Aula 09 e 16 04-2014 - socialismo e geografia da pobreza

1.181 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.181
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 09 e 16 04-2014 - socialismo e geografia da pobreza

  1. 1. PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DO CAPITALISMO: - Economia de mercado - Propriedade privada dos meios de produção - Sociedade de consumo - Sociedade classista - Lógica do lucro
  2. 2. •Outra característica presente no capitalismo é a Divisão Internacional do Trabalho. •É uma divisão de produção no cenário mundial entre os países desenvolvidos e emergentes •Os países "desenvolvidos" exportam tecnologia e empréstimos, enquanto suas empresas instalam filiais nos países "subdesenvolvidos" ou "emergentes", que exportam produtos industrializados por mão-de-obra barata.
  3. 3. 2ª AULA SOBRE O TEMA SOCIALISMO: A ANTÍTESE AO CAPITALISMO - A ESSÊNCIA DO SOCIALISMO - O QUE É "COMUNISMO"?  CAPITALISMO DESIGUAL - A GEOGRAFIA DA POBREZA - O MUNDO DESIGUAL TAL QUAL ELE É - A LEITURA DO MUNDO - MEDINDO A DESIGUALDADE - GLOBALIZAÇÃO DESIGUAL
  4. 4. • Desde sua fase embrionária entre os séculos 14 a 16, o capitalismo passou por vários estágios, tendo aprimorado seu modo de produção ao longo dos séculos. • Isso fomentou a exploração daqueles que estavam alijados do comando e da condução do sistema - os trabalhadores. • As desigualdades e contradições do capitalismo aumentavam simultaneamente à sua evolução • É no século 19 que surgem manifestações mais incisivas contra esse sistema, diante... ...da flagrante injustiça social que tomava corpo ...e das precárias condições de trabalho
  5. 5. • Deixemos claro: muitos afirmam que o socialismo é oriundo do ventre do capitalismo - surgiu no seio da classe operária europeia, portanto, como uma manifestação da sociedade industrial, fruto do processo de desenvolvimento capitalista • O debate socialista inicial se deu mais intensamente a partir do século 19 • Entre os vários cientistas que teorizaram propostas alternativas ao capitalismo está o alemão Karl Marx, o maior pensador do socialismo de todos os tempos. • Karl Marx e Friedrich Engels são os criadores do socialismo científico e se autodenominam "comunistas. KARL MARX FRIEDRICH ENGELS
  6. 6. • Em linhas gerais, podemos afirmar que o socialismo é um sistema sócio-político- econômico que tem como principal característica a apropriação estatal dos modos de produção, o que significa: torná-lo público. • Enfatiza a busca de uma sociedade igualitária através do confisco dos meios de produção e da propriedade privada. • Em decorrência dessa característica, o poder é concentrado intensamente nas mãos do Estado - E o Estado representa os trabalhadores - Tudo pertence ao Estado e o Estado é de todos
  7. 7. • Desse modo, podem ser considerados socialistas: - Comunistas - Anarquistas - Social-democratas - Socialistas (propriamente ditos) • Mas é um equívoco pensar que todos os socialistas tem os mesmos princípios e leituras da sociedade e da economia: eles divergem, e muito. • Estão consequentemente abrigados em várias correntes, muitas vezes rivais.
