Familia

302 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
302
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Familia

  1. 1. Introdução Origem da palavra. A família é o alicerce para a vida. Quando amamos, respeitamos e perdoamos nossos familiares conseguimos paz e sucesso. Capítulo I Deveres dos pais Os pais devem amar e educar seus filhos, precisam dar testemunho, ter responsabilidade, respeito, perdão e fidelidade. Educar exige muito compromisso, tempo e entrega total. A personalidade da criança e do adolescente se estrutura/ molda essencialmente no meio familiar. Os pais, responsáveis pela educação e orientação de seus filhos, devem assumir o seu papel, dialogar, impor limites, regras, transmitir valores éticos para que os filhos sejam capazes de viver em sociedade e obedecer as regras básicas de convivência. Os pais sendo casados ou não, são os primeiros responsáveis pela educação de seus filhos, desta forma, devem identificar o que gostam, quem são seus amigos, quais são seus sonhos, ouvir suas experiências. Também têm o compromisso de saber a rotina, onde e com quem estão, o que fazem, que horário chegam e saem. O capítulo trinta do livro do Eclesiático explica muito bem o dever dos pais. “Aquele que dá ensinamentos ao seu filho será louvado e entre os familiares, se glorificará dele. O pai morre e é como se este não morresse, pois deixa depois de si o seu semelhante. Durante a sua vida viu o seu filho e nele se alegrou; quando chegar a hora de morrer não ficará aflito. Quem muito mima os seus filhos terá que lhes pensar nas feridas e a qualquer dos seus gritos as suas entradas se comoverão. Educa o teu filho, esforça-te para formá-lo para que ele não desonre a tua vida.” Muitos pais sentem-se perdidos, não sabem o que fazer, que atitude tomar, e em muitos casos transferem a responsabilidade para outras esferas
  2. 2. da sociedade. A educação dos filhos deve ser baseada num ambiente familiar de paz, carinho e diálogo, sem transferências de responsabilidades ao Estado, representado pela figura da escola, do Promotor de Justiça, Juiz de Direito ou do Conselho Tutelar. O direito/dever dos pais de educar seus filhos implica, necessariamente, imposição de limites, meios e modos de correção, bem como quanto à sua finalidade, que é essencialmente educativa. A Constituição Federal, em seu artigo 227, atribui à família o dever de educar, bem como o dever de convivência e o respeito à dignidade dos filhos, devendo esta sempre primar pelo desenvolvimento saudável do menor. O artigo 229 da Constituição Federal, também atribui aos pais o dever de assistir, criar e educar os filhos. Ademais, a Lei 8.069/90, Estatuto da Criança e do adolescente (ECA), evidenciam a existência de deveres intrínsecos ao poder familiar, conferindo aos pais obrigações não somente do ponto de vista material, mas especialmente afetivas, morais e psíquicas. Já o artigo 3º do ECA preceitua que toda criança e adolescente gozam de todos os direitos fundamentais inerentes à pessoa humana, a fim de lhes proporcionar o desenvolvimento físico, mental, moral, espiritual e social, em condições de liberdade e de dignidade. A Lei 10.406/2002, o atual Código Civil brasileiro (CCB), em seu artigo 1.634, impõe entre os deveres conjugais, o de sustento, criação, guarda, companhia e educação dos filhos (1.566, IV). Já os artigos 1.583 a 1.590, do mesmo diploma, preceituam sobre a proteção dos filhos em caso de rompimento da sociedade conjugal. Os pais que se omitirem quanto ao direito dos filhos, sobretudo, à convivência familiar, estão descumprindo com a sua obrigação legal, acarretando sequelas ao desenvolvimento moral, psíquico e socioafetivo dos filhos. Uma vez caracterizada a ofensa aos direitos fundamentais da criança, os pais ou qualquer outro que detenha a guarda de uma criança ou adolescente, estão sujeitos às penalidades de natureza preventiva e punitiva, ou ainda segundo entendimento de alguns juristas e doutrinadores, a reparação dos danos causados, mesmo que seja exclusivamente de cunho moral, com base no princípio da dignidade da pessoa humana.
