Esta palestra é de propriedade do Instituto de
Educação Financeira.
          Financeira

Todos os direitos são reservados...
Até o início do século XX, a idéia
                       XX
dominante era de que os investidores
agissem irracionalmente....
Os Economistas neoclássicos adotaram o
   pressuposto de que o comportamento
   humano fosse resultado de um processo
   d...
Desenvolvimentos das finanças:
          O Contexto histórico




Mesmo dentro do arcabouço de racionalidade,
as finanças ...
Para tentar encontrar os momentos em
  que o consenso das massas falha
  (refletido no preço de mercado), o investidor
  p...
Análise técnica




As finanças tradicionais supõe que o mercado
nem sempre está certo, e que é possível ganhar
dinheiro d...
AS FINANÇAS ADEREM A RACIONALIDADE




Markowitz       Modigliani
                               Sharpe       Fama
       ...
FINANÇAS MODERNAS
                  RACIONAIS

DELIBERATIVAS
                       I           Homus economicus
         ...
Ao estudar os processos de tomada de
  decisão dos humanos os psicólogos
                humanos,
  cognitivos verificaram...
Dois psicólogos cognitivos, Amos
Tversky e Daniel Kahneman, foram
além da simples demonstração de
violação dos axiomas. El...
DECISÕES      RACIONAIS EMOCIONAIS


DELIBERATIVAS        I          II
 AUTOMÁTICAS        III        IV
  Valendo-se dos...
As Finanças Comportamentais não negam que
muitas decisões econômicas são tomadas à luz da
racionalidade ampla, porém, têm ...
Também, aprendemos a fazer associações
 que vêm automaticamente à tona em nossa
 mente.
 Estas associações, fruto de sensa...
FINANÇAS COMPORTAMENTAIS


A identificação e a compreensão das ilusões
cognitivas, bem como seus efeitos e formas
de evita...
O CÉREBRO HUMANO É COMPOSTO DE TRÊS
                CAMADAS:
HOMINÍDIA




MAMÁRIA
                                   REPT...
2. Em torno desta estrutura
   primitiva se localiza o
   sistema límbico
   compartilhado por nós com
   os mamíferos.
  ...
Percorrendo as três divisões do cérebro, estão os
circuitos neurais que operam dois tipos de
comportamento voltados para o...
Já, o sistema de aversão à perda é ativado quando
nos tornamos conscientes de uma ameaça ou perigo,
gerando ansiedade, med...
Acreditamos que nosso cérebro
está totalmente adaptado para
o mundo moderno.




    Nós, investidores
    Nós investidore...
As Finanças Comportamentais são as
finanças que tentam incorporar nos modelos
de tomada de decisão as motivações
internas ...
Muito obrigado!
  Jurandir Sell Macedo Junior
Universidade Federal de Santa Catarina
         jurandir@cse.ufsc.br

  Inst...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Congresso Apimec 2008 Jurandir Sell Painel Psicologia De Mercado

787 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
787
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
23
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Congresso Apimec 2008 Jurandir Sell Painel Psicologia De Mercado

