Ag1 Aula1 2008

810 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios, Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
810
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
92
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Ag1 Aula1 2008

    1. 1. O que são as agências de notícias? O que é a Agência Hoyler Agência Noticiosa 1 Professor mestre Artur Araujo (araujofamilia@gmail.com)
    2. 2. Recapitulando... <ul><li>Na primeira aula, discutimos como será o curso e os critérios da avaliação. </li></ul><ul><ul><li>8 de abril de 2008 – último dia para entrega da primeira reportagem. Faltam 49 dias. </li></ul></ul><ul><ul><li>15 de abril de 2008 - último dia para entrega da segunda reportagem. Faltam 56 dias. </li></ul></ul><ul><ul><li>22 de abril de 2008 - último dia para entrega da terceira reportagem. Faltam 63 dias. </li></ul></ul><ul><ul><li>29 de abril de 2008 - último dia para entrega da quarta reportagem. Faltam 70 dias. </li></ul></ul><ul><ul><li>Prova teórica – 29 de abril . Faltam 70 dias. </li></ul></ul><ul><ul><li>Trabalho escrito (seminário) – 13 de maio . Faltam 84 dias. </li></ul></ul><ul><li>Os alunos precisam se inscrever na lista de discussão do curso. </li></ul>
    3. 3. <ul><li>Empresa que elabora e fornece matérias jornalísticas, por meios rápidos de transmissão, para seus assinantes (órgãos de imprensa, instituições governamentais e privadas). As agências de notícias, de âmbito local, nacional ou internacional, transmitem regularmente e de forma ininterrupta a seus associados noticiário geral ou especializado, fotografias, features, resenhas etc. Fornecendo informações ‘por atacado’ para os veículos informativos, que as vendem ‘a varejo’, as agências de notícias são ‘as grandes provedoras dos jornais, revistas, emissoras de rádio e de tv em todo o mundo. </li></ul>O que é Agência de Notícia?
    4. 4. O que diz a Unesco <ul><li>A Unesco define agência de informação como ‘empresa que tem principalmente por objeto, qualquer que seja a sua forma jurídica, obter notícias e documentação de atualidades, que sirvam para exprimir ou representar os fatos, distribuindo-os a um conjunto de empresas de informação e, excepcionalmente, a particulares, mediante o pagamento de determinada importância, de acordo com as leis e usos comerciais, sempre à base de um serviço o mais completo e imparcial possível’. </li></ul>
    5. 5. À maneira dos jornais <ul><li>Segundo Bernard Voyenne, ‘a organização das agências não é diferente da dos jornais, já que elas apenas se distinguem destes pelas funções e não pelos objetivos. Sua atividade consiste em colher a informação, transmiti-la, elaborá-la e difundi-la dentro do menor prazo possível. Dispõem, para tanto, de meios e serviços apropriados, cuja peça principal é, sem dúvida, sua gigantesca rede de correspondentes, espalhados pelo mundo inteiro, para receberem as notícias em toda parte e a qualquer momento’. </li></ul>Bernard Voyenne (1920 - 2003)
    6. 6. O sentido do serviço da agência noticiosa <ul><li>Agências noticiosas lidam com informação do modo mais ágil, confiável e/ou original possível. No primeiro caso, das chamadas “notícias quentes” ou hard news, valoriza-se, acima de tudo, a estrutura piramidal do lide, calcado no factual. No segundo caso, há chances de se explorar dados com um tipo de texto mais livre: são tanto as features quanto os chamados fait divers. </li></ul>
    7. 7. Classificação quanto ao foco temático <ul><li>As agências nacionais recolhem e difundem informações no interior das fronteiras nacionais, recebem informações das agências mundiais e fornecem a estas material interno. O esquema de trabalho varia segundo o sistema político de cada país. Em alguns deles, só a agência oficial está autorizada a tratar da informação, em outros o comércio se opera livremente entre agências comerciais e os demais órgãos de divulgação. </li></ul>
    8. 8. <ul><li>As agências especializadas , ou agências de texto, tratam de assuntos técnicos. (...) </li></ul><ul><li>As agências mundiais ou internacionais recolhem e transmitem notícias internacionais, mas a direção e capital das mesmas são nacionais. </li></ul>Classificação quanto ao foco temático
    9. 9. Classificação quanto ao empreendimento econômico <ul><li>O conjunto de acepções disponíveis na obra de Rabaça e Barbosa sinaliza que o trabalho de uma agência de notícias é parte integrante da lógica econômica do trabalho jornalístico. A razão de ser dessas companhias provém dos esforços das empresas do segmento de expandir sua oferta de informação a custos viáveis. </li></ul>