  3. 3. Como educar? Sabemos que não existe uma receita pronta, faça assim que dá certo. Cada ser humano, é um ser único, com talentos, habilidades e competências diferentes, cabem aos pais buscarem inspiração divina, rezar constantemente para tomar as melhores atitudes. Os pais têm a missão de evangelizar seus filhos, ensinando o amor de Deus, inserindo-os em uma religião. O exemplo é a melhor maneira de educar os filhos, como também reconhecer diante deles os próprios erros, desta maneira, será mais fácil guiá- los e corrigi-los no tempo oportuno. Ouvir, dialogar é fundamental nesta missão tão delicada e ao mesmo tempo tão feliz que é ser pai e ser mãe. Como nunca se viu as pessoas tem dificuldades de parar e ouvir os outros. Se os filhos não encontrarem este apoio, este porto seguro no colo e no coração dos pais, irão fatalmente encontrar lá fora. E na maioria das vezes em meio às drogas, prostituição e outros mais. Para isso, voltamos nossos olhos para o testemunho conjugal e a oração, onde buscamos as forças necessárias para vivenciar as experiências de amor e perdão diários. O diálogo de Maria direcionou para Jesus, quando faltou o vinho nas Bodas de Cana: “ façam tudo o que Ele vos disser ”. Ela deu com isso a grande receita de como deve ser o diálogo dos pais com os filhos quando eles percebem que falta algo em suas vidas. O perdão é o remédio para todas as doenças. Desta forma, os pais devem perdoar os filhos com a alma. A reconciliação, o arrependimento são degraus para a união familiar e a melhoria da qualidade de vida. A oração é a força mais poderosa para unir, organizar e recuperar a família. É através dela que ocorre o perdão e a cura de todos os males. O texto do evangelho de São Lucas, capítulo 15, dos versículos 11-32, mostra claramente o pai perdoando seu filho mais novo. Esta parábola é um exemplo extraordinário para todos nós. “Um homem tinha dois filhos. O filho mais novo disse ao pai: „Pai, daí- me a parte da herança que me cabe‟. E o pai dividiu os bens entre eles. Poucos dias depois o filho mais novo juntou o que era seu e partiu para um lugar distante. E ali esbanjou tudo numa vida desenfreada. Quando tinha gasto tudo o que possuía, houve uma grande fome naquela região, e ele começou a passar necessidade.
  4. 4. Então foi pedir trabalho a um homem do lugar, que o mandou para seu campo cuidar dos porcos. O rapaz queria matar a fome com a comida que os porcos comiam, mas nem isto lhe davam. Então caiu em si e disse: ‟Quantos empregados do meu pai têm pão com fartura, e eu aqui, morrendo de fome. Vou-me embora, vou voltar para meu pai e dizer-lhe: „Pai, pequei contra Deus e contra ti; já não mereço ser chamado de teu filho. Trata-me como a um dos teus empregados‟. Então ele partiu e voltou para seu pai. Quando ainda estava longe, seu pai o avistou e sentiu compaixão. Correu-lhe ao encontro, abraçou-o e cobriu-o de beijos. O filho então disse: ‟Pai, pequei contra Deus e contra ti. Já não mereço ser chamado teu filho‟. Mas o pai disse aos empregados: ‟Trazei depressa a melhor túnica para vestir meu filho. E colocai um anel no seu dedo e sandálias em seus pés. Trazei um novilho gordo e matai-o. Vamos fazer um banquete. Porque este meu filho estava morto tornou a viver; estava perdido e foi encontrado‟. E começaram a festa. O filho mais velho estava no campo. Ao voltar, já perto de casa, ouviu música e barulho de dança. Então chamou um dos criados e perguntou o que estava acontecendo. O criado respondeu: ‟É teu irmão que voltou. Teu pai matou o novilho gordo, porque o recuperou com saúde‟. Mas ele ficou com raiva e não queria entrar. O pai, saindo, insistia com ele. Ele porem, respondeu ao pai: ‟Eu trabalho para há tantos anos, jamais desobedeci a qualquer ordem tua. E tu nunca me deste um cabrito para eu festejar com meus amigos. Quando chegou esse teu filho, que esbanjou teus bens com prostitutas, matas para ele o novilho cevado‟. Então o pai lhe disse: ‟Filho, tu estás sempre comigo, e tudo o que é meu é teu. “Mas era preciso festejar e alegrar-nos, porque este teu irmão estava morto e tornou a viver; estava perdido, e foi encontrado‟”. A melhor herança que os pais podem deixar aos filhos é o exemplo, os valores como dignidade e a honestidade. Os ensinamentos dos pais jamais são esquecidos pelos filhos. A lembrança de uma palavra, gesto, carinho e amor são guardados a sete chaves. O dinheiro pode acabar ou tomar outros rumos,
