01 Aula7 Jol T 5

353 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
353
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
15
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • 01 Aula7 Jol T 5

    1. 1. Tipos de jornal on-line Jornalismo on-line Professor mestre Artur Araujo (araujofamilia@gmail.com)
    2. 2. Prazos <ul><li>Estamos a 32 dias da 2ª matéria </li></ul><ul><li>A 60 dias da prova e da 3ª matéria </li></ul><ul><li>A 74 dias dos seminários </li></ul><ul><li>A 89 dias da quarta matéria </li></ul>
    3. 3. Tipos de jornais on-line quanto ao conteúdo <ul><li>Sites de notícias quentes </li></ul><ul><li>Blogs </li></ul><ul><li>Sites temáticos </li></ul><ul><li>Revistas digitais </li></ul><ul><li>Sites-espelho (shovelware) </li></ul>
    4. 4. Sites de notícias quentes <ul><li>São generalistas. Quando vinculados a um grupo de comunicação (o caso do Cosmo, com a RAC), costumam se limitar a manter uma equipe (birô) de redatores que publica as reportagens na rede; quando surgem desvinculados destes grupos de comunicação, além dos redatores, mantêm equipes de reportagem, como o iG e o Terra. </li></ul>
    5. 5. Sites de notícias quentes <ul><li>A idéia é transmitir as informações no momento em que elas acontecem. Nesse sentido, por exemplo, as capas mudam com freqüência. Muitas vezes esses portais abrigam sites temáticos, sites-espelho e, às vezes, revistas digitais. </li></ul>
    6. 7. Blogs <ul><li>Estruturalmente, têm uma estrutura “básica”, sem ou com poucos “deep links”. As mensagens são dispostas na página principal. </li></ul><ul><li>Geralmente são pensadas como colunas jornalísticas. Como em várias colunas jornalísticas, muitos textos são em primeira pessoa. </li></ul>
    7. 9. Sites temáticos <ul><li>Dedicam-se especificamente a um assunto, os mais variados possíveis. Costumam ter colunistas e, com menos freqüência, repórteres. A atualização pode ser diária, mas vários deles são semanais. </li></ul><ul><li>Muitos jornais alternativos on-line são sites temáticos (movimentos políticos, sociais ou culturais). Funcionam como revistas digitais. </li></ul>
    8. 11. Sites-espelho (shovelware) <ul><li>Caracterizam-se por conter, parcial ou integralmente, o noticiário produzido pela empresa mantenedora do site, seja ela uma emissora de TV, uma rádio, uma revista ou um jornal. Tem editores mas não tem repórteres, no máximo conta com alguns redatores. Muitas vezes, o site-espelho é apenas a etapa inicial do processo para a criação de um site de notícias quentes. Outras vezes, como no atual caso do Estadão, é a base do projeto web da empresa. </li></ul>
    9. 12. Sites-espelho (shovelware) <ul><li>Shovel quer dizer “pá” e “ware” artigos, bens. A mistura de palavras dá idéia na verdade de transferência sem adaptações de conteúdo de um meio para o outro. É, portanto, um termo pejorativo. </li></ul>
    10. 14. Características e desafios do jornalismo on-line <ul><li>Características e desafios </li></ul><ul><li>Participatividade (conectividade e não-hierarquização) </li></ul><ul><li>Credibilidade </li></ul><ul><li>Desterritorizalização & regionalização </li></ul><ul><li>Narrowcasting & Broadcasting </li></ul><ul><li>Tempo real & assincronicidade </li></ul>
    11. 15. Características e desafios do jornalismo on-line <ul><li>Características e desafios </li></ul><ul><li>Grande capacidade de armazenamento de dados </li></ul><ul><li>Integração de imagens, sons e imagens e movimento </li></ul><ul><li>Largura de banda </li></ul><ul><li>Baixos custos </li></ul>
    12. 16. Participatividade -1 <ul><li>“ Como os produtores primários e os requerentes podem entrar diretamente em contato uns com os outros, toda uma classe de profissionais corre doravante o risco de ser vistas como intermediários parasitas da informação (jornalistas, editores [publishers], professores, médicos, advogados, funcionários médios) ou da transação (comerciantes, banqueiros, agentes financeiros diversos) e tem seus papéis habituais ameaçados. Esse fenômeno é chamado de a ‘desintermediação’.” </li></ul><ul><li>Pierre Lévy. O que é Virtual. 5 ed. São Paulo : Ed. 34, 2001, p. 62-63. </li></ul>
