RELATÓRIO DA VISITA À CASA DA MÚSICA – PORTO




                                             Marco Araújo




           ...
CONTEXTUALIZAÇÃO


       No âmbito do módulo “Música, som e meios técnicos”, no dia 15 de
Dezembro/09 os formandos do cur...
Concebida para ser a casa de todas as músicas, integra-se no processo de
renovação urbana da cidade e numa rede de equipam...
Com uma forma geométrica ímpar, a Casa da Música está situada entre duas
ondas e todas as letras indicativas estão gravada...
Já a sala “Laranja”, é uma sala vazia, mas com instrumentos virtuais que
captam os movimentos através de sensores e que os...
REFLEXÃO FINAL: gostei imenso da visita, o que mais gostei foi a arquitectura,
diferente e atraente. Tive pena de não ter ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

RelatóRio Casa Da MúSica M40

3.960 visualizações

Publicada em

Publicada em: Diversão e humor, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.960
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.030
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
31
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

RelatóRio Casa Da MúSica M40

  1. 1. RELATÓRIO DA VISITA À CASA DA MÚSICA – PORTO Marco Araújo Animadores Sócio culturais Música, som e meios técnicos 1......
  2. 2. CONTEXTUALIZAÇÃO No âmbito do módulo “Música, som e meios técnicos”, no dia 15 de Dezembro/09 os formandos do curso de Educação e Formação de Adultos de Animação Sociocultural - da vila de Arões São Romão - realizaram uma visita à Casa da Música no Porto. O objectivo foi proporcionar aos formandos o contacto com os equipamentos e meios técnicos usados na sonoplastia, conforme os objectivos do módulo. Acompanhou os formandos nesta visita a formadora Vera Silva. O ponto de partida foi o local da formação, em Arões, às 14:00 horas; a chegada ao Porto aconteceu às 15:30, tal como programado. A CASA DA MÚSICA Imaginada para assinalar o ano festivo de 2001, em que a cidade do Porto foi Capital Europeia da Cultura, a Casa da Música é o primeiro edifício construído em Portugal exclusivamente dedicado à Música, seja no domínio da apresentação e fruição pública, seja no campo da formação artística e da criação. O projecto Casa da Música foi definido em 1999, como resultado de um concurso internacional de arquitectura que escolheu a solução apresentada por Rem Koolhaas - Office for Metropolitan Architecture. As escavações iniciaram-se ainda em 1999, no espaço da antiga Remise do Porto na Rotunda da Boavista, e a Casa da Música foi inaugurada na primavera de 2005, no dia 15 de Abril. Animadores Sócio culturais Música, som e meios técnicos 2......
  3. 3. Concebida para ser a casa de todas as músicas, integra-se no processo de renovação urbana da cidade e numa rede de equipamentos culturais à escala metropolitana e mundial. É uma instituição que acolhe um projecto cultural inovador e abrangente e que assume a dinamização do meio musical nacional e internacional, nas mais variadas áreas, da clássica ao jazz, do fado à electrónica, da grande produção internacional aos projectos mais experimentais. Para além de concertos, recitais e performances, a Casa da Música promove encontros de músicos e musicólogos, investindo na procura das origens da música portuguesa e apostando fortemente no seu papel de elemento nuclear na educação musical. Define-se também enquanto plataforma cultural aberta a cruzamentos entre a música e outras áreas de criação artística e de conhecimento, um espaço aberto a todos os públicos e a todos os criadores. (in http://www.casadamusica.com) A VISITA Já na Casa da Música o grupo foi recebido por Verónica Moreira, que aguardava a chegada dos formandos. De seguida deu-se inicio à visita, orientada por José Paulo Ferreira. Animadores Sócio culturais Música, som e meios técnicos 3......
