Aspectos ecológicos e comportamentais de araneae

533 visualizações

Publicada em

Uma síntese sobre Ecologia e Comportamento da Ordem Araneae

Publicada em: Ciências
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
533
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aspectos ecológicos e comportamentais de araneae

  1. 1. PREFEITURA MUNICIPAL DE ANGRA DOS REIS SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO URBANO Centro de Estudos Ambientais Aspectos ecológicos e comportamentais de Araneae (Arthropoda, Arachnida) Rita de Cássia Santos de Souza Bióloga CRBio 60.965/02
  2. 2. Seu trabalho era tão bom que logo sua fama percorreu longas distâncias. Arachne ficou muito triste e, em seu desespero, terminou tentando se enforcar. Atena, ao saber o que sua cólera havia provocado, compadeceu-se Suas peças eram disputadas por todas as mulheres da cidade, e muitas outras vinham até de muito longe para adquirir seus produtos. de Arachne e transformou a corda que ela usara para enforcar-se em uma teia. Em seguida, derramou sobre Arachne fluidos retirados das ervas da deusa Hecate e transformou-a em uma aranha. Dessa forma, Arachne foi salva da morte e, embora condenada a ficar dependurada em sua teia, a beleza de sua arte não ficaria perdida para sempre neste mundo. Devido a tanta admiração por seu talento, logo Arachne ficou cheia de si e começou a comparar-se Quando a notícia chegou ao Olimpo, Atenas ficou furiosa com a petulância da mortal. Sentiu-se desafiada, e resolveu aceitar o desafio de Arachne, para ver quem merecia de fato o título de melhor bordadeira. O tema de sua tapeçaria ocasionou a ruína de Arachne. Atena ficou furiosa e destruiu o trabalho de Arachne. Quando as tapeçarias ficaram terminadas, Atena admirou o trabalho impecável de sua competidora, mas ficou furiosa porque Arachne ousou ilustrar as desilusões amorosas de Zeus, pai de Atena, em sua tapeçaria, em vez dos triunfos dos deuses do Olimpo. à Atenas - deusa da sabedoria e dos artesãos, afirmando que seria capaz de derrotá-la na arte da tecelagem. Música The Goddess and the Weaver Artista: Spiral Dance Album: Woman of the Earth Conta a Mitologia que numa região da Ásia Menor havia uma bela moça chamada Arachne, que bordava e tecia com grande talento. O Mito de Arachne
  3. 3. A Ordem Araneae A ordem Araneae é a segunda mais diversa (perdendo para Coleoptera). Conta hoje com quase 45.000 espécies descritas para o mundo todo, distribuídas em 114 famílias (Platnick, 2014). Estimativas de diversidade total em todo o planeta podem chegar a 170.000 espécies (Coddington & Levi, 1991). São encontradas nos mais variados hábitats e em praticamente todas as regiões do globo. Diversidade de formas, cores, hábitos e comportamentos!
  4. 4. Argyroneta aquatica Família: Cybaeidae
  5. 5. Família: Thomisidae
  6. 6. Família: Lycosidae
  7. 7. Características Gerais • 4 pares de pernas articuladas. • Corpo dividido em cefalotórax (prossoma) e abdome (opistossoma), conectados por uma fina “cintura” (pedicelo). • 1 par de quelíceras inoculadoras de veneno. • 1 par de palpos (pedipalpos) = sensação do ambiente e reprodução. • Glândulas abdominais produtoras de seda e fiandeiras (4 ou 6). • Respiração por pulmões foliáceos. • Digestão extra-corpórea - secreções digestivas e faringe sugadora.
  8. 8. A Ordem está dividida em três infraordens: Mesothelae Mygalomorphae Araneomorphae • Poucas espécies, todas na Ásia. • Vestígio de segmentação abdominal. • Orthognathas. • Quelíceras paralelas ao corpo. • Caranguejeiras. • Labidognathas. • Mairoria das aranhas. • Quelíceras fecham-se perpendicularmente ao corpo.
  9. 9. A Seda • Proteção e abrigo; • Captura de alimento; • Reprodução – teia espermática e ootecas; • Deslocamento e dispersão.  ALTA RESISTÊNCIA  COMPLEXIDADE  AÇÃO ANTIMICROBIANA
  10. 10. Estratégias de Captura A TEIA faz parte das estratégias de captura das aranhas. TODAS AS ARANHAS PRODUZEMSEDA, mas nem todas constróem teias. Ao longo da evolução do grupo, algumas espécies reduziram a elaboração da teia e desenvolveram outros métodos de captura: Ex.: “aranhas errantes” (caçadoras ativas), “por emboscada” (caçadoras à espreita).