  1. 1. Esta palestra é de propriedade do Instituto de Educação Financeira. Financeira Todos os direitos são reservados e protegidos pela lei 5.988 de 14/12/73. Para reprodução deste material, por favor, entrar em p ç ,p , contado com o instituto no endereço jurandir@edufinanceira.org.br ou pelo telefone 48 33349094. Razão R ã e emoção nas ã decisões de investimentos Jurandir Sell Macedo CNPI jurandir@edufinanceira.org.br
  2. 2. Até o início do século XX, a idéia XX dominante era de que os investidores agissem irracionalmente. Assim, as histerias e pânicos eram comuns no mercado financeiro. Para Mackay e outros seguidores (David Thoreau, Bernard Baruch e Gustave La Bom), as decisões das massas são sempre piores do que aquelas q p q que poderiam ser tomada por seus membros individualmente.
  3. 3. Os Economistas neoclássicos adotaram o pressuposto de que o comportamento humano fosse resultado de um processo de tomada de decisão, que pesava custos e benefícios de ações, visando maximizar ç , a utilidade (felicidade). RACIONAIS DELIBERATIVAS I Homus economicus Economia neoclássica – O comportamento humano é resultado de decisões racionais e deliberadas.
  4. 4. Desenvolvimentos das finanças: O Contexto histórico Mesmo dentro do arcabouço de racionalidade, as finanças continuaram acreditando que muitos investidores agiam irracionalmente, afetando assim, os preços de mercado dos ativos. Portanto, idéi P t t a idéia era d que um i de investidor tid racional poderia identificar o momento em que o consenso das massas falhava.
  5. 5. Para tentar encontrar os momentos em que o consenso das massas falha (refletido no preço de mercado), o investidor pode usar tanto a análise fundamentalista quanto a análise f d t li t t áli gráfica. Analise fundamentalista Graham Dodd Loeb Burr Século 20 1934 1935 1938
  6. 6. Análise técnica As finanças tradicionais supõe que o mercado nem sempre está certo, e que é possível ganhar dinheiro descobrindo quando o mercado está di h i d bi d d d tá errado. Para descobrir quando o mercado erra: Análise fundamentalista – tenta projetar lucros futuros de uma empresa com base nos lucros passados. Análise técnica – tenta projetar os preços futuros com base nos preços passados.
  7. 7. AS FINANÇAS ADEREM A RACIONALIDADE Markowitz Modigliani Sharpe Fama Miller 1952 1961 1963 1970 Teoria de Teoria dos Irrelevância CAPM portfólio dos Mercados Dividendos Eficientes FINANÇAS MODERNAS FINANÇAS MODERNAS De acordo com as Finanças Modernas, em um mercado fi i t d t l eficiente, os preços podem eventualmente se desviar d t d i dos valores justos; porém, este desvio deve ser aleatório e não tendencioso. Assim, o bom investidor deverá diversificar seu portfólio de investimentos na fronteira eficiente.
  8. 8. FINANÇAS MODERNAS RACIONAIS DELIBERATIVAS I Homus economicus Investidor racional Assim, as finanças aderem completamente aos pressupostos da economia neoclássica neoclássica. As decisões financeiras são racionais e deliberadas. Todo investidor que não agir racionalmente será eliminado do mercado. Existe uma profunda divisão na teoria das finanças As Finanças Tradicionais supõem que o mercado nem sempre está certo, e que é possível ganhar dinheiro descobrindo quando o mercado está errado, pois acreditam que muitas vezes os investidores agem irracionalmente. Já, as Finanças Modernas acreditam que o investidor é racional e sabe que não pode “bater” o mercado de forma consistente e sistemática. sistemática Assim, o investidor deverá diversificar o seu portfolio de investimentos (fronteira eficiente)
  9. 9. Ao estudar os processos de tomada de decisão dos humanos os psicólogos humanos, cognitivos verificaram que em algumas situações específicas as pessoas violavam os princípios da racionalidade ao tomarem decisões adotados pela Economia Neoclássica e pelas Finanças Modernas. PSICOLOGIA COGNITIVA A tomada de decisão é considerada um processo p interativo pela psicologia cognitiva, em que percepções, convicções e modelos mentais do tomador de decisão podem interferir na escolha do decisor. Além disso, o comportamento d ser h Alé di t t do humano está tá condicionado à situação em que ela acontece, bem como é adaptável e depende das condições percebidas por cada indivíduo.
  10. 10. Dois psicólogos cognitivos, Amos Tversky e Daniel Kahneman, foram além da simples demonstração de violação dos axiomas. Eles se preocuparam em criar um modelo descritivo de como as pessoas tomam decisões decisões. Tversky Kahneman Kahneman Tversky 1974 1979 Utilização de Utilização de regras estruturas mentais mentais. heurísticas Teoria do Prospecto. Publicado na Econometrica
  11. 11. DECISÕES RACIONAIS EMOCIONAIS DELIBERATIVAS I II AUTOMÁTICAS III IV Valendo-se dos avanços da Psicologia Cognitiva surgiram as Finanças Comportamentais. As Finanças Comportamentais procuram compreender as decisões dos quadrantes II, III e IV. FINANÇAS COMPORTAMENTAIS Tversky Kahneman Richard Kahneman Tversky Thaler 1974 1979 1980 Surgem as Finanças Comportamentais
