A pesquisa documental como tática de investigação Agência Noticiosa 1   Professor mestre Artur Araujo (araujofamilia@gmail...
Antes, alguns lembretes <ul><li>Na primeira aula discutimos como será o curso e os critérios da avaliação. </li></ul><ul><...
Recapitulando... <ul><li>Na aula anterior,  discutimos a  importância da  observação no  trabalho jornalístico. </li></ul>...
A importância da pesquisa documental Conteúdo livremente adaptado  da obra: Pesquisa Social, de  Antonio Carlos Gil (foto)...
Três formas básicas Conteúdo livremente adaptado  da obra: Pesquisa Social, de  Antonio Carlos Gil (foto) <ul><li>Como são...
Três formas básicas Conteúdo livremente adaptado  da obra: Pesquisa Social, de  Antonio Carlos Gil (foto) <ul><li>Como são...
Registros estatísticos Conteúdo livremente adaptado  da obra: Pesquisa Social, de  Antonio Carlos Gil (foto) <ul><li>Todas...
A importância dos órgãos de investigação social Conteúdo livremente adaptado  da obra: Pesquisa Social, de  Antonio Carlos...
O que você deseja dos dados? Conteúdo livremente adaptado  da obra: Pesquisa Social, de  Antonio Carlos Gil (foto) <ul><li...
Os limites da estatística - 1 Conteúdo livremente adaptado  da obra: Pesquisa Social, de  Antonio Carlos Gil (foto) <ul><l...
Os limites da estatística - 2 Conteúdo livremente adaptado  da obra: Pesquisa Social, de  Antonio Carlos Gil (foto) <ul><l...
Os limites da estatística - 3 Conteúdo livremente adaptado  da obra: Pesquisa Social, de  Antonio Carlos Gil (foto) <ul><l...
Para aumentar a consistência de uma estatística <ul><li>A edição não pode se limitar à publicação dos números da pesquisa....
Documentos oficiais e oficiosos Conteúdo livremente adaptado  da obra: Pesquisa Social, de  Antonio Carlos Gil (foto) <ul>...
A importância do Diário Oficial <ul><li>Por mais maçante que pareça, a leitura de documentos oficiais, principalmente os p...
Considerações do jornalista Fernando Rodrigues <ul><li>a Constituição (1988) é clara:  </li></ul><ul><li>Artigo 5°, inciso...
Lei 9.507 (texto vago) (12.nov.1997): <ul><li>Fala em “informações que sejam ou  que possam ser transmitidas a  terceiros”...
Virtude da Lei 9.507  (12.nov.1997): <ul><li>Regula o “habeas data” - acesso a informações pessoais. </li></ul><ul><li>Per...
Lei 11.111 – Lula (repetição parcial do decreto de FHC) <ul><li>“ O acesso aos documentos sigilosos referentes à segurança...
Lei 11.111 – sigilo eterno –  Lula <ul><li>“ Antes de expirada a prorrogação do prazo de que trata o caput deste artigo, a...
Exemplos de falta de acesso: <ul><li>Cópias das declarações de bens dos candidatos a algum cargo público no Brasil devem s...
<ul><li>Resposta do TSE: </li></ul>
TREs desrespeitam TSE <ul><li>exemplos em todo o país </li></ul>
<ul><li>TRE-ES </li></ul>
<ul><li>TRE-ES </li></ul>
Documentos pessoais  Conteúdo livremente adaptado  da obra: Pesquisa Social, de  Antonio Carlos Gil (foto) <ul><li>Há uma ...
Documentos pessoais  Conteúdo livremente adaptado  da obra: Pesquisa Social, de  Antonio Carlos Gil (foto) <ul><li>Há uma ...
Lembram-se? Troca de e-mails de ministros repercute no STF e no Congresso O Globo – agosto de 2007   Ok, isso é observação...
Documentos pessoais: limitações  Conteúdo livremente adaptado  da obra: Pesquisa Social, de  Antonio Carlos Gil (foto) <ul...
Mídia e obras de referência  Conteúdo livremente adaptado  da obra: Pesquisa Social, de  Antonio Carlos Gil (foto) <ul><li...
Limites da mídia <ul><li>Todo jornal trabalha contra o tempo, e muitas vezes erros são cometidos mais de uma vez em uma de...
Obras de referência <ul><li>Pesquisar em dicionários, enciclopédias e similares é um dever de todo jornalista para melhor ...