  11. 11. A EVOLUÇÃO DA TEIA acompanhou a evolução do principal grupo de presas das aranhas – OS INSETOS.
  12. 12. Camuflagem e Mimetismo
  13. 13. Alimentação De um modo geral, as aranhas são predadoras generalistas e oportunistas. A evolução do grupo se deu em meio a longos períodos de privação de alimento. • São carnívoras - Os insetos são suas presas mais comuns, porém podem predar outras aranhas e até vertebrados (peixes, aves, répteis e anfíbios). Existem ainda aranhas que não possuem veneno (Família Uloboridae), e outras que podem suplementar sua alimentação com pólen e néctar. Recentemente descobriu-se uma espécie (Bagheera kiplingi), cuja alimentação consiste essencialmente de folha de acácia (corpos beltianos, ricos em proteína).
  14. 14. Agressão e Territorialidade Recursos Limitados Comportamento Agressivo Exclusão Ativa de Competidores De um modo geral, as aranhas são seres territorialistas. QUAL É, VAI ENCARAR?
  15. 15. A SOCIALIDADE é observada em alguns grupos (Famílias Araneidae e Theridiidae). S O C I A L I D A D E Espécies não-territoriais Espécies territoriais Com cuidado maternal prolongado Com cooperativismo Gregárias (com teias individuais) Coloniais (com teias aglomeradas) + _
  16. 16. Reprodução e Cuidado Parental
  17. 17. ÓRGÃOS COPULADORES • Palpos e poros genitais (machos) • Epígino (fêmeas) ESTRUTURAS DE REPRODUÇÃO ACESSÓRIAS • Teia espermática • Ganchos
  18. 18. DIMORFISMO SEXUAL • Grande parte das espécies de aranhas apresenta dimorfismo sexual. • Geralmente, as fêmeas são maiores que os machos. MACHOS MENORES = MAIS ÁGEIS
  19. 19. • Alguns machos possuem ainda mecanismos para “conquistar” as fêmeas (cortejo) – sinalizar sua chegada, diferenciá-lo de uma presa comum. Ex.: órgãos estriduladores, feromônios, vibrações no substrato (solo ou teia), sinais visuais, presentes nupciais (presas).
  20. 20. Pernas, para que te quero! CANIBALISMO SEXUAL
  21. 21. A Fama da Viúva-Negra Ao contrário do que se pensa, o canibalismo sexual não é uma regra para as aranhas.
  22. 22. Mesmo entre as aranhas do gênero Latrodectus (viuvas-negras), poucas espécies apresentam tal comportamento como via de regra. Um exemplo é a viúva-negra australiana (Latrodectus hasselti), cujo macho realiza a seguinte manobra, conhecida como “somersault” (cambalhota): GARANTIA DO SUCESSO REPRODUTIVO!
  23. 23. O CUIDADO MATERNAL em aranhas varia desde apenas o envolvimento dos ovos em camadas de seda até a proteção e alimentação dos filhotes nos primeiros estágios de desenvolvimento. Isto é fundamental para garantir a sobrevivência dos recém-nascidos. Os benefícios são muitos: • Proteção contra inimigos; • As ootecas mantém condições adequadas de umidade e temperatura e protegem contra parasitas; • Aumento da disponibilidade de presas (mamães capturam presas maiores); • Obtenção de presas previamente manipuladas ou parcialmente digeridas.
  24. 24. MATRIFAGIA Um caso extremo de cuidado maternal. Ocorre em algumas famílias. Demonstrou-se que em alguns casos: • Retarda a dispersão dos filhotes – maior amadurecimento; • Reduz o canibalismo; • Aumenta a sobrevivência. Ser mãe é padecer no paraíso!
  25. 25. Importância para a Conservação • Aranhas são sensíveis a diversos fatores ambientais: temperatura, intensidade luminosa, estrutura da vegetação, umidade relativa do ar e disponibilidade de alimento (Wise 1993; Foelix 1996). • Existem espécies que são características de áreas antropizadas. • Podem ser coletadas facilmente, a um baixo custo. • Reproduzem-se em grande quantidade. • Geram inventários rápidos. • Possuem ciclo de vida curto – acompanhamento de várias gerações num curto espaço de tempo. • São consideradas espécies chaves em muitos ecossistemas. • Simó et al. (1994) sugere que o estudo de biodiversidade de aranhas seja empregado no diagnóstico de áreas ambientais.
  26. 26. Obrigada! Rita de Cássia Santos de Souza Bióloga CRBio 60.965/02 E-mail: sma.gcpa.rita@angra.rj.gov.br

×