Lassance(2012)aneel

474 visualizações

Publicada em

Antonio Lassance.
Pesquisador do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada.
Apresentação feita no Seminário de Planejamento da Agência Nacional de Energia Elétrica ANEEL+15.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
474
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
226
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lassance(2012)aneel

  1. 1. Comunicação Institucional e Incentivo à Participação Pública Antonio Lassance Pesquisador do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Diretoria de Estudos e Políticas do Estado, das Instituições e da DemocraciaAntonio Lassance antonio.lassance@ipea.gov.brInstituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Diretoria de Estudos e Políticas do Estado, das Instituições e da Democracia (Diest)
  2. 2. A grande transformação em curso na comunicação:Antes: comunicação de massa, com a distribuição unilateral de mensagens (deum para muitos) (McLuhan).Hoje: comunicação fundada na rede de comunicação horizontal global (“web”),que inclui a troca multimodal de mensagem, proveniente de muitos e endereçadaa muitos. “Autocomunicação de massa” (Manuel Castells).Em breve: nova economia da comunicação baseada na convergência dasindústrias de computação, comunicações e de conteúdo. (Tapscott) .Antonio Lassance antonio.lassance@ipea.gov.brInstituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Diretoria de Estudos e Políticas do Estado, das Instituições e da Democracia (Diest)
  3. 3. Comunicação no Brasil: ● TV e rádio permanecem como meios de comunicação mais comuns aos brasileiros. ● A TV é assistida por 96,6% da população brasileira, e o rádio por expressivos 80,3%. ● Jornais e revistas ficam bem atrás. Cerca de 46% costumam ler jornais, e menos de 35%, revistas. ● Apenas 11,5% são leitores diários dos jornais tradicionais ● Internet em crescimento acelerado. Já é utilizada por 46,1%. Fonte: SECOM, 2010Antonio Lassance antonio.lassance@ipea.gov.brInstituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Diretoria de Estudos e Políticas do Estado, das Instituições e da Democracia (Diest)
  4. 4. Crescimento acelerado da banda larga: ● Número de acessos cresceu 73% entre 2011 e 2012. ● Banda larga fixa já está presente em todos os municípios brasileiros (incluindo acessos gratuitos em mais de 61 mil escolas públicas urbanas no programa Banda Larga nas Escolas). ● Cobertura 3G cresceu 87%, chegando a 1.376 municípios. Fonte: Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil) , 2012Antonio Lassance antonio.lassance@ipea.gov.brInstituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Diretoria de Estudos e Políticas do Estado, das Instituições e da Democracia (Diest)
  5. 5. Comunicação institucional ● É a comunicação do Estado e de seus órgãos e agentes, quando no exercício de funções estatais ● Institucional = regras de conduta Ex: “A publicidade dos atos, programas, obras, serviços e campanhas dos órgãos públicos deverá ter caráter educativo, informativo ou de orientação social, dela não podendo constar nomes, símbolos ou imagens que caracterizem promoção pessoal de autoridades ou servidores públicos” (Constituição Federal, art. 37, § 1º.)Antonio Lassance antonio.lassance@ipea.gov.brInstituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Diretoria de Estudos e Políticas do Estado, das Instituições e da Democracia (Diest)
  6. 6. ● Não pode: dar informação privilegiada ou exclusiva, distribuir informação como troca de favores, mendigar evidência, plantar boatos, comunicar para poucos (ao invés de comunicar para todos). ● Formas: comunicados internos, diários oficiais, notícias veiculadas em seus próprios meios de comunicação, publicidade (mesmo que paga e veiculada em meios empresariais privados), pronunciamentos e discursos. ● Distinta da comunicação jornalística, empresarial, individual, comunitária. ● Características, regras, estilo e ritmo próprios.Antonio Lassance antonio.lassance@ipea.gov.brInstituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Diretoria de Estudos e Políticas do Estado, das Instituições e da Democracia (Diest)
