de argamassas colantesMetodologia de aplicação de argam...
Metodologia de aplicação                                           de argamassas colantesMetodologia de aplicação de argam...
Metodologia de aplicação                                           de argamassas colantes      3. Assentamento do revestim...
Metodologia de aplicação                                           de argamassas colantes             4. Verificação do te...
Metodologia de aplicação                                           de argamassas colantes                 5. Aplicação do ...
Metodologia de aplicação                                           de argamassas colantes                 5. Aplicação do ...
Metodologia de aplicação                                           de argamassas colantesMetodologia de aplicação de argam...
Metodologia de aplicação                                           de argamassas colantesMetodologia de aplicação de argam...
Metodologia de aplicação                                           de argamassas colantesMetodologia de aplicação de argam...
Metodologia de aplicação                                           de argamassas colantes                               Es...
Participação no mercado de                                            argamassas (ano 2010)                53,33 %        ...
Causas de Patologias em                                     argamassas e rejuntamentos 1. Causas de descolamento devido a ...
Causas de Patologias em                                     argamassas e rejuntamentos 2. Causas de descolamento devido a ...
Causas de Patologias em                                     argamassas e rejuntamentos 3. Causas de descolamento devido a ...
Causas de Patologias em                                     argamassas e rejuntamentos         4. Causas de manchas no rej...
Patologias em RejuntamentoMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em RejuntamentoMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em RejuntamentoMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em RejuntamentoMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em RejuntamentoMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em RejuntamentoMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
Mais informações:     argapiva@ig.com.brwww.argamassasantarita.com.br
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Metodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias

15.113 visualizações

Publicada em

Um estudo completo sobre Metodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias

Publicada em: Negócios
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
15.113
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
391
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Metodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias

  1. 1. Metodologia de aplicação deargamassas colantes e suas patologias
  2. 2. Histórico das Argamassas • No início, era utilizado o “bolão” – mistura simples de cimento e areia • Nos anos 50, na Europa, surgem as primeiras argamassas colantes prontas do mercado – bastava apenas acrescentar água • No Brasil, a primeira fábrica de argamassa colante surgiu em 1971, mas o produto passou a ser utilizado mais expressivamente a partir da década de 80Metodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  3. 3. Tipos de argamassas colantes e suas características Argamassa Colante tipo AC – I • Argamassa colante com características para resistir à solicitações mecânicas em ambiente internos, com exceção de saunas, churrasqueiras, estufas e áreas especiais.Metodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  4. 4. Tipos de argamassas colantes e suas características Argamassa Colante tipo AC – II • Argamassa colante indicada para uso externo, pois é balanceada para suportar as intempéries do tempo (vento, chuva, incidência direta do sol, etc). • Restrições: não indicada para piscinas, estufas, saunas, porcelanatos, etc.Metodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  5. 5. Tipos de argamassas colantes e suas características Argamassa Colante tipo AC – III • Argamassa colante altamente indicada para uso em ambientes externos, e para revestimentos de baixa absorção, como porcelanatos, peças cerâmicas, pedras de peso elevado etc.Metodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  6. 6. Tipos de argamassas colantes e suas características Argamassas Colantes tipo E • Argamassas colantes com as mesmas características das anteriores, porém com tempo em aberto estendido.Metodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  7. 7. Tipos de argamassas colantes e suas características Argamassas Colantes Específicas • São argamassas desenvolvidas com alta tecnologia, para atender às mais altas exigências e para utilização nos mais diversos tipos de revestimentos e substratos não convencionais.Metodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  8. 8. Metodologia de aplicação de argamassas colantes 1. Mistura • O produto deve ser preparado em recipiente limpo e estanque, protegido do sol, da chuva e do vento • Sempre adicionar o pó na água, e não o contrário • Dissolver o produto na proporção de água indicada pelo fabricante • Misturar até que a massa apresente aspecto pastoso e homogêneo • Deixar a mistura em repouso por aproximadamente 15 minutos, ou conforme indicação do fabricante • Misturar novamente ao início da aplicaçãoMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  9. 9. Metodologia de aplicação de argamassas colantes 2. Aplicação • Os dentes da desempenadeira devem estar em bom estado de conservação • A base da aplicação não pode apresentar desvios de prumo e planeza, e deve estar curada, firme e limpa, isenta de qualquer tipo de impregnação que possa prejudicar o trabalho • Verificar a presença de desmoldante ou outro produto que possa prejudicar a aderência da argamassa colante • Com o lado liso da desempenadeira, aplicar uma camada de argamassa colante sobre toda a área • Em seguida, passar o lado dentado da desempenadeira, a uma inclinação de 60º da base, formando cordões e sulcos paralelos • Nunca aplicar a argamassa colante pelo processo de pingoMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  10. 10. Metodologia de aplicação de argamassas colantesMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  11. 11. Metodologia de aplicação de argamassas colantesMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  12. 12. Metodologia de aplicação de argamassas colantesMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  13. 13. Metodologia de aplicação de argamassas colantesMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  14. 14. Metodologia de aplicação de argamassas colantesMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  15. 15. Metodologia de aplicação de argamassas colantes 3. Assentamento do revestimento cerâmico • Fixar a peça cerâmica sobre o produto estendido, pressionando-a levemente contra o substrato, de maneira que os cordões sejam esmagados e que todo o tardoz (verso da peça) fique em contato com a argamassa colante – se necessário, utilizar martelo de borracha • Em peças com área superior a 900 cm2 (30 x 30 cm), peças com peso elevado, pedras, ardósia e porcelanatos, deve-se aplicar o produto também no tardoz, utilizando desempenadeira de 8 mm – processo este conhecido como dupla camadaMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  16. 16. Metodologia de aplicação de argamassas colantes 4. Verificação do tempo em aberto • Utilizar a ponta dos dedos para verificar a consistência da argamassa colante, que deve ser a mesma do produto preparado no recipiente • Retirar aleatoriamente algumas peças cerâmicas no decorrer da aplicação e verificar o tardoz; a argamassa colante deve estar impregnada em toda a sua superfície • Verificar se a argamassa colante apresenta uma coloração esbranquiçada na superfície (película); caso isto ocorra, descartar o produto e aplicar uma nova camadaMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  17. 17. Metodologia de aplicação de argamassas colantes 5. Aplicação do Rejuntamento • Observe se o recipiente no qual será efetuada a mistura está limpo e estanque, protegido do sol, da chuva e do vento • Misturar até que a massa apresente aspecto pastoso e homogêneo • O material preparado deverá ser utilizado no prazo máximo de duas horas e meia • Deixar a mistura em repouso por aproximadamente 15 minutos, ou conforme indicação do fabricante • Misturar novamente ao início da aplicação • A aplicação deve ser executada com ferramenta apropriada (desempenadeira de borracha, espátula, etc.)Metodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  18. 18. Metodologia de aplicação de argamassas colantes 5. Aplicação do Rejuntamento • Em altas temperaturas, clima seco, juntas muito finas e revestimentos cerâmicos de alta absorção, é importante umedecer as juntas antes de rejuntar • Remover o excesso de rejuntamento com uma esponja levemente umedecida e limpa; não utilizar palha de aço ou ácidos na limpeza • Frisar e limpar antes que o rejuntamento apresente resistência para não se soltar • O rejuntamento deve ser aplicado, no mínimo, 72 horas após o assentamento do revestimento cerâmico • O excesso de água e condições desiguais de secagem podem influenciar na variação da tonalidade do rejunteMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  19. 19. Metodologia de aplicação de argamassas colantesMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  20. 20. Metodologia de aplicação de argamassas colantesMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  21. 21. Metodologia de aplicação de argamassas colantesMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  22. 22. Metodologia de aplicação de argamassas colantes Estatísticas • 97% das reclamações são resultado de mau uso do produto e falta de informação • 98,2% dos aplicadores não lêem as instruções do verso • 5,4% do tempo de trabalho é utilizado para atender à reclamações • 1,3% do faturamento é gasto com o atendimento à reclamações • 43% dos clientes não retornam após uma reclamação mal atendidaMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  23. 23. Participação no mercado de argamassas (ano 2010) 53,33 % Quartzolit 19% Votorantim 3,2% Portokol 2,67% Usina Fortaleza 2,33% Cimpor 1,33% Arga. Santa Rita 0,80% Eliane 0,67% Imar 0,33% Minercal 16,34% OutrosMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  24. 24. Causas de Patologias em argamassas e rejuntamentos 1. Causas de descolamento devido a mau preparo ou má aplicação da argamassa colante • Deixar a argamassa colante secar na parede ou no piso • Dissolver o produto na quantidade errada de água • Não homogeneizar o produto corretamente • Não deixar a massa descansar após a homogeneização (tempo de maturação) • Não utilizar água limpa • Não utilizar recipiente estanque • Adicionar outros produtos à composição original, como cimento, etc. • Utilizar desempenadeira com dentes desgastadosMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  25. 25. Causas de Patologias em argamassas e rejuntamentos 2. Causas de descolamento devido a mau preparo do substrato ou contrapiso • Não umedecer a base antes da aplicação da argamassa colante • Não aguardar o tempo de cura mínimo de 14 dias • Não limpar a base de toda e qualquer substância ou impregnação que possa prejudicar o trabalho (desmoldante, óleo, poeira, desagregação etc) • Não utilizar juntas para movimentação das peças • Substrato com umidade ou mal curadoMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  26. 26. Causas de Patologias em argamassas e rejuntamentos 3. Causas de descolamento devido a mau preparo do revestimento cerâmico • Não limpar o tardoz (verso da peça) para retirada do excesso de engobe • Deixar as peças de molho em água (especialmente revestimentos de base vermelha, que possuem alta absorção) • Má qualidade do esmalte do revestimento (craquelê) • Bitola do revestimento fora de padrão • Lote do revestimento ultrapassadoMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  27. 27. Causas de Patologias em argamassas e rejuntamentos 4. Causas de manchas no rejuntamento • Dissolver o rejuntamento na quantidade errada de água • Não homogeneizar o produto corretamente • Não deixar a massa descansar após a homogeneização (tempo de maturação) • Não utilizar água limpa • Não utilizar recipiente estanque • Não deixar curar a base • Adicionar outros produtos à composição original, como cimento, corantes, etc. • Utilizar serragem ou óleo diesel • Diferenças de tonalidade de lotes de cimentoMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  28. 28. Patologias em RejuntamentoMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  29. 29. Patologias em RejuntamentoMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  30. 30. Patologias em RejuntamentoMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  31. 31. Patologias em RejuntamentoMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  32. 32. Patologias em RejuntamentoMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  33. 33. Patologias em RejuntamentoMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  34. 34. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  35. 35. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  36. 36. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  37. 37. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  38. 38. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  39. 39. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  40. 40. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  41. 41. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  42. 42. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  43. 43. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  44. 44. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  45. 45. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  46. 46. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  47. 47. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  48. 48. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  49. 49. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  50. 50. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  51. 51. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  52. 52. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  53. 53. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  54. 54. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  55. 55. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  56. 56. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  57. 57. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  58. 58. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  59. 59. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  60. 60. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  61. 61. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  62. 62. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  63. 63. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  64. 64. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  65. 65. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  66. 66. Patologias em ArgamassasMetodologia de aplicação de argamassas colantes e suas patologias
  67. 67. Mais informações: argapiva@ig.com.brwww.argamassasantarita.com.br

×