  8. 8. - Apropriação social (coletiva, Estatal) dos meios de produção - Planificação econômica - Extinção do lucro - Extinção das classes sociais > sociedade igualitária
  9. 9. • Quando Marx idealizou a noção de meio de produção, ele estava influenciado pelas ideias evolucionistas que abatiam a Europa no século 19. • Marx afirmava que a evolução da humanidade está pautada numa sucessão de vários estilos de vida, que indicava uma contínua sucesso de modos de produção. • Em sua leitura linear da história econômica e social, teríamos os seguintes modos de produção: 1. Primitivo 2. Escravista 3. Feudal 4. Capitalista 5. Socialista 6. Comunista
  10. 10. • A história humana na Terra é marcada pela desigualdade que sempre existiu entre sociedades. • Mas não cremos que isso deva ser entendido de modo determinista, simplesmente aceitando essa ideia. • "Desse momento em diante, terão que morrer todas as crianças recém-nascidas que ultrapassem o limite previsto para estabilizar a população neste nível, a menos que a morte de adultos lhes ceda lugar. Portanto, se desejamos agir corretamente, devemos facilitar a ação da natureza que produz a mortalidade, ao invés de nos esforçarmos inutilmente e tolamente por impedí-la" - Thomas Robert Malthus, um dos principais teóricos do liberalismo clássico do século 18, que defendia o controle demográfico a todo custo. THOMAS MALTHUS (1766-1834)
  11. 11. • "Desse momento em diante, terão que morrer todas as crianças recém- nascidas que ultrapassem o limite previsto para estabilizar a população neste nível, a menos que a morte de adultos lhes ceda lugar. Portanto, se desejamos agir corretamente, devemos facilitar a ação da natureza que produz a mortalidade, ao invés de nos esforçarmos inutilmente e tolamente por impedí-la" - Thomas Robert Malthus, um dos principais teóricos do liberalismo clássico do século 18, que defendia o controle demográfico a todo custo. • Segundo ele, o crescimento populacional se dava em progressão geométrica, enquanto a produção alimentar tinha ritmo de progressão aritimética, e esta relação comprometia qualquer possibilidade de alimento para todos. • Há quem entre no debate para concordar direta ou indiretamente com as ideias de Malthus: são os chamados "neomalthusianos". Progressão geométrica Exemplo: Quociente = 2 2 4 8 16 32 64 128 256 Progressão aritimética Exemplo: Razão = 2 2 4 6 8 10 12 14 16 Crescimento da POPULAÇÃO Produção de ALIMENTOS
  12. 12. • Segundo estudos da ONU, nos dias de hoje a tecnologia e o aprimoramento agrícola fazem com que a produção de alimentos no mundo seja 50% maior do que o necessário para alimentar toda a população mundial. • Já se produz uma vez e meia a necessidade básica de alimentos no planeta. • A teoria de Malthus, em seu tempo, parecia uma previsão válida, mas nos dias de hoje, seria válida?
  13. 13. • É fato que habitamos um planeta caracterizado há muito por desigualdades. • Tomemos como ponto inicial de nossa análise a atual conjuntura social mundial, nascida após o fim da Guerra Fria (1945-1991), origem da chamada "Nova Ordem Mundial", e estímulo ao processo de globalização. PAÍSES CAPITALISTAS EM 1980 PAÍSES SOCIALISTAS EM 1980
  14. 14. • Conforme aprendemos em nossa trajetória escolar, o período da Guerra Fria foi marcado por uma forte bipolaridade ideológica: o conflito capitalismo-socialismo. • No mundo pós-Guerra Fria, igualmente há uma bipolaridade: a tônica do mundo atual se dá entre o norte rico e o sul pobre. PAÍSES CAPITALISTAS EM 1980 PAÍSES SOCIALISTAS EM 1980
  15. 15. • Ao observarmos o mapa mundi com um crítico olhar geográfico, indentificamos 3 grandes bolsões de pobreza: ou seja, regiões onde se concentra o maior número de pobres e miseráveis. Claro que há outros lugares com características semelhantes, mas esses 3 se destacam: África, sul e sudeste asiático, América Latina. PAÍSES COM PIB PER CAPITA MAIOR QUE O BRASIL PAÍSES COM PIB PER CAPITA MENOR QUE O BRASIL AMÉRICA LATINA ÁFRICA SUL E SUDESTE DA ÁSIA
  16. 16. • Também percebemos outras 3 zonas geográficas na qual se diferencia das anteriores. • Caracterizadas pela concentração de riqueza e de poder: a América anglo- saxônica (EUA e Canadá), os países da União Europeia, o Japão. PAÍSES COM PIB PER CAPITA MAIOR QUE O BRASIL PAÍSES COM PIB PER CAPITA MENOR QUE O BRASIL AMÉRICA ANGLO-SAXÔNICA EUROPA JAPÃO
  17. 17. • Sobre a pobreza do hemisfério sul, existem duas exceções: Austrália e Nova Zelândia, países ricos. • Não há uma rígida imposição cartográfica sobre tal composição sócio- econômica: limites rígidos impedem uma leitura inteligente do mundo. • Salvo exceções, esse é o quadro geral: hemisfério norte rico, sul pobre. AUSTRÁLIA NOVA ZELÂNDIA
  18. 18. • A conjuntura contemporânea, marcada por tanta desigualdade, é fruto de sucessivos processos históricos - e também políticos - mas um deles é básico: os efeitos do tipo de colonização. • Quem são os países ricos hoje? Geralmente, os colonizadores de ontem.