O que diz o Manual da Folha <ul><li>Faz parte da filosofia editorial da Folha poupar trabalho a seu leitor. Quanto mais tr...
O que diz o Manual do Estadão <ul><li>Consultar outros jornalistas e pesquisar fatos análogos ocorridos no passado são pro...
Memória: o que diz o Manual do Estadão <ul><li>Todo aniversário de acontecimento importante  (nascimento e morte de person...
Ressalva para fontes de referência <ul><li>Mesmo uma boa fonte pode conter erro de informação: a edição de 1989 da &quot;E...
O tema da próxima aula expositiva: exibição do filme “Todos os homens do presidente”
Citação do dia  “ Jornalismo é a habilidade de enfrentar o desafio de preencher o espaço” Rebecca West (1892 - 1983),  esc...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

ag1_aula8_2008

590 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
590
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
51
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ag1_aula8_2008

  1. 1. A pesquisa documental como tática de investigação Agência Noticiosa 1 Professor mestre Artur Araujo (araujofamilia@gmail.com)
  2. 2. Antes, alguns lembretes <ul><li>Na primeira aula discutimos como será o curso e os critérios da avaliação. </li></ul><ul><ul><li>Hoje é o último dia para entrega da primeira reportagem. Quem não entregar terá nota “0” (zero) na prova. </li></ul></ul><ul><ul><li>15 de abril de 2008 - último dia para entrega da segunda reportagem. Faltam 7 dias. </li></ul></ul><ul><ul><li>22 de abril de 2008 - último dia para entrega da terceira reportagem. Faltam 14 dias. </li></ul></ul><ul><ul><li>29 de abril de 2008 - último dia para entrega da quarta reportagem. Faltam 21 dias. </li></ul></ul><ul><ul><li>Prova teórica – 29 de abril . Faltam 21 dias. </li></ul></ul><ul><ul><li>Trabalho escrito (seminário) – 13 de maio . Faltam 35 dias. </li></ul></ul><ul><li>Os alunos precisam se inscrever na lista de discussão do curso. </li></ul>
  3. 3. Recapitulando... <ul><li>Na aula anterior, discutimos a importância da observação no trabalho jornalístico. </li></ul><ul><li>Vimos igualmente que há mais de uma maneira de realizar uma observação bem-sucedida. </li></ul>
  4. 4. A importância da pesquisa documental Conteúdo livremente adaptado da obra: Pesquisa Social, de Antonio Carlos Gil (foto) <ul><li>Muitos dados importantes no trabalho jornalístico provêm de fontes de “papel” (ou digitais, mais recentemente) : arquivos históricos, registros estatísticos, documentos oficiais, diários, biografias, jornais, revistas etc. </li></ul><ul><li>As fontes de &quot;papel&quot; muitas vezes são capazes de proporcionar dados ricos e reduzir ou evitar a perda de tempo com levantamentos de campo, sem contar que em muitos casos só se toma possível a investigação a partir de documentos. </li></ul>
  5. 5. Três formas básicas Conteúdo livremente adaptado da obra: Pesquisa Social, de Antonio Carlos Gil (foto) <ul><li>Como são em grande número as fontes de documentação, serão aqui consideradas apenas as mais importantes, que são: </li></ul><ul><ul><li>os registros estatísticos </li></ul></ul><ul><ul><li>os documentos oficiais e oficiosos </li></ul></ul><ul><ul><li>a mídia e as obras de referência </li></ul></ul>
  6. 6. Três formas básicas Conteúdo livremente adaptado da obra: Pesquisa Social, de Antonio Carlos Gil (foto) <ul><li>Como são em grande número as fontes de documentação, serão aqui consideradas apenas as mais importantes, que são: </li></ul><ul><ul><li>os registros estatísticos </li></ul></ul><ul><ul><li>os documentos oficiais e oficiosos </li></ul></ul><ul><ul><li>a mídia e as obras de referência </li></ul></ul>
  7. 7. Registros estatísticos Conteúdo livremente adaptado da obra: Pesquisa Social, de Antonio Carlos Gil (foto) <ul><li>Todas as sociedades modernas dispõem de grande quantidade de dados estatísticos referentes às características de seus membros. Tais dados são geralmente coletados e armazenados para servir aos interesses de organizações, sobretudo da Administração Pública. Todavia, podem ser muito úteis para a pesquisa jornalística. </li></ul>