  4. 4. Com uma forma geométrica ímpar, a Casa da Música está situada entre duas ondas e todas as letras indicativas estão gravadas na própria parede mestra, em betão armado. Uma curiosidade é que o mármore do exterior é oriundo da Jordânia. Todo o edifício dispõe de vidro duplo para que a sonorização seja total. Assegura uma barreira eficaz porque o vidro, além de ser duplo, tem uma câmara- de-ar entre eles, é infalível ouvir barulho da sala para o exterior, assim como do exterior para o interior, não se ouve rigorosamente nada. O vidro foi fabricado em Espanha, é laminado e ondulado para sustentar as vibrações exteriores e sustentar a acústica interior. Os três módulos ao alto são como se fossem um só com dezassete metros de altura. O interior da sala “Suggia”, sala principal, contém concha acústica, monitor natural, som para os músicos e uma área com retorno de som. Já as bancadas dos lados são para os coros. Esta sala é uma das melhores do mundo, contendo 1234 lugares sentados. É decorada em tons dourados e prateados, sendo estas as cores mais relevantes. Esta sala abarca, ainda, equipamentos em termos acústicos do melhor que existe, parede estriada com caixa de ressonância e com difusores de som que o amplificam de forma homogénea. Os difusores estão distribuídos homogeneamente para as frequências sonoras. Conseguimos ouvir excepcionalmente bem, independentemente do lugar onde nos encontramos, tanto na primeira fila como na última. Até o próprio pano das cadeiras é especial, absorve o som em função do número de pessoas que estejam presentes nesta sala. A sala “Cyber”, sala para Workshops, com todas as condições acústicas e eléctricas, é revestida a esferovite com dispersores de som. Seguidamente, a Sala “Renascimento” é uma sala com figuras em perspectiva, com azulejos de 3 cores - branco, azul e verde, a três dimensões, parecem paralelepípedos ou escadas. A respectiva sala tem este nome porque foi nesta altura que surgiu esta perspectiva. Aqui encontramos máquinas didácticas para que as crianças possam inventar ritmos. Animadores Sócio culturais Música, som e meios técnicos 4......
  5. 5. Já a sala “Laranja”, é uma sala vazia, mas com instrumentos virtuais que captam os movimentos através de sensores e que os reproduzem em som. Por sua vez, a sala “Roxa”, é principalmente para receber as crianças pequenas, enquanto os pais podem assistir ao espectáculo, uma vez que elas ficam em segurança, realizando actividades lúdicas e aprendendo música de forma saudável. Continuamente, o “Auditório 2”- sala para 300 pessoas - serve para outro tipo de concertos, como jazz, hip-hop, piano, música erudita, concertos para crianças e bebés. A sala “VIP” é uma homenagem do arquitecto da Casa da Música à azulejaria portuguesa. Esta sala detém, então, paredes e tecto decorados com réplicas de painéis de azulejo pintados à mão, recriando os originais, como é o caso dos painéis “Conquista de Ceuta aos Mouros“ e “Mulheres do Povo”, de 1909/10. Os originais encontram-se no Porto, na estação de São Bento. Encontramos também referências, a painéis Holandeses, cunho pessoal do arquitecto, como “A Refeição no Terraço”, “Cena de Caça” de 1707. Por fim, esta sala é protegida com uma cortina absorvente para impedir a passagem da luz do sol para a sala “Suggia”. Podemos ainda encontrar ao dispor um bar onde nos sentamos a saborear um café e um restaurante disponível. A visita decorreu de acordo com o previsto, tendo-se revelado produtiva ao nível do conhecimento e tendo proporcionado mais um momento de convívio no grupo de formação. Animadores Sócio culturais Música, som e meios técnicos 5......
  6. 6. REFLEXÃO FINAL: gostei imenso da visita, o que mais gostei foi a arquitectura, diferente e atraente. Tive pena de não ter entrado no auditório principal mas mesmo assim foi uma oportunidade única, a visita tornou-se bastante lúdica e agradável. Animadores Sócio culturais Música, som e meios técnicos 6......

×