    13. 17. Participatividade - 2 <ul><li>Nunca antes um enunciado pode chegar a tantas pessoas ao mesmo tempo. </li></ul><ul><li>Essa propriedade tornou uma ferramenta como o chat (videochats e audiochats inclusive), por exemplo, em uma possibilidade de exploração jornalística: coletivas on-line (Comunique-se) e leitores entrevistando personalidades ou jornalistas. </li></ul><ul><li>Sempre houve a possibilidade de um conteúdo ser aberto (ágora, dazibao etc), só agora, contudo, todos podem falar com todos (mas há “poréns”: os light users, a parcela da população excluída digitalmente e a cobrança de conteúdo). </li></ul>
    14. 18. Participatividade - 3 <ul><li>“ O ciberespaço manifesta propriedades novas, que fazem dele um precioso instrumento de coordenação não-hierárquica, de sinergização rápida das inteligências, de troca de conhecimentos, de navegação nos saberes e de autocriação deliberada de coletivos inteligentes” </li></ul><ul><li>CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. v. 1. 7 ed. rev. e ampl. São Paulo : Paz e Terra, 2003, p. 117. </li></ul>
    15. 19. Territorialização e desterritorizaliação <ul><li>A Internet embute tanto propostas de topicidade quanto de atopicidade. </li></ul><ul><li>Em termos de produção um site jornalístico pode, por exemplo, cobrir apenas uma região de Campinas ou, inversamente, a economia mundial. </li></ul><ul><li>Em termos de audiência, tanto um quanto outro site jornalístico podem ser acessados em qualquer lugar do mundo. </li></ul>
    16. 20. Credibilidade <ul><li>A facilidade de apagar e maquiar informações erradas, falsas ou comprometedoras na web tornou o conteúdo on-line pouco confiável. </li></ul><ul><li>Como se supera essa barreira? </li></ul><ul><ul><li>Com coerência: não apague nem “maquie” informações erradas, assuma-as </li></ul></ul><ul><ul><li>Com seriedade: apuração rigorosa dos dados, capacidade de narrar e/ou expor argumentos, ortoépia (narração) e obediência às regras de sintaxe e ortografia. </li></ul></ul><ul><ul><li>Com constância: ao assumir um compromisso, cumpra-o. </li></ul></ul>
    17. 21. Narrowcasting & Broadcasting <ul><li>A produção web permite tanto a amplitude quanto a especificidade. </li></ul><ul><li>Essa propriedade explica tanto os portais quanto os sites temáticos. </li></ul>
    18. 22. Tempo real & assincronicidade <ul><li>As publicações on-line permitem a transmissão de conteúdo em tempo real (uma partida do Guga ou o atentado ao World Trade Center). </li></ul><ul><li>As publicações on-line permitem também a produção de conteúdo reflexivo, documental. É possível, por exemplo, elaborar uma grande reportagem sobre Cartier-Bresson ou sobre a história do jornalismo on-line de Campinas e disponibilizar aos leitores o conteúdo. Esses conteúdos podem ficar disponíveis anos a fio para consulta. </li></ul>
    19. 23. Grande capacidade de armazenamento de dados <ul><li>A Internet, muito mais que os meios impressos, é o lugar ideal para serviços como divulgação de listas de aprovados no vestibular e em concursos, ações da bolsa, por exemplo. </li></ul><ul><li>Textos que não couberam no impresso. </li></ul><ul><li>“ Continuous content”. </li></ul>
    20. 24. Integração com outros textos imagens, sons e imagens e movimento <ul><li>É a chamada leitura não-linear </li></ul><ul><ul><li>Inclui não só o multimídia, como também os outros recursos audiovisuais. </li></ul></ul>
    21. 25. Largura de banda <ul><li>Acesso intensivo a um site tira o domínio do ar: a largura de banda é um desafio para todos os jornais que ambicionam grande audiência. </li></ul><ul><ul><li>Denial of Service (DNS) – É gerado por excesso de demanda. Às vezes, entretanto, é o resultado da ação de hackers ou crackers que o fazem por vandalismo, terrorismo ou por motivações criminosas. </li></ul></ul><ul><li>Oferecer recursos que ampliam o consumo de banda podem tornar o site de difícil acesso. Um site que produz infografias em flash e tem largura de banda estreita apresentará bugs freqüentemente. </li></ul>
    22. 26. Baixos custos <ul><li>Apesar de um projeto web tenha a possibilidade de se tornar um empreendimento de investimentos elevados, o ambiente digital permite a criação de projetos editoriais bem modestos. </li></ul><ul><li>A atual crise do setor tem feito as empresas jornalísticas escolherem essa fórmula para projetar a marca no ciberespaço. </li></ul>

    ×