  8. 8. A importância dos órgãos de investigação social Conteúdo livremente adaptado da obra: Pesquisa Social, de Antonio Carlos Gil (foto) <ul><li>A natureza dos dados disponíveis depende dos objetivos da entidade que os coleta e os organiza. Entidades governamentais como a Fundação IBGE dispõem de dados referentes a características socioeconômicas da população brasileira, tais como idade, sexo, tamanho da família, nível de escolaridade, ocupação, nível de renda etc. </li></ul><ul><li>Os órgãos de saúde fornecem dados a respeito de incidência de doenças, causas de morte etc. </li></ul>
  9. 9. O que você deseja dos dados? Conteúdo livremente adaptado da obra: Pesquisa Social, de Antonio Carlos Gil (foto) <ul><li>De modo geral, a coleta de dados a partir de registros estatísticos é muito mais simples do que mediante qualquer procedimento direto. No entanto, exige que o jornalista disponha de um bem elaborado plano de pesquisa que indique com clareza a natureza dos dados a serem obtidos. E também que saiba identificar as fontes adequadas para a obtenção de dados significativos para os propósitos da pesquisa. </li></ul>
  10. 10. Os limites da estatística - 1 Conteúdo livremente adaptado da obra: Pesquisa Social, de Antonio Carlos Gil (foto) <ul><li>O emprego de dados estatísticos apresenta algumas limitações. Freqüentemente a definição de categorias empregadas no material estatístico não coincide com a empregada na pesquisa social. </li></ul><ul><li>Por exemplo, o pesquisador pode ter interesse em estudar a situação matrimonial de uma população. Os registros estatísticos oficiais geralmente indicam a distribuição da população de acordo com o estado civil, ou seja, a situação prevista em lei. </li></ul>
  11. 11. Os limites da estatística - 2 Conteúdo livremente adaptado da obra: Pesquisa Social, de Antonio Carlos Gil (foto) <ul><li>Também deve merecer atenção do jornalista a metodologia utilizada na coleta de dados. Muitos registros são coligidos com a intenção de refletir a realidade. Entretanto, por razões as mais diversas, as declarações dos indivíduos em muitos casos tendem a ser falhas. É provável, por exemplo, que informações sobre renda baseadas em declarações para fins de coleta de dados sejam subestimadas. Também é admissível que estatísticas sobre filhos ilegítimos não sejam muito exatas. </li></ul>
  12. 12. Os limites da estatística - 3 Conteúdo livremente adaptado da obra: Pesquisa Social, de Antonio Carlos Gil (foto) <ul><li>Os cuidados com a natureza dos registros não implicam que devam ser desprezados sempre que sobre eles pairarem dúvidas. </li></ul><ul><li>Muitas vezes, é possível a correção dos registros com base naquilo que se sabe acerca das técnicas de coleta de dados. </li></ul><ul><li>Outras vezes isso não é possível. Em qualquer circunstância, porém, toma-se necessário investigar adequadamente a natureza dos dados disponíveis para que se possa decidir acerca de sua aceitação ou rejeição. </li></ul>
  13. 13. Para aumentar a consistência de uma estatística <ul><li>A edição não pode se limitar à publicação dos números da pesquisa. Esses números devem ser enriquecidos com casos concretos, personagens, memórias, textos de apoio, contextualização . As artes têm de ser produzidas com cuidado: têm de destacar os números principais, não podem saturar o leitor com dados secundários, devem ter títulos, têm de permitir leitura rápida e fácil, precisam ser revistas várias vezes para que não contenham erros. </li></ul><ul><ul><li>Fonte: FOLHA DE S. PAULO. Novo manual de redação </li></ul></ul>
  14. 14. Documentos oficiais e oficiosos Conteúdo livremente adaptado da obra: Pesquisa Social, de Antonio Carlos Gil (foto) <ul><li>Além dos registros estatísticos, também podem ser úteis para a pesquisa social os registros escritos fornecidos por instituições governamentais. Dentre esses dados estão: projetos de lei, relatórios de órgãos governamentais, atas de reuniões de casas legislativas, sentenças judiciais, documentos registrados em cartórios etc. </li></ul><ul><li>Também podem ser úteis dados obtidos em arquivos de instituições não governamentais, como: atas de sindicatos, relatórios de associações comerciais e industriais, deliberações de igrejas, discursos proferidos em convenções partidárias etc. </li></ul>