  7. 7. A comunicação é uma espécie de uniforme de time: ● Dá identidade ao grupo (“vestir a camisa”) ● Reveste e uniformiza informações ● Mensagem é interpretada conforme sua reputação ● Identifica quem é quem ● Orienta a atenção ● Organiza a atividade em campoAntonio Lassance antonio.lassance@ipea.gov.brInstituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Diretoria de Estudos e Políticas do Estado, das Instituições e da Democracia (Diest)
  8. 8. Atividades de comunicação que envolvem participação pública: ● Promoção de reuniões internas ou discussões abertas ao público; ● Mediação de conflitos de interesse; ● Organização de informações e difusão por emails e documentos impressos; ● Respostas a solicitações de informação (novo contexto: lei de acesso à informação). http://antoniolassance.blogspot.com.br/2012/04/esta-chegando-hora.htmlAntonio Lassance antonio.lassance@ipea.gov.brInstituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Diretoria de Estudos e Políticas do Estado, das Instituições e da Democracia (Diest)
  9. 9. Desafio estratégico 5. FORTALECIMENTO E TRANSPARÊNCIA DOSINSTRUMENTOS DE DIÁLOGO COM A SOCIEDADE “A ANEEL tem se empenhado na construção de uma cultura de relacionamento e diálogo transparente com os segmentos da sociedade: consumidores, representantes da sociedade civil, Governo, Congresso, Poder Judiciário, empresas do setor etc”. http://www.aneel.gov.br/arquivos/PDF/2009-2012-agendadesafiosestrategicos.pdfDesafio da comunicação: desenvolver comunicação específica parapúblicos segmentados. Dúvida: quem é etc? Em comunicação, não existe etc.Antonio Lassance antonio.lassance@ipea.gov.brInstituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Diretoria de Estudos e Políticas do Estado, das Instituições e da Democracia (Diest)
  10. 10. Desafio estratégico 1. COERÊNCIA REGULATÓRIA “O setor de energia elétrica é regido por uma expressiva quantidade de atos normativos de diferentes hierarquias, tão complexos quanto numerosos [...]. Dessa realidade decorre uma dificuldade de percepção geral acerca de nosso ordenamento setorial”.Antonio Lassance antonio.lassance@ipea.gov.brInstituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Diretoria de Estudos e Políticas do Estado, das Instituições e da Democracia (Diest)
  11. 11. Desafio da comunicação: tornar compreensíveis as regras do sistemaelétrico a toda e qualquer cidadã e cidadão. Deixar claros os direitos detodos e a responsabilidades de cada um. Em boa parte das crises, um grande parte do tempo que se perde e do desgaste ocorre pela demora até que se entenda como funciona o sistema, se saiba quem faz o que e se descubra não quem é o culpado, mas qual foi a raiz do problema. Exemplos: crise aérea, apagões, desastres naturais.Antonio Lassance antonio.lassance@ipea.gov.brInstituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Diretoria de Estudos e Políticas do Estado, das Instituições e da Democracia (Diest)
  12. 12. Desafio estratégico 2. ALOCAÇÃO EFICIENTE DOS CUSTOS... “Um dos principais objetivos da ANEEL é garantir ao consumidor de energia elétrica a melhor qualidade possível dos serviços a uma tarifa compatível com a sua capacidade de pagamento. Porém, para que todos possam se beneficiar, é preciso criar incentivos para a redução de custos, desafio essencial para a ANEEL, que é responsável pelo cálculo das tarifas e agregação dos custos ao longo da cadeia”.Desafio da comunicação: mostrar quanto custa o sistema, quem paga equais os custos sociais e ambientais da energia que chega à casa decada brasileiro.Antonio Lassance antonio.lassance@ipea.gov.brInstituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Diretoria de Estudos e Políticas do Estado, das Instituições e da Democracia (Diest)