  5. 5. mas as boas obras permanecem. Assim os pais continuam vivos em cada ato de seus filhos. Deveres dos filhos Honra teu pai e tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor, teu Deus, te dá (Ex 20,12). As pessoas mais importantes de nossas vidas são nossos pais, a quem devemos dedicar toda nossa honra, carinho e amor. Devemos aceitar nossos pais como são e enxergá-los como luz. Agradecê-los a cada dia. O pai e a mãe são nossos tesouros, a razão do nosso viver. Quando amamos e respeitamos nossos pais temos prosperidade e paz. O respeito pelos pais é produto do reconhecimento para com aqueles que, pelo dom da vida, por seu amor e por seu trabalho puseram seus filhos no mundo e permitiram que crescessem em estatura, em sabedoria e graça. “Meu filho, guarda os preceitos de teu pai, não rejeites a instrução de tua mãe... Quando caminhares, te guiarão; quando descansares, te guardarão, quando despertares, te falarão” (Pr 6, 20-22) A obediência verdadeira, o respeito precisam ser resgatados, quantos filhos não respeitam seus pais, vivem como eles não existissem, essa realidade é lastimável, provoca muita tristeza e sofrimento. O Senhor glorificou o pai nos filhos e fortaleceu a autoridade da mãe sobre a pole. Aquele que respeita o pai obtém o perdão dos pecados; o que honra sua mãe é como quem junta um tesouro. Aquele que respeita o pai encontrará alegria nos filhos e nos dias de sua oração será atendido. Aquele que honra o pai viverá muito, e o que obedece ao Senhor alegrará sua mãe (Eclo 3, 2-6). Temos qualidade de vida quando estamos em harmonia com nossos pais, tendo boa vontade em ajudá-los em todas as situações. É dever dos filhos cuidar de seus pais na velhice, dando amor e ajuda material, compartilhando com os irmãos a doença e qualquer problema que afete a família. O próprio Jesus nos ensina: “Filho, cuida de teu pai na velhice, não o desgostes em vida. Mesmo se seu entendimento faltar, sê indulgente com ele, não o menosprezes, tu que
  6. 6. estás em pleno vigor... É como um blasfemador aquele que despreza seu pai, e um amaldiçoado pelo Senhor aquele que irrita sua mãe” ( Eclo 3, 12-16). Como é gratificante os filhos agradecer aos pais e compartilhar com os irmãos os desafio da vida, a vida só tem sentido quando honramos nossos pais e vivemos os ensinamentos de Cristo. A sagrada família ensina cada família a deixar-se conduzir por Deus Deus em sua infinita misericórdia deixou marcado os ensinamentos e o poder da família de Nazaré. O sonho de toda família é ter um pai como José, uma mãe como Maria e um filho como Jesus. A família de Nazaré é um grande exemplo a ser seguida e imitada, porque o mais importante para eles é o amor, o respeito e a oração. Toda mulher sonha em ter um esposo como José, homem honesto, trabalhador, fiel e companheiro. Pai exemplar, dedicado, respeitável e responsável. José foi e é um exemplo para todos os pais de família, nunca reclamou, sempre esteve disponível para ajudar Maria Santíssima em todas as suas necessidades. Quantos maridos são egoístas, esquecem a esposa e os filhos, trocam a família pelo bar, festas com os amigos, trabalhos excessivos, facebook, etc. Ser José nos dias atuais é partilhar uma vida familiar responsável, construída com fé, perseverança e muita oração. O homem também sonha em ter uma esposa como Maria. Mulher fiel a Deus, fé inabalável, simples e doce. Mãe pura, carinhosa, dedicada, protetora e amiga. Maria é sonho de mãe porque derrama esperança, desperta para o bem, ensina a justiça e é luz para a humanidade. Ela é inspiração para todas as mulheres, exemplo a ser seguido. Muitas mulheres vão de encontro ao ensinamento de Maria, não valorizam a família, são péssimas mães, esposas infiéis, desprezam seus filhos, judiam dos pais.
  7. 7. A escolha de Maria deve-se também a excelente educação que seus pais Ana e Joaquim lhe deram, vida em oração, bondade e simplicidade, assim Deus confiou seu Filho a Virgem Mãe de Deus. A família de Nazaré nos dá uma lição de vida familiar. Como disse Paulo VI: “Que Nazaré nos ensine o que é família, sua comunhão de amor, sua beleza austera e simples, seu caráter sagrado e inviolável...” . A união familiar é a alegria para a alma e o alimento para uma vida plena. O ser humano só consegue ter realização pessoal e profissional quando ama e honra sua família, ela é essência da vida. Se o indivíduo não consegue se relacionar com os pais e os irmãos é incapaz de relacionar com os outros. A partir da família que conquistamos tudo o que planejamos. E é por ela que realizamos nossos projetos. Vivemos em crise porque não amamos as pessoas mais importantes de nossas vidas: nossos pais, irmãos, cunhados, sobrinhos, avós, tios, primos e amigos. Buscamos tantas coisas para viver bem no século XXI, mas o melhor delas é esquecido que é o amor. O amor por nossas famílias. O entusiasmo em cuidar de nossos pais principalmente na velhice.

×