  15. 15. A importância do Diário Oficial <ul><li>Por mais maçante que pareça, a leitura de documentos oficiais, principalmente os publicados no Diário Oficial, são importantes para o trabalho investigativo. </li></ul>
  16. 16. Considerações do jornalista Fernando Rodrigues <ul><li>a Constituição (1988) é clara: </li></ul><ul><li>Artigo 5°, inciso 33: “Todos têm direito a receber dos órgãos públicos informações de seu interesse particular, ou de interesse coletivo ou geral, que serão prestadas no prazo da lei, sob pena de responsabilidade (...)” </li></ul>
  17. 17. Lei 9.507 (texto vago) (12.nov.1997): <ul><li>Fala em “informações que sejam ou que possam ser transmitidas a terceiros”, sem dizer quem vai definir com clareza o que pode ser transmitido </li></ul><ul><li>Fixa um prazo para o pedido ser deferido: “48 horas”, mas... </li></ul><ul><li>...não diz a quem os cidadãos devem se dirigir nos órgãos públicos, muito menos como os órgãos públicos devem se organizar para fornecer os dados requeridos. </li></ul>
  18. 18. Virtude da Lei 9.507 (12.nov.1997): <ul><li>Regula o “habeas data” - acesso a informações pessoais. </li></ul><ul><li>Permite a qualquer cidadão tentar fazer um requerimento </li></ul><ul><li>É necessário fazer por escrito (não há formulário padrão) e encontrar alguém disposto a receber o pedido. </li></ul><ul><li>Se o órgão público não fornecer a informação, é necessário ir à Justiça. </li></ul>
  19. 19. Lei 11.111 – Lula (repetição parcial do decreto de FHC) <ul><li>“ O acesso aos documentos sigilosos referentes à segurança da sociedade e do Estado será restrito por um prazo máximo de 30 (trinta) anos”; </li></ul><ul><li>“ ...podendo esse prazo ser prorrogado, por uma única vez, por igual período”.... </li></ul><ul><li>Mas… </li></ul>
  20. 20. Lei 11.111 – sigilo eterno – Lula <ul><li>“ Antes de expirada a prorrogação do prazo de que trata o caput deste artigo, a autoridade competente para a classificação do documento no mais alto grau de sigilo poderá provocar, de modo justificado, a manifestação da Comissão de Averiguação e Análise de Informações Sigilosas para que avalie se o acesso ao documento ameaçará a soberania, a integridade territorial nacional ou as relações internacionais do País, caso em que a Comissão poderá manter a permanência da ressalva ao acesso do documento pelo tempo que estipular”. </li></ul>
  21. 21. Exemplos de falta de acesso: <ul><li>Cópias das declarações de bens dos candidatos a algum cargo público no Brasil devem ser abertas ao público. </li></ul><ul><li>A “Folha” fez um pedido de esclarecimento ao TSE... </li></ul>
  22. 22. <ul><li>Resposta do TSE: </li></ul>
  23. 23. TREs desrespeitam TSE <ul><li>exemplos em todo o país </li></ul>
  24. 24. <ul><li>TRE-ES </li></ul>
  25. 25. <ul><li>TRE-ES </li></ul>
  26. 26. Documentos pessoais Conteúdo livremente adaptado da obra: Pesquisa Social, de Antonio Carlos Gil (foto) <ul><li>Há uma série de escritos pessoais que possibilitam informações relevantes acerca de sua experiência pessoal. Cartas, diários, memórias e autobiografias são alguns desses documentos que podem ser de grande valia em uma reportagem. </li></ul><ul><li>Muitas reportagens políticas e policiais podem lançar mão este recurso para aperfeiçoar a investigação. </li></ul>
  27. 27. Documentos pessoais Conteúdo livremente adaptado da obra: Pesquisa Social, de Antonio Carlos Gil (foto) <ul><li>Há uma série de escritos pessoais que possibilitam informações relevantes acerca de sua experiência pessoal. Cartas, diários, memórias e autobiografias são alguns desses documentos que podem ser de grande valia em uma reportagem. </li></ul><ul><li>Muitas reportagens políticas e policiais podem lançar mão este recurso para aperfeiçoar a investigação. </li></ul><ul><li>Mesmo os sistemas de comunicação instantânea na internet podem fornecer informações importantes a uma reportagem. </li></ul>
  28. 28. Lembram-se? Troca de e-mails de ministros repercute no STF e no Congresso O Globo – agosto de 2007 Ok, isso é observação também, mas é pesquisa em documentos digitais oficiosos