    10. 10. Nichos <ul><li>Agências exploram, portanto, nichos informativos atraentes para jornais, revistas, sites, emissoras de rádio e de televisão. Por exemplo, um jornal ou revista deseja notícias do mundo para compor seu noticiário e não tem meios de sustentar correspondentes espalhados em vários países. A solução é contratar uma agência noticiosa que forneça esse tipo de informação. </li></ul>
    11. 11. Tipos de empresas jornalísticas <ul><li>Em relação à natureza econômica, há três tipos distintos de agências noticiosas: </li></ul><ul><li>Empresas especializadas </li></ul><ul><li>Cooperativas </li></ul><ul><li>Estatais </li></ul>
    12. 12. <ul><li>São criadas com o fim específico de vender notícias a particulares e a companhias jornalísticas. Foi o primeiro modelo de negócio do serviço, no século XIX. Todas as três grandes agências de notícias européias, a francesa Havas (hoje France Presse) a inglesa Reuters e a já extinta Wolf, da Alemanha, foram concebidas desse modo. No Brasil, as agências Estado, Folhapress e O Globo funcionam assim. </li></ul>Empresas especializadas
    13. 14. <ul><li>São associações de empresas jornalísticas e visam a troca de material produzido pelos seus integrantes, além de, eventualmente, vender o material produzido para outros não-associados. A agência de notícias norte-americana Associated Press foi criada sob esse molde e até hoje funciona desse modo. No Brasil, a Associação Paulista de Jornais (APJ) adotou esse modelo de negócios. </li></ul>Cooperativas
    14. 16. <ul><li>C riadas por governos para oferecer notícias de interesse dessas organizações. A agência Tass, da antiga União Soviética, foi um dos exemplos desse modelo de negócios. As agências Brasil, do governo federal, Câmara, da Câmara de Deputados, São Paulo, do governo estadual, são exemplos de agências noticiosas estatais no País. </li></ul>Estatais
    15. 18. Um quarto tipo <ul><li>Tais definições explicam, em grande parte, os tipos de agências de notícias desde seus primórdios, no século XIX. Atualmente, com a contínua redução de pessoal nas redações, muitas assessorias de imprensa , seja de instituições não-lucrativas, seja de empresas, têm se apresentado como “agências noticiosas”, o que ampliou o sentido do conceito. </li></ul>
    16. 19. Exemplos <ul><li>São os casos, por exemplo, da agência Fifaworldcup.com, da Federação Internacional de Futebol, que ofereceu reportagens, análises e fotos da Copa do Mundo da Alemanha, em 2006. </li></ul><ul><li>A agência PR Newswire, que divulga releases de várias empresas em diversas partes do mundo –inclusive no Brasil–, é o caso mais notório de assessoria de imprensa produzida à maneira de uma agência. </li></ul>
    17. 21. O que é a Agência Hoyler <ul><li>Fundada em fevereiro de 2006 na cidade de Hortolândia (SP), a Agência Hoyler é um produto das classes de Agência Noticiosa I e II do curso da Faculdade de Comunicação Social de Hortolândia, pertencente ao Instituto Hoyler. </li></ul><ul><li>A Agência Hoyler foi concebida e é administrada como uma redação de agência de notícias. Seu foco é regional e abrange as cidades de Hortolândia, Monte Mor e Sumaré. Produz e distribui informações para internautas e órgãos de comunicação interessados em notícias locais. </li></ul>
    18. 22. Produzindo com qualidade <ul><li>A reprodução do conteúdo oferecido no site da instituição é franqueado a todos e sua reprodução é autorizada mediante a citação da fonte. </li></ul><ul><li>Sua equipe é formada pelos alunos do curso de jornalismo. A idéia é produzir material de qualidade e fazer dessa meta uma forma de ensinar aos alunos os fundamentos da atividade da imprensa por meio da prática sistemática, que inclui entrevistas e apuração junto a fontes das cidades envolvidas para elaboração de matérias no laboratório da instituição. </li></ul>
    19. 23. Missão da Agência Hoyler <ul><li>A missão da Agência Hoyler é ser uma instituição jornalística de captação, análise e gestão da informação, em atendimento às necessidades dos leitores e do mercado, garantindo alto padrão de qualidade e credibilidade. </li></ul>
    20. 24. O tema da próxima aula: história das agências de notícias
    21. 25. Citação do dia O jornalismo é a pátria dos revoltados, dos indignados, dos inconformados, em suma, destes incômodos e incomodados de todos os tipos e cores, mas que são, por outro lado, os únicos que ousam seguir contra a corrente. Ciro Marcondes Filho (*1948) Jornalista e professor de Teoria da Comunicação da ECA/USP

    ×