  19. 19. • E quais são os países pobres hoje? Na maioria dos casos, os colonizados de ontem. • Há exceções? Sim, claro. Mas para efeito de análise conjuntural, não se pode priorizar exceções.
  20. 20. • Apenas o passado colonial explica efetivamente a desigualdade social? Não, a palavra "apenas" compromete tal afirmação. • Mas o legado colonial parece ter sido decisivo na maioria dos casos, e isso é bastante nítido hoje nos países da África. • É bem verdade que outros fatores concorreram para a perpetuação da penúria africana: um dos mais importantes é a rivalidade étnico-tribal que há em todo o continente, onde elites étnicas conduzem os processos políticos de modo a sustentar os privilégios de uma minoria, agravando a instabilidade social, econômica e política.
  21. 21. • Outro fator que intensificou muito o agravamento da situação social nos países pobres foi o endividamento contraído no contexto econômico do pós- Segunda Guerra Mundial. • Duas das mais famosas instituições globais surgiram nesse período pós-Guerra justamente para se contrapor à pobreza: - o Banco Mundial - o Fundo Monetário Internacional, FMI • Ambos são ligados à ONU
  22. 22. • Apesar de atuarem em conjunto, tem funções diferentes • O FMI possui atuação financeira e monetária junto aos países devedores. - Uma espécie de conselho gestor da política monetária a quem lhe pede auxílio • Já os emprestimos concedidos pelo FMI são de curto prazo, para ajustes financeiros de países endividados CURTO PRAZO FINANÇAS DO PAÍS
  23. 23. • O Banco Mundial possui função mais voltada ao plano social - Atua financiando projetos educacionais e ambientais a longo prazo, projetos na área da saúde, de combate à fome e à pobreza, etc • Apesar de evidenciado em documentos oficiais das duas instituições que sua principal função é o auxílio aos países pobres, muitos críticos questionam a veracidade dessa proposta, especialmente a do FMI. LONGO PRAZO
  24. 24. • Após o desfecho da Segunda Guerra Mundial, tornou-se muito comum classificar o mundo em: - Primeiro Mundo > Países capitalistas desenvolvidos - Segundo Mundo > Países socialistas, de economia planificada - Terceiro Mundo > Países capitalistas subdesenvolvidos
  25. 25. • Temos ouvido novas expressões para indicar a mesma realidade. • Alteram os nomes, mas o desequilíbrio do quadro social do mundo permanece o mesmo. • Hoje, a mais usual das classificações tem sido "norte-rico, sul-pobre", grosso modo, essa é a representação cartográfica da situação sócio-espacial do mundo moderno. • Ainda ouvimos falar em Primeiro Mundo e Terceiro Mundo, já que a designação Segundo Mundo desapareceu em 1991 com o fim do bloco socialista. 1945-1991 1991-2014
  26. 26. • Outras expressões surgem no renovado glossário da globalização: - Países do centro > países ricos do hemisfério norte, centro do sistema capitalista, da produção tecnológica, e sede do capital mundial. PAÍSES DO CENTRO
  27. 27. • Outras expressões surgem no renovado glossário da globalização: - Periferia > países pobres alijados do controle do capital e da tecnologia, mas que participam do processo de reprodução do capital, uma vez que formam o contingente dos trabalhadores e também do mercado consumidor. PERIFERIA PERIFERIA PERIFERIA