  12. 12. As Finanças Comportamentais não negam que muitas decisões econômicas são tomadas à luz da racionalidade ampla, porém, têm duas objeções: p ,p , j ç 1. Acreditam que o comportamento humano está sempre sob a influência pervasiva e, freqüentemente, não percebida por um sistema afetivo (emoções). 2. Consideram que a mente humana, também, foi feita para dar apoio a processos “automáticos” de decisão (regras de bolso ou atalhos mentais). Os atalhos nos ajudam a tomar decisões rápidas e a fazer julgamentos instantâneos fundamentais ao longo da nossa evolução. Nestes atalhos há dicas perceptivas subliminares que, geralmente, funcionam bem. Mas, podem p ,p produzir ilusões e induzir a erros de julgamento e avaliação.
  13. 13. Também, aprendemos a fazer associações que vêm automaticamente à tona em nossa mente. Estas associações, fruto de sensações acumuladas em nossa história de vida, ou até mesmo na história do nosso grupo, contém uma enorme reserva de experiências que modulam nosso comportamento e guiam nossos julgamentos e decisões. FINANÇAS COMPORTAMENTAIS As Finanças Comportamentais consideram que os investidores nem sempre agem racionalmente pois muitas racionalmente, pois, vezes, são afetados por ilusões cognitivas que na maioria das vezes são prejudiciais. As ilusões cognitivas fazem com que os investidores cometam erros sistemáticos de avaliação de probabilidades e, por conseqüência, de riscos.
  14. 14. FINANÇAS COMPORTAMENTAIS A identificação e a compreensão das ilusões cognitivas, bem como seus efeitos e formas de evitar estes efeitos, são os principais objetivos das finanças comportamentais. A origem das principais il õ i d i i i ilusões cognitivas. Novas descobertas sobre o funcionamento do nosso cérebro cérebro.
  15. 15. O CÉREBRO HUMANO É COMPOSTO DE TRÊS CAMADAS: HOMINÍDIA MAMÁRIA REPTILIANA Paul MacLean 1. No Alto da medula espinhal – centro do cérebro – ficam as estruturas mais primitivas (Amídala), que o homem compartilha com os répteis e peixes e que controlam p processos fisiológicos de g sustentação da vida como: respiração, fome, defesa e atração sexual...
  16. 16. 2. Em torno desta estrutura primitiva se localiza o sistema límbico compartilhado por nós com os mamíferos. Ele controla emoções como motivação e ímpetos ímpetos. Aqui são gerados o medo e a empolgação dos investidores. 3.Envolvendo as estruturas mais antigas está o córtex, massa cinzenta e ondulada. i d l d Cães e chipanzés também têm córtex, porém o humano tem um tamanho descomunal. O córtex pré- p frontal controla os processos superiores como raciocínio e pensamento abstrato.
  17. 17. Percorrendo as três divisões do cérebro, estão os circuitos neurais que operam dois tipos de comportamento voltados para objetivos objetivos. 1. Busca por recompensa; 2. Aversão à perdas. Até o final do século XX, supunha-se que estes sistemas orientavam nosso comportamento. Hoje, os cientistas acreditam que outros processos cerebrais complexos que envolvem emoções, cognições também interferem no nosso comportamento. Quando percebemos alguma coisa valiosa, nosso sistema de recompensas é ativado. Valorizamos sabores agradáveis (especialmente gordura, doce e salgado), química sexual, generosidade, símbolos de status, gargalhadas, estar entre entes queridos e, além disto, a vingança e a punição de desafetos. Todos estes eventos ativam o sistema de recompensa do cérebro.
  18. 18. Já, o sistema de aversão à perda é ativado quando nos tornamos conscientes de uma ameaça ou perigo, gerando ansiedade, medo e pânico. ansiedade pânico Muitas vezes, estes sistemas tomam conta das nossas ações antes mesmo de que estas sejam filtradas pelo córtex e, particularmente, pelo córtex pré-frontal. éf l Quando a ganância (busca por recompensa) e o medo (aversão à perdas) fogem do controle do córtex pré-frontal pré frontal o investidor pode perder a racionalidade racionalidade. Em momentos específicos este comportamento pode tomar conta de um enorme número de investidores. Então, Então o mercado pode não se comportar de maneira eficiente.
  19. 19. Acreditamos que nosso cérebro está totalmente adaptado para o mundo moderno. Nós, investidores Nós investidores, costumamos acreditar que somos racionais e que nossas emoções não afetam nossas decisões. Entretanto, muitas das nossas decisões ainda são profundamente afetadas por nossas experiências vividas nas savanas africanas. Ainda nos comportamos de forma muito parecida com nossos ancestrais, o homo erectus ou os primeiros homo sapiens. sapiens
  20. 20. As Finanças Comportamentais são as finanças que tentam incorporar nos modelos de tomada de decisão as motivações internas dos humanos e que não acreditam que, estas decisões, sejam tomadas apenas pelos estímulos externos como prêmio e punição (lucro e prejuízo). Em um futuro muito próximo não fará mais sentido falar em Finanças Comportamentais. Pois, não fará mais sentido, também, falar em finanças que não incorporem as emoções dos investidores nos seus modelos modelos.
  21. 21. Muito obrigado! Jurandir Sell Macedo Junior Universidade Federal de Santa Catarina jurandir@cse.ufsc.br Instituto de Educação Financeira ç www.edufinanceira.org.br jurandir@edufinanceira.org.br

×