Flavonoides

5.626 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.626
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
17
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
182
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Flavonoides

  1. 1. 05/08/2013 1 Curso de Farmácia Disciplina de Farmacognosia II Flavonoides Flavonoides  Pigmentos naturais presentes nos vegetais; Flavus: amarelo  Importante classe de polifenóis;  Hidrossolúveis, relativamente estáveis;  Fazem parte da dieta alimentar diária (frutas, verduras, cereais, vinhos etc.);  Descritos mais de 4200 flavonoides diferentes, principalmente nas Angiospermas
  2. 2. 05/08/2013 2 Calêndula (Calendula officinalis) terpenos esteroides Alcaloides pirrolidínicos, tropânicos, pirrolizidínicos e quinolizidinicos Ácido Chiquímico Acetato Ácido gálico Fenilalanina/ Tirosina Triptofano Taninos hidrolisáveis Alcaloides indólicos e quinolínicos Alcaloides isoquinolínicos e benzilisoquinolínicos Ácido cinâmico fenilpropanoides Lignanas e ligninas cumarinas Ciclo do ácido cítrico Mevalonato ortinina/ lisina ácidos graxos, acetogeninas piruvato terpenos Antraquinonas, flavonoides, taninos condensados GLICOSE polissacarídeos LEGENDA classes metabólitosintermediários VIAS: Ácido Chiquímico Acetato Mevalonato
  3. 3. 05/08/2013 3 Estrutura química: São em geral compostos por 15 átomos de carbono, Possuem estrutura C6-C3-C6 , Derivados do núcleo 2-fenil-g -cromona: 9 10 Glicosilados ou  Oxigenados  Proteção contra raios UV, insetos, fungos, vírus e bactérias.  Atração de animais (polinização).  Antioxidantes.  Controle da ação de hormônios  Inibidores de enzimas Funções dos Flavonóides às Plantas
  4. 4. 05/08/2013 4 Flavonoides são encontrados:  Frutas;  Vegetais;  Chás (verde, mate)  Vinhos;  Nozes;  Sementes e raízes. Ações farmacológicas e usos: Atividade antioxidante; Atividade antiinflamatória;  Atividade antiviral e antitumoral;  Atividade hormonal (isoflavonas).
  5. 5. 05/08/2013 5 Flavonoides são subdivididos em grupos:  Flavanois - ex. cacau  Flavonois;  Flavonas - ex. rutina  Antocianidinas - ex. bioflavonoides  Isoflavonas - ex. isoflavonas de soja  Flavanonas. Flavanois
  6. 6. 05/08/2013 6 Arruda – Ruta graveolens L. Rutina ou Vitamina P Flavonas Fava´ Danta(Dimorphandra mollis)
  7. 7. 05/08/2013 7 Fava´ Danta  Nativa do cerrado brasileiro  Grande incidência nos estados do Maranhão e Piauí.  Parte usada: frutos secos (vagem)  Fonte de Rutina  Explorada economicamente pela Merck no Maranhão  A Merck produz em média 450 toneladas de rutina por ano, atendendo cerca de 40% das necessidades mundiais dessa substância (Merck- Brasil, 2009) A rutina é um farmoquímico extraído de plantas e é usada no tratamento da fragilidade capilar. A produção brasileira de rutina é feita no Maranhão e Piauí. O Brasil exportou para a França em 2012 (até fevereiro) a soma de US$ 1.261.833,00. Fonte: Associação Brasileira da Indústria Farmoquímica e de Insumos Farmacêuticos.
  8. 8. 05/08/2013 8 Propriedades Farmacológicas da Rutina  Apresenta atividade sobre a permeabilidade capilar.  Diminui a fragilidade capilar.  Aumenta a resistência capilar.  Indicada em distúrbios circulatórios e doenças hemorrágicas, como vasculoprotetor e venotônico.  Tratamento de varizes e hemorróidas.
  9. 9. 05/08/2013 9 Isoflavonas Isoflavonas  Pouco distribuídas na natureza.  Presentes principalmente na soja (Glycine max) e em seus derivados.  Apresentam efeito estrogênico por apresentarem semelhança estrutural com os hormônios estrogênicos, encontrados em maior concentração nas mulheres.