  28. 28. • Outras expressões surgem no renovado glossário da globalização: - Países emergentes > países subdesenvolvidos, porém industrializados, que têm uma participação importante na produção e no comércio internacional • É uma expressão polêmica, já que a ideia de "emergente" cria uma ideia otimista, ao contrário da letárgica ideia de país "subdesenvolvido". EMERGENTE EMERGENTE EMERGENTE EMERGENTE EMERGENTE
  29. 29. • Outras expressões surgem no renovado glossário da globalização: - Global trader > países com forte capacidade em multilateralismo comercial. Ou seja, possui um amplo leque de parceiros comerciais. Normalmente os países ricos encontram-se nessa condição. Entre os que não fazem parte do primeiro mundo, China e Índia podem ser considerados "global traders". GLOBAL TRADER GLOBAL TRADER GLOBAL TRADER GLOBAL TRADER GLOBAL TRADERS
  30. 30. • Outras expressões surgem no renovado glossário da globalização: - Baleias econômicas > Países industrializados que guardam um gigantismo territorial, demográfico, e de recursos naturais. Tem posição privilegiada em relação ao mar, daí a expressão "baleia". Países como China, Índia, Brasil, Rússia e Estados Unidos se enquadram nessa categoria. BALEIA ECONÔMICA BALEIA ECONÔMICA BALEIA ECONÔMICA BALEIA ECONÔMICA BALEIA ECONÔMICA
  31. 31. • Para avaliar a conjuntura social e econômica de um país, de maneira razoavelmente leal, o melhor referencial é o IDH: - Índice de Desenvolvimento Humano • O IDH é um indicador utilizado pela ONU para medir a qualidade de vida nos países. • Diferentemente de outros indicadores que se baseiam exclusivamente no desempenho econômico, o IDH toma como parâmetro indicadores sociais. • É possivel realizar uma análise da situação sócio-econômica do país, pois o IDH se dá através da combinação de 3 dados: - Renda per capita - Escolaridade média - Expectativa de vida
  32. 32. • Assim, a educação, a renda e a saúde são a base para a classificação de um país no ranking da ONU. • A graduação do indicador oscila entre 0 e 1 - Quanto mais próximo de 1, melhor a situação social. - Quanto mais próximo de 0, pior a situação social. • O IDH do Brasil é 0,730, e nosso país está na posição n°85 no mundo OS 5 MELHORES IDH’s OS 5 PIORES IDH’s
  33. 33. • Se apregoa um mundo único na globalização, uma aldeia global, contido naquilo que o geógrafo Milton Santos designou como "período técnico-científico- informacional",... ..também é um mundo na qual 3,5 bilhões de pessoas vivem com menos de 4 reais por dia, os pobres, metade da população mundial... ...e outro 1 bilhão de pessoas vive com apenas 2 reais por dia, os miseráveis. 2,5 bi 3,5 bi 1 bi + R$ 4,00/dia - R$ 4,00/dia - R$ 2,00/dia • Juntos, esses dois grupos de pobres e miseráveis somam aproximadamente dois terços da população mundial.
  34. 34. • No século 20, o fosso social entre ricos e pobres só fez aumentar. • Observou-se que a relação entre os 20% mais ricos e os 20% mais pobres piorou acentuadamente: - 11 pobres para 1 rico em 1913 - 30 pobres para 1 rico em 1960 - 90 pobres para 1 rico em 2000 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 1913 1960 2000 Pobres Rico

×