  13. 13. Na crista da onda: • Crescimento da renda e ascensão social de milhões de brasileiros (IPEA, 2012): consumidores de energia em maior escala. • Tema da redução da tarifa de energia e economia de energia são estratégicos para a comunicação em 2013Antonio Lassance antonio.lassance@ipea.gov.brInstituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Diretoria de Estudos e Políticas do Estado, das Instituições e da Democracia (Diest)
  14. 14. Desafio estratégico 3. QUALIDADE DO SERVIÇO DE ENERGIA ELÉTRICA“Assegurar o serviço de energia elétrica adequado ao pleno atendimento dosusuários é o objetivo principal da atuação regulatória. A ANEEL deve atuar paragarantir ao consumidor de energia elétrica a qualidade do serviço, com tarifascompatíveis com os custos”.Desafio da comunicação: agências reguladoras precisam incorporar areputação de watchdog: age e anuncia imediatamente quando algo nãovai bem. Percebe e “espanta” o problema, evitando que aconteça o pior. Dúvida: se é “objetivo principal”, por que vem em 3o.?Antonio Lassance antonio.lassance@ipea.gov.brInstituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Diretoria de Estudos e Políticas do Estado, das Instituições e da Democracia (Diest)
  15. 15. Desafio estratégico 4: EQUILÍBRIO ENTRE OFERTA E DEMANDA...“Garantir o equilíbrio entre a oferta e a demanda de energia elétrica deve seexpressar por meio da eficiência na realização dos leilões”. Desafio da comunicação: deveria ser visto como parte do desafio da qualidadeAntonio Lassance antonio.lassance@ipea.gov.brInstituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Diretoria de Estudos e Políticas do Estado, das Instituições e da Democracia (Diest)
  16. 16. Desafios estratégicos 6 (fortalecimento da identidade e autonomiainstitucional), 7 (informação com qualidade) , 8 (desenvolvimentoorganizacional) e 9 (descentralização) São desafios organizacionais que dizem respeito à identidade da Agência e à sua capacidade de atuação.Desafio da comunicação: tornar a agência conhecida e reconhecida peloseu papel e pelos resultados de sua atuação.Antonio Lassance antonio.lassance@ipea.gov.brInstituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Diretoria de Estudos e Políticas do Estado, das Instituições e da Democracia (Diest)
  17. 17. Novas tendências da comunicação do setor público: ● Setor público tem larga experiência e atua bem com a velha mídia (a chamada “imprensa”) ● Nova fronteira da comunicação: internet ● Iniciativas: perfis em redes sociais, perfis especializados para jornalistas, “hot sites”, canais no YoutubeAntonio Lassance antonio.lassance@ipea.gov.brInstituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Diretoria de Estudos e Políticas do Estado, das Instituições e da Democracia (Diest)
  18. 18. Alguns bons exemplos: PERFIS EM REDES SOCIAISExército no FacebookExército tem mais de 100 mil fãs no FacebookPerfil do Exército Brasileiro no Facebook chega a 101 mil curtidores. A Força Terrestreingressou nessa mídia social para que o público possa conhecê-lo melhor, tirar dúvidas eobter informações específicas sobre a instituição.Veja o vídeo de agradecimento:http://www.youtube.com/watch?v=SPK15GSaMioAntonio Lassance antonio.lassance@ipea.gov.brInstituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Diretoria de Estudos e Políticas do Estado, das Instituições e da Democracia (Diest)
  19. 19. Perfil da Caixa no twitter para jornalistasO @ImprensaCAIXA é destinado especificamente à divulgação de pautas, releases,notas, áudios, vídeos, fotos e entrevistas (Twittcam).Antonio Lassance antonio.lassance@ipea.gov.brInstituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Diretoria de Estudos e Políticas do Estado, das Instituições e da Democracia (Diest)