  10. 10. 05/08/2013 10 Estrutura química das principais isoflavonas da soja  Pigmentos pertencentes ao grupo dos bioflavonóides  Responsáveis por uma grande variedade de cores de frutas, flores e folhas que vão do vermelho-alaranjado, ao vermelho vivo, roxo e azul.  Funções:  proteção das plantas, suas flores e seus frutos contra a luz ultravioleta( UV )  evitar a produção de radicais livres. Antocianidinas
  11. 11. 05/08/2013 11 Antocianidina Antocianidina
  12. 12. 05/08/2013 12 Antocianidina Identificação genérica de compostos flavonoídicos • Extração com etanol 70% a quente. Reações de identificação:  Com hidróxidos alcalinos (propriedade de formação de sais coloridos, fenolatos amarelados).  Com cloreto de alumínio (fluorescência amarelo esverdeada sob luz U.V. de ondas longas – 366nm).  Reação de Shinoda ou Reação da Cianidina (magnésio metálico + HCL concentrado = cor variando do róseo a vermelho)
  13. 13. 05/08/2013 13 Ginkgo biloba L. (PERFEITO, 2012) PERFEITO, J. P. S., O registro sanitário de medicamentos fitoterápicos no Brasil: Uma avaliação da situação atual e das razões de indeferimento,2012. 163 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde)– Faculdade de Ciências da Saúde,Universidade de Brasília, Brasília,2012.
  14. 14. 05/08/2013 14 Aspectos Botânicos Gerais Ginkgo biloba L. - Ginkgoaceae • Árvore dióica. • Único representante botânico da família. • Altura oscila entre 13 e 17 m. • Folhas com formato de lóbulos unidos = biloba
  15. 15. 05/08/2013 15 Parte utilizada: folha Mais de 250 milhões de anos de história
  16. 16. 05/08/2013 16 Ginkgo biloba – poluição do ar – baixas temperaturas (< -20°C) – ataque de fungos – ataque de vírus – insetos – fogo – radiação (sobreviveu à bomba atômica lançada em Hiroshima) Resistente a
  17. 17. 05/08/2013 17 Constituintes químicos: classificados em cinco grupos majoritários
  18. 18. 05/08/2013 18 • Terpenos: gincolídeos (diterpenos), bilobalídeos (sesquiterpenos), triterpenos e poliprenóis. • Flavonoides: flavonas, flavonóis e biflavonóides. • Hidrocarbonetos de cadeia longa. • Derivados do ácido anacárdico (ácidos gincólicos). • Compostos nitrogenados de baixo peso molecular. O OH OOH R2O OR3 R1 O O O R3 HO R2 O O R1H3C O O Ginkgo biloba (Ginkgoaceae) Gincolídeos Flavonoides
  19. 19. 05/08/2013 19 Ações Terapêuticas Centradas em três aspectos prioritários: • Atividade circulatória, • Atividade antiagregante plaquetária, • Atividade antioxidante.
  20. 20. 05/08/2013 20 • Flavonoides – atuam como elementos depuradores dos radicais livres. • Terpenos (gincolídeos) – inibem o PAF (fator de ativação plaquetária). O quê os radicais livres e o PAF ocasionam? • “Erosionam” as membranas vasculares determinando um aumento da permeabilidade  Alteração do fluxo cerebral,  alteração do metabolismo neuronal,  Alteração da atividade dos neurotransmissores.
  21. 21. 05/08/2013 21 Indicações
  22. 22. 05/08/2013 22 Recomendações da ANVISA (IN ANVISA nº 05, de 11 de dezembro de 2008) Nomenclatura botânica Ginkgo biloba L. Nome popular Ginkgo Parte usada Folhas Padronização/marcador Ginkgoflavonoides (22 a 27%) determinados como Quercetina, kaempferol e Isorhamnetina, e terpenolactonas (5 a 7%) determinadas como ginkgolídeos A,B, C, J e bilobalídeos Formas de uso Extratos Indicações/ações terapêuticas Vertigens e zumbidos (tinidos) resultantes de distúrbios circulatórios; distúrbios circulatórios periféricos (claudicação intermitente), insuficiência vascular cerebral Dose diária 26,4-64,8 mg de ginkgoflavonoides e 6 a 16,8 mg de terpenolactonas Via de administração Oral Restrição de uso Venda sob prescrição médica Obrigado!

×