  29. 29. Documentos pessoais: limitações Conteúdo livremente adaptado da obra: Pesquisa Social, de Antonio Carlos Gil (foto) <ul><li>A utilização de diários, memórias e autobiografias é alvo de críticas. Alega-se que geralmente não são passíveis de tratamento estatístico, que estão sujeitos a erros de memória, que freqüentemente seu conteúdo se vincula a disposições passageiras que nem sempre são disponíveis. </li></ul><ul><li>Essas críticas, de modo geral, são justificáveis. Não se propõe que diários, memórias e autobiografias sejam eleitos como fontes usuais de coleta de dados. Todavia, há que se reconhecer que alguns documentos dessa natureza proporcionaram importantes conhecimentos. </li></ul>
  30. 30. Mídia e obras de referência Conteúdo livremente adaptado da obra: Pesquisa Social, de Antonio Carlos Gil (foto) <ul><li>Os documentos de comunicação de massa, tais como jornais, revistas, fitas de cinema, programas de rádio e televisão, constituem importante fonte de dados para a pesquisa jornalística. </li></ul><ul><li>Possibilitam conhecer os mais variados aspectos da sociedade atual e também lidar com o passado histórico. </li></ul><ul><li>Tal pesquisa ajuda a construir o contexto necessário para o leitor entender a notícia. </li></ul>
  31. 31. Limites da mídia <ul><li>Todo jornal trabalha contra o tempo, e muitas vezes erros são cometidos mais de uma vez em uma determinada publicação porque o jornalista se baseou exclusivamente no que havia coletado em recortes de jornal. </li></ul><ul><li>O material arquivado deve ser empregado como primeiro passo da apuração, não como fundamento do trabalho. </li></ul>
  32. 32. Obras de referência <ul><li>Pesquisar em dicionários, enciclopédias e similares é um dever de todo jornalista para melhor contextualizar sua matéria. </li></ul>
  33. 33. O que diz o Manual da Folha <ul><li>Faz parte da filosofia editorial da Folha poupar trabalho a seu leitor. Quanto mais trabalho tiver o jornalista para elaborar as reportagens, menor trabalho terá o leitor para entender o que o jornalista pretende comunicar. O jornal deve relatar todas as hipóteses sobre um fato em vez de esperar que o leitor as imagine. Deve publicar cronologias, biografias e mapas em vez de supor que o leitor vá recordar ou pesquisar por conta própria . Deve explicar cada aspecto da notícia em vez de julgar que o leitor já esteja familiarizado com eles. Deve organizar os temas de modo a que o leitor não tenha dificuldade de encontrá-los ou lê-los. </li></ul><ul><ul><li>Fonte: Manual de Redação da Folha de S. Paulo </li></ul></ul>
  34. 34. O que diz o Manual do Estadão <ul><li>Consultar outros jornalistas e pesquisar fatos análogos ocorridos no passado são procedimentos que ampliam a objetividade possível. </li></ul><ul><ul><li>Fonte: Manual do Estadão </li></ul></ul>
  35. 35. Memória: o que diz o Manual do Estadão <ul><li>Todo aniversário de acontecimento importante (nascimento e morte de personalidades, lançamento de movimentos ou trabalhos artisticos, edição de livros históricos, revoltas ou campanhas políticas, fatos internacionais, etc.) justifica matéria de pesquisa , independentemente de outras retrancas que se preparem sobre o assunto (repercussão, entrevistas e reconstituições). Evite, porém, fazer matéria excessivamente formal para recordar o fato, entremeando-a, sempre que possível, com pormenores curiosos ou diferentes para valorizar a pesquisa. Além da correção das informações, é importante desenvolver um trabalho apurado de texto que prenda a atenção do leitor. </li></ul><ul><ul><li>Fonte: Manual do Estadão </li></ul></ul>
  36. 36. Ressalva para fontes de referência <ul><li>Mesmo uma boa fonte pode conter erro de informação: a edição de 1989 da &quot;Enciclopédia Britânica&quot; cita o escritor argentino Adolfo Bioy Casares como brasileiro. </li></ul><ul><ul><li>Fonte: Manual de Redação da Folha de S. Paulo </li></ul></ul>
  37. 37. O tema da próxima aula expositiva: exibição do filme “Todos os homens do presidente”
  38. 38. Citação do dia “ Jornalismo é a habilidade de enfrentar o desafio de preencher o espaço” Rebecca West (1892 - 1983), escritora inglesa

×