  20. 20. Uso de redes sociais em órgãos públicos tem norma orientadoraÉ a Norma Complementar nº 15/IN01/DSIC/GSIPR , publicada pela Portaria n° 38do Conselho de Defesa Nacional, de 26/6/2012. A norma traz conceitos, princípios,diretrizes e responsabilidades. A norma alerta para os critérios e requisitosmínimos de segurança para evitar riscos à informação e comunicação que possam“comprometer a disponibilidade, integridade, confidencialidade e autenticidade dosativos de informação”.Manual da Embrapa para uso oficial em perfis nas redes sociaishttp://culturadigital.br/comunidadesicom/files/2012/04/Manual-M%C3%ADdias-Sociais_final.pdfAntonio Lassance antonio.lassance@ipea.gov.brInstituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Diretoria de Estudos e Políticas do Estado, das Instituições e da Democracia (Diest)
  21. 21. HOT SITESPortal da Transparência da Copa do Mundo de 2014, da CGUCopa 2014 – Transparência em 1.º lugarAntonio Lassance antonio.lassance@ipea.gov.brInstituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Diretoria de Estudos e Políticas do Estado, das Instituições e da Democracia (Diest)
  22. 22. CANAIS NO YOUTUBETV Justiça e perfil do STF no Youtube“Quando foi criada, a TV causou polêmica. Em seu primeiro ano, as sessões nãoeram transmitidas ao vivo porque alguns ministros temiam que a transmissãoinfluenciasse o resultado dos julgamentos [...]. Hoje, todas as sessões do STF sãotransmitidas ao vivo com aparato que inclui comentaristas, repórteres no plenárioe entrevistas dos ministros antes e depois dos julgamentos. Descrevem amovimentação na corte, dizem quais advogados estão presentes, quais ministrosvão votar. A comparação com a transmissão de um jogo de futebol é inevitável,Antonio Lassance antonio.lassance@ipea.gov.brInstituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Diretoria de Estudos e Políticas do Estado, das Instituições e da Democracia (Diest)
  23. 23. pois há uma espécie de "show do intervalo", com os "melhores momentos" dassessões.“O STF é a única corte do mundo com canal no You Tube e a primeira instituiçãopública do Brasil a fazê-lo. O canal do tribunal figura entre os dez mais vistosdesse site, com quase 600 vídeos postados. Na segunda-feira (26/10/2009), o canaldo STF era o nono. Ontem (27/10/2009), estava em quarto, atrás da revistaCapricho, da Rede Record e do Deckdisc, gravadora com apoio de grandescompanhias telefônicas”.http://www.valoronline.com.br/impresso/politica/100/101185/em-busca-de-popularidade-supremo-chega-a-milesima-transmissaoAntonio Lassance antonio.lassance@ipea.gov.brInstituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Diretoria de Estudos e Políticas do Estado, das Instituições e da Democracia (Diest)
  24. 24. Canal do Banco Central no YoutubeOs 57 vídeos do BC no Youtube já obtiveram mais de 6 mil exibições com cominformações de interesse público relacionadas ao Banco.http://www.youtube.com/user/BancoCentralBR?ob=5Anatel no YouTubeA Agência tem colocado vídeos das reuniões do Conselho Diretor e entrevistasconcedidas por seus diretores e assessores, além das audiências e sessõespúblicas.http://www.youtube.com/anatelAntonio Lassance antonio.lassance@ipea.gov.brInstituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Diretoria de Estudos e Políticas do Estado, das Instituições e da Democracia (Diest)
  25. 25. "Vocês deveriam ser mais humanos e interagir mais conosco, seus seguidores”. De um seguidor da BBC de Londres, no Twitter, respondendo a uma consulta da Rede britânica sobre como poderiam melhorar seu perfil nas redes sociais. http://www.bbc.co.uk/blogs/mundo/blog_de_los_editores/2012/10/el_valor_de_las_redes_sociales.htmlAntonio Lassance antonio.lassance@ipea.gov.brInstituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Diretoria de Estudos e Políticas do Estado, das Instituições e da Democracia (Diest)

×